História Hold Me Tight ( Long imagine Suga ) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Suga
Tags Bangtan, Bts, Suga, Yoongi
Visualizações 32
Palavras 3.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi
Estou novamente com uma nova historia
Espero que Gostem dela, se puderem planfletar a história para seus amigos me ajuda muito ❤
Boa leitura.


Os dias que irei postar será.

Terça - quinta- sábado as 19:30


Espero que gostem.

Capítulo 1 - New York University


Fanfic / Fanfiction Hold Me Tight ( Long imagine Suga ) - Capítulo 1 - New York University

Pessoas normais acordam com despertadores ou pássaros cantando ja eu, acordo com o metrô chacoalhando todo meu pequeno apartamento.

Moro perto de uns principais meio de transporte nova ioquino, New York subway, sempre acordo as 4:15 da manhã quando o primeiro começa a circular.

Antes que eu esqueça me chamo Emma cupper e sou do interior Texas- Waskom, tenho 19 anos e sou de uma família meio grande de classe média, meu pai tem uma Oficina mecânica e minha mãe sua pequena floricultura, foi assim que eles criaram os 7 filhos, sim você não viu errado, somos em sete irmãos, John-28anos, casado morando longe a nove anos com sua esposa e filhos, ele vive bem no mexico sem que ninguém precise o ajudar, Becca-25 anos namora a oito anos, ainda mora com meus pais, trabalha na floricultura com minha mãe e é ótima, Chloe-12 anos, Nathan-8 anos,e Garry-5 ainda estudam e são totalmente dependente de meus pais, Chloe está na fase rebelde, sai e não avisa, anda com um e com outro, resumindo, ela é terrível, não posso esquecer da nova e mais fofa Cupper Beth-1ano, gordinha sorridente e muito silenciosa, era nossa caçula, e não há pessoa nesse mundo que não se encanta por ela.

E é por eles que vim pra Nova York, assim esvazia a casa, e será de grande ajuda minha formação para meu pai, sempre adorei carros e passava o dia todo na Oficina para ajuda-lo, hoje estudo engenharia mecânica assim que formada posso tomar conta da Oficina pra que meu pai possa enfim descansar.

Não pensem que foi fácil entrar pra uma Universidade em Nova York, tentei Colúmbia university, não fui aceita pois minhas notas não era altas a níveis acadêmicos, Cornell University, meus pais surtaram em saber que tentei entrar nessa eles disseram la iria tirar toda minha atenção e poderia começar a beber e me drogar como nos filmes, acabei rindo, como se filmes fosse realmente coisas reais em faculdades americanas, mas em cornell tbm não fui aceita, e minha única e última tentativa seria? New York university, fiquei feliz em ser aceita em uma top 10 de Nova York.

Estou morando aqui a dois anos e radiante pois falta dois anos pra me formar e poder voltar ao Texas seguir meus planos, o porque de não querer seguir em NY? Essa é fácil, não me adaptei ao povo daqui, não são muito amigáveis e o tempo que moro aqui conheço apenas Dean meu namorado, mora aqui perto do metrô e é um ótimo companheiro único que não acha que vivo em rodeios, comendo marmitas na beira de estrada, na Universidade São todos muitos bem vestidos e cheio da grana, então quando sabem que não sou premiada como eles simplesmente me excluem, e acabam fazendo piadas sobre de onde venho.

Bom como acordo as 4:15 da manhã todos os dias e não tenho o que fazer até as 9:00 fico enrolando vendo televisão, logo quando da 6:00 da manhã ligo pra minha amiga Charlotte que mora no Texas, por ela ser mais nova que eu ela terminou agora o ensino médio e está torcendo pra ser aceita em NYU pra me fazer companhia, mas como Char nunca gostou de estudar duvido muito que ela seja aceita numa faculdade tão exigente como as de Nova York.

