História História de uma vida - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizades, Mortes
Exibições 3
Palavras 767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Nossa três Fanfic foram postadas novos capítulos hoje? É, hoje eu decidi fazer a maratona de Fanfic rsrsr.
Olá Senhoras e Senhores, finalmente vou escrever sobre o dia seguinte do Enlle (o personagem principal da história) sem enrolar mais, vamos ler?

Capítulo 4 - Um sonho, de saudades?


P.o.v Enlle (Bob)

*Sonho on*

Eu estava em minha casa sentado no sofá branco da sala que ficava de frente a televisão, e ao meu lado estava.... a minha mãe?

- Ma...mãe? - eu estava perplexo com ela bem a minha frente, ali em carne e osso

- Filho - Ela fala calmamente a mim com a voz doce e fina que ela sempre teve, aquela voz que sempre me acalmava me fazendo parar de chorar quando estava triste, me fazendo lembrar de uma mãe que sempre esteve ao meu lado e me amou.

- Eu.. - minha voz começa a falhar, e sem nem mesmo perceber, lágrimas Já décima de meus olhos manchando o sofá - E....eu sinto mui..muito mãe, e..eu devia ter suspeitado que vo...você estava doente... é tu...tudo mi...minha culpa - abaixo a cabeça não conseguindo ver a reação de minha mãe a tudo aquilo que eu estava falando

- Shhh - ela pega em meu queixo levantando o meu rosto - Mamãe ta aqui, você não precisa mais chorar - ela coloca as duas mãos em minhas bochechas - Eu sempre vou estar com você, não importa oque aconteça, vou estar te amando e te protegendo, te dizendo oque fazer, te aceitando a cada mudança em você, te abraçando quando for preciso - lágrimas brilhosas caem dos olhos dela, porém a mesma continua sorrindo, aquele sorriso que eu tanto amo nela - Mesmo pelas mais absurdas dificuldades eu estarei lá contigo, você é meu filho, você é uma pessoa incrível...

- Mamãe..... Pra mim.... você nunca vai morrer... - me desabo em lágrimas escandalosas e em soluçadas que não pareciam ter fim

- Eu te amo, meu pequeno - essas foram as últimas palavras que ouvi dela, logo depois uma luz branca e forte toma conta de minha visão....

*Sonho off*

Acordo com o maldito despertador tocando no meu ouvido, já cansado do irritante barulho que ele fazia o desligo, coço meus olhos com as costas de minha mãos tentando tirar o cansaço e peso dos mesmos.

- Eu nunca tinha tido um sonho assim... - sussurro para mim mesmo, me admirou esse sonho, e de alguma forma, me deixou triste e feliz ao mesmo tempo, se é que isso é possível.

Me levanto da cama que estava sentado e vou andando até o banheiro em passos lerdos, escove os dendes quase engolindo a pasta de tão cansado que estava, depois deu ter enchaguado a boca, me despi e entrei na banheira. Sinceramente eu não me lembrava de ter uma banheira aqui, já que antigamente era o quarto de visitas. Continuei o banho parado com a água que antes era gelada e agora morna sobre meu corpo me dando uma enorme sensação de alívio. Não ficando por muito tempo ali logo sai da banheira deixando a água entrar pelo buraco, peguei uma toalha acinzentada que estava pendurada em um cabide perto da porta e começo a secar meu cabelo com a mesma. Como eu não sou acostumado a me trocar no banheiro eu normalmente saio e pego minhas roupas, porém na casa dos meus tios me sentia meio desconfortável, porém saio mesmo assim, abro o guarda-roupa ainda nu e fico olhando as variedades de roupas que tinha ali, era muita calça, blusa, short e cueca, parecia até que meus tios tinham assaltado uma loja de roupas. Escolho uma camisa branca juntamente com um casaco de capuz acinzentado estampado em em lilás " RUN ", uma calça jeans azul marinho é uma boa escolha também, pego uma meia simples branca com um All Star preto e branco. Depois de me arrumar todo pego meu óculos em cima do criado-mudo, (sim eu uso óculos, minha visão não é a das melhores) e por fim desço as escadas.

- Bom dia Enlle - Minha tia me cumprimenta encanto faz café

- Bom dia garotão - Diz meu tio que fazia panquecas

- Bom dia tia, bom dia tio - cumprimento eles igualmente

- Preparado para seu primeiro dia no novo colégio? - minha tia me pergunta

- Sinceramente? nem um pouco... - respondo desanimado

- Qual é rapaz, tenho certeza que fará amigos num piscar de olhos - Meu tio me encoraja, ou pelomenos tenta

- Eu tenho minhas dúvidas - respondo

- Coma um pouco, talvez sua autoestima melhore depois de um bom café da manhã - Diz meu tio colocando um prato de panquecas com café a minha frente.

Depois de comer e arrumar meu material,saio de casa indo direto para o colégio a pé mesmo, já que o mesmo não era tão longe.


Notas Finais


Foi isso o capítulo, triste né? você ficou com pena nem que seja um pouquinho admita.
Obrigada por lerem, desculpem-me qualquer erro e até, fiquem bem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...