História History of Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Choi Siwon, Heechul, Kim Heechul, Kim Jongwoon, Kim Ryeowook, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Sungmin, Park Jungsu, Shindong, Yesung
Tags Couple, Escola, Eunhae, Kyumin, Lemon, Sichul, Super Junior, Yeteuk
Visualizações 174
Palavras 1.430
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HEEY POEPLE BEM VINDOS A MAIS UM CAPÍTULO DE HISTORY OF LOVE S2222222222

Boa leitura a todos <3

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction History of Love - Capítulo 3 - Capítulo 3

 

DONGHAE POV

Eu combinei de estudar hoje com Eunhyuk e estou a dez minutos batendo na porta dele, ele não me atende de jeito nenhum, até que senti o trinco ser aberto e ele apareceu, e estava simplesmente lindo! Ele usava uma calça jeans justa que evidenciava muito suas pernas, não que elas fossem muito grossas, uma camiseta preta e uma blusa social xadrez aberta, seus sapatos eram de cano alto.

Ele não precisava se arrumar tanto assim pra estudar, a não ser que ele não queira mais estudar...

–-Donghae, não vamos poder estudar hoje, desculpe, meu pai quer que eu saia com ele.

Não foi pra mim que ele se arrumou? Olhando melhor o quarto havia algumas caixas de papelão, será que ele sairia do colégio?

–-Vai sair do colégio?

–-Não! Isso são uns livros antigos que meu pai pediu. Já iria sentir minha falta? – E riu. – Vou ao medico.

Ele ainda colocava alguns livros em uma caixa enquanto eu caminhava no quarto dele. Era verde como todos os outros e tinha apenas um beliche, estranhei, ele dormia só com uma pessoa no quarto então? Havia uma estante com livros também, uma cômoda e dois guarda-roupas pequenos.

–-Hum... Está doente?

–-Não, exame de vista. – Eu assenti então ele olhou para mim e depois para as caixas. – Pode me ajudar a levar isso, meu pai já está lá fora.

–-Sim, sim...

Então cada um pegou duas caixas e nos encaminhamos até a saída do quarto. Havia um corredor que nos levava direto a saída, então seguimos nele, no final do corredor dava pra ver um homem bem alto, de terno negro, sentado no capô do carro, com as mãos nos bolsos. Devia ser o pai de Eunhyuk.

Eu não conseguia ver o rosto dele, mas ele não parecia estar contente.

Só então escutei Eunhyuk praguejando uma caixa ao meu lado. Ele estava sentado no chão com as pernas esticadas a frente do corpo terminando de empilhar os livros dentro da mesma caixa.

–-O que aconteceu?

–-Você tava no mundo da Lua ou no País das Maravilhas? Eu tropecei nessa pedra idiota e torci o pé, pode me ajudar a levantar?

–-Claro.

Então coloquei minhas caixas no chão e o ajudei a levantar. Na posição em que ele estava eu tive que pegar na sua cintura, e entrelacei sua mão esquerda na minha direita, e é claro que eu iria me aproveitar disso.

No momento em que o puxei para cima, segurei sua cintura junto a minha, colando nossos corpos e deixando nossos rostos a centímetros um do outro.

–-Se eu te conhecesse a pouco mais de uma semana eu te daria um beijo agora. – Falei, olhando de sua boca até seus olhos.

–-Se você tivesse juízo, você primeiro me perguntaria se eu gosto de homens. – E depois riu, olhando em meus olhos e o sorriso que antes estampava meu rosto, desaparecia.

Eu não tinha me tocado nisso, ele poderia não ser gay, ou bi, e eu já estava me deixando apaixonar.

Então comecei a afrouxar sua cintura lentamente, abaixando o olhar, igualmente lento, envergonhado. Até sentir seus braços rodearem meu pescoço e juntar nossos corpos novamente com um sorriso no rosto.

–-Mas, para sua sorte, eu sou gay, e para seu azar - E começou a nos separar, enquanto eu ainda o olhava surpreso. – meu pai é homofóbico, então tenha cuidado com o comportamento na frente dele Donghae. E vá devagar com isso, tudo bem?

Eu assenti, então pegamos nossas caixas e seguimos em direção ao pai dele.

Quando chegamos ao carro, o pai dele começou a me encarar. Ele e HyukJae não trocaram uma só palavra, o homem apenas abriu o porta-malas nos deixando colocar as caixas lá dentro e não deixando de me encarar. Perguntei-me se ele teria visto a cena de agora a pouco e por isso estava assim. Percebi que Eunhyuk também fechou a cara depois de ver seu pai, eles não deveriam ter uma relação muito boa.

No final ele se despediu de mim falando um fraco “tchau” e depois entrou no carro indo embora.

