História Holly Cross Academy Magic - Interativa - Capítulo 14


Escrita por: ~ e ~Marisay

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 39
Palavras 4.754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Transsexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


UHHHHHUUUUUU!!!!!!! CHEGUEEEEEEIII
Desculpem não postar ontem, não postei porque não tinhe feito o cap ainda
E vou falar mais, quando eu fiz um resumo desse cap eu chorei muitoooooo,
Escrevendo esse cap chorei mais um pouco, na revisão chorei também. Não sei
se voces vão chorar, mas eu sou muito sentimental com os meus persoangens que eu escrevo
então já viram!
Chega de enrolar! Vamos ao capítulo!!!

Capítulo 14 - Os Arcanos


Pov. Narrador.

Já passava das oito da noite, o céu noturno coberto de estrelas com a lua crescente iluminava a noite. O time Nightmare ainda estavam na barraca de Sir Wally. O cavaleiro custava a acreditar na história que acabou de ouvir.

-Sabe... é muito difícil imaginar que adolescentes conseguiram vencer um domador tão famoso como Quintus e ainda vencer diversos goblins. – Wally disse com um olhar sério.

Leona o encarou seriamente não gostava que as pessoas duvidassem de suas vitórias.

-O senhor pode não acreditar, mas nós conseguimos vencer o Quintus e os Goblins trabalhamos em equipe. – Disse Leona mais séria que o habitual.

-E a explosão? Vocês têm noção do que a explosão causou o palácio das estrelas está a salvo por um triz em compensação a rota seis está toda destruída. – Disse Wally sério.

-Não tivemos culpa da explosão. – Respondeu Leona.

-E Quintus se explodiu sozinho? – Perguntou Wally irônico.

-Ele estava marcado com uma magia explosiva. – Disse sora normalmente.

-E vocês perceberam a tempo de se protegerem certo? – Perguntou Wally sério.

-Sim. – Respondeu sora.

Wally encarava o mago, todos os homens que mandou atrás do domador retornaram gravemente feridos e esses moleques haviam vencido Quintus em uma batalha! Isso era imperdoável.

-Isso não vai nos levar a nada. – Disse Nazumi normalmente.

-O que você sugere então bardo? – Perguntou Wally.

-Ligue para a diretora Margot. – Disse Nazumi.

-Sim, ela vai explicar nossa missão. – Disse Amy sorrindo.

Wally concordou, pegou uma tela comunicativa e fez a ligação para Margot. Esperou por alguns segundos até a mulher negra aparecer na tela.

-Oh! Wally que surpresa você me ligar. – Disse Margot sorrindo.

-Eu não liguei porque eu quis, eu tenho serias perguntas para você.  -Wally disse sério.

-Diretora Margot. – Tora disse sorrindo.

Ao ouvir a voz do alquimista o olhar da diretora ficou sério.

-O que você está fazendo com um dos meus alunos Wally? – Perguntou séria.

-Parece que finalmente recebi a sua atenção. – Disse Wally sorrindo.

-O que o Sr. Bloodster está fazendo ai? – Perguntou Margot novamente.

-Ele não está sozinho aqui. – Disse Wally.

Wall mexeu na tela e logo Margot apareceu no grande telão da barraca e pode ver os membros do time Nightmare, ela os analisou, viu que tinham alguns ferimentos, provavelmente da luta contra os goblins, mas se esse ferimento fosse feito por causa de Wally nem mesmo a Rainha de Azaroth seria capaz de segurar Margot.

-O que vocês estão fazendo aí? – Perguntou Margot normalmente.

Leona começou a contar a história novamente, sobre como ela e os outros enfrentaram cada goblin até chegar no palácio, onde enfrentaram um domador chamado Quintus. Contaram que fizeram algumas perguntas, Leona acho melhor não dizer sobre o cristal na frente de wally pelo que percebeu a diretora da academia e o cavaleiro da rainha não se dão bem, e contou que o domador disse que o time Harmony estava indo para uma armadilha que antes da última pergunta ele explodiu, causando uma destruição em massa.

