História Homem-Aranha: Ponto Cego - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Deadpool, Demolidor (Daredevil), Doutor Estranho, Elektra, Gavião Arqueiro, Guardiões da Galáxia, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Homem-Formiga, Motoqueiro Fantasma, Mulher-Aranha, O Incrível Hulk, O Justiceiro, Os Vingadores (The Avengers), Quarteto Fantástico, S.H.I.E.L.D., Thanos, Thor, Tocha Humana, Wolverine, X-Men
Personagens Akihiro (Daken), Anthony "Tony" Stark, Ben Grimm (O Coisa), Dr. Bruce Banner (Hulk), Edward Allen "Eddie" Brock / Toxina, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Flash Thompson / Venom / Agente Venom, James Buchanan "Bucky" Barnes, Janet Van Dyne (Vespa), Johann Schmidt (Caveira Vermelha), Johnny Storm (Tocha Humana), Logan (Wolverine), Mary Jane Watson, Matt Murdock, Mulher-Aranha, Mulher-Hulk (Jennifer Walters), Nick Fury, Pantera Negra (T'Challa), Personagens Originais, Peter Parker, Pietro Maximoff (Mercúrio), Reed Richards (Sr. Fantástico), Sam Wilson (Falcão), Scott Lang, Stephen Vincent Strange / Doutor Estranho, Steve Rogers, Susan "Sue" Storm (Mulher Invisível), Thor, Tia May, Venom, Victor von Doom (Dr.Destino), Visão, Wade Willson (Deadpool)
Visualizações 12
Palavras 2.826
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Finalmente um capítulo novo, não é memso Nilce?
Bem, como sempre, eis aqui mais um capítulo da vidinha de Markus Fronteira, espero que gostem, e nos vemos nas notas finais, falouwww!

Capítulo 3 - Garoto Vendado


-GAROTO VENDADO-

Por onde começo dessa vez, bem, deixa ver, talvez...
"Diário de Rorschach, 11 de Outubro de 1985..."
Não, não gosto dessa quebra de direitos autorais, nem desses Crossover de universos, bem, deixa eu ver, talvez devemos começar pela mudança...
Bem, era início do Verão e eu e minha mãe estavamos nos mudando para o centro de Manhattan, após a longa mudança e a arrumação da casa, tivemos finalmente alguns dias de descanso. Minha mãe decidiu se mudar pois seria mais perto da minha nova escola, sim, nova escola, a Midtown High (minha escola antiga), não tinha suporte a deficientes, tanto físicos quanto mentais, tô falando sério, um dia antes do Parker entrar como professor na escola, um aluno entrou com uma AK-47 e tentou matar todo mundo, ele dizia ter sido impedido pelo Homem-Aranha, considerando o estado do muleque, eu duvido muito. Até hoje me pergunto como um garoto consegue uma AK-47, bem, voltando ao assunto, eu fui transferido para outra escola, uma que atendesse as minhas necessidades, se bem que me virei muito bem quando salvei uma velhinha de um caminhão semana passada, é isso ai baby, o cegueta aqui ainda leva jeito pra coisa, se bem que foi bem estranho, eu tinha certeza que eu estava do outro lado da avenida quando de repente me "vejo" a mais de 15 metros de onde estava, em um piscar de olhos, e carregando uma senhora de 67 anos. Acho que estou perdendo o foco aqui, bem, o negócio é que, hoje é meu primeiro dia na nova escola e com sorte consigo passar uma semana sem me meter em brigas.
Bem, agora é hora de ir pra escola, no caminho vou ouvindo música e cantando com a minha mãe, que parece estar mais animada até que eu, pelo menos do que eu deveria estar, acho que eu deveria me preocupar mais com fato que eu consigo "ver" mesmo sem meus olhos, ou que recentemente eu tenho me sentido mais forte do quê o normal, ou talvez me preocupar com... Opa!! É minha música favorita!

Markus: Mãe!! Aumenta o som!

Mãe: Claro filho, você que manda...

Você deve estar se perguntando agora, "Mas Markus, você não estava tão depressivo no último capítulo, o quê aconteceu pra você estar tão feliz hein?", bem, eu escrevi o último capítulo 1 mês depois do quê aconteceu, e esse aqui eu tô escrevendo uns 4 meses depois que postei o primeiro, ou seja, 5 meses, minha depressão já foi pro inferno a décadas, bem, continuando a história.

