História Hogwarts, Uma História - Pós-guerra - Capítulo 141


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Percy Weasley, Ronald Weasley, Simas Finnigan, Theodore Nott
Tags Amor, Draco Malfoy, Dramione, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hinny, Hogwarts, Pos Hogwarts, Pos-guerra, Sexo
Visualizações 539
Palavras 2.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um!!! O ultimo de hoje!!

Comentem que amanha cedinho eu volto pra postar mais um!

Capítulo 141 - 141 - Estresse


POV Hermione

Os meses se passaram rapidamente e o calor do verão já nos aquecia. Embora as coisas no ministério estivessem um pouco empacadas, afinal não tínhamos conseguido aprovar mais nenhuma lei e nem resolver o caso do Dalton, eu sentia que estávamos mais próximos que nunca de um avanço, mas tivemos que parar por causa das férias de verão. Estávamos na França para a semifinal da copa mundial de quadribol que iria acontecer naquele mesmo dia a noite. Tínhamos voltado do café da manhã há poucas horas e infelizmente, alguma coisa que comemos não fez muito bem para alguns de nós. Ron estava com dores fortes de estômago, Jorge não saía do banheiro, a pequena Molly tinha vomitado três vezes e Audrey tomou um remédio forte para cólicas que a fez cair no sono. Por sorte, o nosso quarto era daqueles conjugados em que uma sala comum unia vários dormitórios, em um hotel bruxo de Paris, onde todos os jogadores, torcedores e familiares da seleção inglesa estavam hospedados.

Gina, Harry, Fleur, Gui e eu estávamos nessa sala comum assistindo uma interessante partida de xadrez entre Teddy e Carlinhos e Vic treinar piruetas para a aula de ballet, o que claramente estava irritando a Gina, que fazia caretas constantes.

- Vic, minha florzinha, você está deixando a titia um pouco zonza. – Gina tentou ser delicada, mas a careta que ela fez não ajudou.

- Eu sou uma linda bailarina, tia! – Vic respondeu se exibindo.

- Eu sei que você é, mas eu sou uma caralha de uma jogadora que tem uma semifinal hoje e você está me deixando zonza. – Gina disse entredentes para que só eu e o seu marido ouvisse e Harry cuspiu toda a água que tinha acabado de beber.

- Você está bem? – Ele se aproximou dela.

- Eu pareço bem? – Ela respondeu raivosa.

- Ei, calma aí. – Harry ergueu as mãos em sinal de rendição. – Eu só quero que você fique bem pro jogo de hoje, princesa.

- “Eu só quero que você fique bem pro jogo de hoje, princesa” – Ela debochou e se levantou a caminho do quarto soltando um grito misturado com um grunhido que assustou a todos os presentes. Vic começou a chorar e Teddy foi confortá-la.

- Mas o que foi que eu fiz? – Harry me perguntou e eu neguei com a cabeça, encolhendo os ombros. – É melhor eu ver o que houve?

- Não. Deixa ela... eu já vou lá... – Suspirei, me levantando da poltrona. – Só vou ver se o Ron melhorou do estômago. O que será que eles comeram que fez todo esse estrago?

- Acho que foi aquele queijo esquisito. – Ele encolheu os ombros.

- Pode ser, mas eu não lembro de ter... – Interrompi a fala no meio e Harry franziu o cenho. – Nada, esquece. As meninas devem estar assim pelo estresse...

- Com certeza. Gina rolou na cama a noite inteira. – Ele encolheu os ombros. – Ela anda bem estressada...

- Só não fala isso perto dela. – Eu ri e prendi o cabelo em um coque frouxo no topo da cabeça. – Vou ver o Ronald. – Sorri para ele e fui para o quarto, mas antes que pudesse tocar na maçaneta:

- Mione. – Harry me chamou e eu o olhei. – Deixa que eu vou lá ficar com a Gina, cuide do Ron.

- Tá... – Encolhi os ombros e entrei no meu quarto. Ron estava deitado em posição fetal na cama e eu me sentei ao seu lado para acariciar seu cabelo. – Se sente melhor?

- Um pouco. Acho que é gases. – Ele disse sorrindo zombeteiro e eu gargalhei.

- Que nojo! Se for isso mesmo, me avisa pra eu sair daqui.

- Podia ser pior, Jorge está com efeito majestade. Não sai do trono.

- Ah, pelo amor de Morgana. – Eu fiz uma careta e ele riu, gemendo de dor em seguida. – Vou pegar uma poção com a Andromeda.

- O Malfoy vai estar lá? – Ele me olhou seriamente.

- Provavelmente. Ele e Astória estão em um conjugado com Narcisa e Andrômeda. – Encolhi os ombros e ele bufou.