Passo esse tempo todo fazendo várias coisas e quando vejo ja é 7:30 então começo a arrumar, tranquilamente, claro, tomo café da manhã e exatamente 8:40 saio indo direto ao NY subway,pra pegar a linha celebrate Brooklyn que vai até NYU, minhas aulas começam as 9:15 mas como nunca confio nessas horas em que a linha de metrô passa sempre acabo saindo bem cedo pra não perder um minuto de aula, posso ser considerada à nerd, e por ser umas das poucas mulheres que cursa Engenharia mecânica então acabei me destacando com professores do campus, e esse é mais um motivo pelo qual tenho muitas inimizades por la.

Me sento no lugar de sempre ao entrar no metrô e cálculo 20 minutos até chegar a rua West 4th Street perto do campus, fico olhando os mesmos prédios, o mesmo caminho, as mesmas pessoas, até que chego ao meu destino e salto ja em frente ao Campus, olho as horas e vejo que tenho meia hora livre ainda então vou direto a biblioteca, revisar algumas atividades e conferir se meu material pra primeira aula estava todo completo, fazendo isso sigo pra minha sala lentamente, e ao chegar lá vejo que alguns meninos ja estão por la e assim que entro na sala começam as brincadeiras sem graças sobre minha origens.

-- Me diz Cupper... lá vocês bebem leite direto da vaca? Na sua casa tem aquela cabeça de Veado na sala?-- respiro fundo e olho eles rindo da minha cara.

-- Qual é Cupper... nos responde.-- outro pergunta.

-- Se estão tão interessados em saber como é Waskom, vão até lá veja por vocês mesmo.-- digo e eles ficam quietos.

Se isso me incomodava? Não muito, a dois anos ouvindo isso ja meio que acostumei, porém, como disse, São dois anos ouvindo as mesmas piadinhas então isso ja estava me irritando mais que me entristecendo, por sorte minha, a sala vai ficando cada vez mais cheia, e como já disse sou uma das poucas mulheres que fazem esse curso,então as outras quatro meninas que faz essa matéria comigo ja chegaram e pra várias estão juntas no canto da sala rindo de minhas roupas, não que eu ande mau arrumada, mas ando simples, com o sagrado Jeans, uma blusinha de manga um pouco larga, e cabelos num coque, esse é praticamente meu dia a dia, não uso roupas diferentes, e meu cabelo solto só em casa mesmo.

As aulas foram passando de uma forma bem rápida, conforme trocamos as matérias algumas pessoas ficam e outras saem da sala, mas sempre a mesmas pessoas, sinto meu celular vibrando na bolsa, mas não dou muita bola pois falta apenas alguns minutos pra aula acabar e vejo isso depois.

Assim que da uma da tarde saímos para o almoço, vou até o refeitório e pego apenas uma salada e um copo de suco de laranja, sendo na última mesa como sempre, isolada, fico observando pessoas entrar e sair dali e lembro do celular e vou ver quem era.

Oi amor, posso passar na sua casa hoje depois da aula?-11:30

Sei que não vai responder agora mas assim que puder me de um sinal-11:31

Amo você-11:31

Acho estranho Dean querer me ver em plena Terça-feira , ele sempre tão ocupado na faculdade e no trabalho, que nos vemos apenas no sábado, nosso relacionamento é bem morno, e isso foi desde o primeiro mês de namoro, sempre com dias e horas pra se ver, conversas apenas sobre faculdade, não fazemos planos juntos e não transamos, em um ano e meio de namoro, não transamos, soa até estranho mas não pra nós dois, somos amigos que se beijam e quando se beijam pois faz algumas semanas que não sinto o gosto dos lábios de meu namorado.

Se sinto falta de um homem de verdade? Sinto, mas não é Dean, e eu não sou a mulher que desperta o interesse total nele, somos vistos como turistas refugiados aqui, ele veio de Los Angeles então um ve no outro o refúgio e o carinho que não sentimos fora de casa.

Okay sairei as 16:00 hoje-13:10

Estarei esperando você, eu te amo-13:10

Dizer eu te amo a Dean me causa tristeza, pois essa palavra tem significado forte pra mim, e hoje uso como um simples bom dia, dito da boca pra fora.

