História História 13 - PASSADO - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Aizen Sousuke, Byakuya Kuchiki, Gin Ichimaru, Hinamori Momo, Ichigo Kurosaki, Isshin Kurosaki, Izuru Kira, Karin Kurosaki, Nanao Ise, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Shihouin Yoruichi, Toushirou Hitsugaya, Ukitake, Urahara Kisuke, Yuzu Kurosaki
Tags Akira, Bleach, Historia 13, Hitsugaya Toushirou, Hutsugaya, Karin, Kurosaki, Kurosaki Karin, Passado, Secretária, Toshiro, Toushiro, Toushirou, Tsuruga, Tsuruga Akira
Exibições 71
Palavras 1.741
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Josei, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, Minna-san! =D

Voltei uma outra fic rsrs'

Nesta temos um universo alternativo um pouco mais alterado. Na realidade, acho que essa foi a fic que eu mais alterei o mundo de Bleach. Lógico que sempre tento manter ao máximo a essência dos personagens e tudo mais, mas nesta, em especial, teremos um pouco mais de dramas, traumas, etc.

Para quem não sabe, eu tenho um arsenal delas em andamento, atual com 20 mesmo. Contudo, vou concluindo conforme sinto necessidade e, agora, essa era a que mais me perturbava na hora de dormir kkkkk

Espero que gostem! =D

Enjoy, Minna-san! o/

Capítulo 1 - Capítulo 1 - SECRETÁRIA


A mulher em frente a mesa da jovem a olhava com certa superioridade, talvez, esperando assim, que esta a anunciasse para seu superior.

Hinamori Momo, chamada até há alguns anos atrás de Srª. Hitsugaya, com quem o chefe da garota, Hitsugaya Toushirou, foi casado durante pouco mais de um ano e com quem teve uma filha, agora com 6 anos, era a impaciente personagem a confrontar a eficiente funcionária.

Karin, até então, ainda não havia tido o prazer de conhecer a garotinha, mas esperava, sinceramente, que esta houvesse puxado ao pai, pois a mãe, desde que a conheceu, não lhe trouxe nada mais do que chateações.

Os rumores que rodavam pela empresa, era de que o diretor dela, Hitsugaya, havia causado sua separação por ser excessivamente ligado ao trabalho. Como um homem eficiente e de poucas palavras, agora com 31 anos, o diretor ainda mantém tal costume, sempre tentando chegar primeiro que todos no trabalho e sair após o último funcionário da corporação, e que por seu comportamento extremamente impessoal e profissional, ganhou um secreto apelido de capitão do gelo.

Embora tivesse tal apelido, sua secretária, por motivos incomuns e desconhecidos pelo mesmo, sabia perfeitamente que apesar de parecer indiferente, Hitsugaya era um homem gentil que se preocupava com os outros, mesmo que esta qualidade ficasse oculta por sua gélida fachada. E, as suspeitas sobre o motivo de seu comportamento, por sua vez, estariam ligados a incomum aparência do empresário. Com revoltosos cabelos brancos, olhos verde-mar penetrantes, a pele amorenada, a voz rouca possante e sua imagem aparentando ser muito mais jovem do realmente é, Hitsugaya havia enfrentado inúmeras barreiras para atingir o seu atual nível de respeito, mesmo sendo considerado um gênio desde sua adolescência.

Sua ex-mulher, conforme rumores, era a típica garota doce e gentil, que sempre mantinha um sorriso em seu rosto e assim continuava a ser com quase todos que encontrava em seu caminho. Bonita e muito bem educada, a mulher possuía sua aparência muito bem cuidada, sempre estando bem vestida, maquiada e penteada; suas mãos pareciam como as de uma fada de tão delicadas que eram, além de sua voz doce que dava um ar meigo à ela.

Entretanto, nos três anos em que esteve trabalhando na empresa como secretária do jovem grisalho, sempre que via a ex-mulher de seu chefe, esta estava alterada e impaciente, além de sempre tentar ignorar o horários de reunião do rapaz para discutir algo com ele, o que nos últimos acontecimentos, tem gerado certo aumento no mau-humor do diretor. Agora, enquanto olhava de cima com os braços cruzados para a secretária sentada, a ex-mulher demonstrava sua impaciência com o batucar de um indicador frenético em meu próprio braço.

