História Historicamente Químico - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Love, Yaoi
Visualizações 13
Palavras 2.211
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 24 - O começo do fim


Fanfic / Fanfiction Historicamente Químico - Capítulo 24 - O começo do fim

Lewis POV

Eu tentava ficar calmo. Eu iria morrer. Eu lembro de meu avô falando que a morte era só o começo da aventura. Julian, ele estaria sozinho... Não, ele teria Manuel e Hercule. Meu melhor amigo tinha que saber. Esse segredo eu tenho que confiar só em Hercule. Só que Manuel é melhor amigo de Julian. Ele também tem que saber.

- O senhor tem certeza dessa decisão?- o médico me perguntou -

- Tenho - disse com firmeza - Eu tenho quanto tempo até parar de respirar?

- Nos não temos um tempo exato. Pode ser algumas horas ou um ou dois dias.

- Vou sentir dor?

- Não. O senhor só vai parar de respirar aos poucos.

Menos mal. Uma morte lenta e dolorosa é horrível.

- O senhor pode chamar meu amigo Hercule Paces aqui?

- Claro.

O médico saiu e Hercule entrou na cadeira de rodas com Manuel empurrando.

- Manuel - virei para ele - Posso ficar a sós com Hercule?

Ele balançou a cabeça e saiu.

- Está tudo bem, Lewis? - Hercule me perguntou com aquela expressão confusa dele -

- Agora que somos amigos de novo, eu queria saber se você faria algo por mim.

- Qualquer coisa, Lewis. Tudo voltou como era antes.

- Promete cuidar de Julian?

Ele olhou com nervosismo e medo no olhar.

- Você vai ficar bem... Isso que você tem vai passar

- Não vai, Hercule - falei tentando engolir o choro - Eu estou morrendo.

Ele começou a chorar e andou com a cadeira para mais perto de mim.

- Como assim?? Eles tiraram a bala de dentro de você.

- Alguns estilhaços atingiram meu pulmão. Eu tenho pouco tempo de vida e quero que você me prometa isso.

Ele ficou olhando para mim sem dizer uma palavra. As lágrimas rolavam silenciosamente pelo rosto dele.

- Você nunca quebrou uma promessa que fez a mim - lembrei de toda minha amizade com Lewis - Você prometeu que ia ser meu amigo para sempre, prometeu que iria apoiar qualquer decisão minha e outras coisas de quando éramos mais jovens.

- Eu me lembro - ele disse limpando as lágrimas -

- Você pode fazer isso por mim?

Ele segurou a minha mão.

- Claro que posso, Lewis - ele começou a chorar novamente -

Eu não consegui mais segurar. Por mais que tivéssemos brigado Hercule ainda era meu melhor amigo e sempre esteve ao meu lado. Eu sei que ele vai cumprir essa promessa.

- Me desculpe por só ter perdoado você agora - ele disse em meio a lágrimas -

- Você não tem culpa - eu falei apertando a mão dele - Eu também me afastei de você!

- Eu fico feliz por você. Eu sei que ama Julian porque eu nunca vi você tão feliz com um cara quanto é com ele.

Ele estava falando a verdade. Eu amo muito Julian e vou cuidar dele até o final.

- Cuide de Amendoim também - eu pedi acalmando meu choro -

- Amendoim? - ele perguntou confuso-

- Meu cachorro - respondi - Adotei ele com Julian

Hercule sorriu.

- Claro que cuido. - ele olhou para mim -

- Melhores amigos para sempre?

Eu sorri e completei.

- Melhores amigos para sempre!

Nós não mudamos nada nesses anos.

Hercule POV

Meu melhor amigo estava morrendo. Meu amigo de toda a vida, de todas as hora e momentos estava partindo. Eu prometi cuidar de Julian e Amendoim e eu iria fazer isso. Eu cumpro todas as promessas que eu faço. Eu nunca quebrei nenhuma.

- Mesmo que você não me pedisse eu cuidaria de Julian - disse limpando o choro da cara -

- Porque? - Lewis perguntou curioso -

- Ele tem ligação com pessoas próximas de Manuel.

Lewis ainda não tinha entendido. Contei toda a história de Claude Garrel e de como ela se ligava a Seth Garrel.

- Então Manuel e Julian já se conheciam há muito mais tempo. - era de se esperar que Lewis viria com essas teorias -

- Você está morrendo. Dá um tempo Lewis.

Ele começou a rir. Eu sou uma pessoa bem cara de pau mesmo.

- Desculpa

- Relaxe - ele falou com um gesto - Você está me animando pelo menos.

