História Hold On - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Matthew Espinosa, Shawn Mendes
Personagens Cameron Dallas, Matthew Espinosa, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Cameron Dallas, Drama, Matthew Espinosa, Romance, Shawn Mendes
Exibições 16
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Never Be Alone


Nina

 

Todas as roupas do meu armário estavam em cima da minha cama enquanto Sofia olhava freneticamente peça por peça a procura de algo decente. Ela tinha me feito aceitar ir a uma festa com ela e enquanto reclamava que eu não a ajudava escolher as roupas que nós usaríamos, eu me pegava pensando no Shawn, que também estaria lá, provavelmente fazendo parte de algum plano da minha amiga para nos aproximarmos mais. 

– Você realmente não esta nem ai para o que vai vestir hoje, né? – perguntou.

– Depois eu acho algum vestido.

– Veste esse. – e me jogou um vestido vinho soltinho que eu nem sabia que existia entre minhas roupas.  – E, por favor, tenha um encontro decente com o Shawn. Você ainda não sabe nada dele, eu nem acredito!

Na última vez que encontrei com o Shawn, ele me levou ao teatro onde nos conhecemos e eu tinha ficado um pouco curiosa para saber mais sobre a vida dele. Era estranho não fazer idéia sobre várias coisas em relação ao Shawn, porque ele parecia me conhecer de verdade, mas eu torcia para que o tempo pudesse mudar a situação e trazer oportunidades para que isso acontecesse. Talvez essa festa ajudasse nisso.

 

Estava bem cheio, algumas pessoas vinham conversar comigo como se nada tivesse acontecido, talvez até mesmo nem soubessem do meu acidente, e outras se lamentavam pelo ocorrido me desejando melhoras, porém a maioria das pessoas presentes naquela festa eram desconhecidas, ou claro, apenas não me lembrava delas.

Shawn estava totalmente feliz. Usava uma jaqueta preta que o deixava com uma cara mais ousada e era impressionante o quando ele sorria a maior parte do tempo, talvez por saber que seu sorriso era bonito, ou apenas por ser uma pessoa de bem com a vida, em alguns momentos eu até o pegava fazendo algumas dancinhas fora de ritmo. Gostava daquilo, ele tinha uma energia boa e estar ao lado de alguém assim era incrível. 

Apesar de não reconhecer a maioria das pessoas na festa, pela primeira vez desde o acidente me senti a verdadeira Nina, não me questionava sobre como agir ou como a Nina do passado agiria, eu estava sendo somente a Nina do presente e não fazia ideia de quanto tempo aquela sensação maravilhosa tomaria conta do meu corpo, mas  sentia que devia aproveitar. 

– Cameron! – Shawn gritou acenando quando viu um garoto.

O olhar dos dois se encontraram e ele veio em nossa direção. 

– Olha quem saiu de casa! – disse para mim.

– Nina, esse é o Cameron. Ele é sem graça assim, mas você até o aturava às vezes. – disse Shawn nos apresentando. – Ele é um dos meus melhores amigos.

– O melhor cara, nem vem.  

Esse era Cameron Dallas. A única coisa que vinha em minha mente era “boy da minha melhor amiga”. Ele era bem bonito e parecia ser o tipo que se dava bem em todas as partes da vida. Sofia ficou nervosa com sua presença e eu gostaria de saber se isso sempre acontecia, porque se sim, era totalmente impossível ninguém nunca ter desconfiado dessa paixão platônica que ela sentia por ele.

Depois de conversar um pouco comigo, Cameron se afastou com Sofia me deixando sozinha com o Shawn. Tinha entendido que essa era hora de ficarmos juntos e eu poderia aproveitar para saber mais sobre ele. 

– Você quer beber alguma coisa? – perguntou. Afirmei que sim balançando a cabeça.

Logo quando trouxe as bebidas, nos distanciamos de toda a festa e sentamos em um banco onde era possível ouvir muito pouco da música que tocava.

– O Cameron parece ser alguém bem legal. – disse quebrando o silêncio.

– É ele é. – Shawn falava olhando para seus pés. 

– Olha, sinto que devo te pedir desculpas por nunca ter perguntado nada sobre você, acho que fui egoísta em vários aspectos desde que sai do hospital e ainda mais com todo esse lance de memória. – disse

Shawn continuou olhando para os seus pés por alguns segundos, quando levantou sua cabeça me deu um de seus sorrisos. 