Markus: I NEVER GONNA DANCE AGAIN! GUILTY FEET HAVE GOT NO RITHYM, THOUGH IS EASY TO PRETEND, I KNOW YOU'RE NOT A FOOL...

George Michael é um gênio...

Mãe: SHOULD'VE KNOW BETTER THAN TO CHEAT, AND WASTE THIS CHANCE THAT I HAVE BEEN GIVEN

Markus: SO I NEVER GONNA DANCE AGAIN...

Mãe: THE WAY I'VE WITH YOU OH-OH!

Markus: (Never without your love)

E foi basicamente assim que foi o caminho até a Honor High, exceto quando minha mãe abria a janela pra xingar algum motorista kamikaze, de vez em quando ela começava a xinga-los em espanhol, eu ria, ai ela percebia que tinha começado a perder a linha de novo. Quando chegamos, nem precisava da incrível habilidade de ver sem os olhos para saber que por qualquer pessoa que eu passava naquela escola, todos olhavam curiosos e começavam a cochichar sobre o GAROTO VENDADO...

Chegamos na sala do diretor depois de passar por vários corredores, aquela escola era realmente grande, chegando lá, eu juro que senti meu cérebro desligar quando o diretor Shaw começou a falar...

Sr.Shaw: Olá Srta.Fronteira.

Mãe: Por favor Sr.Shaw, sou uma mulher casada já, pode me chamar de Senhora.

Sr.Shaw: Ah, então onde estaria o Sr.Fronteira?

Mãe: Agora? Ele provavelmente deve estar no cemitério "Good Heaven", onde esteve nos últimos 7 meses, a 7 palmos de baixo da terra... *snif* *snif*

Minha mãe começou a chorar a partir daí

Sr.Shaw: Mil desculpas Sra.Fronteira...

Mãe: Sem problemas, é que as vezes não dá pra segurar... Bem, então, o quê queria nos dizer Sr.Shaw?

Sr.Shaw: Bem, então, eu estava faladno de como essa escola cuidará bem do seu filho e...

Bla, bla, bla, bla, bla... bla.

Ah, que chato, eu só queria morrer agora, meu deus que cara chato, ele nunca para de falar, ah....

Mãe: Ok então, entendo, então deixo meu querido Markus sobre seus cuidados senhor Shaw.

Sr.Shaw: Juro que não vai se arrepender...

Ai! Senti como se a voz dele estivesse me esfaqueado direto na vértebra...

Mãe: Ok, adeus filho, eu tenho que ir pro trabalho, eu venho te buscar o mais rápido possível, beijo.

Markus: Beijo mãe, tchau.

Mãe: Tchau.

Minha mãe sai da sala, sinto uma grande sensação de perigo, como se a qualquer momento alguém fosse jogar uma bomba na minha cara, talvez eu esteja só tenso demais, mas por quê eu tenho tanta certeza?

Sr.Shaw: Então Markus, pronto?

Markus: Pra quê exatamente?

Sr.Shaw: Oras Sr.Fronteira, para o seu ano letivo aqui na Honor High, o quê mais seria?

Markus: Ah, nada, ignora.

Sr.Shaw: Bem, acho que deveria te levar até sua sala, mas estou ocupado com algumas questões no momento, então peço que seja paciente.

Ele ligou um microfone e eu pude ouvir dos altos falantes ele dizer.

•Senhor Richards, compareça a diretoria•

•Senhor Richards, compareça a diretoria•

E em fração de segundos, um garoto alto e com um cabelo mais bagunçado que meu quarto entrou na sala e disse.

Franklin Richards: Chamou professor.

Sr.Shaw: Sim, gostaria que levasse meu amigo Markus até sua sala se não for um incômodo.

Franklin Richards: Claro Sr.Shaw.

Sr.Shaw: Franklin, você sabe que gosto de ser chamado apenas de Edgard, sem formalidades aqui.

Franklin Richards: Ok Edgard, vamos logo... qual o seu nome?

Markus: Markus Fronteira.

Disse me levantando e o encarando.

Franklin Richards: Meu Deus, o quê aconte...

Edgard: Frank, olha os modos.

Franklin Richards: Desculpa, vamos Markus.

Nos andamos por alguns minutos em silêncio, até que ele finalmente perguntou.