- E é óbvio que você se dispôs a ir lá só pra conversar com o seu amiguinho.

- Ron, dá um tempo...

- Dá um tempo você, Hermione, você acha que eu não saquei qual é a sua? – Ele perguntou e eu revirei os olhos. – Você nem nega.

- Ron, deixe de bobagens, eu só vou lá, peço a poção para a Andrômeda e trago pra vocês. 

- Sem Malfoy? – Ele ergueu a sobrancelha desconfiado e eu bufei, me levantando da cama.

- AH RONALD, PELO AMOR DE DEUS! TÁ TODO MUNDO PASSANDO MAL E VOCÊ PREOCUPADO SE EU VOU ENCONTRAR COM O MALFOY? – Eu gritei e ele arregalou os olhos, assustado.

- Tá, foi mal. – Ele revirou os olhos.

- Eu já volto. Vou salvar o dia de novo. – Eu sorri e beijei o seu rosto, saindo do quarto e indo em direção ao conjugado dos Malfoy. Suspirei antes de bater na porta.

 

POV Harry

Abri a porta do meu quarto e vi que Gina estava deitada de bruços na cama, aos prantos. Corri para me sentar ao lado dela.

- Amor? Pelo amor de Deus! O que foi? – Eu disse esfregando as costas dela.

Ela fungou e agarrou o travesseiro, escondendo o rosto.

- Amor? Gatinha... Me conta o que aconteceu... – Eu beijei seu ombro.

- Eu tô esquisita, amor. – Ela resmungou. Eu tirei o travesseiro dos braços dela e me enfiei no lugar dele, recebendo um abraço gostoso.

- Esquisita como? – Eu perguntei arrumando o seu cabelo ruivo.

- Eu tô ansiosa demais. – Ela disse. - E você sabe como eu fico quando tô ansiosa... Eu como tudo o que vejo pela frente.

- Sei... – Eu sorri.

- E aí semana passada eu comprei aquela jeans bordô caríssima e agora ela não tá fechando.

- Você tá assim por causa de uma calça? – Eu gargalhei.

- É importante pra mim. – Ela fez bico.

- Eu prefiro você sem calça nenhuma, se quer saber. – Brinquei e ela cedeu à risada.

- Idiota. – Ela sussurrou e se aconchegou em mim. – Amor, você me acorda daqui há três horas?

- Claro que sim. – Eu sorri e coloquei o despertador no celular. – Pronto.

- Valeu. – Ela deu um sorrisinho e me abraçou com os braços e pernas e soltando um gemido de preguiça. Eu sorri com isso e comecei a fazer cafuné em sua nuca e ela logo pegou no sono. Ela dormiu tranquilamente durante essas três horas e eu aproveitei para ler os meus e-mails no meu celular. As três horas se passaram e o meu celular despertou, mas eu o desliguei rapidamente para acordar minha esposa com beijos. Ela ronronou e me abraçou mais forte.

- Bom dia. – Ela disse preguiçosa.

- Ta melhor?

- Tô. – Ela suspirou. – Desculpa, amor, eu não devia ter sido grossa com você e com a Vic. Eu me sinto péssima por isso.

- Não se preocupe. A Vic vai te desculpar. – Eu sorri e belisquei sua bochecha.

- E você? – Ela me olhou fazendo bico e eu ri selando os nossos lábios.

- Eu entendo, linda, você está sobrecarregada. Ta tudo bem...

- Você é demais. – Ela sorriu e me deu um selinho casto e demorado antes de se levantar da cama.

- Onde você vai?

- Vou fazer a trança no cabelo e ir pro estádio, oras. – Ela respondeu animadamente.  

- Vai ganhar o jogo pra mim? – Eu sorri, me sentando na cama.

- Eu sempre ganho pra você, meu amor. – Ela sorriu e montou no meu colo, largando o cabelo pela metade e me dando um puta beijão. – Trate de preparar uma comemoração para nós para quando eu for para a final da copa.

- Sim senhora. – Eu sorri e escorreguei as mãos por suas costas, mas ela levantou, voltando a atenção para o cabelo. Eu apenas suspirei olhando para ela que se trocou lentamente, me provocando. Quando ela ficou pronta, eu também me troquei e nós saímos do quarto. Todos já estavam nos esperando.

- Todo mundo tá bem? – Gina perguntou zombeteira. – Ta todo mundo vivo? Estômagos e intestinos em seus devidos lugares?

- Sim! – Eles responderam em coro, rindo.

- A Hermione salvou o dia! – Audrey comemorou. – Descolou umas poções com o Malfoy.

Todos aplaudiram e deram gritinhos de comemoração enquanto a Mione corava o Ron revirava os olhos.