Fiquei aliviado. Pensei que estivesse piorando a situação.

- Como está a situação entre você e Manuel?

- Estamos bem. Estávamos organizando o casamento daqui a alguns meses.

Ele fez uma cara de tristeza.

- Pena que não vou poder comparecer.

- Você vai estar lá no meu coração - disse sorrindo com um peso em minha alma -

Ele sorriu. Essa seria a última vez que veria o sorriso de Lewis.

- Julian será convidado?

- Claro que sim. Manuel vai querer que ele seja padrinho dele.

- Julian vai adorar isso.

Concordei com a cabeça. Manuel iria mesmo querer Julian como o padrinho, só não sei se ele iria aceitar.

- Pena que Julian não vai me pedir em casamento - Lewis lançou um olhar triste para a mão - Eu não vou viver para isso.

- Lewis, ele sempre vai te amar. Mesmo que ele não te peça ele sempre vai amar você. Casamento não significa amor.

Ele refletiu por um tempo.

- É verdade. Meus momentos com ele foram os melhores.

Ficamos por um tempo em silêncio. Eu tentava achar algo para falar com ele, mas não conseguia.

- Manuel vai concordar com isso? - ele perguntou quebrando o silêncio -

- Provavelmente. A amizade deles é que nem a nossa.

- Você pode chamar ele aqui?

- Claro que posso, mas antes eu queria falar outra coisa.

- Fale, Hercule Paces. - ele imitou minha mãe -

- Desculpa pela minha amizade não ter sido tão verdadeira. Eu te amava e queria você só para mim. Não sabia lidar com a rejeição e agora que eu sei que é só amizade pura e verdadeira... Você está indo.

Eu continuou me olhando sem falar nada.

- Obrigada por ter me perdoado, Lewis Edward. Perdão por todas as vezes que te deixei na mão e não fui te socorrer por infantilidade. Ninguém nunca vai ocupar seu lugar na minha vida.

Lewis deixou as lágrimas correrem e levou minha mão aos lábios.

- Você é muito especial para mim Hercule - ele deu um beijo na minha mão. - Eu que tenho que te agradecer e pedir perdão.

Eu sorri e senti que todo o peso foi embora.

- Limpe seu rosto e chame Manuel - ele falou -

Fiz o que ele pediu.

Manuel POV

Estava sentado na sala do hospital com Julian. Ele estava com um semblante mais alegre. Lewis estava bem, então ele estava aliviado. Lewis chamou Hercule para conversar a sós com ele. Provavelmente era para falar da amizade deles que estava se reconstruindo.

Depois de alguns minutos, Hercule saiu na cadeira de rodas. Ele olhou para mim e me chamou. Me levantei e olhei para Julian. Ele parecia feliz ainda então não me preocupei e entrei.

Lewis fez sinal para me sentar ao lado dele e fiz isso.

- Manuel - ele falava com esforço - Você voltou a ser amigo de Julian e sei que sua amizade por ele é sincera.

Eu olhei para Hercule e ele não esboçava nenhuma reação.

- Eu estou morrendo, Manuel.

Eu paralisei. Os médicos tinham removido a bala, ele não podia morrer!

- Lewis, seu estado é grave, mas não é preciso tudo isso.

- Os estilhaços perfuraram meu pulmão e os médicos não puderam fazer nada.

Eu fiquei paralisado e chocado. Como assim? Julian estava tão feliz e agora ele iria perder o amor da vida dele. Olhei para Hercule e vi que ele estava de cabeça baixa segurando o choro.

- Lewis, eu não sei nem o que dizer - disse não conseguindo chorar de tão chocado - Você não pode fazer isso com Hercule. Nem com Julian.

- Não é uma questão de escolha Manuel - Hercule disse com lágrimas nos olhos -

Eu fiquei quieto novamente. Julian iria ficar arrasado. Hercule estava sofrendo muito e isso me deixava agoniado.

- Você vai contar para Julian?

Ele me olhou com tristeza nos olhos. Eu nunca vi ninguém morrer, mas já vi várias pessoas tristes. Nessa hora eu vi que os olhos mais tristes são os de uma pessoa que vai morrer.

- Eu nao quero que ele saiba que vou morrer. Se ele souber ele vai sofrer por mais tempo e eu não quero isso.

Achei injusto. Julian tinha que saber! Ele era namorado dele e tinha que estar presente.

- É injusto ele não saber. Ele te ama muito.

Lewis abaixou os olhos.

- Eu sei disso - ele olhou para mim - Eu te chamei aqui para falar de Julian.

