História Histórias Não Contadas - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Dr. Whale (Dr. Victor Frankenstein), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Madre Superiora (Fada Azul), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Personagens Originais, Peter Pan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Violet, Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Belle, Captainhook, Captainswan, Davidnolan, Evilqueen, Evilregal, Henrymills, Killianjones, Mrgold, Onceuponatime, Outlawqueen, Peterpan, Princecharming, Reginamills, Robinhood, Rumbelle, Rumple, Rumplestiltskin, Snowwhite, Storybrooke, Swanqueen, Zelena
Exibições 35
Palavras 1.712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 10 - O Destino Da Cidade


Escote tentou avançar em cima da Rainha de Ouro mas foi jogado para longe.

- Ei! Só eu posso matar esse lobo. - Zelena estava revoltada com a rainha e jogou uma bola de magia nela mas apenas chamou atenção e ela queria matar a mulher.

- Acho que você conseguiu chamar atenção Zelena. - David a olhou desesperado. - Corre! - Ele gritou para Zelena assim que notou a Rainha furiosa. Os dois saíram disparados deixando o carro da polícia para trás, Escote que estava desmaiado logo acordou. Zelena usou magia para transporta lós direto para a casa da Mary Margaret. Ficaram assustados tentando entender como aquela mulher surgiu de repente.

Gancho e Robin estavam no celeiro aonde tudo tinha se passado. Eles apenas viram um círculo de fogo apagado como se um meteoro tinha caído lá, eles tiraram algumas fotos do local e saíram as pressas para a delegacia encontrar David e Zelena mas foram avisados por mensagem para irem direto a casa de Mary Margaret.

- Oque vamos fazer? Não sabemos da onde surgiu essa louca e nem oque ela quer com a gente. - Zelena bufou e logo sentiu mais medo quando abraçou sua filha. Ela tinha medo de perde lá, apenas sua filha importava na vida dela e se ela perdesse a menina, seria o seu fim.

- Se a Regina e a Emma estivessem aqui. A gente não estaria nesse sufoco. - Gancho desabafou e todos assentiram, menos Zelena.

- Ah claro, como se elas conseguisse cuidar dessa cidade toda. Meu bem, escute... Regina era má, Emma era a salvadora mas agora? Regina é boa e Emma só precisava salvar vocês da maldição e pronto. Se conformem com isso. - Zelena queria sumir mas não podia então estava tentando descontar a raiva em alguém e como sempre, sobrava para o Gancho.

- E você é uma invejosa verde. - Gancho rebateu.

- Vai! Começa e minha mão vai voar na sua cara. - Zelena se levantou.

- CHEGA! - Mary Margaret gritou para os dois se calarem. - Sim, precisamos da Emma e da Regina mas também precisamos lidar com isso. Vocês parecem crianças... - Gancho interrompeu Mary Margaret.

- Desde quando criança faz criança? - Gancho apenas riu.

- Violet, Segura minha filha porque eu vou bater em alguém. - Zelena já foi entregando a menina para Violet.

- Nem pense nisso. - David entrou na frente para deter Zelena. - Mary, Prossiga. - David fez um gesto para Mary Margart continuar.

- Vamos atrás dessa mulher e perguntar oque ela quer, Gold vai ter que nos ajudar.

- Eu sei oque ela quer. - Escote que estava calado, começou a falar a verdade. - Não existe apenas este mundo...

- Sabemos disso. - Zelena não parava quieta de um lado para o outro.

- Existe dimensões diferentes. É complicado de explicar mqs tentarei o possível para que entendam.

- Então fala logo! - Zelena começava a se alterar.

- Vocês tem um livro chamado " Once Upon A Time " ( Era Uma Vez ) nós temos um livro chamado " Stories Not Counted " ( Histórias Não Contadas ).

- E porque vocês teriam um livros chamado " Histórias Não Contadas " se elas são contadas em um livro? - Zelena ironizou a frase sem entender oque Escote estava tentando falar.

- Porque essas histórias nunca foram contadas em nosso mundo e em nenhum outro lugar. - Henry concluiu fazendo todos o olharem.

- Sim rapaz. Você está certo. Mas essas histórias são boas e ruins. - Escote concluiu com uma tristeza no olhar.

- Porque ? - Robin ficou curioso para saber.

- Aquela mulher que Zelena e David viram não era uma rainha de qualquer reino, era uma rainha do reino de uma outra dimensão. Ela seria a Rainha má da história da Branca de Neve mas em uma outra versão.

- Fala serio. Mal aguento a Regina agora vou ter que aguentar essa daí. - Zelena estava fazendo um drama de comédia para todos rirem.

- Deixa Regina saber disso. - Gancho revirou os olhos.

- Depois ele reclama quando eu implico com ele. - Zelena bufou.

- Já entendemos que ela é de uma outra história, outra dimensão e outra versão dos contos mas uma coisa não se encaixa. - David estava com dúvidas. - Porque ela tentou te matar? - David perguntou para Escote.

- Simples. Ela me odeia por eu ter quase matado ela e também porque eu arranhei o pescoço dela. A Ravenna tentou matar a Ana mas eu consegui protege lá. - Escote contou detalhadamente o resto dos acontecimentos. Todos ficaram em silêncio por longos minutos.

