História Homophobic 2.0 (Newtmas) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Maze Runner
Exibições 93
Palavras 1.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, people! Voltei!

Estou aqui com mais uma história que vai ter como base Homophobic, uma fic minha que eu fiz faz algum tempo! Mas são outras histórias, eu só peguei a base do personagem ter pais preconceituosos, e eu queria reescrevê-la, só para conscientizar cada vez mais pessoas a se aceitarem!

E como sempre, o primeiro capítulo vai ter uma reflexão, porque eu sempre começo assim!

Espero que curtam

Capítulo 1 - Prologue


Alguma vez você já se perguntou o porquê do ser humano se apaixonar? Por que nós criamos a necessidade de encontrar outra pessoa pelo resto da vida? Talvez você tente me explicar por meio de fatores biológicos, “nós temos a necessidade de reproduzir”. Ou talvez você me diga que é um fator para sua felicidade... Ou até mesmo você pense que é o único caminho para a felicidade.

Mas, e se eu dissesse que não existe caminho para a felicidade? Que, na verdade, a felicidade é o caminho. Nós vivemos em uma sociedade que busca o prazer acima de tudo, uma sociedade epicurista, uma sociedade que o que mais importa é a própria felicidade.

Apaixonar-se é tão estranho... Pode causar tantos estragos no nosso corpo. O coração acelera, a barriga embrulha, você entra numa montanha russa emocional, sentindo-se delirantemente feliz em um minuto, e ansioso e desesperado no próximo.

E além de tudo, você começa a desejar aquela pessoa como desejaria uma droga na qual está viciado...

E depois de tudo isso você tem que enfrentar tudo que há a sua volta, e, acredite, existe muita coisa a sua volta que não quer que você siga a felicidade.

Às vezes você se perde no caminho, mas nunca desista. A vida não é um desenho animado onde se canta e os sonhos viram realidade como “Let it go”. Essa frase sarcástica reflete bem esta passagem meteórica do deslumbramento total para a dura realidade dos fatos. Longe da zona de conforto, todo dia passa a ser uma provação repleto dos mais variados desafios e obstáculos que vão se interpondo no meio do caminho. Cantar até pode ajudar a aliviar o estresse, mas se não encararmos esses problemas de frente e, principalmente, colocarmos as mãos na massa para fazermos acontecer, os sonhos jamais passarão de… sonhos.

A verdadeira mudança começa de você! Ninguém vai fazer nada por você.

Eu acho que tudo é uma questão de tempo... Toda vontade dá e passa. Pode demorar dias, mas pode passar em minutos, e, no nosso caso, em segundos! Se hoje eu tenho essa vontade louca de sair correndo e abraçar o primeiro que eu vir pela frente, isso vai passar, pode ser amanhã ou daqui a 5 anos... Se eu estou com vontade de gritar agora e mandar todo mundo para... Outra dimensão, eu tenho esse direito! Mas isso pode passar... Se eu pinto o meu cabelo de roxo, deixo as unhas enormes e coloridas, faço bolinhas de sabão na sala de aula, ando de patins num pé só, customizo minhas roupas, choro por um dia inteiro, rio dois dias inteiros, fico em silêncio por uma semana... Isso vai passar! O meu pai sempre diz que toda essa fase vai passar... E a gente sabe que vai, não somos idiotas. Só não queremos que passe... Eu não quero que passe...Acho que meus pais brigam tanto com a gente, porque eles, no fundo, lá no fundo, também queriam viver mais essa adolescência tão irritante. Eles queriam voltar atrás.

A gente vive dizendo que eles, os famosos “nossos pais”, não nos entendem, mas às vezes também temos que tentar entende-los.

Você diz que seus pais não te entendem, mas é você que não entende seus pais.... Você culpa seus pais por tudo, e isso, isso, é um absurdo. São crianças como você...

Mas, no meu caso, eu tenho um seríssimo problema com eles. Eles são pais legais, mas são homofóbicos, mesmo que não percebam... E isso me machuca muito, porque eu, logo eu, gosto de um garoto! UM GAROTO!

Logo eu.... O mundo quis que eu me apaixonasse por um garoto do 3° ano, ou seja, um ano mais velho que eu. Seu sorriso me encanta todas as vezes que eu o vejo, e quando eu o vejo chorar eu tenho a sensação de querer apertá-lo contra o meu peito e reconforta-lo.

Seu cabelo loiro-escuro é tão... perfeito... eu nem sei explicar o que acontece com aquele cabelo, é só tão... tão... lindo!

