História Hogwarts, Uma História - Pós-guerra - Capítulo 146


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Percy Weasley, Ronald Weasley, Simas Finnigan, Theodore Nott
Tags Amor, Draco Malfoy, Dramione, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hinny, Hogwarts, Pos Hogwarts, Pos-guerra, Sexo
Visualizações 567
Palavras 2.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiii!

Mais um pra vcs! Espero que gostem!

Ah, nas notas finais tem uma indicação de uma fic MARA! Não deixem de ler!

Divirtam-se!

Capítulo 146 - 146 - A Final


POV Gina

“E AGORA A RUIVA MAIS GATA DA LIGA DE QUADRIBOL E MELHOR APANHADORA DA INGLATERRA, GINEVRA POTTER!!!” – Eu quase vomitei de tanto nervoso antes de me impulsionar com os pés e voar para dentro do campo. Fiz toda a volta fazendo tchauzinho e mandando beijos para os torcedores e parei na frente da minha família, como sempre, fazendo o ritual da língua de sinais com o Harry. “E O HERÓI DE GUERRA HARRY POTTER ESTÁ AQUI HOJE. É CLARO QUE ELE NÃO PERDERIA O JOGO DA FINAL DE QUADRIBOL DE SUA ESPOSA, QUE ESTÁ LINDA HOJE, A PROPÓSITO.”

Gargalhei disso e fiz um joinha para a cabine de locução, agradecendo, dei um giro 360º para dar mais uma animada na torcida, mas isso foi uma péssima ideia. Eu senti meu estômago revirar e fiquei um pouco tonta. Pelo visto, seria um jogo difícil.

Respirei fundo e voei para o lado de Barney, que me olhava de cenho franzido.

- O que foi? – Ele cochichou.

- Sei lá, me deu tontura. – Eu fiz uma careta.

- Com o giro 360º? Mas nos treinos você fazia cinco deles seguidos.

- Pois é. Se você ver que vai dar ruim, você me ajuda tá? – Eu pedi, assustada.

- Pode deixar. – Ele sorriu e me deu um soquinho no ombro. – Seu marido está olhando feio pra nós. – Ele apontou.

- É por que ele quis que eu comesse mais do que eu aguentava no café. – Eu sorri e Barney riu.

- Ele só se preocupa. Olha lá. Flint acabou de entrar. Vai começar o jogo. Boa sorte, capitã.

Eu sorri em resposta e nós voamos para o meio da arena. O juiz falou todo aquele blábláblá de sempre e deu início na partida. Eu rapidamente ganhei altitude com a vassoura, do lugar onde eu poderia ver todo o campo a procura do pomo, mas ao olhar pra baixo vi tudo embaçado o que me deixou em estado de alerta.

- Isso não é bom... – Fiz uma careta e segurei ainda mais firme na vassoura, rodeando o campo lentamente e tentando manter a calma e nem prestando atenção na narração do jogo. Eu podia ver o placar e o jogo estava bem acirrado. Era ponto atrás de ponto de ambos os países, então eu precisava pegar aquele maldito pomo antes do apanhador da Alemanha. Um zumbido me tirou dos meus devaneios e eu pude ver o pomo descendo bem embaixo de mim, aproveitei para mergulhar com a vassoura atrás dele. No meio do mergulho um balaço lançado pelos batedores alemães quase me acartou, sorte que John me defendeu, se não eu me machucaria feio. O pomo sumiu no exato momento em que eu e o apanhador da Alemanha quase trombamos.

- Foi mal, Potter, você tá bem? – Ele perguntou e eu respirei fundo.

- Tô. Eu que peço desculpas. Você tá legal? – Ele assentiu e eu voltei a voar, vendo tudo dobrado e sentindo meus membros tremerem. O jogo continuou por muito tempo e nada do pomo. O placar já estava 210 a 200 para nós e a Alemanha estava atacando. Eu já estava suando, não sabia se quente ou frio e parei de rodar com a vassoura por que aquilo já estava me deixando tonta e exausta.

- Só faltava eu ter pego intoxicação. – Esbravejei para o nada e bufei em seguida, mas como um milagre, o pomo apareceu ao meu lado, mas o único problema é que naquele momento, eu estava vendo tudo quadruplicado e estava quase vomitando.

Avancei para a bolinha e tentei pegar, mas acertei o ar. Respirei fundo e tentei mais uma vez um pouco mais para o lado e acertei o ar novamente. Minha visão estava começando a escurecer a as bolinhas douradas começaram a se multiplicar.

- Meu Deus, eu tô alucinando! – Tentei pela terceira vez e errei de novo, mas com o meu impulso para pegar a bolinha eu me desequilibrei e escorreguei da vassoura, agarrando ela com uma mão no meio da queda e mexendo o outro braço desesperadamente até que senti um metal gelado na palma e fechei a mão em volta dela, sem nem saber o que estava fazendo, por que a minha visão estava escurecendo cada vez mais e a minha respiração estava ofegante.

