História Hold Me Tight ( Suga ) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Suga
Tags Bangtan, Bts, Suga, Yoongi
Visualizações 27
Palavras 3.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi espero gostem

Acabei postando mais cedo hoje por causa da -Chuva- que está vindo e não quero ter problemas em postar mais tarde 😂😂


Boa leitura

Capítulo 12 - Acabou


Fanfic / Fanfiction Hold Me Tight ( Suga ) - Capítulo 12 - Acabou

Narrado por Yoongi.

Fui surpreendido com meus pais logo pela manhã, fiquei tão feliz em ve-los, eles tomaram café da manhã comigo e fomos até Central Park, ficamos caminhando por lá apenas nós três, como a meses não fazíamos, fiquei de mandar mensagem pra Emma mas acabei esquecendo com essa surpresa, estava com tanta saudades deles que queria aproveitar cada segundo que tínhamos.

-- vamos almoçar juntos?-- pergunto.

-- vamos sim, quero saber o que andou fazendo esse tempo todo.-- minha mãe diz.

-- o de sempre, estudando e passando meu tempo livre com Emma.-- digo e vejo os dois se olhando.

-- creio que esqueceu da promessa que me fez não é?-- meu pai me pergunta me deixando totalmente desconfortável.

-- a promessa era válida apenas no período que eu estava com HaWon, agora estamos separados e não vejo motivos..-- minha mãe me interrompe.

-- ela não tem o mesmo padrão de vida que temos, você nos prometeu ficar longe de Américas, e o que faz? Se amarra a uma pobre na primeira oportunidade, não seja ingênuo ela gosta do seu dinheiro.-- minha mãe diz.

-- não permito que falam isso de minha Namorada, eu a amo como é, por favor é tão difícil acreditar que podemos ser sim uma família? Emma é tao boa se deixassem ela lhes mostrar o quanto é integra, porque essa obsessão por corenas?-- digo. 

-- por que elas são como a gente, tem o mesmo tom de pele que nós e se cuidam, você viu como essa garota se veste? Ela não um padrão de beleza invejável-- ela rebate.

-- pra mim já deu, Emma tá passando por momentos difíceis e eu vou ficar ao lado até que ela diga que eu me afaste, e se a senhora acha que beleza é tudo case a senhora com uma modelo-- saio dali os deixando sozinho, perdi a vontade de almoçar ou fazer qualquer coisa com eles, acabei os derespeitando o que me deixou pior do que estava,sei que prometi aos meus pais não se envolver com nenhuma americana porém Emma era a mulher que eu amo, a mulher que escolhi pra ser mãe de meus filhos e ia lutar contra todos pra ter ela ao meu lado, pego meu celular e vejo nossa foto na tela e bloqueio,meu coração acelera,tinha que dar um sinal a ela porém estava destruído e ela iria perceber, e não queria que se preocupasse comigo, fico andando um pouco mais antes de entrar no carro e após me acalmar vou seguindo ao meu apartamento depois alguns minutos chego ao meu apartamento e me deito no sofá, até que recebi uma mensagem.

Oii amor, poderia vir mais tarde aqui? - 11:00

Claro vou sim .. eu amo você.-11:01

Deixo o celular de lado e volto a pensar na conversa com meus pais e como tinha que ir na Emma apenas a tarde decido sair um pouco e esfriar a cabeça, vou tomar um banho rápido e visto uma roupa confortável, e vou até a cozinha, bebo um copo de agua e saio novamente, fico apenas rodando com o carro, tentei ligar pra Jin mas ele deveria estar dormindo essa hora, decido voltar ao meu apartamento ao entrar me assusto ao ver meu pai sentado no sofá.

-- como entrou?-- pergunto.

-- o porteiro tem uma chave-- ele disse.

-- o que quer?-- pergunto ainda sentindo muita vergonha da forma que os tratei.

-- nada apenas conversar direito com você, ambos falamos coisas desnecessárias não é.-- ele diz.

-- me desculpe appa..eu só quero que saiba que Emma me faz feliz, eu me sinto vivo com ela.-- digo.

Me sento ao seu lado e o olho com um pouco de emoção ao lembrar da minha Namorada, queria saber o que mais ele diria e estava torcendo pra que não pegasse nojo de vez dele e de minha mãe e lembrando dela não a vejo em lugar nenhum.

-- onde está a mãe?

-- deitada, ficou tão decepcionada que foi direto ao hotel, mas esquece sua mãe filho.-ele diz

Não digo mais nada e ele também não, ficamos nos encarando por longos minutos e não sabia porque ele me segurava por tanto tempo aqui em silêncio então me levanto.

-- fique, apenas Ouça minha proposta e se não aceitar tudo bem, deixaremos você e aquela...-- ele para.-- Moça, em paz mas seria benéfico aceitar.