-E porque vocês ainda estão aí? – Perguntou Margot curioso.

-Sir Wally não quer nos deixar ir atrás do time Harmony. – Disse sora sério.

Wally revirou os olhos.

-Ele acha que estamos envolvidos em algo a mais do que a missão que você nos deu. – Disse Nazumi.

-Oh Wally, não precisa reter os meus alunos só porque nenhum de seus homens foi capaz de ao menos derrotar Quintus em uma luta.  -Margot disse com um sorriso cínico.

Uma veia pulsou na testa de Wally, então a paladina sabia sobre seus cavaleiros que não retornaram.

-E você que quer que eu acredite que eles apenas enfrentaram Quintus ao acaso? Que a missão deles era apenas matar goblins!? Eu conheço você Margot, você é ardilosa nunca mandaria seus alunos em uma missão tão simples! – Disse Wally.

Leona e os outros sentiram um frio na espinha, será que Wally sabia o real motivo da missão e por isso não quer deixar eles irem embora até que eles revelem a verdade? O time Nightmare encara a diretora que está com um olhar indiferente ao que ouviu, não parecia preocupada.

-Você não me conhece realmente wally, acha que se eu soubesse que Quintus estava por trás dos goblins mandaria os meus alunos a um embate às escuras sem saberem de nada? Nunca colocaria meus alunos em risco. Você só está com raivinha por que meus alunos foram melhores que seus homens. – Margot disse séria e continuou. – Agora você vai deixar os meus alunos irem embora, não há motivos de continuar segurando eles.

Wally engoliu a raiva ela estava certa, tudo que queria saber dos acontecimentos que ocorreu ali, já soube dos alunos.

-Eles podem ir quando quiserem. – Wally disse a contragosto.

-Isso! – Exclamou Tora animado.

Leona e Amy deram um sorriso contido.

-Vamos atrás do time Harmony o mais rápido possível. – Disse sora normalmente.

_sim! – Exclamou Nazumi.

-Esperem. – Margot disse séria.

Todos se calaram ao ver a expressão de Margot.

-Vocês não estão autorizados de irem atrás do time Harmony. – Disse Margot séria.

Todos ficaram surpresos ao ouvir a fala da diretora até mesmo Wally.

-O quê!? – Perguntou Tora incrédulo.

-Você ouviu o que nós contamos? – Perguntou Sora incrédulo.

-Eles estão indo em uma armadilha. – Disse Nazumi séria.

-Pelo que entendi Quintus que contou isso a vocês e ele pode estar simplesmente blefando. – Margot disse sorrindo.

-Mas ele pode estar falando a verdade.  -Continuo Tora.

-Leona. - Margot falou séria.

A guerreira da tribo P’adul olhou para a diretora que a encarava séria.

-Se o time Harmony ouvisse que você e seu time estavam perigo e viessem em seu auxilio, no meio da missão onde vamos deixar claro que vocês estão indo muito bem o que você acharia sobre isso? – Perguntou Margot com um olhar sério.

Leona pensou em silencio, se quaisquer pessoas viessem em seu auxilio em meio a sua missão que estava indo bem, ela ficaria furiosa, não gostava de receber ajuda, muito menos ajuda que não foi chamada, era praticamente dizer que a pessoa não confiava em suas habilidades.

-Eu ficaria furiosa e rejeitaria a ajuda. – Leona disse de forma simples.

-E por que você faria isso? – Perguntou Margot com um sorriso doce no rosto.

- Por que ao meu ponto de vista a pessoa não estaria acreditando nas minhas habilidades como guerreira, nem na habilidade do meu time. – Disse Leona entendo o que a diretora estava dizendo.

-Agora se vocês forem ao encontro do time Harmony só porque um criminoso disse que eles estão em perigo como eles reagiriam isso? – Perguntou Margot a todos.

O ambiente ficou em completo silencio. Todos pensavam em como ficariam chateados caso alguém se intrometesse em sua missão só porque ouviram alto que eles estavam em perigo.