Franklin Richards: O quê aconteceu com o seus olhos?

Markus: Acidente, acabei me metendo no meio de uma luta entre super-seres e acabei pego em uma explosão.

Franklin Richards: Entendi.

Markus: Hey, qual o seu nome?

Franklin Richards: Franklin Richards, mas pode me chamar só de Frank.

Ufa. Agora o autor não vai precisar escrever esse nome enorme toda vez que você falar.

Markus: Perai, Franklin Richards? Quer dizer, que nem o filho do Sr.Fantástico e da Mulher Invisível?

Frank: É, odeio quando me lembram disso...

Markus: Por quê?

Frank: Não gosto de ser confundido por aquele maníaco manipulador de matéria.

Markus: Maníaco? Acho que você está confundindo ele com alguém...

Frank: Bem, não me importo mesmo... e é aqui, nossa turma.

Markus: Legal, estamos na mesma turma.

Frank: É, legal... Bem, eu tenho que ir agora...

Markus: Pra onde?

Frank: Educação física, eu até te levaria comigo, mas acho que você não iria poder participar, então acho melhor te deixar aqui mesmo, ah, e cuidado com a turma do Bryan, eles tem o costume de zuar com os calouros e não acho que eles pegarão leve só porquê você é cego.

Markus: Não se preocupe, tô acostumado a enfrentar valentões, e eu me tenho certeza que mesmo cego, eu posso me virar sozinho.


Frank: Ah, ok então, até Markus.


Markus: Até.


E lá foi ele, correndo, e aqui está minha sala, vazia, eu vou ficar sozinho aqui...


Markus: Hey, Frank, espera!!!


Ele parou e olhou pra trás.


Frank: Sim?


Markus: Deixa eu ir contigo, pelo menos assim eu não fico sozinho até a aula começar.


Frank: Tem certeza? Você ficaria sozinho de qualquer jeito, pois eu teria que participar então...


Markus: Não tem problema, eu só quero poder ouvir algum barulho e não ficar aqui nesse silêncio.


Frank: Ah, ok então.


E nos andamos por alguns corredores até que passamos por uma porta dupla que levava a um ginásio enorme, Frank me levou até a arquibancada, onde fiquei, e ele foi participar da "tortura" (de acordo com ele) que eram as aulas de educação física.


Bem, eu poderia ter passado o tempo sem fazer nada, mas claro, eu não poderia ignorar minha incrível habilidade de me meter em confusão. Como em todo clichê de história de super herói onde o fracassado ganha poderes, não que eu seja um fracassado, eu tive que me meter em uma briga com o valentão da escola, e em resumo, alguns dos "nerds" (que clichê fudido) vieram falar comigo, pois perceberam que eu estava vendado, eles me perguntaram o porque das faixas, como aconteceu o acidente, etc, coisas que qualquer um perguntaria, então chegou a hora do clichê, um dos valentões, não duvido que tenha sido o próprio Bryan, arremessou um bola na nossa direção, acertando o garoto a minha direita, então eu ouvi um deles dizer.


???: Ah, desculpa Tedzinho, a bola escorregou da minha mão, pode devolver pra mim? 


O garoto pegou bola e a jogou de mal jeito de volta.


Ted: Me deixe em paz Bryan!


Ah, parece que era mesmo o Bryan.


Bryan: Uh, tá nervosinho tá?


Ted: Vai se fuder seu otário!


Bryan: Que filho da puta. (Ele disse baixo e logo depois jogou a bola de volta com muito mais força)


Ted estava de costas e a bola iria acertar a cabeça dele. Bem iria, pois eu peguei ela bem a tempo e a arremessei de volta com o dobro da força. Deu pra perceber que ele segurou a bola com dificuldade.


Markus: Não ouviu quando ele disse que era pra deixa-lo em paz?


Bryan: E quem é você oh seu merda?


Markus: Me responde oh seu resto de aborto de Dragão de Komodo.


Bryan: Eu ouvi sim, só não quis obedecer. (Aposto que ele estava pensando "Dragão de Komodo?")


Eu comecei a me aproximar dele.


Markus: Mas eu acho que você deveria obedecer.


Bryan: Ueh, que porra é essa na sua cara, tá tentando esconder sua feiura?


Frank: Nada disso, é que ele é cego.


