História Hogwarts - Segunda gerção - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Como Treinar o seu Dragão, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Harry Potter, Once Upon a Time, Saga Crepúsculo, Valente
Personagens Alice Cullen, Alvo Potter, Astrid, Bella Swan, Capitão Killian "Gancho" Jones, Carlisle Cullen, David Nolan (Príncipe Encantado), Edward Cullen, Elsa, Emma Swan, Emmett Cullen, Esme Cullen, Flynn Rider, Henry Mills, Jack Frost, Jacob Black, Jasper Hale, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Mérida, Rapunzel, Regina Mills (Rainha Malvada), Renesmee Cullen, Rosalie Hale, Rose Weasley, Scorpius Malfoy, Soluço
Tags Flyncunzel, Hogwarts, Jacunzel, Jelsa, Mericcup, Mericorpios
Exibições 25
Palavras 1.210
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Chapter Eight


Fanfic / Fanfiction Hogwarts - Segunda gerção - Capítulo 8 - Chapter Eight

(...)

Eu entrei em choque.

Muitas coisas passam pela minha cabeça, Jack, Anna, Gerda, o meu suposto tio malvado (Nossa... A criança tem medo do tio malvado)... E agora, uma criança. Como eu resolveria tudo isso ao mesmo tempo? Jack parecia em choque, assim como eu. E Anna ao lado de Rose estava estática.

Eleazar, sua esposa, e os outros que estavam na sala mantiveram as expressões neutras, e ficaram todos assim por pelo menos um minuto, até que meus olhos.retornaram para Jack, que balançou a cabeça de um lado para o outro, e logo veio até mim com um sorriso no rosto, me abraçou com força, eu não entendi no começo, sua reação foi uma surpresa pra mim, eu pensava que ele sairia da sala batendo o pé, dando soco em porta... Mas ele simples mente sorriu e me abraçou.

Eu me aconcheguei em seus braços, e senti seu perfume, me senti protegida novamente.

-Jack? Você está bem? -Eu perguntei ainda assustada, quando escutei as gargalhadas dele.

-Eu não poderia estar melhor! –Ele me soltou,  e em seguida, me olhou com lágrimas nos olhos. – Eu sempre sonhei em ser pai, essa foi a melhor notícia que eu já recebi!

-Mas eu... Eu pensei que... –Eu de repente fiquei sem palavras, ele demonstrava tal felicidade, que eu não tinha palavras suficientes para demonstrar o quão surpresa eu estava.

-Que eu recusaria? Obviamente não! –Ele acariciou minha cabeça, e eu me senti bem com seu toque.

Mas então minha visão ficou turva, minhas pernas fraquejaram, e eu senti o impacto com o chão, junto com o impacto, meus olhos se fecharam, e eu me tornei inconsciente.

(...)

Eu acordei na biblioteca de Carlise, olhei ligeiramente para a grande janela de vidro,  a floresta que estava além da casa estava escura, e não havia ninguém na sala junto comigo.

Eu acariciei meu ventre deixando um sorriso bobo escapar pelos meus lábios, eu consigo imaginar o rosto de Jack em um menino, como os olhos dele, com a boca dele... Uma cópia perfeita, com uma única diferença, o tamanho, é claro.

-Meu pequeno Kayle... Eu pensei alto, e na mesma hora, as luzes se acenderam, e Jack surgiu na minha frente, sorrindo. Ele caminhou até mim com calma, e depositou um beijo suave em meu rosto, nós ficamos em silêncio durante alguns segundos, mas ele logo o quebrou.

-O que quer fazer agora? –Ele perguntou, enquanto passava a mão em minha barriga.

-Eu não sei... Eu apenas queria conhecer este meu suposto tio, saber como ele é... Saber pra onde ir... Acho que isso seria bem útil... Nos daria uma forma de nos encontrar. Temos que falar com Eleazar, perguntar a ele o que mais ele sabe sobre minha família... Seria um bom jeito de me encontrar.

-Bom, mas Elsa, deixe-me te fazer uma pergunta... Quem é Kayle? –Ele estava com um sorriso de canto nos lábios, eu acho que ele já sabia a resposta, mas queria só confirmar. Vai que os tímpanos de vampiro dele então falhando... Certo? Eu corei levemente, peguei a mão dele e levei até meu ventre.

