História Hogwarts, Uma História - Pós-guerra - Capítulo 152


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Percy Weasley, Ronald Weasley, Simas Finnigan, Theodore Nott
Tags Amor, Draco Malfoy, Dramione, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hinny, Hogwarts, Pos Hogwarts, Pos-guerra, Sexo
Visualizações 550
Palavras 1.654
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee Amores!!

Aqui vai o primeiro de hoje, vou fazer de tudo pra postar mais um mais tarde, então comentem pleeeease!

Capítulo 152 - 152 - Comemoração


POV Gina

Já era de noite quando fomos pra casa. Como era período de férias escolares, combinamos com Teddy e com Andrômeda que ele passaria os dias de semana na casa de Andrômeda. Ele não gostou muito, mas ela insistiu demais, então ele acabou cedendo.

Harry estava todo sujo de terra e correu para tomar banho. Depois do jato de água fria que eu levei de Jorge, minha mãe me obrigou a tomar banho na toca, dizendo que a friagem faria mal para o bebê (por sorte eu ainda tinha algumas roupas lá), então eu já cheguei em casa pronta pra dormir. Tirei o vestido e o joguei sobre a poltrona do quarto. Eu ia para o closet pegar o pijama, mas o meu celular tocou na mesma hora.

- Oi Mione! – Eu atendi me deitando de bruços na cama.

- Oi amiga! Tá ocupada?

- Não... Estou esperando o Harry sair do banho.

- Se eu te fizer uma pergunta, promete que vai ser sincera?

- Sim, sempre! O que foi?

- Eu achei o Ron meio esquisito hoje... quieto demais... estranho demais... Ele geralmente fala muito e brinca com as crianças... você não achou?

- Não sei... – Eu entortei os lábios. – É... pensando melhor ele estava bem quieto, mesmo. Aconteceu alguma coisa entre vocês?

- Não... quer dizer, nada além do que acontece normalmente.

- Que esquisito. Vou tentar descobrir alguma coisa com o Harry...

 

POV Harry

Ao terminar o meu banho, eu enrolei a toalha na cintura e quando abri a porta do banheiro e tive a visão do paraíso. Gina seminua deitada de bruços na nossa cama, com os cotovelos apoiados no colchão. Ela estava distraída, falando com alguém no telefone.

- Que esquisito. Vou tentar descobrir alguma coisa com o Harry... Mas tenta falar com ele... as vezes é algum problema no trabalho....

Me aproximei dela dei um beijo na base de suas costas, subindo os beijos pela coluna e sentindo sua pele se arrepiar, ficando por cima de seu corpo, sem apoiar o peso.

- Ai... É... Hum... Vai me avisando, Mi. – Ela disse se contorcendo. Eu gargalhei, beijando o seu pescoço e peguei o telefone de sua mão.

- Mione? Tá tudo bem?

- Oi Harry, tudo e você?

- Tudo ótimo. Você precisa de alguma coisa muito urgente?

- Não. Já falei com ela.

- Então posso desligar? Eu to querendo transar com ela desde a França e... – Gina gargalhou embaixo de mim.

- Tá bom, já entendi. Não preciso de mais informações. Divirtam-se!

- Valeu! Te amo! Beijos. – Eu sorri e desliguei o telefone.

- Não acredito que você fez isso. – Ela disse risonha.

- É que eu tô morrendo de saudade de você. E você está muito gostosa... – Eu sussurrei em seu ouvido e ela se arrepiou novamente. – E nós temos muito o que comemorar... – Dei um beijo em seu pescoço. – E você ficou linda com esse cabelo. – Mais um beijo. – E eu te amo!

- Eu também te amo, Harry. – Ela sorriu e virou a cabeça para me beijar carinhosamente.

- Deita, linda. Vou te fazer uma massagem bem gostosa. – Eu falei baixinho e ela repousou o peito e a cabeça sobre o colchão. Eu sorri e abri o sutiã rosa que ela usava. Ela tateou o criado mudo e me deu uma bisnaga de creme hidratante, que eu abri e coloquei um pouco nas mãos para espalhar em suas costas, massageando suavemente. Ela quase ronronou com isso e eu sorri. – Você está feliz?

- Se eu estou feliz? Harry, eu tenho um casamento ótimo com o homem que eu amo, estou grávida desse mesmo homem, tenho o trabalho dos sonhos... Como eu poderia estar infeliz?

- Tem razão. – Eu sorri subindo minhas mãos por suas costas e apertando seus ombros. – Quando você começa a trabalhar?

- Amanhã... Por que?

- Estou louco pra ter você mais pertinho de mim. – Eu sorri e me debrucei sobre ela para beijar seus ombros com vários selinhos seguidos. Eu sorri e saí de cima para que ela pudesse virar de frente para mim. Me ajoelhei entre suas pernas e me deitei sobre o seu corpo, selando nossos lábios carinhosamente para em seguida sussurrar. – Eu amo você. – Voltei a beija-la apaixonadamente, mas com mais cuidado do que nunca e ele retribuiu da mesma maneira, arrastando a ponta de seus dedos pela minha nuca em um cafuné carinhoso. Eu comecei a descer os beijos pelo seu pescoço e para o vale dos seios, demorando mais naquele local, ainda sentindo o seu carinho em minha nuca. Beijei carinhosamente os seus seios, me demorando mais nos bicos e ela fechou os olhos, mordendo o lábio inferior. Voltei a descer os beijos por sua barriga, dando selinhos demorados e protetores por toda parte.