A tarde foi se passando rápido mesmo tendo duas provas hoje, me sinto cansada hoje, na verdade me sinto cansada todos os dias pela rotina que começa as 4:15 e vai até o horário que possa dormir, isso depende muito do dever de casa e claro! O maldito metrô.

-- falta apenas dois anos Emma...apenas dois anos.-- digo respirando fundo e arrumando meus matérias, ja eram 16:00 horas se não quisesse andar de ônibus teria que correr para conseguir pegar a linha celebrate Brooklin, muitos devem achar que metrô e ônibus da no mesmo, mas não é mesma coisa, metrô me faz chegar em 20 minutos em casa e ônibus 1:30 por conta do trânsito lento.

Faço o mesmo tráfego de todos os dias rapidamente chego no buraco em que moro, meu buraco preferido.

Vou diretamente pro banho, aproveito e lavo os cabelos, o banho estava bem relaxante que acabou me dando sono, mesmo não podendo dormir meus olhos começaram a pesar, não demoro muito e logo saio vestindo um short jeans e uma regata, penteio os cabelos e ouço batidas na porta ja sabendo quem seria logo abro sem pergunta quem é Dean estava com um sorriso lindo e com sacolas na mão, dou passagem e ele entra indo direto a cozinha.

-- deu saudades pra querer Me ver no meio da semana?-- digo cruzando os braços e sorrindo.

-- não posso ver minha namorada quando da vontade.-- ele vem vindo em minha direção e me segura pela cintura, e logo me beija, disse que fazia dias que não o beijava e me pergunto porque não fazemos isso com frequência, seu beijo era ótimo, não me fazia ir ao céu mas era tão carinhoso que tornava o momento mais romântico.

-- pode me dizer o motivo de ter vindo? Que mesmo morando perto, você não vem sem motivos.-- pergunto e ele sorri.

-- só queria ter um namoro normal, visitas sem motivos aparentes, muitos beijinhos e carinhos, assistir um filme comendo besteira.-- acabo rindo.

-- que bom... Assim não me sinto abandonada.-- rimos e ele volta a me beijar, logo vamos ver o que ele trouxe e meus olhos brilham ao ver, pipocas, sorvetes, gomas coloridas, fomos até meu quarto e nos deitamos na cama pra assistir nossa série preferida, no meio disso tudo rimos rolou mesmo muito carinho, beijos, palavras bonitas, mas o que tinha que rolar naquela tarde, nem passamos perto, desejo não havia entre a gente além de muito respeito e carinho.

Quando escureceu ele foi pra casa, pois ele teria que acordar cedo como todas os dias e eu também, ele podia ter dormido comigo? Sim, mas adorei quando ele se despediu e voltou pra sua casa, olho as horas e vejo que são 19:00 horas, estava muito cansada então não mexi nos meus matérias e me deitei pra assistir televisão, meus olhos foram fechando e ficando cada vez mais difícil manter aberto, mesmo com o barulho do metrô e as janelas tremendo não despertou meu sono, ponhei o relógio despertar e me rendo ao sono que enfim poderia descansar.

Acordo no mesmo horário de sempre, muito bem disposta por ter dormido cedo, e como não fiz meu deveres antes de dormir, aproveitei esse momento pra faze-Los, mas antes me arrumei e tomei um café, e logo em seguida me concentro apenas nos deveres da faculdade, vou conferindo exercicios, revisando matéria pra prova, conferindo horários que teria hoje e arrumando os livros na bolsa, a hora passou tão rápido que não pude falar muito com Charlotte e minha mãe hoje.

- Não acredito que não me ligou no mesmo horário Emma, tinha tanta coisa pra falar- Charlotte diz.

- prometo que amanhã ligo cedo.- acabo rindo.

- Não precisa... amanhã estarei em New York city-ela diz gritando com toda suas forças.

- Mentira, sério? Poxa vida..-- falo toda entusiasmada.

- Fui aceita em NYU e amanhã tenho a entrevista com o reitor,diretor,e supervisor do campus.

