História Hogwarts, Uma História - Pós-guerra - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Percy Weasley, Ronald Weasley, Simas Finnigan, Theodore Nott
Tags Dramione, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hinny, Hogwarts, Pos Hogwarts, Pos-guerra, Ron Weasley, Ronmione
Visualizações 149
Palavras 1.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Chegou um capítulo bem esperado!

Aproveitem e comentem, por favor!

Se tiver bastante comentários eu acordo mais cedo amanha pra postar mais um!

Capítulo 32 - 32 - Primeira vez


POV Gina

- Eu amo você! – Ele disse me dando o buquê de rosas e segurando o rosto, mantendo nossas bocas muito próximas.

- Eu te amo mais. – Sorri e selei nossos lábios.

O beijo que antes era casto foi se intensificando tanto que eu tive que colocar o buquê de flores que eu segurava em cima da cômoda, para enlaçar o pescoço de Harry em meus braços e juntar meu corpo ao dele, por que era aquilo que eu precisava naquele momento. Do Harry e de nada mais. Suas mãos percorreram toda a lateral do meu corpo e depois foram para as minhas costas, me agarrando pela cintura e colando os corpos até que não sobrasse mais nenhum espaço entre nós.

Quando o ar se fez necessário, ele começou a descer beijos pelo meu pescoço e eu gemi ao sentir meus poros sobressaltarem em minha pele em um delicioso arrepio. Ele me ergueu do chão e eu tratei de enlaçar minhas pernas em sua cintura. Ele afastou sua boca de minha pele para me olhar nos olhos.

- Você... – Ele começou.

- Eu tô pronta pra isso. – O interrompi e ele sorriu. – E eu quero que seja hoje.

Ele voltou a me beijar e caminhou comigo até a cama, onde ele me deitou delicadamente e se deitou por cima de mim selando os nossos lábios.

- Eu...

- Eu sei. – O interrompi mais uma vez, sorrindo. – Também te amo.

Ele riu e me deu mais um beijo apaixonado acariciando a lateral do meu corpo com as suas mãos precisas. Depois de nos separarmos por falta de ar, ele se ajoelhou no meio das minhas pernas e começou a desabotoar a camisa jeans que eu usava, olhando apaixonadamente em meus olhos, um olhar que eu correspondia na mesma intensidade. Quando ele terminou com os botões, ele desceu o olhar por meu corpo e sorriu, antes de escorregar a camisa por meus ombros e tira-la de mim.

Enganchei meus dedos na barra de sua camiseta e a puxei para cima, deixando o seu corpo a mostra e tratei de puxa-lo para me beijar. O beijo dessa vez foi mais quente, mas não menos apaixonado. Senti suas mãos andando por meu corpo atrevidamente e mordi os lábios quando ele abriu o fecho do meu sutiã e o tirou de mim.

Ele encostou nossas testas e ficamos por alguns segundos respirando o mesmo ar e olhando um nos olhos do outro. Acariciei o seu rosto e delicadamente tirei seus óculos e coloquei-os na mesinha ao lado da cama.

- Consegue me ver?

- Perfeitamente. – Ele sorriu e selou nossos lábios, mais uma vez aprofundando os beijos aos poucos, sua língua brincando com a minha e suas mãos apertando minha pele com desejo. Seus beijos foram se encaminhando para o meu pescoço e continuaram para o meu colo ao mesmo tempo em que eu entrelacei meus dedos em seus cabelos, fazendo carinho enquanto ele beijava delicadamente os meus seios.

Meu primeiro gemido veio quando ele abocanhou um dos seios e começou a brincar com sua língua em meu mamilo, me fazendo ficar toda arrepiada e morder o lábio inferior. Eu sentia meu corpo esquentar mais a cada movimento de sua boca em mim, distribuindo beijos e mordidas por todo o meu corpo. Suas mãos que até agora estavam concentradas em explorar o meu tronco e os meus seios desceram para o quadril ao mesmo tempo em que ele voltou a beijar os meus lábios vorazmente.

A cada apertão que eu recebia nas coxas eu me sentia mais excitada, nossas intimidades ainda estavam separadas pelas roupas que usávamos, mas eu conseguia sentir como ele estava excitado e isso me fazia suspirar. Ele mais uma vez desceu os beijos pelo meu corpo, passando pelo pescoço, ombros, seios e dessa vez continuando para as costelas, cintura e barriga.

Suas mãos em meu quadril puxaram a minha legging preta para baixo e ele se ajoelhou para tira-la completamente das minhas pernas, arrancando os meus tênis e minhas meias junto com ela. Em seguida, ele tratou de tirar seus sapatos, meias e sua calça enquanto me olhava maliciosamente.

Dei um sorrisinho malicioso quando ele voltou a se deitar sobre mim, fechando os olhos quando senti nossas intimidades se encostarem com menos tecido no meio.

- Ta nervosa? – Ele sussurrou em meu ouvido entre os beijos que ele dava em meu pescoço.

- Não. – Sussurrei de volta.

Ele escorregou sua mão pela minha barriga até que ela chegasse até minha intimidade e a acariciasse a mesma por cima da calcinha, me fazendo suspirar e dar um puxão involuntário em seu cabelo. Essa foi a deixa para que a sua mão fosse para dentro da peça intima e me acariciasse delicadamente, me fazendo gemer. As caricias foram aumentando de ritmo enquanto eu me retorcia na cama e tentava abafar os gemidos ao ver o olhar lascivo que ele tinha.

