História Hogwarts, Uma História - Pós-guerra - Capítulo 153


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Percy Weasley, Ronald Weasley, Simas Finnigan, Theodore Nott
Tags Amor, Draco Malfoy, Dramione, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hinny, Hogwarts, Pos Hogwarts, Pos-guerra, Sexo
Visualizações 543
Palavras 2.135
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí, gente! Aqui vai o ultimo de hoje!!!

Aproveitem!

Capítulo 153 - 153 - Calça Bordô


POV Gina

No dia seguinte o despertador tocou as seis da manhã, meia hora antes do de Harry. Eu me levantei e o desliguei rapidamente. Fui para o banheiro e fiz toda a minha higiene matinal com calma, tomei um banho morno e lavei meu cabelo. Ao sair do box, coloquei o meu roupão rosa e fui para frente do espelho da pia secar o cabelo.

- AMOR? – Harry gritou do quarto.

- No banheiro! – Eu respondi e alguns segundos depois ele apareceu lá, rem roupa nenhuma e com uma toalha pendurada em seu ombro. – Bom dia!

- Bom dia, princesa. – Ele sorriu e me abraçou por trás, deixando um beijo na curva do meu pescoço. – Acordou cedo.

- É que eu preciso ir bonita pro trabalho. – Eu sorri, dando uma última escovada no cabelo.

- Poderia ter acordado em cima da hora então. – Ele sorriu entrando no box do banheiro.

- Fofo! – Eu pensei alto e ele sorriu de lado. Ri pelo nariz e comecei a passar a maquiagem: um delineador fino nos olhos, com um rímel e um batom um pouco avermelhado nos lábios. Nesse meio tempo Harry saiu do banho e veio escovar os dentes na pia ao meu lado. Dei uma olhada geral no espelho e gostei do resultado. O cabelo curto realmente combinava comigo.

- Para de olhar pra esse espelho. Você está linda. – Ele disse dando um tapinha em minha bunda e saindo do banheiro. Eu ri e o segui até o closet para escolher minha roupa.

- Você está muito folgado, Sr. Potter. – Eu brinquei enquanto cada um de nós olhava para suas próprias roupas e eu pegava uma blusa de seda branca com estampas de manchas coloridas. – Quem você pensa que é pra sair batendo na minha bunda desse jeito?

Ele gargalhou enquanto eu colocava a blusa no balcãozinho que ficava no meio do cômodo.

- Sou o pai do seu filho. – Ele respondeu com um sorriso desafiador, tirando uma de suas fardas do cabide e colocando ao lado da minha blusa.

- Boa resposta. – Eu sorri pegando um conjunto de lingerie branco de uma das gavetas da cômoda e o esticando no ar pra pensar. Dei de ombros, concluindo que ficaria bom com a roupa que eu iria usar e tirei o roupão e vestindo-o sob o olhar curioso de Harry. – Que foi?

- O que foi essa olhadinha? – Ele perguntou sorrindo zombeteiro e eu ri, pegando o meu hidratante e passando por todo o corpo.

- Não queremos que o meu sutiã apareça na blusa branca, queremos? Não, não queremos. – Eu respondi dando uma piscadinha e ele deu de ombros pegando a primeira cueca boxer da gaveta e vestindo. – Por exemplo... só de olhar eu sei que essa é a cueca que te aperta e se você não trocar, vai passar o dia inteiro irritado por causa do seu...

- Tá bom, já entendi. – Ele riu zombeteiro e trocou, colocando uma azul no lugar. – Essa tá melhor?

- Muito melhor. – Eu sorri revirando os olhos e vestindo a blusa que eu tinha separado, me olhando no espelho e analisando criticamente. Harry já estava pronto e se sentou na poltrona ao lado do espelho pra me ver.

- Eu gostei. – Ele sorriu. – O que você vai usar embaixo.

- Nada. Vou de calcinha. – Zombei e ele gargalhou.

- Vai fazer sucesso... – Ele rebateu enquanto eu pegava a calça linda que eu havia comprado e vestia.

- Tcharaaaaan! – Cantarolei me exibindo e dando uma voltinha. Ele riu.

- Essa calça te deixou gostosa. – Ele comentou, me secando com os olhos. E eu gargalhei.

- E valorizou a minha bunda. – Rebati me virando de costas pra ele que engasgou.

- E valorizou a sua bunda. – Ele concordou, se levantando e me abraçando por trás, beijando o meu pescoço repetidas vezes. – Eu adoraria se você parasse de me provocar, sabia?