E lá estava ele, surgindo do nada, Frank veio para tentar salvar o dia.


Bryan: Cego? Hahahahaha, que piada, então o cegueta aqui tá querendo arrumar briga comigo.


Frank: É, ele é bem idiota, agora pode deixar meu amigo em paz, por favor.


Markus: O quê você tá fazendo? (Sussurrei)


Frank: Salvando sua pele. (Ele respondeu em sussurro)


Bryan: Hahahahahahah, ah, ok então, só diga pro seu amiguinho aí não se meter mais comigo, ok cegueta?


Ah, eu mato esse filho da puta.


Frank: Claro, obrigado pela compreensão Bryan.


Bryan: Tá, falou, vamos galera.


E lá foi o filho duma puta carcomida.


Markus: Frank, me dê um bom motivo para eu não matar esse filho da puta?


Frank: Te dou vários, primeiramente, você é cego, segundo, Bryan tem o triplo do seu tamanho, terceiro, como você sabia onde o Bryan tava, pior, como você agarrou aquela bola que ele lançou?


Markus: Hm?


Merda, acho que enxergar sem meus olhos não é algo que eu devo deixar tão na cara assim, droga, acho que me dei mal dessa vez, vai, inventa alguma desculpa rápido, algo que pelo menos os 2 neurônios do Bryan acreditem.


Markus: Sorte?


Frank: Não é preciso ser um Einstein para saber que aquilo não se faz com pura sorte, aquela bola iria acertar em cheio a nuca daquele garoto, e você a parou no ar com uma mão, e ainda a jogou de volta na direção dele, me explica, como?


Markus: Olha, eu também não sei como eu...


Frank: Como você...?


Markus: A gente tem que sair daqui, tipo, agora.


Frank: Por quê?


Markus: Por causa daquilo.


Apontei para a janela mais próxima e então eis que lá estava, Duende Verde e Homem-Aranha em uma luta daquelas, atravessando a janela com todas as forças. Na hora eu só pensava em desviar de todos aqueles pedaços de vidro, e chão, e parede, e arquibancada, que voavam em minha direção.


Eu pulei para o lado e um giro carpado, mas vi que Frank seria acertado, então em um movimento instintivo eu levantei minha mão em sua direção e só esperei que algo acontecesse, e então, Twip, um tipo de tecido orgânico e todo entrelaçado surgiu de meu pulso, e foi voando em direção à Frank, quando o acertou, eu só o puxei em minha direção, o livrando de alguns meses no hospital. O resto da cena foi um borrão total, lembro de todos estarem apavorados demais com a cena que nem perceberam o que eu tinha feito, lembro do Aranha encher o canalha do Duende de porrada por maid alguns minutos, lembro de Frank desesperado me puxando para sairmos de lá e lembro do Duende subir em seu planador e fugir, e logo atrás o Aranha o seguia se balançando em sua teia, o resto do dia também foi um borrão, as aulas foram suspensas, eu fui pra casa mais cedo, avisei a minha mãe que eu iria de ônibus assim ela não precisaria me buscar e eu pude contemplar de longe o final da luta entre o Aranha e o Duende, bem, por coincidência eles foram parar do lado do meu apartamento, então eu só fiquei olhando pela janela enquanto o Aranha esmagava a coluna do Osborn com uma caixa de correio, é, aparentemente Osborn é o Duende Verde, quase tão inesperado quanto quando descobriram que Tony Stark era o Homem De Ferro. Mas agora me veio uma dúvida, o quê foi que aconteceu naquela hora no ginásio, alguma coisa saiu do meu pulso, só não sei o quê, um tipo de tecido orgânico talvez, não sei dizer, talvez eu devesse tentar fazer isso de novo, mas eu tô cansado demais para isso, talvez amanhã eu o faça...


Ta bom, eu já estava ficando entediado mesmo...


Alto do prédio, uma visão limpa de tudo a minha volta, só um teste rápido, depois eu vou descer e esperar minha mãe chegar para que possamos jantar em paz.


Ok, vamos lá, primeiro de tudo, o quê eu fiz na hora em que aquilo aconteceu, bem, talvez a adrenalina seja a resposta...


Markus: Ahhhhhhhhhhhhhhhhh. URGH OUCTH URGH.


Ok, talvez me jogar de cima de um prédio de 10 andares não tenha sido a melhor das idéias, não sei nem como ainda tô vivo depois dessa, ai...