- Ótimo! Antes de irmos para o estádio eu queria dizer algumas palavras. – Ela sorriu e todos ficaram em silêncio. – Eu queria anunciar que hoje pode ser o último jogo da minha carreira no quadribol. – Todos olharam confusos. – Todos sabem que eu venho tentando há meses engravidar... e, calma, eu não estou grávida, ainda. – Ela riu quando todos xingaram baixinho. – Mas ao realizar o sonho de jogar profissionalmente eu abri lugar para o sonho de ser mãe e eu acredito que a gente tem que seguir o rumo que o nosso coração manda, por que eu fiz isso desde os dez anos, quando me apaixonei pelo Harry e desde então isso vem dando certo. – Nossos olhos se encontraram e ela sorriu pra mim. – Eu queria anunciar o fim da minha carreira como jogadora de quadribol e o passo que eu acabei de dar na minha carreira como jornalista esportiva. – Eu franzi o cenho e ela continuou.

- Fui contratada pelo Profeta Diário como colunista semanal no jornal de esportes. – Ela anunciou e eu arfei de surpresa a agarrando e a rodopiando enquanto ela ria. – O contrato não é exclusivo e eu vou continuar escrevendo para as outras revistas, mas agora eu tenho um emprego fixo e um bom salário e tempo para mim, para o Teddy, para o Harry e meus futuros filhos e eu não poderia estar mais feliz. E eu queria agradecer por todos estarem aqui hoje. Por sempre me apoiarem. Aos meus irmãos por me ensinarem a jogar, ao Harry por ser um marido, um amigo, um companheiro e um parceiro e à Angelina por ter acompanhado minha carreira como minha capitã. E como, se perdermos, esse vai ser o meu último jogo eu queria dizer que eu sou eternamente grata e feliz por ter chegado até aqui. E se ganharmos, eu jogarei profissionalmente mais uma vez na semana que vem e eu quero todos vocês comigo. É isso! Eu amo vocês.

Eu me aproximei dela e tirei uma mecha de cabelo da frente de seu rosto e ela sorriu.

- Eu estou tão orgulhoso. – Eu sorri e ela me abraçou, escondendo o rosto em meu peito. – Eu te amo tanto, Gina.

- Eu também amor! – Ela deu um beijo em meu peito e eu acariciei seu cabelo. – Estou tão nervosa.

- Eu imagino... Eu não queria estar no seu lugar. – Sorri e beijei sua cabeça. – Mas você tem um jogo pra ganhar agora! Ganhe para mim!

- Já falei, prepare a nossa comemoração. – Ela sorriu vitoriosa e eu ri.

- Boa sorte no jogo, meu amor. – Eu sorri e a puxei para um beijo, mas fomos interrompidos por uma mão entre nossas bocas.

- Tá, legal, o amor é lindo, mas nós precisamos ir, apanhadora. – Angie sentenciou e Gina gargalhou revirando os olhos.

- Sim, chefe.

- É, Potter, larga a minha irmã. – Carlinhos ordenou cruzando os braços e Gina ergueu as sobrancelhas.

- Não largo. – Eu sentenciei e a agarrei pela cintura, enchendo seu rosto de beijos. Todos rimos.

- Solta! – Teddy veio até nós sorrindo e nos escalou, para me dar um abraço apertado. – A tia Gina é minha.

- Eu vou te morder. – Brinquei e ele deu uma gargalhada. – Vem com o tio, que agora a minha Gina precisa ganhar um jogo.

- Então a Vic é minha. – Ele pulou do meu colo com um sorriso sapeca e abraçou a Vic que corou.

- Mas o que? – Gui perguntou franzindo o cenho.

- Calado! – Fleur disse risonha, provavelmente achando aquela cena a coisa mais fofa do mundo.

- Antes de ir, eu queria fazer uma coisa. – Gina disse se ajoelhando no chão. – Teddy, me empresta a Vic um minutinho?

- Tá. Mas ela é minha. – Ele disse risonho e eu sorri.

- É só um minutinho, meu anjo. – Ele assentiu, concordando e Vic olhou para ela, ressentida. – Vic, me desculpa por ter sido chata com você mais cedo? Eu amo você, princesinha, e você é uma linda bailarina.

- Eu sou?

- Com certeza você é. A mais linda do mundo. Você me desculpa? – A pequena assentiu e Gina a puxou para um abraço. – Agora eu preciso ir! Você vai torcer por mim, não vai?

- INGLATERRA!!! – Ela berrou dando soquinhos no ar e todos nós gargalhamos, gritando junto com ela.

 

 


Notas Finais


É isso!

O que será que vai rolar?

Beijos e Nox!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...