- Kurosaki-san, quando pretende me anunciar? Eu não tenho o dia todo. - Perguntou a mulher vestindo um elegante e social vestido rosa bebê que a garota julgou ser bem mais caro do que parecia, enquanto usava uma maquiagem clara e romântica e um penteado em coque.

- Hinamori-san, como já lhe expliquei antes, o diretor está em reunião com um fornecedor e não pode ser interrompido. - Declarou a morena sem desviar sua atenção, enquanto continuava a digitar alguns relatórios em seu computador.

A sala de Karin era justamente a recepção para a diretoria, o que significava que qualquer um que quisesse entrar em contato com Hitsugaya, teria primeiro que passar pela jovem. No ambiente de paredes brancas, havia um trio de poltronas pretas em couro encostadas na parede de frente para uma ampla mesa em "L" feita de carvalho, onde Karin passava boa parte do seu tempo sentada e que, cujo atrás desta, ainda havia uma enorme estante - também em carvalho - repleta de pastas e documentos.

A entrada no ambiente dava-se pela porta dupla em vidro que dava acesso ao restante da empresa ou pela porta dupla de carvalho, dando acesso à sala da diretoria, à qual era o objetivo da impaciente madame encarando a secretária.

De todos os funcionários da corporação, Karin era a única que não tentara ser amigável com a ex-mulher de seu chefe e, talvez, exatamente por isso, se mantera em seu emprego por tanto tempo, já que a anterior perdeu seu cargo justamente por não saber lidar com aquele tipo de situação. Para ela, ser eficiente era seu único dever, assim, ser amistosa com qualquer um, sendo Hinamori ou não, era totalmente desnecessário. Fora contratada exclusivamente para assistenciar o trabalho da diretoria e seguir às ordens unicamente de Hitsugaya e ninguém mais e, assim, ela fazia questão de cumprir seu trabalho.

E graças ao seu comportamento "robótico", a garota na recepção da diretoria ganhou também um apelido próprio, sendo este o de Yuki-Onna (Mulher de gelo), e também adquiriu certa inimizade por parte da ex-patroa. A impaciência da mulher a fazia apenas dificultar ainda mais o relacionamento entre as duas, o que para a Kurosaki - que já havia deixado claro em suas ações - não fazia qualquer diferença.

Agora, a ocupada secretária, ignorando a presença da ex-mulher de seu chefe, continuava seu trabalho de forma organizada e eficiente como sempre, o que não ajudava o estado de espírito da visitante. Hinamori, por vezes, já reclamara ao ex-marido sobre a falta de cortesia e de urgência aos seus pedidos à morena, porém ele apenas concordou com a atitude da funcionária e até mesmo pôs-se como defensor desta, pois como ele mesmo admitia, "ela apenas faz o que é paga para fazer".

Mediante à tal posicionamento, a mulher se irritou e até mesmo chegou a pensar na possibilidade de algum interesse do mesmo na jovem, mas logo, em um momento de lucidez - como ela mesmo pensava -, descartou a hipótese. Contudo, com o levantar da garota para arquivar mais uma pasta de relatórios na estante atrás de si, Hinamori pôs-se novamente à analisá-la, mesmo que por mero desdém.

Karin era consideravelmente alta se comparada consigo, reparou a impaciência mulher ao perceber que a funcionária novamente usava um sapato social de modelo simplista e baixo. Das roupas, mais uma vez um conjunto "terninho" de cores escuras e neutras, sempre composto por uma saia até os joelhos, um blazer fechado, e um lenço amarrado na gola da única peça clara do look, uma blusa social de botões fechada até o último botão, independente da temperatura ambiente. O corpo da morena parecia quase reto ao olhar sobre as roupas, o que Hinamori classificou como um atitude sensata, pois não acreditava que houvesse muito o que realçar de qualquer forma.