Ele abriu um sorriso grande, e me deu um beijo apaixonado, me levantando e me girando no ar, nossos corpos colaram quando nosso oxigênio acabou, em um abraço apertado.

-Nosso Kayle... –Ele me corrigiu, enquanto minha cabeça estava encostada em seu peito, ele acariciava meus cabelos, eu podia escutar o bater enlouquecido de seu coração.

Nós partimos para o quarto, tomamos um banho juntos, nos beijamos novamente algumas vezes, Eu adorava a sensação que ele passava pra mim, fico intrigada, porque eu juro não saber como ele faz isso.

Eu me troquei, coloquei uma roupa leve, nada de muito elaborado. Apenas um short de linho e uma camisetinha estampada. Por algum motivo da vida eu estava com calor.

Ele sorriu, e assentiu, me ajudou a levantar, e me levou até onde Eleazar estava.

Ele não tocou no assunto do bebê, talvez não se sentisse confortável, nem íntimo o bastante pra isso. Logo eu perguntei sobre o que ele sabia sobre meus pais, sobre minha família em si.

-Pitch Black, seu tio, teve uma briga feia com seu avô, logo quando sua mãe nasceu,pois ela além de ser uma princesa, também era uma bruxa, e teve sua fase em Hogwarts também. Sua mãe sempre teve medo de se apaixonar, mas ao mesmo tempo, sempre teve o sonho de se casar, de ver os filhos correndo pelos corredores do castelo.  Durante esta fase em Hogwarts, ela conheceu um vampiro, que era seu pai. Stephen e sua mãe acabaram por ter um relacionamento escondido de seus avós, e ela ficou grávida. Logo ela teve você, de alguma forma, ela acabou não tendo o mesmo fim de Bella, da primeira vez, mas depois, ela engravidou novamente, ainda escondendo tudo de seu avô. Mas seu tio acabou por descobrir.
“Pitch teve um ódio tão grande, que decidiu matar à seu avô, por não cuidar de sua mãe, e matou seu pai,por ter feito algo que ele julgava ser tão terrível com sua mãe. Ele fez um acordo com ela, deu-lhe duas opções. Se livraria das crianças, e poderia viver em paz em seu verdadeiro lar,  ou ficaria com as crianças, e seria “Banida” até o dia de sua morte.”

Eleazar falava como se fosse uma lenda qualquer, como se tudo aquilo fosse completamente normal. Mas não era, aquilo tudo era tão confuso pra mim, quando um cego andando no meio de um bombardeio.

-Você é uma mistura de muitas coisas, você Elsa, é um ser único, em todas as dimensões que eu já ouvi falar. Você é uma bruxa vampira princesa... Parece que sua vida será deveras complicada.

Eu encarei o chão, tentando absorver tudo aquilo.

-Como assim “Em todas as dimensões”? –Eu perguntei, afinal, aquilo tudo era novidade pra mim.

-Vocês não pertencem à este lugar, assim como seu pai não pertencia ao lugar onde veio a morrer. –Ele disse.

-Como sabe de tudo isso? –Eu estava curiosa, à final, até ontem, ele era um completo estranho para mim.

-Eu era o melhor amigo de sua mãe... Mas ela começou à manter distância depois que Anna nasceu.

-Eu preciso ir à esta outra dimensão, preciso saber de onde eu sou. Preciso saber de onde eu venho, para saber em seguida para onde eu vou. –Eu disse, e Jack pegou em minha mão, sorrindo, como um incentivo.

(...)

Minha afetividade com Reneesme só aumentou, Bella e Rose estavam eufóricas, tanto quanto eu sou capaz de estar. Jacob se distanciou um pouco durante uns três dias, por algum motivo que eu desconheço. Não irei bancar Sherlock Holmes apenas pra saber o “Porque” do lobo não estar mais ficando perto de mim. Jack estava particularmente mais feliz do que todos da casa. Ele quase saiu saltitando quando Carlise deu a confirmação da minha gravidez. Alice à todo momento me dizia que  já podia ver meu casamento com Jack.

Se passaram duas semanas dês de aquele dia, meus enjoos começaram à ficar mais frequentes, minha fome só aumentou, e minha vontade de ir até minha cidade natal também.

Eleazar me explicou que havia uma cidadezinha no Maine Chamada Storybrooke, onde possivelmente acharíamos respostas. Então, essa seria nossa próxima parada.

(...)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...