História Hold Me Tight ;;jikook - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Colegial, Comedia, Fluffly, Jikook, Kookmin, Lemon, Namjin, Taeyoonseok, Yaoi
Visualizações 152
Palavras 1.236
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - De volta para Busan


l— Seu irmão né? O que tem ele?

— Ele… sofreu um acidente de carro com os amigos bêbados, Kookie, eu tenho que visitar ele.

— Arruma suas malas, eu vou comprar duas passagens.

— Jungkook, não, você não pode gastar mais dinheiro comigo, minha mãe compra.

— Não Jimin! Eu sei que sua família não é tão boa financeiramente, dinheiro é o que não falta pra mim, anda logo, eu vou entrar no site da empresa de viagens.

— Ok.

Jimin pegou sua mochila, não colocou muitas coisas lá, acredito que em Busan já tenha roupas dele, compro as passagens e vou arrumar minha bolsa apressadamente.

-×-

Quase perdemos o vôo, mas chegamos à tempo, Jimin não parava quieto no avião, mexia as pernas, perguntava a hora de cinco em cinco segundos, resultando em colisões com o banco da frente.

— Para com isso! — o homem que estava na frente grita.

Jimin se encolhe e seus olhos começaram à lacrimejar.

— Quem te deu a permissão de gritar com meu namorado? — pergunto.

— E o que você vai fazer? — ele levanta, faço o mesmo mas a aero-moça aparece.

— Senhores, peço que se mantenham sentados.

Faço o que a aero-moça pede.

— Jimin, fique calmo, seu irmão está bem, você quer dormir?

— Uhum.

Coloco a cabeça dele no meu ombro e começo à acariciar seu couro-cabeludo, Jimin estava se acalmando, dormiu em questão de minutos.

-×-

— Jimin, acorde, já chegamos — falei acordando ele.

Jimin abre os olhinhos e olha pela janela, eu levanto, pego nossas mochilas e nós saímos do avião.

— Quer comer alguma coisa? — pergunto ao ver várias lanchonetes.

— Não.

— Jimin, é melhor você comer, você tem emagrecido muito ultimamente. Só um pouco, por favor.

— Está bem.

Vamos até uma loja de yakisoba, Jimin pede o dele e eu peço o meu, fiquei feliz em ver ele comendo, era uma coisa simples que me deixava imensamente feliz.

Começamos à andar em direção á saída do aeroporto, a mãe de Jimin estava lá.

— Jimin, meu amor — ela abraça ele — estava com saudades.

— Eu também estava — ele coloca seu rosto contra o peito da mãe e começa à chorar — calma… — ela passa a mão no cabelo dele — acredito que você seja o Jungkook, certo? É um prazer, meu nome é Sohyun.

— O prazer é todo meu.

— Eu quero ir ver o Jihyun.

— Jimin, você tem certeza? — Sohyun pergunta.

— Uhum.

— Está bem.

Vamos até o carro dela, Jimin vai atrás comigo, deitado no banco e com a cabeça em meu como, as mochilas vão no banco da frente.

O hospital era no centro da cidade, como ainda estávamos em horário comercial, haviam muitos carros na rua, estava engarrafado e as vezes Jimin chorava, eu odiava mais que tudo vê-lo assim, minha vontade era consolá-lo e conseguir fazer ele parar de chorar, mas eu realmente não sabia o que fazer.

— Jimin, fique calmo, por favor — falei.

— Já estamos chegando — Sohyun fala, mas quando vida a curva, outro engarrafamento — façam assim, desçam do carro, podem deixar as coisas aqui, Jimin sabe onde fica o hospital, encontro vocês lá.

Saímos do carro e Jimin corre até o hospital, entramos e ele mostra o documento provando que é irmão de Jihyun, a enfermeira não queria me deixar entrar por não ter parentesco com ele, mas Jimin conseguiu convencê-la.

— Jihyun! — Jimin corre até a cama e abraça o irmão já acordado — Eu fiquei tão preocupado com você!

— Jimin, não me aperte assim, dói.

— Desculpa — ele se afasta e observa os ferimentos de Jihyun, eram muitos.