Às vezes, quando eu estou sozinho, eu abraço o meu travesseiro e imagino que é ele. Eu me imagino passando a mão nos seus cabelos loiros, e podendo beijá-lo a hora que eu quiser!

Mas eu não posso! Eu não posso me apaixonar por um garoto! Eu nunca iria suportar o desgosto que meus pais teriam de mim, principalmente meu pai! Eu nunca iria suportar a pressão de viver num mundo homofóbico! Eu não sou capaz disso!

Eu sou fraco.

Mas a cada dia que passa, a cada dia que eu o vejo, eu sinto como se meu corpo fosse explodir de felicidade. E quando ele falta um dia de aula, eu sinto a sua falta, mesmo que eu não fale com ele, eu só sinto falta do seu sorriso.

Mas eu não posso...

Me apaixonar por um homem e alimentar isso seria como me jogar num ninho de cobras. Todos teriam desgosto de mim, o que eu acho ridículo, mas acontece. Infelizmente existem umas mentes quadradas que ainda acreditam que a homossexualidade é uma doença, ou que a pessoa só quer chamar atenção.

Eu sei que não é assim.... é só um sentimento que vem e você não consegue contê-lo.

No meu caso eu TENHO que contê-lo.

Além do mais, ele nem deve me notar no meio de tanta gente naquela escola. E eu não teria coragem de falar com ele de qualquer forma.

Nunca daria certo...

Ele é um garoto, eu sou um garoto, e eu nem sei se ele é gay também...

Na verdade, eu nem sei se EU gosto de homens de verdade...

Eu sempre me disse hetero até ele aparecer na minha vida.

Eu acho que eu sou Bi...

Se eu realmente sou bi, porque eu tive que gostar justamente de um cara?! Por que não uma garota?! Seria tão mais fácil!

Isso tudo me deixa com a auto estima a sete palmos do chão, me deixa com nojo de mim mesmo. É um mundo tão estranho... Ter nojo de si mesmo é algo estranho, muito estranho...

Eu só queria uma vida normal, como a de todo mundo. E eu realmente espero que eu não tenha que contar para me família isso tudo, eu nunca teria coragem.

É como se tudo não passasse de um sonho! Um sonho completamente apavorante e que está me deixando sem dormir. Um sonho que deixa sem dormir? Que loucura... É tão difícil acreditar, que às vezes eu prefiro ignorar que isso está acontecendo comigo. Mas está! Eu não vou suportar isso sozinho, eu preciso de alguém... Na verdade, eu preciso de “um” alguém... Eles não vão entender... Vão falar que é uma fase, ou que eu estou brincando... E eu não vou suportar!

Alguém bate na porta de repente.

-Thomas? – minha mãe diz e coloca a cabeça para dentro do quarto – Posso entrar?

-Claro – digo e fecho o meu diário trancando-o e colocando numa gaveta, que eu também tranquei

-Você e esse diário, hein? – ela ri – o que tem de tão misterioso aí que não pode contar nem para a sua mãe, você sabe que pode confiar em mim.

-Eu prefiro guardar eles para mim mesmo, mãe – sorrio caridoso

-Guardar seus sentimentos para si mesmo não é nada legal – ela diz e se senta na minha cama colocando a mão na minha perna

-Mas às vezes é necessário – retruco

-Tudo bem, mas eu acho melhor você ir dormir, amanhã vai ser seu primeiro dia de aula na escola, não é? Mais um ano...

-Sim...

-Eu só vim te desejar boa noite mesmo, Thom – ela sorri e beija a minha testa – é melhor você ir dormir logo.

-Cadê o papai? – pergunto

-Você sabe que ele trabalha esse horário, Thomas – ela diz e sorri – ser policial toma muito do tempo dele

-Claro – reviro os olhos

-Ele faz isso pela nossa família, Thomas, você precisa ver o lado dele.

-Eu entendo que ele precisa trabalhar, mas seria legal se eu visse ele de vez em quando...

-Ele me prometeu que estaria com você no café da manhã, ok? Agora vá dormir, Thom

-Ok

Assim que minha mãe fecha a porta do quarto, meus pensamentos se direcionam diretamente para Newt... Abraço o meu travesseiro com força e me imagino sentindo o cheiro do seu corpo, mas eu não tenho ideia de como é o cheiro... então eu tento pensar em algo cheiroso.

E é assim que mais um dia termina, comigo abraçado à um travesseiro como se ele fosse o meu melhor amigo...

 


Notas Finais


Espero que tenham curtido!

Como sempre, espero ter feito vocês pensarem!

Kisses


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...