- Fale - pedi nevoso -

- Quando eu morrer, Julian vai ficar extremamente triste e desolado. Ele não tem contato com a família. Você é o melhor amigo dele. Vocês voltaram a se falar.

- Sim. Eu perdoei Julian pelos erros do passado.

- Tudo está certo entre vocês? - ele perguntou com tom de preocupação -

- Sim. Eu estava lá fora conversando com ele.

- Eu quero que você cuide dele Manuel.

Que pedido era esse? É claro que cuidaria de Julian, ele é meu melhor amigo.

- Eu vou cuidar dele. - me virei para Hercule - Está tudo bem para você?

Ele balançou a cabeça.

- Lewis me chamou para conversar sobre isso. Eu estou de acordo, Manuel.

- Eu fico feliz por vocês fazerem isso por mim. Eu não sei como agradecer. - Lewis disse deixando escapar umas lágrimas -

- Você já agradeceu sendo o melhor amigo que já tive - Hercule falou -

Lewis sorriu e em seguida disse:

- Chamem Julian.

Julian POV

Eu estava sentado na sala de espera quando Manuel saiu com Hercule.

- Ele está te esperando - Manuel falou sentando ao meu lado com Hercule na cadeira de rodas -

Me levantei, peguei minha mochila do chão e entrei no quarto. Lewis estava sentando na cama. Andei até ele e dei um beijo.

- Estou tão feliz que vamos ficar juntos! - disse sorrindo -

- Eu também - Lewis disse me dando aquele sorriso lindo -

Ficamos um tempo em silêncio nos olhando. Lewis estava lindo mesmo de cama.

- Julian - ele disse quebrando o silêncio - Como você ficaria se eu morresse?

- Eu não viveria mais - disse a verdade- Tudo perderia o sentido para mim. Eu amo você e só quero você.

- E se Manuel e Hercule te ajudassem?

- Agradeceria a ajuda deles. Só que nada nem ninguém substituiria você.

Eu coloquei minha mão no rosto dele e o beijei.

- Julian - ele disse num tom sério - Se eu morresse eu iria querer que você seguisse em frente. Você seguiu com Seth, porque nao seguiria comigo?

Eu estava ficando nervoso com aquelas perguntas.

- Você e Seth são diferentes. Eu também era diferente na época. - respondi -

Lewis ficou em silêncio e eu perguntei:

- Porque você está tocando nesse assunto?

Lewis ficou em silêncio e abaixou a cabeça. Nessa hora eu entendi tudo. Lágrimas começaram a sair dos meus olhos e escorrer pela minha face.

- Você não vai sobreviver, não é?

- Não - ele disse com lágrimas nos olhos - Os estilhaços da bala pegaram meu pulmão. Não era para você saber! Merda... Era para eu morrer sem você saber disso. Você sofreria menos!

Eu abracei ele e senti as lágrimas dele molharem minha camisa. Lewis iria morrer e isso me dava uma agonia extrema no peito. Era uma dor que palavras não expressavam.

- Lewis - eu afastei o rosto dele do meu peito - Se você quer que eu siga em frente, eu prometo que vou tentar, mas eu nunca vou te tirar do coração. Nunca mais vou ficar com outra pessoa. Você quebrou meu coração de pedra com alguma reação química desconhecida que só você tem. Eu vou seguir em frente contando os dias para te encontrar novamente.

Ele sorriu com lágrimas escorrendo pela bochecha dele. Nessa hora eu fiz o que eu queria fazer. Me levantei e abri minha mochila no chão. Peguei a caixinha das alianças e me ajoelhei no chão.

- Lewis Edward, aceita se casar comigo?

Ele começou a chorar e a sorrir. Se ele tinha pouco tempo eu faria desse tempo o melhor da vida dele.

- Claro que aceito! - ele respondeu feliz -

Eu me levantei e beijei ele na cama. Coloquei o anel no dedo dele e o beijei.

- Se considere casado - disse fazendo carinho no cabelo dele e olhando nos olhos dele -

Ele sorriu e me deu outro beijo.

- É estranho. Eu sinto uma felicidade imensa, mas uma tristeza também.

Eu olhei para a máquina de batimento cardíaco ao lado da cama e vi que o coração dele estava batendo mais devagar.

- Eu te amo Lewis - disse deixando umas lágrimas escorrerem -

- Eu também te amo Julian - ele disse com esforço - Estarei te esperando.

Lewis fechou os olhos e seu coração parou de bater. Eu dei um beijo na testa dele e o abracei. Manuel e Hercule entraram, Hercule chorava muito e Manuel estava abatido.

Manuel me abraçou e Hercule segurou a mão de Lewis. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...