História Histórias Cruzadas - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Originais
Personagens Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Canadá, Justin Bieber, Pattie Mallette, Romance
Visualizações 43
Palavras 3.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ESTOU DE VOLTA! Depois de meses, e sufocos vividos, voltei! E agora que estou de férias essa história vai tomar um rumo hein! Espero que vocês gostem desse capítulo que ficou GI-GAN-TE! ♡



Obs: frases em itálico + aspas são pensamentos.
Obss: frases em CAPS LOCK são gritos.
Obsss: POV = Point Of View = Ponto de Vista

Capítulo 13 - Capítulo XIII


Fanfic / Fanfiction Histórias Cruzadas - Capítulo 13 - Capítulo XIII

 - Blair's POV -

Hailey desliga na minha cara, e eu estou em choque com tudo que acabei de escutar. Não sei explicar o que estou sentindo no momento.

Meu celular ainda está na minha mão, com a tela acesa, e meu olhar está perdido.

B – Chata? Fã desesperada?

Sinto meus olhos se encherem de lágrimas, só não sei se são lágrimas de tristeza ou raiva.

B – Quem ele acha que é pra me usar assim? Vem pro Canadá, não conhece mais ninguém, aproveita pra sair comigo, transa comigo, e depois simplesmente me apaga da vida dele e ainda me chama de fã desesperada?

Estou bufando de nervoso.

B – E aquela magrela? Quem ela pensa que é pra falar assim de mim? Da minha cidade? Da minha profissão? Ah não, me poupe.

Logo minhas lágrimas secam e eu coloco meu celular no criado ao lado da cama.

B – Os dois realmente se merecem. Podres iguais. Tenho nojo de gente assim! Não quero mais contato com nenhum deles, e agora já decidi: Justin não saberá de nada. Ele não merece isso.

Percebo que estou falando sozinha esse tempo todo. Então apenas arrumo minha coberta e meu travesseiro, viro para o lado e resolvo dormir.

Acordo no dia seguinte com a luz da manhã que atravessa minha janela. Meus olhos doem devido à claridade intensa, mas logo essa sensação passa.

Olho para os lados procurando a campainha para chamar uma enfermeira, e me deparo com uma surpresa linda.

B – Rosas vermelhas?

Sorrio já sabendo de quem são.

Encontro a campainha e aperto-a. Logo Tyler entra no quarto.

T – Bom dia, senhorita Blair? É isso?

Rimos.

Ele se senta ao meu lado na cama.

T – Como se sente?

B – Melhor.

Ficamos em silêncio por alguns segundos.

B – São lindas.

Falo enquanto olho para as rosas.

Ele sorri e segura minha mão.

T – Blair, precisamos conversar.

Volto minha atenção pra ele. Fico tensa.

B – Eu juro que não sabia...

T – Eu sei, eu sei. Fica tranquila. Deu pra perceber.

Ficamos em silêncio novamente.

T – E me desculpa se invadi sua privacidade. Você não precisa me contar nada sobre isso, não tem obrigação. A vida é sua, a criança é sua! Se não quiser me falar sobre o pai da criança, tudo bem também! Se não quiser ter a criança, eu vou te apoiar! A vida é sua e eu não deveria ter me intrometido.

Fico surpresa com tudo que acabei de ouvir.

B – Então você não ta bravo comigo?

Ele sorri.

T – Claro que não... Eu não vou te abandonar agora. Vamos passar por isso juntos! Isso, claro, se você quiser assim.

PAZ. É isso que estou sentindo nesse momento. Algo que não sentia há um bom tempo já. Mal posso acreditar que estou ouvindo aquelas palavras. Tyler é realmente incrível, e cada vez mais estou criando sentimentos bonitos e verdadeiros por ele.

Sorrio.

B – É claro que eu quero assim.

Ele sorri de volta.

B – Obrigada.

Me levanto com cuidado e me aproximo, dando um beijo na bochecha dele, afinal estamos no ambiente de trabalho.

Ele retribui de maneira fofa, beijando minha testa.

T – Agora descanse, vou te liberar daqui algumas horas.

B – Ai que bom, já to cansada de ficar aqui.

Ele ri e sai do quarto.

 - Justin's POV -

Acordo e procuro meu celular para ver que horas são.

JB – Ué?

Meu celular não está no meu criado, aonde deixo todas as noites.

JB – Tenho certeza de que tinha deixado aqui.

