História Homophobic. - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~AnnaLinspector

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Amor, Bebidas, Família, Fobias, Gays, Homofobia, Sexo, Teens, Violencia
Exibições 111
Palavras 2.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Agora eu juro que paro, posto mais amanhã;

Capítulo 10 - The One.


Fanfic / Fanfiction Homophobic. - Capítulo 10 - The One.

[ Capitulo 10 – She is the one ]

Matheus H. Lennox

[ You and me – Lifehouse ]

Oli e Eliott estavam um pouco encrencados, depois de serem pegos brigando na entrada do colégio o diretor levou meus amigos para a sala dele e não deu outra "Detenção". 

As aulas que se passaram foram tranquilas, Melody uma colega de sala passou quase todas as aulas jogando conversa fora comigo, ela tinha dificuldade em Biologia então prometi que a ajudaria depois das aulas. 

- Theo você vai mesmo me ajudar? - Melody falou fazendo biquinho, achei engraçado o jeito dela me tratar. 

-Vou sim Melody, depois da aula. - Falei tranquilo. 

A garota pulou no meu pescoço dizendo "obrigada" pelo menos umas cinco vezes seguidas, Gary olhou para trás segurando o riso e eu continuei parado sem entender por que todo aquele alvoroço, eram só aulas extras de Biologia, nada de extraordinário. 

Quando o sinal do intervalo tocou Melody seguiu do meu lado e Gary simplesmente desapareceu sem dizer onde ia, continuei andando e me encontrei com resto da turma, Louise que estava abraçada com o Oli comentava sobre a briga. 

- Eliott você estava demais. – Louise dizia acompanhando o Eliott junto com o Oliver. 

- Eu sei, eu sou um bom lutador. - Eliott disse, não contive meu riso. 

- Não é pra tanto, amigo. - Falei para o Eliott. 

- Ollie, vamos ver se a enfermeira tem alguma coisa para seu olho, sim? - Louise falou puxando o Oliver, não entendi, ela agiu estranho. 

- Quem é sua amiga, Theo? – Eliott falou se sentando no banco do refeitório. 

- Ela é da minha sala, tem problema com biologia. – Eliott arqueou a sobrancelha e continuou me encarando, foi aí que eu me dei conta de que não tinha visto a Mel hoje e o Gary havia sumido. – Onde está Melissa e o Gary? - Perguntei curioso. 

Eliott se levantou sem me responder e começou a caminhar pela escola. 

-Theo? - Melody me chamou. 

-Sim. - Respondi calmamente. 

-Será que podemos começar as aulas agora, não temos nada pra fazer mesmo. 

-Por mim tudo bem. - Respondi tranquilo. 

Melody pegou um livro da matéria e começou a apontar suas dúvidas, eu explicava tudo com bastante calma e ela fazia questão de ficar bem próxima de mim para aprender mais, eu acho. 

De repente vejo Louise passando por mim feito um furacão, o que será que deu nela? Oliver só a seguia com uma cara um pouco triste.

Louise L. Morningstar.

Levei Oliver para a enfermaria e pela cara que ele estava fazendo não estava entendendo nada, esses garotos são burros hoje em dia ou só se fazem mesmo?

- Lou, acho que a enfermeira não está aqui. – Ele disse com os braços cruzados.

- Ah jura? Você acha que eu não notei? – Revirei os olhos. – Quem é aquela garota Ollie? Por que ela está se esfregando no meu Matheus?

- Espera, seu Matheus? – Senti meu rosto esquentando e tive que manter minha postura.

- Sim! Meu Matheus! – Falei autoritária e Ollie levantou as mãos, se rendendo.

- Okay... Mas você sabe como ele é, Matheus é meio avoado talvez ele nem saiba que ela tem segundas intenções com ele. – Realmente, Matheus era meio burrinho as vezes. – Sei lá... Vamos ficar aqui até quando?

- Nós vamos lá fora agora e você vai olhar para eles, veja qual é daquela puta antes que eu quebre a cara dela! – Abri a porta da enfermaria e pude ouvir Ollie suspirando. – Ollie, ele é o único garoto que eu já me apaixonei na vida, me ajuda. – Olhei para ele e fiz um bico.

- Relaxa, eu estou aqui por você, mana. – Ele bagunçou meus cabelos e beijou o topo de minha cabeça, comecei a andar como se nada me importasse.

Mas aquela puta está muito perto do que é meu, Matheus por que você tem que ser tão burrinho quando o assunto é mulher? Passei por ali correndo, fazendo questão que Theo olhasse para mim e fui entrando em uma das salas de aula.

Observei Ollie entrando e me olhando com uma cara preocupada.

- Acho que ela quer mesmo pegar o Theozinho. – Ollie me olhava, bocejando em seguida.

- O que eu faço? – Perguntei por fim.

- Que tal bater um papo bem educado com ela? Sei lá, vai que cola. – Ollie se sentou em uma das cadeiras.

- Você vai ficar aqui depois da aula? – Perguntei enquanto via ele deitando a cabeça na grande mesa.

- Sim, Lou, não posso fugir mais. – Ele fez um bico e eu ri, nossa turma bolava muita aula quando eramos mais novos não sei como chegamos aqui.

- Ok, eu vou fugir, pegue meu material ok? – Falei e ele apenas levantou o dedo, positivamente. – Boa noite amigo. – Beijei o topo de sua cabeça e ouvi o sinal tocando.