– Nunca é tarde para recomeçar.  Acho que talvez você esteja começando até a gostar de mim e já deixo claro, não tem volta. – brincou se gabando.

Fingi não ter escutado o que ele tinha acabado de falar, mas com toda certeza minha cara demonstrava que eu tinha ficado sem graça.

– Já sei como nos conhecemos agora você podia me contar todo resto, não somente de nós, mas sobre você também, sua vida. – disse por fim tentando mudar de assunto. 

 

Não sabia quanto tempo tinha passado, se foram minutos ou horas, mas eu não conseguia ver o tempo passar enquanto conversava com o Shawn. Ele era fofo e animado, tudo ao mesmo tempo, o que me deixava encantada e durante aquela conversa eu via o motivo de tantas fotos no mural do meu quarto e no porque namorava ele. Ele era incrível. 

Shawn falava do seu amor pela música, motivo de ter ido cursar a faculdade de Música, contava das coisas que tínhamos vividos, não escondia os momentos ruins pelos quais tínhamos passados e eu adorava ouvir tudo. Tinha também uma irmã mais nova, que ele dizia que sentia minha falta e não via a hora de me encontrar. Enquanto falava dela de uma forma muito carinhosa, percebi que ele amava demais a irmã, que eu já imaginava sendo uma versão feminina dele, com a mesma dose de fofura.  

 

Quando resolvemos ir embora da festa, Sofia já não estava mais lá e o Cameron conversa num grupinho com três meninas. Nos despedimos dele e Shawn se ofereceu para me levar até em casa. Conversamos um pouco mais no caminho e chegando lá o convidei para entrar. Apesar de já estar bem tarde, as luzes estavam acessas denunciando que meus pais ainda estavam acordados. Minha mãe não escondeu toda a alegria que sentiu quando nos viu juntos.

– Vocês dois!  – ela disse. Sua respiração mostrava que ela tinha saído correndo de algum cômodo da casa.

– Nos divertimos bastante se é isso que quer saber. – falei rindo.

– Isso é maravilhoso! – ela nos observava com uma expressão de orgulho. – Bom, vou deixar os dois sozinhos. Tchau Shawn! Juízo hein vocês! – disse já subindo as escadas. 

– Vem. –  o puxei pelo braço.

Subimos para o meu quarto. Quando entramos nele o primeiro lugar que o Shawn olhou foi para o meu mural de fotos. Pareceu gostar de saber que eu não tinha me livrado daquilo.

– Essa foi de quando completamos três meses de namoro. – falou tocando em uma foto nossa.

– Nós estávamos juntos há quanto tempo? – perguntei temendo a resposta.

– Em uma das semanas que você esteve no hospital, completamos um ano.

Um ano era bastante tempo, temia ainda mais a resposta da próxima pergunta, mas eu tinha que saber. 

– Durante todo esse tempo nós já fizemos "aquilo", né? – quando terminei de perguntar cobri meu rosto com as mãos, muito envergonhada.

– Se eu entendi seu “aquilo”, sim. Não sei como é pra você não lembrar, mas...

– É estranho não me lembrar de um momento tão íntimo. Talvez tenha sido um dos momentos mais importantes da minha vida. – lamentei

Sentei na cama e Shawn sentou ao meu lado.

– Isso vai passar você vai ver, logo vai recuperar todas as suas memórias, sério. – ele pegou em minha mão.

– Você sabe que isso pode não acontecer né? Não quero viver uma ilusão, sei lá. Tenho medo disso tudo.

– Vamos ter fé e se caso você não recuperá-las eu vou te ajudar com tudo, juro, você nunca estará sozinha.

Me aproximei ainda mais do Shawn, algo dentro de mim naquele momento o queria. Desejava beijá-lo. Não sabia se ele desejava aquilo também, mas esperava sinceramente que sim.  

A resposta veio logo em seguida e nem tive muito tempo para pensar.

Nos beijamos.

Seu beijo era leve e calmo e eu só pensava em poder morar naquilo tudo. Quando paramos de nos beijar, Shawn encostou sua testa na minha.

– Eu te amo tanto. – ele disse. – Te amo muito, muito mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...