História Historias Creepypast e lendas urbanas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Tags Creepypasts
Exibições 13
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Mandem sugestoes de creepypasts para eu colocar nesta fic <3

Capítulo 1 - Helen o pintor sangrento


Fanfic / Fanfiction Historias Creepypast e lendas urbanas - Capítulo 1 - Helen o pintor sangrento

Este é o Helen, ele é um rapaz normal de 14 anos. Ele tem olhos azuis, cabelo preto, comprido, pele pálida e está sempre com olheiras carregadas como quem já não dorme a muito tempo. Eu menti sobre uma coisa, ele não é bem normal, ele não simpatiza muito com os colegas de escola passa os dias a desenhar no seu caderninho pequeno e verde. Não é que ele tenha feito alguma que o fez ficar mal visto antes. Ele simplesmente detesta as pessoas. Este é o Tom, Helen assiste Tom frequentemente a ser bullynado depois das aulas. Helen sente pena dele, não é que ele não queira ajudar-lo mas ele não é muito popular e sempre foi do género de nunca incomodar ninguém.          

Um dia, Judy, uma das suas colegas perdeu o seu relógio. Helen não a ajudou, afinal de contas ele não tinha que a ajudar, nunca ninguém se importou com ele porquê que ele haveria de se preocupar com alguém agora? Um colega de Helen reparou num objecto reluzente na pasta de Helen, pegou nele e Judy afirmou que esse era o relógio dela. Helen sabia que não tinha posto o relógio ali ele estava a ser incriminado!

Nesse dia, Helen foi espancado pelos colegas que lhe rasgaram o seu querido libro de desenhos, disse aos seus pais e professores que ele simplesmente tinha caído das escadas pois os seus colegas nunca paravam de o vigiar. Todos os dias Helen era humilhado, um dia em que empurraram Helen, a sua pasta foi derrubada.

- Isto já não importa... - Susurra Helen enquanto olha para um pin amarelo com 2 olhos e 1 sorriso desenhados a preto. - ...nunca mais importará. - Helen fecha a sua mão com a agulha do pin virada para cima, que perfura a sua mão direita.

Um dia Tom decidiu falar com Helen através do facebook.

TOM: Olá Helen, tudo bem?
HELEN: Quem és tu?
TOM: Eu sou o Tom, hmm, estás bem?
HELEN: Não é da tua conta, deixa-me em paz!
TOM: Ouve.
TOM: Eu sei como te estás a sentir. Tu estás na mesma situação que eu, eu realmente quero ajudar-te, mas eu não sei como te livrar disso, se soubesse já teria me livrado disto à muito tempo... desculpa...

Passado algum tempo Tom e Helen começaram a dar-se muito bem. Foi dificil, pensou Helen, mas finalmente conseguiu, às vezes até conseguia dizer 1 piada ou duas, Helen tinha feito um amigo. Helen usava sempre um smile sorridente para expressar a sua felicidade ":)". Um dia Tom pediu para se encontrarem, Helen seguiu as instruções de Tom e encontraram-se lá.

HELEN: Olá Tom. Como é que estás amigo?
TOM: Tenho algo a te dizer... ALGO IMPORTANTE! Lembras-te do incidente do suposto roubo causado por ti? Eu fui o culpado!
HELEN: O quê? Como? Eu confiei em ti...
TOM: Deixando de ser uma vítima, eu só tenha de me portar bem e talvez consiga sobreviver mais um ano nesta maldita escola. Era um plano perfeito!
HELEN: Como é que foste capaz?!
TOM: Acalma-te! Eu vi dizer-te isto porque eu realmente me sinto mal pelo que fiz, por favor perdoa-me.

Tom afasta-se de Helen e cai de costas. Helen rapidamente segura-o:

HELEN: Apanhei-te, eu puxo-te para cima! 