-- tudo bem, mas já adianto que minha resposta será não.-- digo.-- me conhece bem pra saber que faço apenas o que me agrada.

Nesse momento ele serve dois copos de whisky com gelo e me da um, achei estranho ele me oferecer bebida ja que sempre me repreendeu por beber tanto, novamente ele me olha e fica com um sorriso no rosto.

-- É o seguinte, continuamos pagando o aluguel do apartamento e troco seu carro, pode ser o carro que quiser mas terá que se livrar dessa garota, voltamos a por você no Columbia ou em outra faculdade que queria, e tera liberdade se quiser seguir ou não no curso que escolhi para você, o que me diz?.

-- você é tão patético pai, acha mesmo que pode me comprar tão fácil assim?.-- dou um gole no Whisky.-- não, não vou aceitar isso tudo em troca de minha felicidade, isso não importa a vocês? Me ver feliz?.

-- pense bem, pois se continuar com ela, nao terá esse luxo, e terá que se virar sozinho, pois nem sua faculdade pagarei, aí no zero quero ver se ela ficaria com você, e quanto a sua felicidade, se faço isso é pra te ver feliz.-- ele volta a dizer.

-- tudo bem, nao sou doente posso trabalhar, nao se preocupe com o que Emma irá achar, sou eu que vive com ela, e se quisse me ver feliz me apoiaria na unica coisa que pedi em toda minha vida.-- digo bebendo mais um gole.

Me levanto mas sinto tudo girar, será que peguei fácil assim a bebida? Perdi o foco de tudo e volto a me sentar e ouço.

-- pode entrar-- meu pai manda alguém entrar e me segura me levando ao quarto.-- vou providenciar que ela os veja,seja Convincente quando ela os ver.

--pai,oque está fazendo?-- digo com dificuldade.

-- isso é pro seu bem filho, irá me agradecer um dia.

Apago completamente depois de ouvir sua voz.

Acordo horas depois com uma forte dor de cabeça, olho as horas e era quase cinco da tarde, prometi que ia ver Emma pela tarde e precisava me apressar, meu corpo todo estava marcado com unhas e mordidas, olho meu estado e estou nu, me desesperei no mesmo instante me perguntando o que aconteceu, porque estou assim, meu celular toca mas não conseguia acreditar no que estava acontecendo, tentei lembrar o que houve mas depois de beber o último gole de whisky não lembro de mais nada, olho pro lado e tem um morena nua ao meu lado ela me olha com um sorriso satisfeito e tinha marcas pelo corpo todo também, fico a olhando e me condenando pelo que devo ter feito.

-- acordou meu amor.-- ela diz e tenta me beijar.

-- quem é você?-- a afastando de perto de mim.

-- poxa Yoongi, nao lembra que tivemos uma tarde quente? Você é ótimo.-- ela diz.

-- mentira, eu lembraria se tivesse tido algo com você.

Nesse momento a porta de meu quarto abre com força e vejo Emma com lágrimas nos olhos me olhando incrédula com a cena, seus olhos me condenaram, e a decepção era visível.

-- Amor..Eu posso explicar.-- eu disse e nesse instante vi seu pescoço roxo, e não era um roxinho ele estava todo roxo como se tivesse sido atacada por alguém, ela sai dali correndo e ouço a risada da piranha ao meu lado, visto meu moletom e vou descalço e sem camisa atrás de minha Namorada, estava vendo tudo embaçado ainda é não entendia porque, mas as lágrimas estavam tomando conta de meus olhos também abro a porta de meu apartamento e a vejo no corredor chorando vou até ela seguro seu braço, no mesmo instante ela vira um tapa em cheio em meu rosto, seguro seus braços a prendendo na parede e começo a chorar.

-- me escuta Emma, por favor me escuta.--ela se debatia.

-- escutar o que? Que foi erro? que não queria ter feito mas não aguentou? Ou que foi erro estar comigo que precisou ir pra cama com outra pra saber o que sente? Nunca esperei isso de você, eu confiava cegamente em você.-- ela diz em tom baixo pois não gostava de escândalos.

-- Amor por favor.-- começo a dizer.-- eu nunca faria isso.

--mas fez, e não me chame mais assim, Yoongi, não chame nunca mais assim.-- ela fala parando de chorar.

-- eu fui dopado Emma, isso foi armado, me ouve meu amor, não sei como ela veio parar aqui.

-- claro, dopado, essa eu nunca ouvi, me solta Yoongi.-- ela diz controlando o choro.

-- não, se não você vai embora.-- digo.

-- me solta.-- ela me olha seria.-- anda.

A solto e ela tira a aliança e tira o colar que havia dado.

-- Emma...-- digo.

-- de a moça que tá lá, faça dela seu novo brinquedo, porque eu to fora.-- ela volta a chorar.-- acabou Min Yoongi..-- a seguro novamente e quando vou beija-lá ela vira o rosto e se solta.