Ao ver que todos estavam refletindo e chegando na mesma conclusão Margot voltou a falar.

-Acreditem no time Harmony eles também são membros da academia e possuem grandes habilidades e o líder deles é o Ethan se ele percebesse que algo está errado ele claramente ligaria para mim e para vocês para nós ajudamos. – Disse Margot sorrindo.

-A diretora tem razão o loirinho nunca deixaria de nos comunicar se estivesse em perigo, ele é esperto e zela pela vida de todos. – Disse Amy de forma tediosa.

-Charli teria me ligado.  -Disse sora pensativo.

-A minha Nana também. – Disse Tora sorrindo.

-E o Nicholas também. – Nazumi disse baixinho.

-Viram? Não com o que se preocupar. Agora voltem para a Downfall descansem o resto da noite para que amanhã cedo vocês retornem para a academia.  -Margot disse sorrindo e encerrou a ligação.

O Time Nightmare saiu da barraca de Wally e conversaram entre si para saberem se acatariam ou não a ordem da diretora. Leona deu o veredito final dizendo que eles deveriam conversar no outro time, com esse encerramento, eles voltaram para a cidade de Downfall e foram para a hospedaria de mais cedo, onde foram para seus respectivos quartos e se deixaram adormecer.

 

--------------------------------------------------------X-----------------------------------------------------------------

 

Alexander e William chegaram na cidade Vondvald ainda de manhã. Eles andaram em silencio para não chamarem atenção e observavam a cidade. A cidade tinha uma grande ligação com a natureza ela era rodeada com diversas cascatas d’água. Apesar da bela aparência da cidade, os seus moradores andavam com expressões desconfiadas. William e Alexander se entre olharam e confirmaram que realmente estava acontecendo algo com a cidade, decidiram ir ao par para ver se descobriam algo.

-Oh viajantes! Faz tempo que não recebemos forasteiros. – Disse o dono do bar sorrindo.

William retribuiu o sorriso e Alexander apenas ignorou o mesmo.

-O que vão querer beber? – Perguntou o dono bar.

-Duas cervejas geladas. – Disse Alexander frio.

-É para já! – Disse o dono do bar se afastando.

-Você deveria se mais gentil com as pessoas e disfarçar melhor.  -Disse William sério para Alexander.

O paladino estava usando uma jaqueta de couro preta, camisa branca de manga curta por baixo da jaqueta, calça preta e botas pretas.

-Eu sou um assassino, não sou gentil com ninguém.  -Disse Alexander sério.

O assassino estava usando uma camisa de manga longa preta, calça preta, botas pretas e sobre tudo preto.

-Percebeu que há algo de errado com as pessoas aqui? – Perguntou William.

-Sim, aposto que tem a ver com o que Margot disse. – Respondeu Alexander sério.

O dono do bar chegou com duas canecas de cerveja.

-É uma bela cidade. – Disse William sorrindo.

-Ah nos orgulhamos muito disso, as cascatas dão um charme a mais na cidade. – Disse o dono do bar sorrido.

-Devem receber muito visitantes que vem até aqui para admirar as quedas d’água.  -Disse Alexander sério.

-Ah bom recebíamos muito visitantes, mas de um tempo pra cá é raro eles virem. – Falou o homem soltando um suspiro velho.

-E porque a queda de visitantes? – Perguntou William.

-A chegada de um general fez isso acontecer. – Disse o velho dono do bar.

-Como assim? – Perguntou Alexander.

-A chefia da segurança da cidade foi trocada e chegou um novo general ele é muito rígido e pune a todos da cidade, não quer saber se é morador ou não. Todos o evitam. – Disse o dono do bar.

-E vocês sabem qual o motivo da troca de chefes de segurança? – Perguntou William.

-Ninguém sabe aconteceu de um dia do outro, e por causa disso não recebemos muito viajantes que tem medo de serem agredidos, por isso eu peço para vocês tomarem cuidado aqui. Essa não é mais a bela cidade de Vondvald que todos conheciam. – Disse o velho os olhando preocupado.