- Mas eu só estou te mostrando minha calça nova. – Eu disse inocentemente, pegando um sapato marrom de salto grosso na prateleira e vestindo. – Tô pronta.

- Vamos descer e comer alguma coisa. Aí a gente aparata pra lá, ok? – Ele sorriu e me deu um beijo de língua apaixonado, que eu correspondi, o abraçando pelo pescoço. Suas mãos escorregaram pela minha cintura e foram parar dentro dos bolsos traseiros de minha calça e quando o ar se fez necessário, ele terminou o beijo com vários selinhos. Eu sorri e arrumei a gola de sua camisa.

- Você está lindo. – Eu sorri. Ele riu pelo nariz e tirou as mãos de minha bunda para caminharmos até o andar de baixo de mãos dadas. Monstro havia preparado um café da manhã delicioso para nós. Harry puxou uma das cadeiras da mesa da cozinha para se sentar e em seguida me puxou pela mão e me colocou montada em seu colo, de frente para ele, com uma perna de cada lado de seu corpo.

- Harry? O que você...?

- Shhh... – Ele me cortou e selou nossos lábios. – Só quero aproveitar o tempo que a gente tem antes do trabalho.

Eu sorri com isso e me ajeitei melhor em seu colo. Ele pegou um croissant recheado com presunto em cima da mesa e o levou até a minha boca, fazendo com que eu mordesse.

- Nossa, isso tá bom! – Eu disse de boca cheia e ele gargalhou.

- Faz tempo que eu não te vejo assim. – Ele disse antes de morder o mesmo croissant.

- Como? – Eu sorri, mordendo mais um pedaço.

- Não sei... – Ele encolheu os ombros. – Leve, com esse sorriso nos lábios, rindo à toa...

- Para de ser bobo, eu sempre sorrio. Você sabe que eu sou muito feliz com você, não teria por que não sorrir. – Encolhi os ombros.

- É diferente, Gin... – Ele aproximou o lanche mais uma vez e eu mordi. – Você estava ansiosa por não conseguir engravidar, não estava cem por cento feliz em jogar quadribol. – Franzi o cenho. – Sim, eu percebi... Mesmo você gostando muito de jogar, isso virou um trabalho e você tinha muita responsabilidade, muita pressão... Quando você veio com aquele papo de largar a carreira eu fiquei com medo de você não querer jogar nunca mais, mas você sabe separar as coisas muito bem e sempre sabe o que quer, por sorte.

- Você tem razão. – Eu sorri e olhei pra baixo. – Aquela história de que trabalhar com o que a gente gosta nos faz não trabalhar um dia na vida é uma baboseira. Quando a gente trabalha com o que gosta, acaba assumindo mais responsabilidades do que é capaz de aguentar e acaba surtando. Por sorte eu sempre tive você comigo, que deixava tudo melhor. – Eu encostei minha testa na dele e ele beijou o meu nariz. – Eu me sinto tão livre agora, tão plena...

- Eu percebi isso. – Ele sorriu. – Você até mudou o cabelo e conseguiu dormir sem desenhar em mim. Está até mais jovem, parece a adolescente que pulou em mim e me beijou no salão comunal no meu sexto ano.

- Ah, Harry! – Eu suspirei e o abracei fortemente, sendo retribuída na mesma hora. Aproveitei para esconder o rosto em seu pescoço e sentir o seu cheiro. – Eu te amo tanto.

- E eu também amo muito vocês. – Eu me afastei dele, que sorria apaixonadamente pra mim.

- Olha, filho. – Falei acariciando a minha barriga. – Papai disse que ama a gente.

Meu marido riu disso e beijou minha testa.

- E amo mesmo. Mas a mamãe precisa se alimentar, não é filhão? – Ele disse olhando para a barriga e eu gargalhei. Ele pegou um cacho de uvas e começou a levar uma a uma até a minha boca, junto com pedaços de bolo e sucos.

- A gente podia fazer isso mais vezes. – Eu sorri limpando os lábios com um guardanapo.

- O que? – Ele franziu o cenho. – Tomar café juntos?

- Não... Tomar café comigo sentada em seu colo e a gente falando coisas fofas um pro outro. – Eu sorri me levantando do colo dele e bebendo mais um gole de suco.

- Todo dia, se você quiser. – Ele sorriu e se levantou também. Eu peguei minha bolsa com todas as poções que eu poderia precisar e Harry estendeu algumas frutas embrulhadas em papel alumínio pra mim. – Se você ficar com fome...

- Você é muito fofo, não quer casar comigo, não? – Eu brinquei.