- Que felicidade Char, estou morrendo de saudades, tenho que ir viu, manda um beijo pros meus pais já que está na minha casa.-- ouço meus pais gritando que me amavam e acabo rindo.

Desligo o celular e olho as horas, já eram 8:40 hora de fazer minha rotina diária, hoje estava estranhamente feliz, acho que Dean tem culpa por isso ele foi tão carinhoso ontem que se pudesse o veria novamente pra ficar naquele abraço gostoso dele.

"-- queria ter mais tempo pra cuidar de você.-- Dean diz beijando minha testa.

-- queria mais tempo para ficar assim com você, tão gostoso-- ele sorri e me beija novamente."

Acabo sorrindo ao lembrar da nossa tarde juntos, não que eu sinta aquele frio na barriga, arrepio pelo corpo, eu me sinto tão sozinha que ganhar um pouco de carinho parece ter recarregado minhas energias.

por estar distraída quase perco onde tenho que saltar, vou andando a West 4th street, e vou seguindo o corredor do prédio, mesmo tendo tempo pra aula começar vou direto pra sala de aula, e como havia um garoto no meu lugar sentei a seu lado, ele me parecia ser aluno novo, pois nunca o vi nas aulas de física, o olhei rapidamente e vi que também era como eu, turista, ele tinha traços asiáticos, sua pele era bem branquinha, e cabelos pretos, e estava totalmente fechado, não posso dizer mais detalhes pois ele está sentado mas posso garantir que está muito bem vestido.

Logo a sala vai ganhando mais e mais colegas, olham para o menino e voltam a sentar sem fazer nenhum gracinha, coisa que achei estranho pois o diferente pra eles é motivo de piada, logo chega os idiotas Que me zombaram ontem e fazem o mesmo olham o colega novo e sentam, mas não como o restante dos alunos, eles nos encaram e podem até adivinhar o que fizeram.

-- Cupper, vamos seguir suas recomendações e vamos a seu sítio no final de semana, quer nos emprestar sua carroça pra poder ir a caráter.-- respiro fundo e não digo nada.

Isso me deixou completamente abalada, pois a maioria da sala riu e me olhou.

-- aproveita Sean e pede esse look maravilhoso que a caipira ta usando, assim será perfeito pra montar no touro.-- umas das meninas diz e acabo me sentindo mal por estar vestida assim, não com vergonha e sim mal, como disse não sou de família rica e o pouco que meus pais ganham era pra manter a casa e pagar minha faculdade, não trabalho por exigências deles mesmo, então não tenho dinheiro sobrando pra comprar roupas na Gap como elas fazem.

-- Vocês são idiotas ou estão estudando pra isso?-- me assusto ao ouvir a voz grossa do menino novo.-- deixa a garota em paz, melhor ela ser assim simples, do que ser bonecas de vodoos como vocês que já acordam com kilos de maquiagem no rosto.-- os meninos riram -- e vocês tão achando graça? Vê se aprende com ela a " caipira" e usa esse horário apenas pra estudos pois aqui não é circo pra ter tanto palhaço.

Fiquei o olhando agradecendo mentalmente, um silêncio nunca feito habitou a sala, o menino ainda mantinha seu semblante sério e inexpressivo, ele me olhou e eu apenas sorri em forma de agradecimento ele sorri minimamente e curva a cabeça entendendo meu ato de agradecimento, logo o professor entra e aula sem demora começa, a palavras do menino não saía de minha cabeça, e as vezes eu o olhava e ele estava concentrado demais pra perceber isso.

A aula havia acabado e estava na troca pra segunda aula, metade da turma saiu e como aqui seria a turma de matemática continuei no meu lugar e o menino novo também, os meninos que me zoaram no início da aula deixaram em minha mesa um bilhete ja as meninas me deram com mão e saíram sorrindo, não como deboche, abro o papel e me acabo sorrindo ao ver, olho pra frente e acabo sorrindo pros meninos e que saem aliviados.