Bem, ok mais eu fiz na hora?


Markus: Vai, vai... Vai teia, vai.


É, os saltos em giro não fizeram diferença, e eu acho que estou ficando tonto já. Talvez seja a contração do pulso, nossa, não poderia ser mais simples, é só eu contrair o pulso quê...


Twip


Exato, incrível, como será que meu corpo produz isso, será que é prejudicial a minha saúde o uso em excesso, bem, não tem como eu saber se eu não testar, mas, tem uma coisa que eu quero fazer antes disso.


Markus: UUUUHUUUUUUUUUUUUUUUU!!!


Que maneira melhor de testar a resistência dessa teia se não me balançando com ela pela cidade?


Markus: ISSO É INCRÍVEL!!!!!!!!!!


Cara, eu acho que eu tô a pelo menos uns 90 quarteirões da minha casa e isso em menos de 5 minutos, isso é bom demais, eu nunca imaginei que fosse tão bom assim, será que o Aranha se sente assim sempre? Cara, eu fui do centro de Manhattan ao Harlem em alguns minutos com isso, bem, agora só tenho que encontrar o caminho de volta e torcer pra eu chegar o mais rápido possível.


Cara, eu nunca achei que procurar um prédio de apartamentos seria tão difícil, acho que levei horas para chegar, já está escurecendo, ah droga, é o carro da minha mãe chegando ali? Merda, rápido, vai Markus, isso, tô em cima do prédio, boa, agora só preciso descer as escadas o mais rápido possível e... Droga, ela já está no elevador, e bem perto do nosso andar, droga, deixa eu ver, um apartamento aberto, desculpe seja lá quem eu atrapalhei enquanto corria por sua sala de estar, foi o caminho mais rápido que eu achei. 


Eu pulei pela janela daquele cômodo e prendi uma teia no prédio, num movimento de pêndulo, voei em direção a janela do meu quarto... Que não está aberta... Oh merda, eu me virei para não atravessar a janela e acabei acertando a parede com tudo, agora era a hora de saber se eu tinha virado realmente uma aranha humana, eu grudei meus dedos e pés na parede, e lá estava eu, como uma aranha, andando na parede do prédio, eu abri a janela, entrei rapidamente e logo pude ouvir o barulho de minha mãe abrindo a porta de casa.


Mãe: Markus, cheguei!!!


Markus: Oi mãe, tudo bem?


Disse a abraçando.


Mãe: Tudo e você?


Markus: Eu tô bem... Droga, eu esqueci de comprar a janta no mercado hoje, desculpa...


Mãe: Sem problemas a gente pede uma pizza, eae, eu soube que o Homem-Aranha e o Duende verde entraram pela janela do ginásio da sua escola quebrando tudo, você se machucou?


Markus: Não mãe, eu tô bem, eu nem tava lá na hora, eu só ouvi os gritos do pessoal e só algumas minutos depois que me explicaram o quê tinha acontecido.


Mãe: Que bom, aquele escalador de paredes já nos causou muitos problemas, principalmente a você, mas eae, como foi o resto do seu dia?


Markus: Meu dia?


Ha, que engraçado...


Markus: Foi normal, na verdade, eu fui dormir assim que cheguei em casa e acordei agora a pouco.


Mãe: Percebi, já que está com a mesmo roupa com a qual foi pra escola...


Markus: É...


Mãe: Vai tomar um banho oh porquinho.


Markus: Ah, ok. Eu quero pizza de pepperoni dessa vez.


Mãe: Ok, vai logo tomar banho que tu tá fedendo.


Markus: Tá.


Cara, hoje foi incrível, como será que eu consegui esses poderes, qual será a extensão deles e por quê tudo tá ficando embaçado?


Mãe: Markus?!!!! Markus, acorda!!!!! Markus?!!!!!











Continua...


Notas Finais


Hey yeah, i wanna shoop baby
Eae gente, espero que tenham gostado, esse foi o capítulo que mais demorou pra fazer, pra terem uma noção, eu já tô na metade do capítulo 4, sendo que eu terminei esse aí faz 2 semanas, bem, não posso prometer postar novos capítulos logo, sabe como é, sem internet é foda, mas quando der eu posto, é isso aí, nos vemos no próximo capítulo, falouwwwwwwww!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...