-Tomaremos cuidado. – Disse Alexander sério e terminou de beber a cerveja.

William também terminou de tomar a sua pagaram a conta e saíram do bar.

-Um novo general hein. – Disse William desconfiado.

-Acho que devemos ir até o prédio de segurança para analisarmos o que está acontecendo. – Disse Alexander sério.

Os dois caminhavam lado a lado em silencio indo na direção do prédio de segurança. Enquanto andavam lembravam da conversa que tiveram com Margot alguns dias atrás.

Flashback On.

-Acho que está na hora de contar para vocês dois o motivo dessa competição e da formação dos times Nightmare e Harmony.  – Margot disse séria.

- O que você quer dizer com isso? – Perguntou William confuso.

Alexander ficou em silencio pois sabia que algo estava errado nessa história de competição para avaliar os alunos da academia.

-Então. – Disse Alexander sério.

-Vocês já ouviram falar do pesadelo de Jefh, certo?  -Perguntou Margot.

-Sim, se não me engano é um dragão antigo e poderoso que quase destruiu diversos reinos.  -Disse William normalmente.

-Uma lenda em que muitos já ouviram e que não acreditam mias. – Disse Alexander frio.

-Isso é que a maioria das pessoas acham. – Disse Margot normalmente.

-Como assim? – Perguntou William.

-A Holly Cross Academy Magic, foi construída pelo Mago Jefh que sabia que o seu pesadelo voltaria. Para proteger as gerações futuras ele fundou essa academia no intuito de preparar heróis que no futuro pudesse enfrentar seu pesadelo. – Anunciou Margot.

-E o que a criação dos times tem a ver com toda essa história? – Perguntou Alexander frio.

-Meses antes de pensar sobre fazer esse torneio na academia, Melandrin teve uma visão. – Disse Margot séria.

-Que visão? – Perguntou William.

-Ele viu uma pessoa erguendo o martelo de Azaroth e assim que a pessoa segurava o martelo diverso desastre caiam sobre Azaroth. – Anunciou Margot.

Alexander e William já ouviram falar sobre o martelo, era um item sagrado escondido onde ninguém nunca soube onde encontra-lo.

-Assim que a pessoa ergueu o martelo o pesadelo de Jefh apareceu e uma profecia diz que doze novos heróis seriam capazes de impedir os surgimentos de pesadelo de Jefh. – Margot disse séria.

-E você acha que aqueles dez pirralhos vão ser capaz de fazer isso? , você acredita nessa profecia?  -Perguntou Alexander.

-Não sei se eles vão ser capazes disso, mas eles têm um grande histórico por trás de suas habilidades. E sim eu acredito na profecia. – Disse Margot sorrindo.

-Mas não está faltado mais dois alunos? – Perguntou William.

-Não. – Negou Margot sorrindo e continuou. – Melandrin previu que dois heróis da profecia na seriam alunos e sim pessoas de fora.

-Você acha que somos nós? – Perguntou Alexander.

-Sim, vocês nunca foram alunos da academia e agora s~~aos professores da mesma e são muito habilidosos. – Disse Margot.

-Então os times Harmony e Nightmare foram criados visando ser capaz de deter o pesadelo de Jefh? – Perguntou William.

-Sim. – Disse Margot.

-E as missões foram escolhidas para eles treinarem suas habilidades acredito. – Disse Alexander sério.

-Sim, mas tem um mais um motivo e está relacionado ao martelo de Azaroth, o martelo para ser ativado são necessários três cristais, eu sei do paradeiro de dois. – Disse Margot séria.

-Esses lugares seriam a cidade de Downfall e a Floresta Prateada. – Disse William pensativo.

-Sim a aparição de goblins na cidade de Downfall e a morte aparente da floresta prateada deve estar relacionado ao martelo. – Disse Margot.

-Então eles terão mais que uma missão.  – Disse Alexander calmo.

-Sim e vocês também.  -Disse Margot sorrindo.

-Como assim nós também? – Perguntou William.