Me levanto, olho a hora no despertador que fica no criado do outro lado da cama, e vou atrás de Hailey.

Vejo que ela está na cozinha.

JB – Hailey, você viu meu celular?

Ela parece agir meio estranho.

H – Ah, vi sim. Ta ali.

Ela aponta para a mesinha da sala de TV.

Pego meu celular e vou até ela.

JB – E porque estava lá?

H – É que eu... Eu precisei fazer uma ligação hoje de manhã, e meu celular estava sem bateria.

Fico olhando pra cara dela, me perguntando se ela acha que eu sou tonto.

JB – Seu celular estava sem bateria, ai em vez de você colocar pra carregar e fazer a ligação, você pega o meu?

Ela engole seco.

H – Era urgente.

JB – E posso saber o que era tão urgente assim?

Ela fica quieta por alguns segundos, depois se levanta da mesa e começa a guardar o café da manhã.

H – Ai Justin, é pessoal. Para de pegar no meu pé.

JB – Então você sabe a senha do meu celular, é isso?

Ela me olha, nitidamente tensa.

H – Não Justin, eu não sei a senha do seu celular. Tanto que eu nem consegui fazer a ligação que precisava.

Essa menina só pode estar de brincadeira com a minha cara.

Fico nervoso e bem estressado.

JB – Hailey, você ta achando que eu sou idiota ou o quê? Até agora tava falando que usou meu celular pra fazer a sua ligação urgente e na hora que eu pergunto se você sabe a senha você diz que não conseguiu fazer a ligação?! Ta achando que eu sou o quê? Palhaço?

H – Claro que não, ninguém ta falando que você é palhaço. Eu só to te falando a verdade. Pode abrir seu celular e ver, olha suas chamadas, eu não usei seu telefone!

Fico mais irritado ainda.

JB – Brincadeira hein! Eu não fico mexendo nas suas coisas!

H – EU NÃO MEXI NO SEU CELULAR!

Começamos a gritar.

JB – TA BOM HAILEY, TA BOM. EU VOU FINGIR QUE ACREDITO EM VOCÊ SÓ PRA GENTE PARAR DE DISCUTIR, BELEZA?

Ela fica quieta.

JB – Agora dá licença que eu vou sair.

H – Aonde você vai?

Ela tenta se aproximar.

JB – Sair.

E eu apenas me viro e volto para o meu quarto.

Chegando lá me troco, escovo os dentes, e sento na minha cama. Pego meu celular e troco a senha.

 - Blair's POV -

Finalmente Tyler me libera do hospital. Pego o ônibus para ir para casa, mas em vez de ir direto, resolvo parar no parque.

Desço do ônibus e vou caminhando por entre as árvores.

B – Estava precisando de ar fresco.

Vejo cachorros correndo atrás de bolinhas e levando de volta para seus donos, que os aguardavam com um sorriso no rosto.

Casais e amigos fazendo piquenique na grama, com uma cesta gigante e muita comida gostosa.

Sorrio.

Crianças brincando e correndo de um lado para o outro, e então me sento no banco que estava mais perto.

Observo uma menina que deve ter cerca de uns 3 anos pegando uma flor no chão, e depois levando para seus pais, que estão sentados apenas observando-a brincar.

De alguma maneira estranha, sinto meu coração aquecido e uma certa felicidade.

B – E se eu ficasse com o bebê?

Olho para minha barriga e já sinto algo estranho de novo.

B – Ou também posso começar a procurar famílias que gostariam de adotar.

E então me levanto rapidamente e vou para casa.

Chegando em casa, minha avó me espera com um delicioso chá e alguns biscoitos.

Hillary – Como se sente? Estávamos preocupados! Tyler disse que te liberou há 1 hora.

B – Resolvi passar no parque antes de vir para casa.

Vovó sorri.

Hillary – Você ia muito naquele parque quando era pequena! Principalmente com o Justin... Sempre andavam de bicicleta lá.

Concordo com a cabeça sem nenhum sorriso no rosto.

Nos sentamos à mesa e começamos a comer os biscoitos.

Hillary – Já decidiu o que quer fazer?

B – Ainda não... E não sei se vou conseguir decidir rápido.

Hillary – E nem precisa. É uma decisão séria... Tome seu tempo.

Sorrio e logo em seguida tomo um gole do chá.

Hillary – Justin retornou sua ligação?

Olho para baixo.