-- não tiveram coragem te ofender na minha frente novamente e usaram papel?-- mas uma vez ouço sua voz grave e olho pra ele sorrindo.

-- Não.. dessa vez foi diferente-- entrego o papel a ele e ele balança a cabeça soltando um sorriso satisfeito nos lábios.

" nos desculpe, fomos idiotas esse tempo todo, prometemos não fazer isso novamente"

Era o que estava escrito no papel, o menino respira fundo e me entrega novamente o papel.

-- Fico satisfeito em saber que resolvi isso apenas na conversa.-- acabo rindo.

Logo o professor entra e voltamos nossa atenção total na aula, não sabia seu nome, e nem o porque dele ter me ajudado mais cedo, mas sinto uma dívida enorme com ele e teria que o ajudar de qualquer maneira.

Estava animada quando deu 13:00 não teria aulas a tarde então iria direto pra casa pra almoçar algo que eu mesma prepare, fui direto ao New York Subway esperar a linha que parasse próximo a minha casa.

-

Chego em casa largando tudo em qualquer lugar e indo doreto para cozinha, estava faminta e louca pra comer um macarrão, ponho a água no fogo e ouço batidas na porta, olho pra ver quem é e quase surto ao ver minha melhor amiga, abro a porta ja pulando nos seus braços.

-- Você veio mesmo, poxa vida que saudade.-- digo.

-- Emma,Emma, Emma -- ela grita meu nome e me gira pra me ver-- ta gostosa ein, faz dois anos que não te vejo meu amor, que saudades.

Voltamos a nos abraçar e rir em meio choros, ela era dois anos mais nova que eu, mas por morar ao lado de minha casa praticamente crescemos juntas e ela era mais que uma simples amiga era como minha irmã mais nova -como se ja não bastasse os irmãos que tenho- Charlotte era meio doidinha bem escandalosa mas quem não tem aquela amiga que vive pra nos fazer passar vergonha não é mesmo?

-- vem, estou com água no fogo, vou fazer aquele macarrão que você adora -- ela entra pulando e larga sua bagagem em um canto qualquer.

-- nossa que pequeno aqui Emma.-- ela diz.

-- é o que meu pai pode Pagar Char, aqui terrível ja aviso, 4:15 da manhã é impossível dormir.-- digo.

-- porque?-- ela pergunta espantada, e logo as janelas e as lâmpadas tremem, era uma linha qualquer do metrô passando novamente.

-- por isso.-- digo e despejo o macarrão na panela.

-- a não amiga, vamos procurar outro lugar, agora não tem somente uma renda tem duas, podemos procurar um lugar maior pra nós.-- me animo com sua ideia, pois já que ela iria morar comigo, precisaria de mais um quarto.

-- okay, vamos almoçar e depois vemos algum apartamento aqui no Brooklin ou perto da wall 4th street mesmo.

-- tudo bem.

Depois de bem alimentadas nos deitamos em minha cama e fomos procurar um lugar pra morar, fácil não seria, mas precisava pra ser logo, fomos nos apartamento com os menores preço pois com nossa renda precisamos comprar uma nova cama e um guarda roupa pra Charlotte, comprar o que comer e algumas roupas também, não preocupava com a mensalidade da faculdade pois meu pai depositava na conta do campus então não temos acesso ao dinheiro de nossa permanecia a NYU.

-- olha achei esse, e duas quadras daqui, ufa, é perto do metrô, mas não no subsolo como esse, tem dois quartos sala e cozinha separados e uma vista maravilhosa.-- Charlotte diz.

-- gostei, continua sendo perto do metrô, a localização é ótima e o preço é ótimo pro nosso orçamento.-- digo animada, pegamos o números e novamente minha porta anuncia mas um visitante, enquanto minha amiga falava com o proprietário fui ver quem era e pra minha surpresa era Dean novamente.

-- Dean?-- digo confusa.

-- oi meu amor.-- ele diz meio cabisbaixo.

-- o que houve?