- Harry! – Ela sussurrou.

- Oi? – Eu sorri pousando a boca em seu umbigo, o que a fez sorrir.

- Vai com cuidado. – Ela pediu, acariciando o meu cabelo.

- Pode deixar. – Dei uma mordidinha no local e voltei a descer os beijos até sua intimidade. Chegando lá eu tirei sua calcinha cuidadosamente, a jogando para qualquer canto do quarto. Coloquei uma de suas pernas sobre o meu ombro e aproximei minha boca de seu ponto de prazer, dando uma leve lambida, que a fez gemer baixinho. Fui devagar e o mais carinhosamente que eu consegui, pousando uma mão em sua barriga e, com a outra mão, segurando a dela ao lado de seu corpo. Depois de muitos beijos e lambidas lentas e torturantes para nós dois, ela começou a gemer mais alto e mais frequentemente e sua mão apertou a minha.

- Harry. – Ela gemeu baixinho, sorrindo. – Por favor, amor. Eu preciso de você em mim agora.

Eu sorri e me coloquei novamente sobre ela, beijando os seus lábios e me encaixando nela com cuidado. Eu interrompi o beijo, mantendo nossas testas encostadas e sorri.

- Se você sentir qualquer incômodo, você me fala?

Ela sorriu e colocou suas mãos em meu rosto, uma de cada lado, me segurando perto dela e selou nossos lábios.

- Eu te falo. Não se preocupa.

Fui penetrando bem devagar, sentindo cada centímetro meu dentro dela e dando um gemido baixinho. Ela segurou meu rosto com mais força e beijou meus lábios enquanto eu saía de dentro dela e entrava mais uma vez, bem devagar, fechando os olhos e ouvindo ela arfar embaixo de mim. Saí mais uma vez e penetrei novamente, na mesma velocidade.

- Abra os olhos. – Ela sussurrou e eu a obedeci, apenas para ver os olhos lindos e brilhantes que ela tinha e trocar mais um selinho. – Pode ir mais rápido, não está doendo.

- Mesmo?

- Mesmo. – Ela sorriu e eu fui aumentando o ritmo pouco a pouco até encontrarmos a melhor maneira de fazer aquilo e logo que encontramos os gemidos dela, em minha boca, se tornaram presentes entre os beijos que trocávamos e as respirações entrecortadas. Ela enroscou as pernas em meu quadril e escorregou suas mãos para a minha nuca, puxando o meu cabelo, mas sem me machucar. Senti as paredes dela me apertarem e o corpo dela tremer em meus braços, que a seguravam protetoramente. Ela gemeu o meu nome longamente, fechando os olhos e tombando a cabeça pra trás e aquela foi a coisa mais linda que eu já vi em toda minha vida. Logo depois disso eu saí de dentro dela e gozei em suas coxas, com um rosnado de prazer

Eu respirei ofegantemente e ergui a cabeça para vê-la com um sorriso lindo nos lábios.

- Você está bem?

- Me sinto ótima... e você?

- Melhor, impossível. – Eu sorri, selando os nossos lábios e me deitei ao lado dela, a aninhando em um abraço e nos limpando com um aceno de varinha logo em seguida. – Gin...

- Hum? – Ela ergueu a cabeça pra me olhar.

- Posso te pedir uma coisa?

- Pedir você pode... – Ela sorriu zombeteira. – Se eu vou fazer ou não, já é outra história.

- Engraçadinha! – Eu sorri, revirando os olhos.

- O que você queria pedir? – Ela me encarou, virando de bruços e apoiando o queixo em meu peito.

- Nada não... deixa quieto... – Eu respondi fazendo uma careta. – Você não iria querer, de qualquer forma...

- Se você não me falar o que é, como vai saber se eu iria ou não querer alguma coisa? – Ela perguntou divertida e eu apertei seu nariz fazendo-a rir.

- Esquece, amor... – Eu sorri. – Tá tudo bem...

- Harry Potter! Quer parar de fazer cu doce e me falar o que você quer? – Ela disse me dando um beliscão na lateral da barriga e eu gargalhei.

- Tá bom, sua chata! – Eu sorri, sem jeito. – Eu queria muito te acompanhar em tudo... – Ela franziu o cenho. – Nos médicos, nos exames, na compra do enxoval do bebê, quero ajudar a escolher as roupinhas, os brinquedos... Aproveitar todos os momentos da sua gravidez junto com você. Mas se você preferir fazer essas coisas com Hermione e com as meninas, eu vou entender...

- Harry! – Ela abriu um sorrisão e se ajoelhou na cama animadamente, se sentando sobre os calcanhares. – É óbvio que você vai me acompanhar em tudo, não precisava nem me perguntar.

- É sério? Eu posso?

- Pode! – Ela disse risonha. – Claro que você pode! E eu vou ficar imensamente feliz se você fizer isso. É importante pra mim e vai ser importante para o Jay.

- Então tá bom! – Eu sorri e me sentei na cama para beijá-la. – Vou até a cozinha descolar alguma coisa pra comer. Quer?

- Nossa! Eu quero! Me traz um pedação daquela torta de frango e um copo de suco de abóbora?

- Pode deixar, madame! – Eu sorri e me levantei para pegar tudo e, quando eu voltei, ela já estava dormindo, o que me fez rir e me deitar ao seu lado, puxando-a para se aninhar em meu corpo. 


Notas Finais


Comentem, hein??

Beijinhos e Nox!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...