-Baba e Melandrin tiveram visões com a cidade de Vondvald nada muito claro, mas eles sentem certa energia por lá.   -Disse Margot.

-E vocês acham que é outro cristal que há lá?  - Perguntou Alexander.

-Não temos certeza, por isso mandaremos vocês dois para averiguar o lugar ver se há um cristal por lá, mas caso sintam que é perigoso vocês devem voltar imediatamente. – Disse Margot.

-Se é assim que você quer.  -Disse William dando um sorriso para diretora.

-Não objeções, vou falar com meu time e falar da nova missão deles.  – Disse Alexander sério e se levantando.

-Faça isso por favor. – Disse Margot sorrindo.

O assassino confirmou com a cabeça e saiu da sala.

-Irei fazer o mesmo. – Disse William s levanto animado e saindo da sala.

Flashback off.

Os dois saíram de suas lembranças com uma gritaria que chamou a atenção dos dois.

-Onde está o meu pai?! – Exclamou um garoto.

O garoto deveria ter uns nove anos.

-Hm? – Perguntou um dos guardas.

William percebendo o que está acontecendo começou a prestar atenção no que acontecia.

-Se acalme William, você não vai poder fazer nada mesmo. – Disse Alexander sério.

-Para onde vocês levaram o meu pai?  -Perguntou o garoto chorando.

-Ah, esse é irritante que nem o pai.  -Disse outro soldado.

O garoto continuou chorando chamando a atenção de todos.

-Se você não parar de chorar eu vou fazer você parar. -Disse outro soldado pegando uma faca e apontando para o garoto.

-Ele vai matar a criança? – Perguntou uma pessoa.

Assim que ele baixou a faca, mais rápido que um relâmpago, William apareceu na frente dos guardas vestindo sua armadura douras e segurando a espada golpeando os quatro guardas de uma vez.

-O que é isso? – Perguntou um homem confuso com o que estava acontecendo.

-Não se preocupe, vai ficar tudo bem. – Disse William para o garotinho.

-Merda. – Disse Alexander sério.

-Ora parece que estamos com visitas. – Disse uma voz a frente deles.

Nem Alexander nem William poderiam dizer de onde surgiram aquelas sete pessoas. Pela aparência os sete deveriam estar na casa dos vinte anos.

-Eu sou Cyan. – Disse mais baixo tinha os cabelos azuis claros e olhos da mesma cor, usava uma camisa branca de manga curta com detalhes azuis, calça preta e calçados azuis.

-Eu sou Purple. – Disse o mais alto deles que deveria ser do tamanho da Leona. Tinha os cabelos de cor roxa na altura dos ombros, olhos da mesma cor, pele branca. Usava uma camisa regata branca, calça preta com detalhes roxos e sapatos pretos.

-Yelow. – Disse o mais alegre. Tinha os cabelos loiros bem penteados, olhos cor de caramelo, tinha uma ´pele bronzeada, lembrava um modelo, usava uma camisa de manga longa branca, calça reta e botas pretas.

-Por que vocês estão se apresentando para esses idiotas? – Perguntou um moreno alto, ele tinha cabelos azuis escuros, olhos azuis escuros, era um dos mais altos perdendo apenas para o Purple. Usava uma camisa de manga preta, calça preta e sapatos pretos.

-Blue, os nossos futuros oponentes devem saber quem os derrotou, e pôr a caso eu me chamo Green. – Falou outro de cabelos verde escuro, olhos verdes e pele clara. Usava uma camisa branca com detalhes verdes, calça preta e sapatos brancos.

-Eu não gosto de admitir mas concordo com o Blue. – Disse um de cabelos vermelhos escuros curto, olhos vermelhos e pele branca, usava uma camisa regata preta, calça branca e sapatos pretos.

-Red você concorda com o Blue porque ambos têm um cérebro que só pensa em lutar e em nada mais. – Disse um de cabelos vermelhos, olhos alaranjado pele branca, provavelmente era o líder entre os sete. Usava uma camisa de manga longa branca, calça branca e botas brancas.