TOM: Helen?!
HELEN: Cuidado!
TOM: Helen, tu não tens suficiente força para me segurar durante muito tempo e vais acabar por cair também, deixa-me cair.
HELEN: Eu não posso!!!

Tom larga a mão de Helen.

TOM: Desculpa-me, Helen... eu lamento muito...

Tom estatela-se no chão enquanto a polícia chega. Eles entrevistaram o Helen mas ele estava demasiado assustado para dizer alguma coisa. Helen, mais uma vez, passa a ser assunto de conversa por entre os estudantes. Alguns pensam que Helen atirou-o do telhado da escola, mas a maior parte das pessoas pensa que Tom estava a cometer suicídio e o Helen falhou ao tentar salvar-lo pois viram-o a segurar a mão de Tom. 

Helen quando voltou para casa, foi para o quarto chorar a culpa estava a crescer dentro dele, o pensamento que podia ter feito qualquer coisa a mais para salvar o seu amigo. Até que de repente esse pensamento é interrompido por outro muito mais obscuro, "A culpa não é minha se o Tom morreu, ele mercia morrer", esse pensamento fez Helen sentir-se muito melhor. O seu choro de lamento passou a ser um sorriso obscuro.

Os colegas de Helen decidiram fazer uma festa no dia de Halloween, mas não é para celebrar o Halloween, é só para terem os seus amigos juntos numa festa. Como é óbvio, Helen não foi convidado para a festa. Uma noite antes do dia de Halloween, Judy e Maggie estavam a mandar mensagens uma à outra pelo facebook. Ambas dormiam no dormitório da escola e o quarto da Judy é mesmo a seguir ao da Maggie.

JUDY: Quem é que vem a nossa festa?! Estou estão excitada quanto ao dia de amanhã!
MAGGIE: A maior parte dos alunos da nossa turma vão estar lá. Mas eu mandei mensagens ao Ban tantas vezes, e mesmo que todas as mensagens que eu mandei tenham sido lidas ele não me responde, qual é o problema dele?
JUDY: Provavelmente ele está a trabalhar!

MAGGIE: Judy, estou assustada....  Eu estou a ouvir passos vindos da minha porta durante muito tempo.... Eu acho que alguém está a andar pelo dormitório.
MAGGIE: Espera que eu vou usar o buraco da porta para ver quem é.
MAGGIE: O meu deus!! Está um homem lá fora com uma máscara branca, um casaco azul , a segurar numa faca e ele está cheio de SANGUE!
MAGGIE: Merda ele está a bater à porta!
MAGGIE: Oh meu deus, oh meu deus, oh meu deus... !!!

UDY: Acalma-te e encontra uma arma ou algo parecido.
JUDY: Protege-te!
MAGGIE: Ele esta a rodar a maçaneta, boa, pelo menos eu lembrei-me de fechar-la.
MAGGIE: Estou tão assustada!
JUDY: Maggie
MAGGIE: O que é que eu devo fazer?
JUDY: Maggie, ouve-me!
MAGGIE: SALVA-ME.
JUDY: Maggie, acalma-te.
JUDY: Maggie.
JUDY: Maggie?
JUDY: Maggie?!

Judy ouviu a sua porta a abrir-se e começou a sentir uma dor horrível no estômago. Uma pessoa ensanguentada com um casaco azul e uma máscara branca tinha a esfaqueado.

Nesse dia todos os estudantes que se encontravam nos dormitórios foram assassinados, esfaqueados até à morte. Ninguém sabe como é que o assassino conseguiu entrar nos dormitórios. O assassino utilizou o sangue das vítimas para pintar as paredes do dormitório, sendo a maior parte das pinturas um sorriso comum ":)". Helen Otis, está desaparecido.

JUDY: Não estejas excitada pelo amanhã, pois não haverá nenhum amanhã.

Estas palavras foram escritas depois da morte de Judy, apesar de tudo, o assassino ainda está por identificar! 

 


Notas Finais


Mande sugestoes de creepypasts <3 pls


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...