História História 13 - PASSADO - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Aizen Sousuke, Byakuya Kuchiki, Gin Ichimaru, Hinamori Momo, Ichigo Kurosaki, Isshin Kurosaki, Izuru Kira, Karin Kurosaki, Nanao Ise, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Shihouin Yoruichi, Toushirou Hitsugaya, Ukitake, Urahara Kisuke, Yuzu Kurosaki
Tags Akira, Bleach, Historia 13, Hitsugaya Toushirou, Hutsugaya, Karin, Kurosaki, Kurosaki Karin, Passado, Secretária, Toshiro, Toushiro, Toushirou, Tsuruga, Tsuruga Akira
Exibições 46
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Josei, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eiii, Minna-san! =D

Obrigado à todos que estão lendo, favoritando e comentando a fic! *-*

Espero que gostem do capítulo! =D

Enjoy, Minna-san! o/

Capítulo 6 - Capítulo 6 - JOGO


Ao passar pela mesa em que trabalhava, Karin pegou uma folha de papel em branco em sua pilha de rascunho enquanto seguia para o estacionamento. Chegando no bloco em que o motorista disse estar à espera, viu o luxuoso carro negro estacionado e, em frente à ele, uma garotinha de cabelos brancos e olhos verdes, estando abraçada à um coelho de pelúcia rosa estava à espera ao lado do conhecido motorista. A jovem secretária não pôde deixar de reparar nos traços semelhantes aos do pai que a fofa menininha recebera, pensando se talvez o grisalho também fosse igualmente fofo em sua real infância.

- Kurosaki-san! - Acenou o motorista.

- Boa tarde, Nishida-san. - Cumprimentou a morena educadamente. Logo após, olhou para a garotinha que apertou um pouco mais seu coelhinho e desviou o olhar assustado. Karin limpou a garganta e elegantemente se curvou. - Bem-vinda, Kyoko-hime. Sou assistente do seu pai e estarei à seu dispor. - Seu tom era calmo e elegante. Sem fazer movimentos desnecessários, retirou o lírio em origami feito com a folha que pegou em sua mesa. - Meu nome é Kurosaki Karin e isto é para você, hime. - Estendeu a flor para a garotinha, que a olhou maravilhada. A secretária, mesmo que inconscientemente, deixou um pequeno sorriso gentil surgir em seus lábios. Kyoko logo fez menção em pegar o presente, mas voltou em sua postura para timidamente se apresentar.

- Hitsu... Gaya... Kyoko... Yoroshiku. - Disse a menininha ainda um pouco acanhada fazendo uma ligeira reverência, mas sem deixar de olhar para a alta moça à sua frente.

- Yoroshiku, Kyoko-chan. - A morena ganhou um certo brilho e em seu olhar, além de deixar seu sorriso se alargar para a garotinha. O fato, logicamente, não ocorreu por acaso. A forma como a garotinha agia, bem como o sorriso, ativaram uma antiga memória da jovem secretária. O sorriso de sua irmã gêmea. O motorista, no entanto, observava quieto e um tanto incrédulo com a alteração nas feições de Karin. - Não gostou do meu presente?

- Gostei... Posso pegar mesmo, Onee-san? - Perguntou temerosa.

Karin abriu um pouco mais seu sorriso, achando graça da forma como fora chamada.

- É claro que pode. Quer que eu o coloque em seu cabelo?

A garotinha meneou positivamente com a cabeça, dizendo que assim o queria. Karin, cuidadosa, colocou a flor de papel atrás da orelha da menininha, prendendo-a com um dos grampo que retirou de seu coque.

- Pronto. Vamos entrar? - Perguntou paciente.

- Hai. - Respondeu Kyoko.

- Não sabia que levava jeito com crianças, Kurosaki-san. - Comentou Nishida. - Por acaso, tem irmãos mais novos?

- Somente uma, mas não é mais nenhuma criança. Tenho um irmão mais velho também. - Respondeu normalmente ao homem.

- Entendo. - Respondeu ele um pouco constrangido com a súbita mudança para seu modo "normal". - Então, estou de saída. Até mais, Kurosaki-san, e até mais tarde, Kyoko-chan. - Após se despedir, o motorista saiu com o carro. Karin alguns instantes e se virou para a garotinha.

- Vamos? - Perguntou gentilmente para a garotinha.