- Orange. – Disse o de vermelho mais baixo e com um sorriso frio no rosto. Os sete cercaram Alexander, William e o garoto.

Wiliam levantou a espada e ficou em posição de ataque para defender o garoto. Ao ver a ação Orange sorriu.

-Do que está rindo? – Perguntou William sério.

-De você defendendo esse moleque, você já pode ir Iago. – Disse Orange de forma fria.

Ao ver a cena Alexander só pode pensar em uma coisa armadilha. O assassino jurava em sua mente que mataria aquele garotinho com as próprias mão quando o visse novamente.

--------------------------------------------------------------X--------------------------------------------------------

Melandrin e Baba encaravam Margot com um olhar questionador a diretora que já estava ficando incomodada com esses olhares em si.

-O que vocês querem me perguntar? – Perguntou Margot impaciente.

-Queremos entender o que fez você agir desse jeito. – Disse Melandrin calmamente.

-Desse jeito como? – Perguntou Margot sem entender.

-Por que não deixou Leona e o seu time irem trás do time Harmony? – Perguntou Baba.

-Eu não vi necessidade disso.  -Disse Margot normalmente.

-O que você quer dizer Margot? – Perguntou Melandrin.

-Confio nas habilidades daquele time assim como nas habilidades dos membros do time Nightmare. E eles tem um ótimo estrategista qualquer que for os empecilhos eles vão passar por cima. – Disse Margot sorrindo.

Melandrin e Baba ficaram surpreso com a declaração da diretora.

-E porque você está com essa cara pensativa? Não combina nem um pouco com você.  -Disse Baba rindo.

-Estou com um mal pressentimento.  -Margot disse séria.

-Sobre Ethan e os meninos?  -Perguntou Melandrin preocupado.

-Não, não tem nada a ver com o time Harmony ou Nightmare. – Disse Margot normalmente.

-Então é em relação a missão de Alexander e William?  -Perguntou Melandrin

Margot confirma com um aceno de cabeça preocupada.

Baba dá uma grande risada e fala.

-Aqueles dois são ótimos no que fazem, com certeza são os que menos temos que preocupar. – Disse Baba irônica.

-Você deve estar certa baba. – Disse Margot sorrindo.

A morena vai pegar sua xícara de chá e antes que tocasse a mesma se racha, Margot sente seu desperto crescer.

-Algo realmente ruim vai acontecer com aqueles dois. – Disse Margot aflita.

 

  ------------------------------------------------------------X----------------------------------------------------------

William e Alexander lutavam com todas as forças e rebatiam os ataques que vinham em sua direção. Blue lançou uma gigantesca onda d’água na direção deles.

William ergueu uma barreira dourada protegendo a si e Alexander.

Alexander enfrentava Purple que lutava com eletricidade e Green que usava magia de terra.  Green ergueu um grande pilar de Terra lançando Alexander no ar, logo Cyan apareceu no ar e lançou uma lufada de ar em Alexander o derrubando com força no chão.

-Não acabamos ainda.  – Disse Purple que lançou uma esfera elétrica que atingiu Alexander.

-Alexander! – Exclamou William preocupado.

-Você deveria se preocupar mais consigo mesmo. – Disse Yelow.

Ele lançou um feixe de luz que lançou William para trás, sem que percebesse Red estava atrás do paladino, o moreno tentou desviar mais viu que estava preso pelas correntes de Orange. Red disparou uma espiral de chamas em William que gerou algumas queimaduras no paladino que gritou de dor.

Com William ainda preso nas correntes Orange com uma força grande para alguém dos eu tamanho arremessou William para onde Alexander estava.

Os dois se levantam sem muitas dificuldades.

-Eles são arcanos.  -Disse Willian curando alguns de seus ferimentos e logo depois curando alguns ferimentos de Alexander.

-Eu pensava que vocês estavam extintos. – Disse Alexander alto.

-Aquilo foi apenas um disfarce. – Disse Blue sarcástico.

-Tínhamos algo maior em mente. - Disse Orange frio.