Ela vai em direção ao elevador e eu fico a olhando partir, ela não deu chance pra que eu me explicasse, simplesmente nao acreditou em mim, nao a culpo, nao sabia o que dizer pois nem eu sabia o que estava acontecendo, aperto forte nossa aliança e choro ainda mais, volto ao meu apartamento e me sento no sofa, nunca me senti assim, com sensação de perda no coração, destruído por perder a única mulher que eu mais amei, e única que fiz planos de viver uma vida inteira, e por vacilo meu perdi ela.

-- docinho posso fazer algo?-- ouço a voz daquela mulher.

-- some da minha frente.-- digo sem olha-la.

-- mas é que você..-- eu me levanto a pegando pelo braço e eu mesmo pondo pra fora.

--me desculpa Yoongi... me desculpa.-- ela diz chorando.

Bato a porta com força e vou ao meu quarto tentava lembrar o que aconteceu, o que foi mesmo que eu fiz mas não conseguia, tinha um bloqueio e esse bloqueio começava no momento em que conversava com meu pai.

Visto uma roupa e pego a Chaves do carro, precisava me explicar pra Emma de qualquer forma, e vou direto ao estacionamento.

Chegando no prédio ia passar direto mas o porteiro me barrou.

-- sou o namorado da Emma você me conhece- digo.

-- sim eu sei Yoongi, mas a pedido dela sua entrada está proibida.-- ele diz.

-- Por favor senhor eu preciso subir.-- tento convencer.

-- me desculpe mas ela foi clara, disse que não era pra deixa-lo subir e nem avisar quando viesse.-- ele me olha envergonhado saio dali totalmente transtornado, volto ao meu carro e choro ali, choro por estar tudo desmoronando e me sinto completamente sozinho, e tudo que eu queria era um minuto com minha Namorada.

Ouço batidas na janela de meu carro e vejo Millan, destravo a porta e ele entra no banco carona.

-- pode me contar porque Emma chora sem parar? Ela tá com sinal forte no pescoço, bateu nela?.-- ele pergunta.

-- não, nao faria isso com ela, que tipo de homem acha que sou?-- digo incredulo--me ajuda a subir cara por favor.-- imploro a ele.

-- não, nao antes de me dizer o que tá acontecendo, Charlotte ta querendo te matar irmão.-- ele diz.--achei estranho, ela ta machucada e diz que não aguenta mais essa vida.

-- foi tudo um mal Entendido, estava na minha casa com meu pai, tomamos um copo e whisky e depois disso acordo na cama com outra mulher.-- digo e posso ver seus olhos me condenando.

-- como? Foi pra cama com outra? E vem me dizer que não sabe como aconteceu?-- altera a voz.-- Yoongi o que te deu? Fazer isso com ela? 

-- não lembro como ela foi parar na minha cama como disse estava sozinho com meu pai..-- volto a chorar.-- Emma viu e não me deixou explicar, terminou comigo antes que eu pudesse dizer algo.

Sinto sua mão me confortando,e desabo ainda mais em prantos, tudo que precisava era ser convincente a mim mesmo mas como disse nem eu acreditava nas minhas explicações.

-- assim não posso te ajudar, essa história me soa mentirosa, sei que você seria incapaz de fazer isso com Emma, mas, da forma que me conta, não irá conversar ela e por enquanto se afaste ela não quer te ver.-- ele diz.-- pode deixar que vou cuidar dela, vou te dar todas informações, mas enquanto isso lembra o que aconteceu só assim posso te ajudar, pode contar comigo pois estou do seu lado.

Ele sai do carro voltando novamente pra dentro do prédio, ele tinha razão, preciso lembrar o que aconteceu tenho que lembra nem que seja uma pequena coisa, foi que lembrei da moça que estava comigo, precisava encontrar ela só então saberia a verdade, seus olhos estavam triste e ela me pedia desculpa, mas porque? Se ela não tem culpa.

Dou partida e sigo novamente para meu apartamento, estava perdido em pensamentos, lembrando de Emma, pensando na vez que a vi a primeira vez, em como ficou encantada comigo por ter a defendido, em sua calma ao me explicar o conteúdo que perdi nos dias que faltei, em sua forma carinhosa ao falar comigo, em nosso passeios e nosso primeiro beijo, dirija chorando, ao lembrar de nossa primeira vez, quando eu a tornei minha, e agora não a tenho, isso me deixava totalmente destruído, estava perdendo não só Emma mas tudo de bom que me tornei por ela.

-- Emma...-- digo e ouço buzinhas em minha direção, por descuido passei para outra faixa e estava vindo de encontro a mim uma mini van, tentei entrar na pista certa mas foi tudo rápido demais e apenas vejo um clarão em minha frente, seguro firme o volante e vejo meu carro dar várias voltas até que eu perca totalmente a consciência.