— Você é o Jungkook? — ele pergunta.

— Sim. É um prazer.

— Jimin falou muito de você para mim, ele realmente gosta de você.

— É mesmo? — sorri.

— Sim — Jihyun fala.

— Jihyun! — Jimin repreende o irmão.

— Não falei nenhuma mentira — ele sorri e recebe um tapa fraco de Jimin — eu estou bem, só sinto algumas dores.

— Ainda bem… — Jimin se acalma — mamãe já está vindo, com quem você estava?

— Com o Changkyun, a Seulgi e o Jackson.

— Qual deles estava dirigindo? Todos estão bem?

— O Jackson estava dirigindo, Changkyun e Seulgi estão bem, já ele… não acordou até agora.

— Espero que ele fique bem — falei.

— Eu fiquei tão preocupado — Jimin fala afagando os cabelos do irmão.

Era clara a relação que ele possuía com a família.

— Você veio pra Busan só pra me ver?

— Sim, Jungkook que pagou a viagem.

— Fico feliz em te ver.

— Só vou voltar para Seul quando você sair do hospital.

— Jimin, mas você tem a faculdade.

— A matéria de agora não tem importância.

— Jimin…

— É sério, eu peço pros nossos amigos nos mandarem um resumo, assim nós podemos estudar pras provas.

— Está bem, é melhor vocês voltarem pra casa, daqui a pouco escurece.

— Amanhã nós vamos vir aqui de novo — Jimin fala e pega o celular.

Ele liga para a mãe e pede para ela vir nos buscar.

— Tchau Jungkook, tchau Jimin — Jihyun fala.

— Tchau.

Point of view: Park Jimin.

Eu e Jungkook voltamos para casa, ando direto para meu quarto, mas ouço a voz do meu pai.

Essa não, ele está aqui.

— Olha só quem voltou — ele fala assim que me vê — Park Jimin.

— Olá pai.

— Quem é esse garoto? Já falei que não quero você trazendo esses amantes aqui pra casa, você não estava na faculdade? Sabia que ia desistir, isso é o esperado de vagabundos que nem você.

— Esse é meu namorado, Jeon Jungkook, não, eu não desisti da faculdade, vim visitar o Jihyun.

Sinto meu rosto arder, eu havia levado um tapa de meu pai.

— Caiu na modinha dos gays?! Você tem que namorar com uma garota! Sua aberração!

— Com licença senhor, não posso aceitar que você bata no meu namorado na minha frente — Jungkook entra na minha frente.

— Quem tem mais poder sobre ele? O namorado ou o pai? O filho é meu, você não têm nada a ver com a forma que eu crio ele, isso é errado sim, você nunca leu a bíblia?

— Não é porquê tá escrito na bíblia que está certo.

— Blasfêmia! — gritou e tentou dar um tapa em Jungkook, mas o mesmo consegue se defender.

— Não posso admitir que você trate seu próprio filho assim, agora se nos permite, estamos indo para o quarto.

— Não quero escutar gemidos de vocês dois! — ele grita quando começamos à andar em direção à porta.

Entramos no meu quarto, deito na cama e começo à chorar.

— Calma — Jungkook se senta do meu lado — eu não vou deixar ele fazer isso com você de novo, juro.

— Eu odeio meu pai.

— Fica calmo, Jimin, vamos tomar um banho e ir dormir, ok?

Faço que sim com a cabeça, Jungkook me pega no colo e me leva até o banheiro que tinha em meu quarto, ele me senta na pia e tira minha roupa, ligando o chuveiro no quente e se despindo também.

Entramos juntos, ficamos um bom tempo só abraçados, Jungkook fazia eu me sentir bem, independente do que acontecesse.

-×-

Saímos do banheiro, Jungkook fechou a janela e eu tranquei a porta.

— Por que trancou?

— Meu pai, às vezes ele entra e me bate, ou então quebra algo enquanto eu durmo.

— Que coisa horrível.

— Eu sei…

Deitamos na cama, ele pega o cobertor que estava na mesma e nos cobre, me abraçando e beijando minha cabeça.

— Eu te amo muito — Jungkook diz — vou fazer o possível para que nada aconteça com você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...