-Acho que não vão nos contar, né? – Perguntou William sorrindo.

-Não há necessidade de falar algo para alguém que já se encontra nas portas da morte.  -Disse Red sério.

Alexander e William voltaram a enfrentar os sete arcanos.  William enfrentava Yelow, Red e Orange enquanto Alexander enfrentava Blue, Green, Purple e Cyan. Eles acertavam alguns golpes, mas eram atingidos também. Se enfrentaram sem parar por mais de quarenta minutos. Os arcanos estavam com alguns cortes sangrando e ferimentos, mas não muito grave. Alexander percebeu que ele e William não poderiam vencer eles estando despreparado para o ataque como estavam, nenhum deles pensou em encontrar um arcano imagine sete deles. Seus níveis de magia estavam em um nível alto não conseguiriam vencer essa batalha se continuassem desse jeito. William acaba de ter o mesmo pensamento que o assassino ao seu lado eles teriam que pensar em algo para saírem dessa luta ou teriam sérios problemas. Os arcanos começaram a atacar com mais fulgor e atacavam se dar brecha alguma para o contra-ataque dos dois, não era mais uma luta de um contra três, era sete contra dois. Uma combinação de ataque de Red e Green foi tão forte que gerou uma explosão estrondosa.

Para a surpresa dos arcanos William e Alexander ainda estavam de pé, sangrando com diversos cortes e machucados, mais ainda de pé e com um olhar sério.

-Vocês estão durando muito mais do que os outros com quem lutamos. – Disse Cyan de forma calma.

-É um novo recorde. – Disse Yelow sorrindo.

-Vamos acabar logo com isso. – Disse Purple parecendo desinteressado.

-Você precisa fugir. – Disse William sério.

Ao ouvir o que o paladino diz o assassino ri de leve e encara William, mas seu sorriso some quando vê o olhar sério do paladino.

-Aquela cerveja, não fez bem para você. – Disse Alexander debochado.

-Estou falando sério, é uma das únicas chances de vencer. – Respondeu William sério.

-Eu não vou fugir. – Disse Alexander sério.

-Não vai me dizer que você não vai me abandonar por sermos amigos, está amolecendo Alexander? – Perguntou Willian sorrindo.

-Claro que não! Eu só não gosto de fugir e abandonar uma luta. – Disse o assassino sério.

O assassino sabia que estava mentindo, por mais que ambos tivessem muitas divergências de ideias o assassino achava o paladino uma boa companhia um bom companheiro de treinamento, por que não dizer amigo?

-A única chance de parar qualquer que seja o plano deles é você conseguir fugir e chegar na academia para informar a Margot sobre os arcanos. – Disse William.

-E por que você não foge? – Perguntou Alexander.

-Eu não conseguiria correr rápido com minha armadura ou esconder minha presença, diferente de você que é um assassino e suas roupas leves. – Disse William sorrindo.

Alexander queria se socar o paladino estava certo, tinha mais chances que o moreno para conseguir escapar.

-Me escuta Alexander, nós dois sozinho realmente não temos chances contra esses caras, eles possuem uma força magica muito maior que a nossa, o meu plano é você reunir os times Nightmare e Harmony com os dois times juntos e comandado por você acho que, não, eu tenho a certeza que podemos vencê-lo. – Disse William sorrindo.

Alexander pensa se deve aceitar a ideia de William, o paladino tinha razão a melhor chance de Margot fazer algo contra os arcanos é ele entregando todas as informações que possui, mas ele não se perdoaria de abandonar um companheiro. Cortando a linha desse pensamento William e Alexander sentem um grande poder mágico se aproximando, essa força é muito mais forte que a magia dos sete arcanos reunidos.

-O mestre está vindo. – Disse Green sério.

-Para saber o porquê estarmos demorando tanto. – Disse Red.

-Não temos mais tempo. – Disse William sério.

Alexander soltou um longo suspiro e fez um sinal positivo com a cabeça, William sorriu para o assassino.