“GINA POTTER SE DESEQUILIBROU DA VASSOURA, ESPERO QUE ELA CONSIGA VOLTAR AO NORMAL PARA CONTINUARMOS A PARTIDA.”

Ouvi a voz do narrador e tentei voltar a montar, mas eu não estava com forças para pegar impulso e a mão que segurava na vassoura estava escorregadia, eu não aguentaria ficar ali por muito mais tempo e estava quase tudo escuro, então eu fiz a única coisa inteligente que poderia fazer naquela situação:

- SOCOOOORRO! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! – Eu berrei o mais alto que pude, sentindo minha visão ficar ainda mais turva e os nós dos meus dedos doerem por segurar a vassoura com tanta força. Isso tudo sem contar o pânico, a vontade de vomitar e as lágrimas nos olhos que escorriam copiosamente. Eu já estava lidando com o fato de minha própria morte e estava quase entregando os pontos e soltando a vassoura.

Alguns segundos depois de silêncio da torcida e escuridão, eu senti um tranco atrás de mim e mãos protetoras enlaçando minha cintura sobre uma vassoura.

- Gina, meu amor. Sou eu, o seu Harry. – Ele sussurrou em meu ouvido. – Estou te levando para o chão e o Malfoy já está te esperando lá com a equipe médica. Aguenta firme.

Aguenta firme uma ova! Naquele mesmo momento, sabendo que eu estava segura, eu desmaiei contra o peito dele e não vi mais nada do que aconteceu.

 

POV Harry.

- Mas o que diabos ela está fazendo? – Ron perguntou aos berros quando Gina mexia os braços tentando pegar alguma coisa e eu encolhi os ombros, franzindo o cenho e não tirei os olhos dela. Ela estava jogando como eu nunca vi antes, muito cautelosa e devagar, o que significava que tinha alguma coisa errada. Só isso já me deixou em estado de alerta. Ela tentar pegar algo no ar (presumi que fosse o pomo) e não conseguir era sinal de que ela estava bem mal. Na terceira tentativa ela se desequilibrou e caiu para o lado da vassoura ficando segura apenas por uma mão.

- SAI DA FRENTE! – Eu berrei para Ron que abriu caminho e eu desci correndo até a área da equipe médica, onde Draco assistia ao jogo segurando uma vassoura em suas mãos.

“GINA POTTER SE DESEQUILIBROU DA VASSOURA, ESPERO QUE ELA CONSIGA VOLTAR AO NORMAL PARA CONTINUARMOS A PARTIDA.” – Disse o narrador e eu olhei para ela.

- SOCOOOORRO! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! – Ela berrou e eu não pensei duas vezes antes de correr até Draco e tomar a vassoura da mão dele.

- MAS O QUE...?

- EU JÁ DEVOLVO, ELA VAI CAIR! – Respondi enquanto montava na vassoura e impulsionava com os pés, voando na direção dela.

- POTTER, É PERIGOSO! – Malfoy berrou e eu ignorei, voando rapidamente e mirando a vassoura em Gina, de modo que ela montasse corretamente e agarrando minha esposa pela cintura antes que ela caísse.

- Gina, meu amor. Sou eu, o seu Harry. – Eu sussurrei em seu ouvido. – Estou te levando para o chão e o Malfoy já está te esperando lá com a equipe médica. Aguenta firme.

Senti o corpo dela amolecer em meu braço e desci com a vassoura até o chão apoiando o corpo de Gina e a deitando sobre o gramado.

“GINA POTTER FOI SALVA DE FORMA HERÓICA PELO SEU MARIDO” – O narrador anunciou. Todos os jogadores se aproximaram e fizeram uma rodinha em volta de nós junto com o juiz. Draco chegou correndo e se ajoelhou do outro lado do corpo dela.

- Me ajuda a soltar as roupas dela! – Ele ordenou e eu tirei a capa dela ao mesmo tempo em que ele tirava os sapatos, sob o olhar de todos. – O que ela tem na mão? – Ele apontou para a mão que estava fortemente fechada e eu franzi o cenho, me apressando para ver o que era, me surpreendendo ao ver que era o pomo. Todos os jogadores ficaram surpresos.

“MAS O QUE ESTÁ ACONTECENDO LÁ?” – O narrador perguntou e o juiz ergueu o pomo da mão de Gina. – “ELA CONSEGUIU!!! ELA PEGOU O POMO DE OURO! A VITÓRIA É DA INGLATERRA!”

Todos comemoraram e Malfoy me olhou revirando os olhos.