Karin estendeu sua mão para a criança e reparou no olhar hesitante em seu pequeno rostinho. Se abaixando afim de ficar na mesma altura da menina, a jovem secretária sorriu de forma gentil.

- Está nervosa? - A pequena meneou positivamente com a cabeça, apertando um pouco mais o bicho de pelúcia contra o uniforme azul. - Pode me dizer o que exatamente está te deixando nervosa?

- Não sei... E se meu pai não gostar de mim? - Perguntou preocupada. A morena deu um pequeno riso, chamando a atenção da menininha.

- Sabe guardar segredo?

- Sei.

- Mesmo? É um segredo de mulher para mulher. Promete? - A garotinha interessada, meneou positivamente de maneira mais enérgica. - Então, vou te contar. - A morena se aproximou para cochichar no ouvido da menina. - Seu papai está nervoso achando que você não gosta dele.

- Verdade? - Perguntou Kyoko, surpresa.

- Verdade, verdadeira. Ele está com medo de você rejeitá-lo. E você, gosta dele? - Rebateu.

- Acho... Acho que sim. - Respondeu acanhada. - Não lembro dele direito.

-  Hm... Entendi... - Karin pensava em algo para animar a garotinha. - Quer brincar comigo? Aposto um doce que vai se lembrar dele rapidinho. - Desafio a morena.

- Brincar de quê? - A pequena pareceu interessada.

- Enquanto vamos encontrá-lo, vou te dar algumas dicas de como ele é e você vai me dizer quem é o seu pai. Mas preste bastante atenção, você não pode dizer para ninguém que acha que ele é seu pai, quando o achar, entregue o lírio que eu te dei e diga "eu te encontrei". Se acertar, te dou o doce que você quiser. Fechado? - Propôs a mulher estendendo a mão para a garota novamente.

- Está bem, Onee-san. - Desta vez a menina pegou a mão e a apertou com firmeza, causando um sorriso satisfeito na mais velha.

- Ok. Vou te contar um pouco sobre o seu pai. Para começar, ele tem o mesmo cabelo e olhos que você. - Contou começando a andar pelo estacionamento.

- O mesmo? E ele é bonito? - A pergunta da garotinha deixou a morena um tanto desconcertada. Bem, era uma criança e crianças não têm os mesmos problemas para falar que os adultos, então era lógico que a menina fizesse uma pergunta do tipo.

- O mesmo sim, pois foi dele que vieram os seus... É, ele é bonito sim. - Respondeu relutante e agradecendo pelo estacionamento estar vazio.

- Como um príncipe?

- Eu diria mais como um rei. Aliás, se dizermos que esse prédio fosse um castelo, ele seria um dos reis que o governam. - Supôs.

- Então, ele é poderoso?

- Oh, é sim. Ele é um homem ocupado e muito poderoso. É muito sério quando está governando e faz tudo para manter o castelo funcionando adequadamente. - Ilustrou.

- Parece assustador. - Comentou a menina.

- As vezes, mas na verdade é um rei gentil e preocupado. Acredite em mim. Se quiser comprovar, um dia desses que estiver assustada com algo, abrace-o e se esconda nele. Tenho certeza de que ele irá te proteger. - Sugeriu.

- E ele é alto como você, Onee-san? - Perguntou imaginando como seria um rei grisalho de olhos verdes em cima de seu cavalo.

- É sim, e está sempre bem arrumado. Ele emana uma aura de importância e elegância. - Contou, parando em frente à porta de acesso para os corredores do edifício. - Agora acabaram minhas dicas. Se achar que é alguém que viu, me fale e eu te direi se pode ser ele. Ok?

- Ok. - Disse animada. A mente da garotinha viajava na história ilustrada por Karin e se divertia com ela.

- Então, bem-vinda ao castelo de seu pai, Kyoko-hime. - Anunciou a morena atravessando à porta e adentrando um grande corredor com várias portas de vidro transparentes dando acesso à variados setores. Algumas pessoas passavam de um lado para o outro sem deixar de reparar na pequena figura ao lado e Karin e, claro, não precisava de muito esforço para saber quem era a menininha. Algumas sorriam para a garotinha, outras apenas à observaram com surpresa por tamanha semelhança com o pai. E, enquanto andavam, Kyoko olhava de um lado para o outro procurando um homem alto, de cabelos grisalhos, olhos verdes e com um ar elegante de realeza.

Ao passar frente ao departamento de relações públicas, avistou um ser alto e de terno de costa, exibindo um longo cabelo grisalho.