O paladino se aproximou dos arcanos de forma direta, pegando os sete de surpresa, então soltou um grito e toda sua armadura e espada liberam um grande brilho dourando deixando todos cegos, Alexander viu que essa era a brecha que o paladino disse e aproveitou para sair do campo rapidamente.

Logo a magia luminosa se apagou, levou mais alguns segundos para os arcanos voltarem a enxergar direito.

-Onde está o assassino?  -Perguntou Orange olhando ao redor procurando Alexander.

-Ele fugiu! – Exclamou Blue irritado.

-Vamos atrás dele. – Disse Cyan calmo.

William entrou na frente dos sete arcanos e ergue sua espada dourada e os olhou com um ar severo.

-Só vão atrás dele passando por cima do meu cadáver. – Disse William sério.

-Será um prazer. – Disse Orange com um sorriso frio no rosto e colocando suas correntes para fora.

 

Alexander corria velozmente por entre a densa mata que o levava para fora da cidade com lágrimas silenciosas descendo o seu rosto, ele as limpou rapidamente, prometeu a si mesmo que voltaria e resgataria William custe o que custar. Assim que fez a promessa viu uma grande clarão e barulho de explosão.

O assassino parou e olhou para trás surpreso. William pensou o assassino, mas logo balançou a cabeça devia fazer o que haviam combinado, ele voltou a correr na direção da cidade de Enfys sem olhar para trás.

 

Uma grande cratera soltava fumaça na cidade de Vondvald.

-Ele deu mais trabalho que o esperado. – Disse Green arfando.

-Como esperado de um paladino dourado. – Disse Orange ´serio.

-Ele lutou bravamente.  -Disse Cyan.

Os sete arcanos observavam o corpo do paladino caído imóvel dentro da cratera, sua armadura dourada estava completamente destruída, o deixando usando as roupas do corpo que estavam em farrapos o moreno estava com diversos cortes pelo corpo e não se mexia, a frente do seu corpo estava a sua espada dourada cravada na terra.

-Toda essa bagunça por um simples paladino? – Disse uma voz grave.

Os sete arcanos se viraram na direção da voz e logo se ajoelharam em reverencia.

-General.  -Disse Orange frio.

-Ele que estava infiltrado? – Perguntou o general que mexeu no corpo de William com a ponta de sua bota.

-Não, tinha mais uma pessoa com ele um assassino. – Disse Green calmo.

-Ele fugiu da batalha com a ajuda do paladino. – Disse Purple calmo.

-Devemos ir atrás dele? – Perguntou Yelow.

-Não, devemos deixar que ele carregue a informação consigo, tenho a certeza que Margot mandará os melhores atrás de nós, e assim que nós matarmos os melhores alunos dela, a academia ficara em defesa e conseguiremos tirar Margot do poder. – Disse o general.

Orange olhou para o general pela primeira vez.

O general tinha os cabelos negros longos, olhos azuis e pele branca, usava uma armadura completamente negra e tinha uma espada presa a sua bainha.

-Se o general acha melhor assim. – Disse Cyan calmo.

-Minha vingança está quase completa, falta pouco para esmagar aquela maldita mulher. – Disse o general sorrindo.

-E está mulher é a Margot? – Perguntou Yelow.

-Não, Margot nem é uma mulher de verdade, estou falando daquela que é conhecida como mestra da cura, a sacerdotisa Serena Vermilion, eu vou destruí-la de dentro para fora, o primeiro passo é recuperar o martelo de Azaroth. – Disse o general sorrindo.

-O segundo é destruir a academia formadora de heróis Holly Cross Academy Magic.  -Disse Orange sério.

-E por fim, vou matar aquele que ela mais ama! O seu filho conhecido como príncipe celestial. Ethan Vermilion!!! – Exclamou o general sorrindo.


Notas Finais


NÃO ME BATAM!!!!
Deixei mais um suspense no ar, né não???
hahahahah.
Espero que tenha gostado de elr como eu gostei de fazer.
Fiz com muito caarinho. Até o próximo cap!
Beijinho de luz!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...