A pele era pálida, até mais que o normal talvez, mas ela não fazia qualquer questão de corrigi-la com maquiagem, usando apenas um batom de um meio-tom de marrom e uma sombra leve e esfumaçada nos olhos negros. O cabelo estava sempre preso num coque baixo, sem qualquer adereço, exceto pelos discretos brincos perolados em suas orelhas. Por fim, as unhas curtas eram limpas e bem cuidadas, porém não tinham mais do que uma base transparente, além das mãos, que embora feminina, possuíam marcas do trabalho. "Sem sal demais até para ele", concluiu a mulher em sua análise após compará-las.

- Se não me anunciar agora, Kurosaki-san, eu irei entrar mesmo sem aviso. Não tenho o dia todo para ficar aqui! - Declarou Hinamori ainda mais impaciente.

Karin finalmente levantou o olhar para a mulher, porém ainda com sua expressão de tédio e desinteresse. Descendo seu olhar para o discreto relógio em seu pulso, averiguou que já estava no tempo limite da reunião, assim fechou a pasta que analisava anteriormente e guardou-a embaixo de sua mesa para mais tardar continuar.

- Aguarde só mais um momento, Hinamori-san. Irei dizer que está  aqui e saber se ele poderá atendê-la agora. - Informou.

Silenciosa, Karin deslocou-se da mesa para a porta dupla em madeira, dando ligeiras e discretas batidas antes de adentrar a sala. Hitsugaya, sentado em sua mesa e, na ocasião, usando um terno bege, viu a morena adentrar o recinto onde conversava com um outro homem, sendo este de meia-idade e usando um terno negro.

- Peço perdão por incomodar a reunião entre os senhores. - Ecoou o tom de voz educado da jovem enquanto se curvava ligeiramente.

- Entre, Kurosaki. - Ordenou o diretor. - Se me der um minuto, Tanaka-san.

- Iie, não precisa se preocupar comigo, Hitsugaya-san. Fique à vontade. - Disse o homem. O jovem grisalho meneou positivamente com a cabeça em sinal de agradecimento e fez sinal com a mão para que a garota se aproximasse.

Karin logo seguiu a ordem, curvando-se levemente enquanto sussurrava em tom inaudível para o visitante as informações para o grisalho.

- Senhor, sua próxima reunião começa em meia-hora. A empresa que pediu para entrar contatar já confirmou a reunião para daqui à duas semanas. Hinamori-san deseja falar com o senhor e ameaçou entrar mesmo sem autorização. - Despejou de forma clara e rápida, novamente se pondo ereta.

- Entendido. - Respondeu.

Hitsugaya suspirou pesado com o último informativo. De todas as tarefas em seu dia, discutir com sua ex-mulher era a que lhe trazia mais cansaço mental, ainda mais em horário de trabalho.

- Se me dão licença, irei voltar para minhas atividades. - Declarou a morena silenciosamente saindo.

- Desculpe, mas teremos que encerrar por hoje. Tenho uma outra reunião daqui a poucos minutos e preciso me preparar. - Informou Hitsugaya.

- Claro, Hitsugaya-san. Sem problema algum. Marcamos para semana que vem?

- Peça a Kurosaki para marcar, pois ela está a par dos meus horários e poderá lhe confirmar.

- Claro, claro. Ainda assim, sempre me impressiono com a rapidez e o silêncio com que ela executa suas tarefas. Parece ser extremamente eficiente. - Comentou. - Sua empresa possui algum tipo de treinamento interno?

- Não há nenhum, para ser sincero. - Respondeu o rapaz um pouco interessado na origem da pergunta.

- Sério? Impressionante. Talvez seja apenas impressão minha, mas ela não se porta de forma educada demais? O tom de voz, as palavras, a postura e até mesmo a forma como se move me lembra um pouco as quatro famílias nobres.

E, mais uma vez, a garota fora elogiada.

Desde que começara a trabalhar, a jovem secretária se tornou alvo de muitos elogios por parte de diretores, fornecedores e clientes que iam até o escritório de Hitsugaya, o que para ele era natural já que sua funcionária realmente era tão competente quanto parecia. Contudo, tal perfeição, já há algum tempo, começava a beirar o surreal.

Poderia mesmo existir tão perfeita secretária?

E com essa mesma pergunta, tão inocente e involuntária, começara-se o destrancar dos cadeados que guardavam o passado oculto da eficiente funcionária.

O passado de Karin logo voltaria para si.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! =D

Nos vemos em breve! o/

Kissus s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...