-

Abro os olhos e estava deitado num gramado verdinho, o sol brilhava, e fico confuso, pois estava anoitecendo quando sai de casa, ouço buzinas e gritos mas olho para todos lado e apenas vejo um campo infinito, grito pra me tirarem daqui mas ouço apenas vozes desesperada em volta sinto uma forte dor no peito como se ondas de choque percorresse todo meu corpo, me ajoelho e dor e mas uma vez sinto essa dor e vejo um clarão.

-

Volto a consciência e sinto meu corpo todo doer, vejo quatro pessoas em volta de mim, estava de azul e se mexiam rapidamente e falavam alto.

-- ele voltou a consciência,rápido pois se ele tiver outra parada cardíaca não vamos poder salva-lo.-- ouço uma voz masculina olho para o lado e vejo Emma sorrido, ela segura uma criança no colo.

-- Emma, Emma.-- falo mas minha voz saia tão falhada que duvido ela ter escutado, queria saber de quem era aquele bebê.

-- calma querido estamos chegando, fique Comba gente.-- ouço uma mulher falar e olho pra ela, sorrio ao ver Emma.

-- Emma, volta pra mim Emma.-- digo.

-- ele tá delirando.

Depois disso paramos e sou tirado dali de dentro e vejo Emma novamente ficando pra trás choro ao ver ela me deixando mais uma vez e vou ouvindo vozes bem longe, minha visão estava longe e fecho os olhos novamente.

Acordo num quarto totalmente branco, meu pai me olhava de Longe e minha mãe chorava ao meu lado.

-- o que houve?-- digo tossindo em seguida.

-- Filho, você acordou.-- minha mãe diz emocionada.

--o que to fazendo aqui?-- pergunto.

-- você bateu o carro meu amor, ficou dois dias inconsciente, nos dando esse susto.-- ela diz.

-- cade Emma?-- pergunto.

-- esqueça essa garota, foi culpa dela estar nessa situação.-- meu pai diz depois de ficar tanto tempo calado.

-- Emma é minha Namorada pai, eu preciso dela... eu preciso dela aqui comigo pai.-- digo segurando o choro.

No mesmo instante passo a lembrar o motivo de Emma não estar não meu lado, meu coração doi tanto, que por um minuto desejei a morte pra não sentir essa dor que estou sentindo.

As horas vão passando e meus pais puxam assunto, mas pra mim o que realmente importa é sair daqui e poder me explicar a minha Namorada, como me falaram estava aqui a dois dias então ela deveria ter se acalmado.

-- isso foi pro bem dele? Olha onde ele esta.-- ouço essa frase de minha mãe e logo lembro das palavras de minhas de meu pai.

"Entre" "seja convincente quando ela chegar" "isso é pro seu bem"

Lembro que fiquei assim depois de beber o Whiske que meu país me deu, fico Em silêncio e de olhos fechados para tentar lembrar se fiz algo com ela mas apenas lembro do que a moça falou.

"Não se preocupe não irei abusar dele"

Preciso ir além com essas lembranças, preciso lembrar mais e mais do que aconteceu, mas por estar de olhos fechado acabo ouvindo uma conversa de meus pais.

-- já disse a ela o que teria que fazer, e ela me desafiou é claro, essa moça se mostrou um verdadeiro problema.-- minha mãe diz

-- mas depois do que ela viu não precisaremos mais nos preocupar.-- meu pai diz

Se preocupar com o que? E de quem estavam falando?

-- Senhor e senhora Min, pode nos dar licença para examinar o filho de vocês?

O médico chega os tirando da sala no momento errado precisava saber sobre o que e quem falavam, e ao ouvir a porta abro os olhos.

-- Senhor Yoongi como se sente?-- ele pergunta.

-- sinto dores na cabeça ainda, doutor posso te fazer uma pergunta?-- pergunto a ele.

-- claro..

-- no meu exame de sangue deu alguma alteração?-- lembrei que se estivesse sido dopado aparecia no sangue.

-- ainda não vi mas quando tiver o resultado aviso seus pais -- ele diz.

--tudo bem, não esqueça, me senti tonto e com a visão falha antes do acidente.

-- isso é bom saber, tudo de estranho que sentiu naquele dia, por ter ficado dois dias inconsciente pouco o examinei.-- ele era calmo e muito gentil.

Se eu tivesse sido dopado meus pais seriam os primeiros a me informar e era o necessário pra pegar aquela safada que apareceu na minha cama e a fazendo confessar que foi tudo armado por ela  e Emma iria me perdoar, mas o que me atormenta é como ela apareceu? Será que meu pai pois ela lá? Lembro dele falando com alguém. Respiro fundo e dou risada, meu pai seria incapaz de me ferir gravemente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
E próximo vai ser narrado pela Emma normalmente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...