-- posso entrar? Precisamos conversar.-- dei espaço a ele e ele se assusta ao ver Charlotte mas a cumprimenta e logo me puxa pra um beijo rápido.

-- o que você tem.-- falo baixo por ainda estar bem próxima a ele.

-- consegui a promoção amor, agora sou advogado honorário da empresa-- me animo.

-- que bom era tudo que você queria.-- ele sorri.

-- terei que voltar pra Los Angeles amor, a filial é lá e irei atuar como advogado la e não aqui.-- ele fica triste.

-- esse é seu sonho Dean, mais alguns meses você se forma, sei que terá que terminar seus estudos lá, mas esse é seu sonho amor.-- digo calma.

-- Não queria ficar longe de você.-- roubo um selar.-- mesmo nosso namoro sendo o mais estranho eu amo estar com você Emma.

-- também amo estar com você, não queria me separar de você meu amor, mas foi pra isso que você veio, estudar e virar um ótimo advogado , sua missão foi concluída, e eu te dou o maior apoio.

Ele acaba sorrindo e me abraça forte, estava muito triste em saber que meu namorado iria embora e não poderia continuar com ele, pois como ja havíamos conversado, não tenho planos em morar em Nova York, muito menos Los Angeles, vou voltar pro Texas e seguir os passos do meu pai na oficina e dar um upgrade e deixa-la mais movimentada com meus conhecimentos.

-- você é maravilhosa Emma.-- ele sorri.

-- estou orgulhosa de você meu amor, te desejo toda felicidade do mundo.-- ele me da um beijo demorado e carinhoso como sempre.

-- espero que encontre alguém incrível como você merece.-- ele diz e acabo rindo.

-- seja feliz Dean, e não entregue seu coração a outra tão facilmente, foco no trabalho.-- ele sorri e beija minha testa.

-- pode deixar, irei ainda essa noite, e espero manter contato com você.-- ele se aproxima da porta.-- passei anos felizes ao seu lado.

-- eu também... -- ele sai e pude chorar sem que ele ficasse pior do que estava, mesmo nosso namoro ser morno, e estranho aos olhos de muitos, ele era a única pessoa a qual divido meus medos e segredos, passamos por muitas coisas juntos e rimos muito.

-- olha Emma, você fez o certo, esse era o melhor pra ele, se sinta feliz, pode ser que lá na frente você e Dean voltam, pode ser que esse afastamento acenda o fogo que esse namoro nunca teve.-- Charlotte me diz.

-- Não é simples Char, ele além de meu namorado era meu melhor amigo, me fazia companhia, saia comigo, ficava horas me ouvindo e ele adorava isso assim como eu, vai ser difícil passar os fins de semana sem a alegria do Dean.-- ela me abraça e continuo chorando.

-- pra te anima um pouco, podemos nos mudar em três dias.-- a olho supresa e acabo sorrindo.

-- que ótimo, vamos nos mudar no sábado, não me deixa esquecer em falar com Sr deeps.

--Sim senhora.-- volto a abraca-la.

Enquanto Charlotte estava no banho, estava fazendo a janta, e por algum motivo, o menino asiático veio em minha cabeça, seu sorriso, sua voz grossa, sua coragem pra me defender, só agora tinha parado pra pensar nessa loucura, defender uma garota a qual ele nem sabia o nome, me impressionou e muito.

Pensando nele lembrei que havia alguns exercícios a se fazer, como teria que mostrar apenas na próxima quarta nem me preocupei em fazer hoje.

-- esse cheiro é maravilhoso.-- Charlotte aparece.

-- Lasanha.-- digo animada.

-- fico feliz que tenha parado de chorar, gosto de te ver sorrindo.

-- você está certa, não há com o que se preocupar, posso encontrar Dean num futuro próximo.-- sorrimos e nos sentamos a mesa para jantar.

Rimos muito lembrando da infância no Texas, as loucuras que Charlotte fazia, meu desespero em tentar esconder as coisas de meus pais, estava ótimo ter minha melhor amiga aqui comigo não vou negar.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Até Terça ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...