X-x-x-x-x-x-x-X

YeSung P.O.V

Eu iria tirar a limpo toda essa história do Kyuhyun e deixar logo o campo livre para o Ryeowook. Eram pouco mais de 15 h e, depois de procurar Kyuhyun por todo o colégio, o achei no jardim lendo um livro com Ryeowook ao seu lado. Kyuhyun nem ao menos parecia ter notado a sua presença e o menor também tinha um livro em mãos mas não prestava atenção.

Fui me aproximando bem devagar dos dois, e pelo o que percebi Ryeowook finalmente havia encontrado algum assunto com Kyuhyun, pois o mesmo fechara o livro e passara a falar com ele.

Eu iria interrompê-los, mas seria por um bom motivo.

Quando cheguei perto dele Ryeowook foi o primeiro a me perceber, sua expressão logo mudou de felicidade para uma mistura de decepção com raiva, e Kyuhyun abriu um sorriso enorme, então comecei:

–-Kyuhyun, preciso falar com você, pode me acompanhar?

–-Claro. – Ele nem ao menos notou o pobre do Ryeowook que deixou os ombros cair e passou a olhar um ponto qualquer com uma expressão de quem dizia “Perdi de novo”.

Então caminhamos até duas mesas depois da que ele estava sentado com o Ryeowook, assim que sentamos comecei com a conversa.

–-Kyuhyun, seja sincero, por favor, eu já percebi que você gosta de mim.

Ele ficou pasmo e então continuei:

–-Me escute, eu não gosto de você da maneira que você gosta de mim. – Ele passou a olhar para baixo, com os olhos um pouco marejados. – Espero que me entenda e não acabe com a nossa amizade.

–-YeSung, você pode não gostar de mim agora, mas se você tentar um pouco, eu garanto que você vai consegui se apaixonar, e então o LeeTeuk vai parar de te perturbar.

–-Kyuhyun, eu não quero que o LeeTeuk pare de me importunar, está bem? Eu não vou me apaixonar por você, e nem quero. Perceba mais as pessoas ao seu redor Kyuhyun, -- Então olhei diretamente para Ryeowook que continuava a fitar um ponto qualquer, e Kyuhyun seguiu meu olhar. – Tente Kyuhyun, da mesma forma que você pediu para que eu tentasse me apaixonar por você tente por ele Kyuhyun, ele gosta de você.

–-Eu não quero me apaixonar por ele, eu quero você YeSung. Eu não conseguiria mesmo que tentasse.

–-Então, me desculpe, mas eu não vou me apaixonar por você, espero ter deixado isso bem claro Kyuhyun.

Então me levantei da mesa, deixando ele sozinho, e depois fui até Ryeowook, quando cheguei, tentei não perceber nem me intimidar com o olhar de raiva que ele me lançava.

–-Ryeowook, acabei de cortar todas as esperanças que Kyuhyun tinha comigo, eu não sei se ele vai te dar alguma chance, mas se quiser ajuda pode me procurar.

Ele apenas assentiu, murmurando um obrigado, enquanto abria um sorriso a Kyuhyun que vinha se sentar-se à mesa em que estava.

Então saí deixando os dois a sós, e com o resto do colégio.

Ryeowook P.O.V

Então Yesung esclareceu tudo a Kyuhyun, isso quer dizer que minhas chances aumentaram, não é? Sendo assim terei de agir rápido.

No momento em que Yesung saiu, nos deixando a sós, Kyuhyun ficou observando ele se afastar e depois voltou sua atenção somente ao livro que lia, sem ao menos me perceber, então tive que começar o assunto.

–-Kyuhyun, vão nos liberar esse final de semana, quer sair para algum canto? Minha família pode nos emprestar uma casa com piscina e você pode chamar seus amigos para ir junto se quiser. Ou então podemos ir ao cinema juntos o que acha?

–-O único local que eu quero sair agora é de perto de você pra não escutar essa tua voz aguda e irritante!

Ele fechou o livro me olhando nos olhos, até que eu não consegui mais segurar e deixei minha lagrimas caírem livre pelo meu rosto manchando-o. Ele arregalou os olhos como se tivesse se lembrado de alguma coisa e continuou, enquanto eu criava força e coragem pra sair dali.

–-Não, R-Ryeowook, eu não... Desculpe. – Agora ele me olhava com algo como pena e compreensão. -- Eu posso ir, sim, com você ao cinema. Eu só estou um pouco confuso agora, é melhor eu ir me deitar, nos falamos depois, tudo bem? – E se levantou pegando o livro e chegando um pouco próximo de mim, até que enxugou minhas lagrimas, enquanto eu ainda o olhava surpreso pela sua reação. – Só não chore, está bem?—Eu assenti e ele continuou. -- Nos falamos depois então, tchau.


Notas Finais


Eaeee lindos?? O que acharam??? hahaha espero que estejam gostando...
Deixem seu comentário... Isso me ajuda demais s2222


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...