B – Não. E sei que nem vai.

Minha avó segura na minha mão.

B – Não vó, ta tudo bem. Mesmo. Eu nem ligo pra isso, nem pra ele. Eu decidi que não vou falar nada pra ele.

Hillary – Aconteceu algo pra tomar essa decisão tão rápido?

Respiro fundo.

B – Eu só acho que vai ser melhor assim.

Minha avó concorda com a cabeça.

Meu celular toca.

B – Alô?

T – Blair? Como você ta?

B – Tyler, oi! Bem melhor... E você?

T – Bem também... Eu queria saber se você ta muito cansada, e se tem algum compromisso hoje?

Sorrio.

B – Não estou cansada e nem tenho compromisso hoje, porque?

A linha fica muda por alguns segundos.

T – Você quer sair pra jantar, ir ao cinema, algo do tipo?

Sorrio mais uma vez.

B – Eu adoraria.

T – Legal! Passo ai às 20h, pode ser?

B – Perfeito!

T – Até mais tarde então.

E desligamos.

Olho para o relógio: 18h30.

B – Bom, acho que vou começar a tomar banho e me arrumar então! Tenho um encontro.

Olho para vovó e ela sorri.

Hillary – Tyler é especial. Gosto muito dele.

B – Eu também gosto, vovó. Cada dia mais.

Hillary – Ele estar do seu lado nesse momento demonstra muito caráter da parte dele. Sabe disso, né?

Concordo com a cabeça.

Hillary – Então vai se arrumar! Pode deixar que eu cuido da louça! E aproveita e dá uma atenção pro seu cachorro, ele latiu a noite inteira!

Rio.

Vou até o meu quarto e Thor está dormindo na maior paz. Me sento ao lado dele, e mesmo que ele esteja dormindo, começo a conversar com ele.

B – Oi minha bolinha branca.

Sorrio ao olhar pra ele.

B – Você não vai acreditar no que aconteceu... A mamãe está grávida.

Fico em silêncio por um minuto.

B – Pois é, mas eu não sei se esse irmãozinho ou irmãzinha será seu...

Percebo que ele está em sono profundo e apenas deixo ele dormir.

Me levanto e vou até o banheiro. Tomo um banho, faço hidratação no cabelo, depois faço babyliss, maquiagem, escolho uma roupa e...

B – Não serve?!

Me olho no espelho.

B – Mas já?!

Viro de lado e continuo me olhando.

B – Mas eu nem consigo ver a barriga ainda...

Minha avó abre a porta do quarto, rindo.

Hillary – Desculpe, querida. Não queria me intrometer mas estava para bater na porta quando ouvi você falando sozinha.

Rio.

Vovó se senta na minha cama.

Hillary – Você não consegue ver a barriga ainda porque não existe uma barriga ainda. E você provavelmente não terá uma barriga muito grande... Mas pode perceber que você esta mais inchadinha sim.

Me olho no espelho novamente, dessa vez entortando a cabeça de todos os jeitos possíveis até que consigo enxergar.

B – Mas eu to com 1 mês só!

Hillary – Você é e sempre foi muito magra, Blair! Qualquer coisa já faz aparecer um inchadinho, e suas roupas vão parar de servir sim! Principalmente as mais apertadas...

Abro meu armário e pego um macacão preto. É mais soltinho, então com certeza serve. Além de disfarçar a “barriga”.

B – Que tal?

Visto-o e peço a opinião da vovó.

Hillary – Você é linda de todo jeito.

Sorrio.

Hillary – Já estava quase me esquecendo! Vim aqui para te avisar que Tyler já chegou! Está lá fora te esperando!

Me assusto e pego um sapato correndo e arrumo minha bolsa com pressa.

Encontro Tyler e logo vamos para um restaurante.

T – Você ta linda.

Sorrio.

B – Obrigada.

T – Sabe Blair... Logo que te conheci me encantei pelo seu jeito delicado e carismática de ser. E cada dia que passa me surpreendo mais com você, sempre quero saber mais a seu respeito.

Sinto minhas bochechas corarem.

T – Eu não sou o tipo de cara que vai te abandonar só porque a situação ficou difícil... Não. Eu to aqui, e eu quero que você saiba que eu to aqui.

Estou sentindo um frio na barriga.