- É ele? - Perguntou baixinho a menininha.

- Talvez, o que você acha? - Rebateu Karin se ajoelhando e olhando Ukitake conversar com Shunsui. O amigo relaxado logo reparou na presença da secretária de Hitsugaya conversando com uma pequena princesinha grisalha. Assim, logo arrastou o amigo grisalho para a porta para recebê-las.

- Mas o que temos aqui? Os deuses nos andam mandando princesinhas para alegrar nosso dia. - Comentou Kyouraku. - Bem-vinda, Ojou-chan. Sou Kyouraku Shunsui e este é Ukitake Juushirou. - Apontou para o amigo.

- Algum problema, princesinha? - Ukitake não pôde deixar de reparar no olhar decepcionado da pequena.

- Você não é ele... - Comentou cabisbaixa.

Os dois homens não entenderam muito bem, mas a morena, embora surpresa com a decepção da menina, entendeu.

- Realmente não é. - Admitiu se abaixando novamente. - Mas se sabe que não é, é porque está se lembrando. - Sorriu amavelmente para a pequena. - Esses são amigos do seu pai.

- Eles também são reis daqui como o papai? - Perguntou reparando na diferença entre eles e os outros funcionários. De certo que também emitiam um ar de importância como descrito por Karin.

- São sim, Kyoko-hime. - Afirmou a mais velha.

Os homens não entenderam muito bem tudo, mas ficou clara a decepção em reparar que Ukitake não era quem estavam procurando. Além disso, os dois ainda estavam confusos com a forma doce e gentil com que a secretária dita robótica sorria e tratava a garotinha.

- Kurosaki-san, esta é a filha do Hitsugaya-kun, não é? - Perguntou Ukitake.

- É sim, Ukitake-san. - Confirmou a mulher ao se levantar e, assim como com o motorista, usou seu tom habitual de trabalho, assustando os dois com a mudança brusca de atitude. - Estou encarregada de levá-la até meu chefe e ele já está esperando, então, peço licença e desculpas por atrapalhar vocês. - Curvou-se ligeiramente.

A garotinha, meio confusa, observou admirada a mulher ao seu lado e repetiu o ato o mais fiel que pôde, embora um pouco atrapalhada em acertar as palavras.

- Desculpe atrapalhar vocês, Os-sans. - Disse a criança, causando certo riso na mais velha.

- Certo... - Responderam os dois um pouco confusos.

- Vamos, hime? - Perguntou educada e amavelmente para Kyoko.

- Hai! - A criança estava muito mais animada.

Enquanto elas prosseguiam, os dois diretores olhavam de forma confusa um para o outro, porém se divertiram com o caso e a forma educada de se despedir da menina embora os chamando de "velhotes".

Karin finalmente parou à frente de sua própria porta de vidro, olhando para a menininha.

- Vamos entrar. Lembre-se, se lembrar dele deve entregar a flor e dizer as palavras "eu te achei".  - Observou a morena.

- Hai. - Assentiu a pequena.

Karin deu um leve sorriso e abriu a porta, atravessando o cômodo até a próxima porta em que entrariam. Parada em frente a esta, deu suas discretas batidas e a abriu, sentindo a mão da pequena apertar a sua.e lançou-lhe um pequeno sorriso para tranquilizá-la antes de anunciá-la ao seu pai.

- Senhor, eu a trouxe. - Informou educadamente como de costume.

- Obrigado, Kurosaki. - Respondeu o albino encostado em frente à sua mesa.

Kyoko logo deixou seu olhar procurar a rouca e possante voz que ouviu, encontrando um homem alto e grisalho, de olhos claros como os delas e vestindo um terno chumbo. A garotinha puxou o braço da secretária com um sorriso e um olhar brilhante.

A mais velha sorriu para ela entendendo o recado.

- Pode ir. - Concordou.

A pequena puxou a flor de seu cabelo e caminhou rapidamente até ele, o surpreendendo, mas parou repentinamente na frente do grisalho lhe estendendo o flor.

- Eu te achei. - Declarou e olhou novamente para a secretária. Esta apenas meneou com a cabeça positivamente e fechou a porta, deixando os dois à sós.

Hitsugaya, por sua vez, olhou confuso para a porta que se fechava. Algo de estranho novamente havia acontecido.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! =D

Nos vemos em breve! o/

Kissus s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...