- Preciso de espaço. Saiam de cima dela. Vão dar a volta olímpica e fazer o inferno que vocês quiserem! – Ele esbravejou e todos saíram de lá. Kim foi quem deu a volta no estádio com o pomo ao lado de Guga, enquanto Draco examinava minha esposa e eu sentia o meu rosto molhado pelas lágrimas de preocupação. – A pulsação e os batimentos estão voltando ao normal e a pressão também. Acho melhor levarmos ela para o hospital para ver o que foi que aconteceu.

Eu assenti enquanto ele tirava um broche do bolso.

- Segure-a firmemente e coloque a mão aqui. – Ele pediu e eu o obedeci. O broche era uma chave de portal, ativada com um toque de varinha e nos levou diretamente para o hospital st. Mungus da França. Dois curandeiros já nos esperavam na recepção, com uma maca onde Gina foi deitada e no mesmo instante acordou.

- Amor! – Eu segurei sua mão. – Você se lembra de mim?

- Não... quem é você? – Ela perguntou sorrindo zombeteira e eu revirei os olhos. – Acho que eu tô com intoxicação, amorzinho.

- O Draco vai te examinar e te dar um remédio. – Eu acariciei o seu cabelo.

- Vou ter que leva-la, Potter. – Draco informou e os curandeiros levaram a maca por uma porta de vidro.

- Cuide dela, Malfoy, por favor! Ela é tudo o que eu tenho.

- Então você vai me fazer um favor. – Draco pediu. – Aparate para a sua casa em Londres e mande monstro deixar o quarto de vocês pronto. Se for o que eu estou pensando que é, assim que eu terminar de examiná-la eu aparato com ela para lá. Ela vai precisar ficar em repouso em um lugar confortável e é melhor que ela fique lá com toda a família por perto do que aqui, longe de todos.

- O que você acha que é? Intoxicação? – Eu perguntei preocupado.

- Não. Sem essa baboseira de intoxicação. Vai pra casa, tome um banho e arrume o quarto de vocês.

- Certo, mas...

- Mas nada. Eu sou o médico aqui! Só faça o que eu digo e eu levo a sua esposa lá em menos de duas horas.

- Tá, que seja. – Revirei os olhos. – Me mantenha informado.

- Pode deixar. Vai logo.

Aparatei para o hotel, me sentindo mal por deixar Gina sozinha no hospital, mas resolvi seguir as recomendações. Todos os Weasleys já estavam me esperando ansiosos.

- Malfoy mandou eu voltar para o Largo Grimmauld, ele vai aparatar lá com ela depois que terminar de examiná-la, por que ele acha que ela vai precisar ficar em repouso em um lugar confortável e ele acha melhor ela repousar lá do que aqui. – Disse sem fazer nenhuma pausa. – Hermione, me ajude a arrumar as coisas dela?

Ela assentiu e nós corremos para o quarto com Ron e eles me ajudaram a organizar nossas malas e logo que eu terminei de fechar a última, nós aparatamos na minha casa e os outros Weasleys foram com as crianças pra toca. Pedi que monstro organizasse o quarto e preparasse um jantar reforçado para Gina.

- Vocês ficam aqui esperando comigo?

- Claro, Harry! – Hermione correu e me abraçou. – Eu só preciso de um banho. Ron, você vem?

- Vou! Cara, fique bem.

Sorri com gratidão para ele e subi para o meu quarto, tirando a roupa e entrando em baixo do chuveiro quente. Tomei um banho rápido e vesti uma cueca boxer, uma calça de moletom cinza e uma camiseta azul. Quando eu saí do banho eu desci correndo para a sala onde Ron e Hermione me esperavam e Monstro nos serviu sanduíches, que eu comi afobadamente. 

Uma hora e algumas reclamações de desespero depois disso Draco aparatou na sala de casa com Gina em uma maca e duas curandeiras.

- Como ela está? – Eu perguntei, me desesperando ao ver que ela estava desacordada na maca.

- Calma, Potter, ela está bem, só está sob o efeito de poção do sono por que não parava de falar durante o exame. Me mostre o caminho para o quarto de vocês e lá nós falamos em particular, sim?

- Claro! É por aqui. – Eu subi na frente mostrando o caminho para as curandeiras que levitavam a maca. Chegando no quarto eu mesmo peguei minha esposa no colo e a coloquei na cama, com a cabeça amparada em seu travesseiro e com cobertas sobre o seu corpo. – O que ela tem?


Notas Finais


E aí?? Tenso hein???

Comentem!

Queria compartilhar com vocês a história sobre o Sirius do @DracoMalfoda que escreve suuuuuuper bem (e é praticamente meu vizinho). Deem um fav. lá e acompanhem (e me ajudem a faze-lo postar o próximo cap, pq eu to curiosa).

https://spiritfanfics.com/historia/just-like-the-star-9887701

É isso, espero que aproveitem a indicação e deem uma olhadinha nas outras fics dele, pq super vale a pena!

Beijos e Nox!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...