T – E a situação é complicada? Sim. Mas eu não quero te perder por isso, na verdade quero fazer disso algo que nos aproxime. Eu consigo enxergar que você é única, e que eu não vou encontrar ninguém assim... Eu quero te ter por perto, e pode parecer cedo, mas eu sinto que preciso fazer isso.

Não consigo parar de sorrir.

T – Isso não é só uma demonstração do meu apoio pra qualquer decisão que você tomar, mas também quero que veja que você é realmente especial. Blair, quer namorar comigo?

Meu coração dispara ao ouvir aquelas palavras.

B – Sim!

Damos um beijo rápido por cima da mesa e logo o garçom chega.

T – Vamos comemorar! Um vinho? Champagne?

B – Eu... Acho que vou ficar no suco mesmo.

Tyler arregala os olhos.

T – Meu Deus, eu já tinha me esquecido! Mil desculpas.

Rio.

B – Imagina! Eu também ainda não me acostumei.

E a noite segue... Comemos pratos deliciosos, tomamos um suco de laranja com morango divino, e depois vamos ao cinema.

Já são 00h30 e Tyler me deixa em casa.

Estamos parados dentro do carro.

T – Eu to bem feliz, sabia?

Ele me olha sorrindo e eu sorrio de volta, e seguro na mão dele.

B – Eu também.

Beijo-o. Um beijo demorado e gostoso.

T – Qualquer coisa que precisar, me liga.

B – Pode deixar!

Falo enquanto saio do carro e fecho a porta do mesmo.

Ele espera eu entrar em casa e então vai embora.

Tiro os sapatos para não fazer barulho e vou andando em direção a sala, que está com a luz acesa.

Chegando lá fico paralisada.

B – O que você ta fazendo aqui?

JB – Blair... Você ta... Nossa!

Os olhos dele brilham.

Minha avó chega por trás de mim.

Hillary – Ah, você chegou querida! Tentei te ligar para avisar que Justin estava em casa, mas você não atendeu o celular!

Minha avó me olha como se também não estivesse entendendo nada.

B – Eu... Eu coloquei no silencioso, tava no cinema.

Minha avó concorda com a cabeça.

Hillary – Bom, agora que você chegou vou deixa-los a sós.

JB – Desculpe o incômodo e principalmente o horário, Hillary.

Ela se vira para Justin e sorri. Querendo ou não, minha avó ama ele.

Hillary – Imagina querido, eu ainda vou assistir House Of Cards.

Ele ri. E eu ainda estou paralisada sem entender nada.

Vovó sobe as escadas e eu escuto a porta do quarto fechando.

JB – Você tava no cinema?

B – Você ainda não respondeu a minha pergunta.

Meu coração está disparado e estou ficando sem ar. O que ele está fazendo aqui?

JB – Precisava de uma amiga...

Fico incrédula.

B – Desculpa, eu acho que não entendi direito.

Ele parece confuso.

JB – Eu e Hailey tivemos uma briga enorme e eu precisava voltar pra algum lugar, pra alguém que me entendesse.

Me sento, porque estou prestes a desmaiar de tanto nervoso.

B – Eu ainda não to entendendo.

JB – Você bebeu alguma coisa hoje?

Me sinto insultada.

B – Como assim se eu bebi algo hoje?

JB – Eu to te explicando a situação com todas as palavras e você continua me falando que não ta entendendo...

B – É claro que eu não to entendendo! Você some da minha vida e me exclui da sua e depois aparece aqui pedindo ajuda? Amparo? É isso que eu não to entendendo.

JB – Te excluir da minha vida? A única pessoa que fez isso foi você! Não atende mais nenhuma das minhas ligações! Não retorna minhas mensagens de voz! E mesmo assim eu to aqui!

Justin fica em pé e começa a ficar nervoso também.

B – Não, não, não, não, não. Eu acho que você ta confundindo a história. Quem não atende minhas ligações e não responde as minhas mensagens é VOCÊ! Eu tenho te ligado desde o dia que você foi embora, tentando manter contato e não tive NENHUM sinal de vida seu.

Ele parece confuso e ao mesmo tempo nervoso. Não para de travar o maxilar.

JB – Do que você ta falando? Quem te liga todos os dias sou eu! Você não me atende, nunca! Sempre cai na caixa postal!

Fico em pé e vou para perto dele, encostando o dedo na cara dele.

B – Olha aqui, você para de mentir e de pirraça pra cima de mim. A Hailey atendeu seu telefone ontem mesmo, quando te liguei, e me disse tudo!