- Desculpa, moça, mas eu já sou casado. E ela é bem ciumenta... – Ele sorriu e beijou o meu rosto. – Vamos?

- Sim. – Eu sorri e dei a mão para ele. Nós aparatamos no átrio do ministério e passamos pela segurança de mãos dadas. E vimos Hermione, que estava sentada na borda do chafariz. Ela usava uma saia justa preta e uma camisa amarela, com um belo de um salto alto e um coque no alto da cabeça. Ela se levantou e veio correndo até nós.

- Bom dia, casal! – Ela sorriu e abraçou Harry e depois a mim. – Estou tão animada que a Gin vai trabalhar conosco. Estava esperando vocês chegarem para eu conhecer a sua sala!

- Vamos então. – Eu sorri puxando os dois pela mão para o elevador e pegando o a carta do ministério em minha bolsa. – Aqui diz que a minha sala é a 73. E que a minha chefe se chama Jessyca Stones.

“Sétimo andar, departamento de jogos e esportes mágicos” soou a voz do elevador. Nós nos olhamos e descemos. Uma senhora com mais ou menos 50 anos estava em pé no Hall dos elevadores e sorriu para mim.

- Ginevra Potter, que grade prazer tê-la conosco. – Ela sorriu e estendeu a mão. – Sou irmã mais nova de Jessyca, me chamo June Stones, chefe do departamento de jogos e esportes mágicos.

- É um prazer. – Eu sorri de volta. – Esses são...

- Já nos conhecemos. – Hermione sorriu. – Como vai, June?

- Ótima, e vocês?

- Muito bem. – Hermione e Harry responderam ao mesmo tempo.

- Que bom, que bom! – Ela sorriu. – Minha irmã me disse que você vinha, ela não trabalha aqui no ministério, ela, como editora chefe da página de esportes, trabalha na sede do profeta, no Beco Diagonal, mas ela me pediu para que eu lhe desse todas as recomendações necessárias. Mas acredito que ela tenha feito isso umas mil vezes, não é?

- Bem, sim... eu vou ter que entregar as matérias para você às quintas-feiras até meio dia, impressas em folhas brancas com a fonte tamanho 12, no máximo 400 palavras e mandar uma cópia de segurança para o e-mail da sua irmã.

- Isso mesmo. Tem um manual do profeta diário em cima de sua mesa, com tudo o que pode e o que não pode ser escrito, mas acho que você já aprendeu isso na faculdade, certo. – Ela perguntou sorridente e eu assenti. – Você vai ter pouco contato com a minha irmã, mas se precisar de alguma coisa pode me chamar ou mandar um e-mail pra ela. Ah, aproveitando, o seu marido me mandou um e-mail avisando da sua gravidez, meus parabéns. – Ela sorriu. – Se precisar de qualquer coisa em relação a isso, pode me chamar. Tive cinco filhos.

- Obrigada. – Eu sorri sinceramente.

- A sua sala já está toda equipada com computador, impressora, telefone e tudo mais o que você vai precisar. Tem uma cafeteira também. – Ela sorriu segurando a maçaneta da porta. – Seu colega de time já espera por você.

- Obrigada, senhora Stones. – Eu sorri e entrei na sala. Logo após a porta, tinha um pequeno corredor formado pela parede do banheiro, quatro passos depois estava a sala em si.  Na parede oposta à porta de entrada e a porta do banheiro, havia uma grande janela que dava para o átrio do ministério e abaixo dela ficava uma escrivaninha do tamanho da parede, com duas cadeiras. Uma impressora estava no meio da grande mesa e a dividia em duas mesas médias, uma minha e uma de John. Nas paredes ao lado e acima da janela estavam pendurados alguns nichos, formando uma pequena estante para cada um de nós. Ao lado da porta do banheiro havia um sofá de dois lugares na cor cinza, com almofadas nas cores azul e branca e ao lado do sofá havia um gaveteiro alto, com a cafeteira em cima. Sorri para o lugar que era pequenininho, mas aconchegante.

- Gostei. – Mione disse sorrindo.

- Gin, minha princesa... – Harry se aproximou e me abraçou pela cintura. – Se precisar de alguma coisa, pode ligar na minha mesa. Eu venho te buscar ao meio dia pra almoçarmos. Você vai ficar bem?

- Vou amor. Pode ficar tranquilo. John estará aqui também...

- Ótimo. – Ele sorriu e beijou minha testa. – Amo você! Mande um oi para o John, ok?

- Ok! Eu também te amo. Tenha um bom dia de trabalho. 


Notas Finais


E aí??

Comentem pra eu voltar amanhã, hein????

Beijos e Nox!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...