Em determinado momento, ele abaixou minha calcinha e a escorregou por minhas pernas, voltando com as carícias logo em seguida e dando beijos em minhas coxas, aproximando cada vez mais a sua boca, me deixando cada vez mais ansiosa. Quando encostou sua língua em mim, foi como uma explosão, senti meu corpo todo contrair enquanto eu gritava de prazer. Senti que estava gozando e ele não parou de me estimular em nenhum momento.

Eu realizava as minhas vontades de gritar, gemer, falar palavrões, socar o colchão, agarrar as roupas de cama e entre outras coisas enquanto ele continuava com as carícias que me deixavam enlouquecida. Quando ele parou eu ofegava jogada no colchão.

Eu queria mais. Em um único movimento o puxei para perto de mim e rolei para ficar em cima dele. Ele me olhava assustado, mas eu não me importei, usei toda a minha força para rasgar sua cueca e tomei seu membro em minha boca sem nem esperar por uma permissão. Aquilo estava uma delícia e os gemidos roucos dele se tornaram o meu som preferido naquele momento.

Ele puxou meu rosto para cima e selou nossos lábios. Ele rolou e voltou a ficar por cima de mim.

- Posso? – Ele sorriu.

- Pode.

- Se doer, morde o meu ombro. – Ele sorriu e beijou meu rosto antes de penetrar em mim lentamente.

Tombei minha cabeça para trás e mordi o meu próprio lábio para conter um gemido de dor. Ele tentava me distrair do incômodo me dando beijos no pescoço e sussurrando coisas fofas no meu ouvido. A dor foi melhorando os poucos e se tornando em prazer. Cada vez mais prazer. Eu apertava a pele de suas costas com as mãos e os gemidos saiam involuntariamente de minha garganta enquanto ele aumentava cada vez mais o ritmo das investidas, atendendo aos meus pedidos nada silenciosos.

Meu corpo voltou a se tencionar inteiro e eu estava gritando de novo enquanto ele gemia e falava coisas desconexas com a voz rouca e entrecortada em meu ouvido.

- Gin... Eu vou gozar! – Ele disse e mordeu meu pescoço com força, me fazendo berrar de prazer e apertar ainda mais as suas costas, gozando pela última vez. Ele saiu de dentro de mim e se desfez em minhas pernas e logo depois soltou seu peso todo sobre o meu corpo. Seu rosto suado descansava em meus seios que subiam e desciam pela respiração ofegante.

- Você tá viva? – Ele disse rindo e eu ri junto com ele.

- Mais do que nunca. – Enlacei seu corpo com minhas pernas e acariciei seu cabelo. – E você?

- Você acabou comigo. – Ele disse e eu gargalhei. – Acho que eu preciso de um banho...

- Somos dois! – Sorri.

- Por que você não vai preparando um banho de banheira bem gostoso para nós dois enquanto eu arrumo toda essa bagunça que fizemos? – Ele sugeriu apoiando o queixo em meu peito.

- Você que manda, amor. – Ele saiu de cima de mim, não sem antes me beijar mais uma vez e eu me levantei e caminhei para o banheiro. Enchi a banheira com água quente e coloquei a essência de espuma e os sais de banho e logo ele entrou no banheiro usando um robe preto e trazendo toalhas e roupas.

- Pronto, gatinha. – Ele sorriu e enlaçou minha cintura, me beijando mais uma vez. Em seguida tirou o seu robe e entrou na banheira, me ajudando a entrar depois e me aconchegando sentada entre as suas pernas. Descansei minhas costas em seu peito enquanto ele fazia uma massagem em meus ombros.

- Parece um sonho. – Ri pelo nariz, pensando em como eu sonhei com o que acabou de acontecer. Ele abraçou minha cintura e beijou meu ombro.

- O que?

- O que a gente acabou de fazer... você não sabe quantas vezes eu sonhei com esse momento.

- Pervertida. – Ele zombou e eu gargalhei. – Foi como você sonhou?

- Nem um pouco. – Respondi mordendo o lábio. – Completamente diferente... Eu jamais sonharia com tudo isso... Quero dizer... Olha esse dia perfeito...

- Hum... – Ele apoiou seu queixo em meu ombro e me apertou mais no abraço. – Fale mais...

- Eu fui contratada pelo Harpias, passei nos N.I.E.M.s, ganhei uma Firebolt, um buquê lindíssimo e um bilhete foférrimo do cara por quem eu sou louca desde os dez anos e de quebra ainda tive a minha primeira vez com a pessoa que eu mais amei em toda a minha vida... Tem como ser mais perfeito que isso?

- Tem... – Ele sorriu. – Tem uma garrafa de Hidromel geladinha esperando a gente lá no quarto, para brindarmos o seu novo emprego e ainda vamos dormir juntos – ele distribuiu beijos por minhas costas, um beijo a cada palavra. – bem abraçadinhos.

- Ah, Harry! – Disse com uma voz afetada.

- Eu também te amo... – Ele me interrompeu. – Muito.

Terminamos o nosso banho, trocando mais alguns beijos e caricias e quando saímos, vestimos robes pretos que ele tinha arranjado.

Ficamos até de madrugada conversando e mimando um ao outro, com a nossa garrafa de hidromel e chocolates. Não faço ideia do momento em que pegamos no sono, só sei que dormimos de conchinha, bem pertinho um do outro, como tinha que ser e como eu queria que fosse para sempre.

 

 


Notas Finais


E ai, merece comentários?

Beijinhos e...

Nox!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...