História Histórias de uma retardada - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags O Diário De Uma Retardada
Visualizações 44
Palavras 935
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - A Coxinha




Eu já tinha começado mal o dia,  e tudo piorou por causa de uma coxinha! Uma simples coxinha! 

E vocês devemos se estar a perguntar.. 

"Wtf? Cebola uma coxinha?"

Sim sim.. 

Então foi o seguinte.. 

Eu tinha acabado de acordar, tipo super normal, eu peguei no telemóvel pra ver as horas. 

E eu tinha acabado de acordar às 8:46 da manhã.. 

Eu uma rapariga que dorme até quase ao meio dia acordei às 8:46.. 

Mas super na boa,  super na boa.. 

Desliguei a tela e tentei voltar a dormir o tempo passou e passou e eu n adormeci. E eu já pensava que eram 9:00 ou mais e não.. Olho a tela e eram 8:49

Inspirei fundo e levantei-me da cama. 

Até que eu encontro a minha mãe na sala. 

Mãe: Filha hoje vamos ao supermercado

Eu: Ai mãe não me apetece.. 

Ela olha-me mortalmente sem paciência nenhuma. 

Mãe:  Vamos ao supermercado! 

Eu:  Pronto pronto,  sim vamos ao supermercado.. 

Pronto.. Eu já tinha acordado cedo pra caralho e ainda tinha que ir ao supermercado.. 

Lá fui eu comer e me vestir pra sair de casa. 

Quando chegamos ao super mercado eu vejo uma pessoa a falar com outra super normal até que do nada alguém vem por trás e rouba a carteira de uma delas,  elas colocam-se a gritar que nem umas loucas,  e o carteirista.. *rio* o carteirista é atropelado tipo do nada alguém chega ao supermercado e atropela o carteirista e o condutor fica tipo bué à toa, super preocupado e tals. Vai lá a mulher que tinha sido roubada pega na sua bolsa e depois fica a agradecer o homem que nem sabe onde está.. E eu e a minha mãe a passar-me lá tipo super normal, acabamos de assistir uma pessoa ser roubada mas nem para nós pra ver se está tudo bem.. 

Eu: Mãe viste o que acabou de acontecer? 

Mãe:  Oquê? 

Eu: O carteirista

Mãe:  Qual carteirista? 

Eu ainda fiquei a olhar para ela tipo "wtf? Ela está a gozar ou quê?"

Eu:  Esquece.. 

Mãe:  Ok.. 

Aí nós entramos no supermercado e eu vi! EU VI! Perto do pão havia um monte de salgadinhos e eu vi.. Uma coxinha. Só havia uma coxinha! As pessoas já tinham comprado as coxinhas todas menos uma e eu fiquei tipo.. 

"Coxinha.. Tu vais ser minha"

Eu:  Mãe,  podes me comprar uma coxinha? 

Mãe:  Tu é as coxinhas.. *suspira*

Eu:  Mas é que é a última! 

Mãe:  Ok,  no final de pegar-mos o essencial vamos comprar a coxinha

Eu: Obrigada mãe! 

Mas a eu pensei... Mas se nós só formos pegar a cozinha depois.. Alguém já a pode ter pegado primeiro! 

Eu: Er.. Mãe eu vou lá pegar a coxinha num instante

Mãe: Não vais não! 

Eu:  Ué? Porquê? 

Mãe:  Não vês que te podem roubar,  estrutura,  sequestrar, violar... - interrompi-a

Eu:  Ok Ok mãe! Entendi

É o que dá termos uma mãe galinha como a minha tu nunca estás segura em nenhum lado,  se tu andar de bicicleta sem capacete tu pode cair bater com a cabeça e fazer sangue, tu pode ser atropelada,  pode acontecer isto é aquilo.. Se tu for comprar pão tu pode ser sequestrada..  Ou seja eu já nem faço algumas coisas na vida porque a minha mãe me traumatizou.. 

E vocês devemos estar a pensar

"Poxa.. Mas tu pode ser atropelada mesmo com capacete e tals"

......É.....  

Enfim voltando à história da coxinha. 

Nós finalmente tinhamos acabado de pegar o essencial

Eu:  Coxinha! 

Mãe:  *suspira* Vamos lá comprar a coxinha 

Os meus olhos até brilharam na altura *ri* 

Aí quando nós viramos no corredor onde estava os salgadinhos,  chegamos no balcão. 

Eu/??: Era uma coxinha

Eu olho para o lado e vejo uma senhora com uma criança(menina) que devia ter pra uns 6 anos pela altura dela. 

Eu e a senhora olhamo-nos e depois olhamos para as Senhoras do balcão. 

Criança:  Mãe eu quero aquela coxinha 

A criança começou a fazer beicinho para a mãe e a senhora que nos atendia. 

Atendedora:  Er.. Bem.. Nós só temos mesmo esta coxinha

Criança:  Eu quero aquela coxinha! 

Juro uma das coisas que me irrita mais na vida são os choros das crianças e quando as crianças fazem caras de anjinhos pros pais! Apetecia até pegar na coxinha e correr dali

Senhora:  E-Er.. Desculpa mas ela desde que chegou aqui me implorou pela coxinha e se eu for para casa sem lhe dar uma coxinha ela vai fazer birra o dia todo

Mas agora é assim?! Pensa que esse discurso de mãe me convence?! 

Eu também já queria aquela coxinha desde que cheguei! ;-----;

Criança:  Coxinhaaaaaa! - Ela começou a fazer voz de choro

Mãe:  Sem problemas,  não se preocupe pode ficar com a coxinha - A minha mãe disse com um sorriso que acalma tudo e todos

MAS NÃO ME ACALMOU A MIM! 

Senhora:  Desculpa lá

Eu:  A-Ah.. Não tem mal

Aí eu e a criança olhamo-nos mortalmente e ela sorriu-me irritante colocando a lingua de fora. 

Atendedora:  Aqui está a coxinha - Ela dá a coxinha para a criança 

A criança faz um ar inocente e sorri sem ninguém ver o seu olhar mortal! 

Ela olhou-me e deu uma trinca demorada na coxinha. 

Semicerrei os olhos. 

Um dia.. Quando eu encontrar aquela criança,  eu vou pegar um monte de coxinhas,  irei prendê-la numa cadeira e irei comer todas as coxinhas na sua frente! 

Aí eu e a minha mãe começamos a ir para o carro e eu reparei que a senhora e a criança tinham o carro estacionado ao lado do nosso. 

Aí quando estávamos a ir embora a criança continuou a provocar-me pelo vidro do carro. 

Mas ela vai ver! Quando eu a reencontrar novamente! Ela vai ver! *olhar mortal*









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...