JB – O QUÊ? Do que você ta falando?

Ele abaixa meu dedo.

B – Como assim do que eu to falando? Eu to falando do fato de você não querer falar comigo, falar pra ela que eu sou uma chata e que pareço uma fã desesperada! Eu tento manter uma porcaria de amizade com você e é assim que você me trata? Eu te ajudo durante as suas férias e é assim que você fala de mim pros outros?

Começo a perceber que ele está em choque.

JB – Não! Não! Eu não falei nada disso!!!!

Ele leva as mãos até a cabeça e fecha os olhos de nervoso.

JB – Me escuta! O motivo pelo qual eu vim aqui é por causa da minha briga gigante com a Hailey. E o motivo da minha briga com ela é porque eu descobri que ela anda mexendo no meu celular!

Ele pega o celular e procura meu número.

JB – Esse é o seu número, não é?

Ele me entrega o celular.

Olho confusa.

B – Não!

Ficamos em silêncio por alguns segundos.

Sem dizer nada, Justin vai até o telefone da minha casa e disca para o número que estava no meu contato.

Fico parada ao seu lado, apenas observando-o.

JB – Alô? Quem fala?

H – É a Hailey, quem gostaria?

Justin desliga o telefone e fica me olhando. Sem dizer nada.

Percebo sua expressão mudar várias vezes, ele está com muita raiva.

B – Quem era?

JB – Hailey. Ela mudou seu número no meu celular para um celular dela, então toda vez que eu te ligava, ela desligava o telefone na minha cara.

B – E quando eu te ligava você não atendia porque não tinha o número salvo.

Justin concorda com a cabeça. Ficamos em silêncio.

JB – Eu não aguento mais essa mulher, ela é louca.

Ele começa a andar de um lado para o outro.

JB – Fez a gente ficar sem se falar esse tempo todo, perdemos o contato, discutimos agora, eu nem sei mais o que está acontecendo na sua vida! Como você tá, se você tá bem, tudo por causa da Hailey.

Me aproximo dele e faço ele se sentar. Seguro a mão dele e tento acalmá-lo.

B – Realmente ela é meio louca, mas tudo bem, a gente já descobriu isso. Vamos trocar o número de novo e podemos voltar a manter contato, tá tudo certo, não precisa se estressar.

Ele olha pra mim e está tão perto...

JB – Você não entende Blair... Eu não gosto da Hailey. Ainda estamos namorando pelo único motivo de eu ter dó dela. Tenho dó de terminar com ela. Eu não a amo. E agora que sei que ela fez isso, vi esse lado dela, o caráter dela... Tenho nojo!

Respiro fundo.

B – Você não deve ficar com ninguém por dó! Não é certo... Nem pra você e nem para a outra pessoa. Você ta prendendo vocês dois num relacionamento nada saudável.

Ele sorri fraco e acaricia meu rosto.

JB – Você... É sempre tão sábia.

Meu coração continua disparado.

B – Justin, eu...

JB – Eu não amo a Hailey, Blair. E eu voei até aqui pra te contar isso.

Começo a ficar sem ar, sei aonde essa história vai parar.

Tiro a mão de Justin do meu rosto, mas ele coloca de novo e chega ainda mais perto.

JB – Eu vou terminar com ela.

B – Justin, me escuta...

JB – Porque eu te amo.

Ele olha no fundo dos meus olhos e eu me sinto hipnotizada pelos olhos dele.

JB – Eu amo você, Blair. Quando éramos pequenos, eu amava você. E desde que voltamos a ter contato, esse sentimento voltou mais forte do que nunca, e é como se nunca tivesse saído de dentro de mim. Eu menti quando disse que não lembrava seu nome... É claro que lembrava. Não menti sobre as memórias bloqueadas, mas eu sempre me lembrei de VOCÊ. Sempre senti a sua falta. Não sei se você percebeu, mas tenho muitas músicas pra você.

Estou sem palavras.

JB – É você, Blair. E eu vou te provar isso, vou terminar com a Hailey e então finalmente poderemos ficar juntos.

Ele se aproxima, pronto para me beijar.

Me afasto.

B – Justin.

Ele me olha.

B – Eu to namorando.


Notas Finais


♡ ENQUETE ♡

Vocês são #Team:

a) Blair, fica com o bebê!!!

b) Blair, coloca o bebê para a adoção!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...