                              *****

Regina, Emma e Ana foram em direção à Storybrooke. Elas resolveram em passar por uma lanchonete para comer alguma coisa, Ana foi a primeira a terminar e voltou para o carro dando uma desculpa que estava com dor de cabeça e precisava descansar um pouco. Emma viu como uma oportunidade para conversar com ela.
Ana estava com a cabeça baixa chorando dentro do carro, não tinha notado a entrada de Emma até sentir uma respiração calma ao seu lado. Ela se assustou e Emma tentou acalma lá, depois de um tempo finalmente Emma começou a falar.

- Porque estava chorando? Oque aconteceu? - Emma sentia preocupação e tristeza no olhar de Ana.

- Não é nada. - Ana tentou falar.

- Se não fosse, você não estaria chorando. - Emma rebateu, era mãe dela, queria saber mais da filha e queria que Ana se abrisse pra ela mas sabia que Ana só se abria mais para Regina. - Olha pra mim. - Emma pegou no queixo da filha. Ana estava com os olhos inchados e as bochechas vermelhas. As duas se abraçaram. Regina estava indo em direção ao fusca de Emma e viu que ela estava abraçando Ana então voltou para a lanchonete tentando deixar as duas conversando.

- Eu tenho medo de voltar, medo de perder tudo de novo. - Ana precisava falar oque sentia, não aguentava mais a agonia no peito.

- Eu estou aqui... - Ana a interrompeu.

- Por quanto tempo? - Ana se olhou nos olhos de Emma. - Eu perdi muitas pessoas antes de esta aqui com você, Emma. É fácil falar. Eu não queria que as coisas fossem aqui, é tudo tão difícil. Minha vida é complicada demais para você entender. - Ana desabafou.

- Então deixe eu entender, deixe eu conhecer lá melhor. Não estou te pedindo para apagar o passado e nem para fingir que o passado não existe. Apenas quero entender minha filha. - Ana assentiu o tom da voz de Emma e deu um leve sorriso.

- Tudo bem. - Ana olhou nos olhos de Emma.

- Então me diz uma coisa? - Emma não queria estragar o momento mas precisava saber de algumas coisas que haviam acontecido recentemente.

- O lobo que quase matou Zelena? - Ana sabia que Emma iria tocar naquele assunto. Se ela iria tentar ficar mais perto da mãe, precisava fazer aquilo dar certo.

- Sim! - Emma ficou surpresa.

- Ele é meu amigo. Nos conhecemos a muito tempo, o nome dele é Escote e ele fala com as pessoas... Ou melhor... Interage com elas. - Ana riu após dizer aquilo. - Não se preocupe, ele fez aquilo porque pensava que eu estava correndo perigo, não nos vemos a muito tempo... - Ana ficou pensando por mais alguns minutos. - Aos poucos posso te contar algumas coisas. - Emma ficou espantada com oque tinha acabado de ouvir, Ana riu do rosto da mulher. Regina logo entrou no fusca para irem em direção à Storybrooke mas quando se virou, viu Emma muito estranha.

- Emma? Você está bem? Parece que morreu. - Regina riu dela junto com Ana. - Se o Gancho visse isso, nunca mais iria dormir com você. - Ela virou para frente do fusca mas logo se arrependeu de ter falado oque não devia. - Desculpa Ana. - Ana riu mais alto e Emma permanecia do mesmo jeito tentando reorganizar a mente.

- Quem é Gancho?

- Vamos dizer que é o seu padastro. - Regina fez uma careta. - Killian Jones. Zelena odeia ele. - Regina começou a rir.

- Killian Jones? Eu o conheço, bom... Conhecia. - Ana estava mais confusa que Regina e Emma. - Eu fui a Terra do Nunca, o Pan me apresentou ao Killian e a gente transformou a vida dele em um inferno, ele me odeia até hoje. Tenho certeza. - Ana ficou pensando por um momento.

- Ok. Você era bem levada. - Regina disse rindo mais uma vez. - Relaxa, ele mudou muito depois que começou a namorar a Swan. Vamos ver até quando esse relacionamento dura. - Regina revirou os olhos.

- REGINA! - Emma ficou com raiva de Regina e Ana não entendia o motivo mas sentiu um ciúmes no ar.

                              *****

Mary Margaret saiu com David para conversar com a rainha nova da cidade. Eles caminharam por um longo tempo até encontrarem no meio da floresta uma casa coberta por ouro.

- Essa mulher é mesmo apaixonada por ouro. - David desabafou mas não viu a presença da rainha lá.

- Sim. Ouro para mim é vida, você não gosta? - David e Mary Margaret se viraram para ver a rainha, ela estava a poucos passos dos dois.

- Queríamos conversar com você. - Mary Margaret foi direto ao ponto.

- Claro. Sabem jogar xadrez? - Ravenna amava xadrez mas ela gostava de ver as pessoas morrerem. Ninguém nunca conseguiu ganhar dela, ela matou o seu próprio noivo para conseguir ir ao trono sem ter um rei ao seu lado. Apenas usou a mágica do xadrez e ele morreu.

- Ok. - David e Mary Margaret entraram na casa, de tudo de ouro tinha. Relógios, o sofá, a cozinha, as cadeiras, TUDO. Apenas o xadrez era normal sem ouro ao redor dele.
O xadrez durou 1 hora mas David perdia e Mary Margaret não sabia jogar. Quando David ia morrendo após Ravenna dizer " Cheque Mate " , seu filho apareceu.

- PARE. Não faça isso. Ele não merece morrer, assim como ninguém dessa cidade.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...