Sai rapidamente da sala, e avistei a vadia por algum motivo divino ela estava longe de Theo. Andei até ela e sai puxando-a pelo braço, sem ligar para o quanto ela gritava me chamando de louca e tudo mais.

Parei no banheiro e a empurrei para dentro do mesmo.

- Ok, vou direto ao assunto. Qual é a sua com o Matheus? – Cruzei meus braços na altura do peito e pude ver a vadia arrumando os cabelos, ela me fazia querer vomitar naquela cara feia.

- Eu acho ele lindo, inteligente, charmoso e ainda fuma! Olha que incrível, temos tanto em comum. – Arqueei a sobrancelha e descruzei meus braços.

- Espera... Como assim “ele fuma” ? – Fiz aspas com os dedos e pude vê-la revirando os olhos.

- Ai gata, vamos comigo vai, você está fazendo eu perder meu tempo. – Eu odiava o fato de eu ter que segui-la mas eu o fiz, parei no estacionamento da escola e me encolhi atrás de um dos carros deixando a puta ir até o Meu Theo.

Matheus H. Lennox

Por hoje eu não voltaria para a aula, me despedi da Melody pois eu tinha uma encomenda me esperando, saí escondido até o estacionamento da escola e encontrei quem eu estava esperando. 

- E aí Theo, trouxe o que você me pediu. - Lucas me cumprimentou e tirou do bolso a minha planta favorita, cannabis, mas podem chamar de maconha. 

Paguei o garoto e ele saiu sorrateiro para não ser visto, me sentei no canto da parede e comecei a preparar meu baseado, era tão relaxante enrolar... 

- Perfeito. - Falei sozinho quando terminei aquela obra de arte. 

Acendi com um isqueiro que eu costumava guardar no bolso e dei uma tragada, a cada tragada eu me sentia mais leve, eu estava tão zen que podia flutuar, adoro borboletas azuis e via várias delas voando em volta da minha cabeça, eu sorria para elas e elas sorriam de volta, incrível. 

Sem eu esperar arrancaram o baseado das minhas mãos, olhei para o lado e Melody deu uma tragada, quando eu me inclinei para pegar meu baseado ela segurou meu rosto e me puxou para um beijo...

Louise L. Morningstar

Eu não acreditei no que estava vendo, Matheus tinha acabado de pegar maconha de um cara desconhecido e... Espera, ela beijou ele?!

Me levantei e eu sabia que meu rosto estava mais vermelho do que tudo, as lagrimas estavam ali mas eu não iria chorar por alguém como Matheus. Eu não sabia para onde ir, mas sabia que seus olhos estavam em mim.

Dei dois passos para trás e logo dei as costas para Matheus e aquela vadia, começando a correr mas eu sou completamente inútil que acabei dando de cara com o chão, não tinha visto o cadarço desamarrado. Eu não sei lidar com a dor e naquele momento tudo estava doendo, me levantei sem muita pressa e logo notei que Matheus estava correndo até mim, mesmo ele sendo um idiota ele continuava lindo.

Continuei a andar e entrei dentro do armário de vassouras, mas não tinha força o suficiente para segurar era a minha força contra a de Matheus e ele entrou ali.

- Lou, e-eu não tive culpa... – Ele começou e sempre não era culpa deles.

Continuei calada sentindo meu coração bater aceleradamente, juntei meus joelhos e os puxei contra meu peito, lagrimas rolavam pelo meu rosto e pude ouvir Matheus se movendo, senti suas mãos em meus joelhos e ele fez questão de abrir minhas pernas e se encaixar entre elas, eu não dizia nada apenas chorava até senti-lo beijar minhas lagrimas.

- Me desculpa... – Ele beijou todas elas em vão, pois elas continuavam vindo, seus lábios estavam envenenados por um batom que não era meu. Eu não havia beijado Theo e uma piranha qualquer teve a coragem de fazer isso. – Olha para mim... – Ele desceu os lábios para o meu pescoço e eu pude sentir todos os meus pelos se arrepiarem.

- Eu não quero falar com você... vai embora. – Coloquei uma de minhas mãos em seu peito, tentando empurra-lo, e  de repente a porta se abriu e Tyler Porter nos encarava com um sorrisinho desdenhoso nos lábios, eu tive vontade de enterrar meu rosto de tanta vergonha. 

-Foi mal, eu não queria atrapalhar. - Tyler levantou as mãos em sinal de rendição. 

Saí de lá o mais rápido que pude e quando olhei para trás vi que o Matheus conversava com o Tyler.

Matheus H. Lennox

Quando eu comecei a conversar com aquele garoto eu não tinha a mínima ideia de onde ele tinha surgido, mas eu estava tão confuso que acabei desabafando com ele, Tyler Porter era um cara legal. 

No final do período peguei meu material e encontrei meus amigos na saída, chamei Tyler e apresentei ele aos meus amigos, o único que não gostou muito da presença dele foi Eliott, ele mal cumprimento o garoto, eu teria ficado para conversar mas quando vi a Lou saindo quase como uma fugitiva corri para alcança-la. 

-Lou, precisamos conversar. –  Louise apenas me encarou com um olhar triste sem dizer nada.

Eu tentava a todo custo conversar, me implicar mas ela continuava andando como se eu não existisse.

-Pronto, está entregue, espero que você me desculpe Lou. - Dei um beijo na testa dela e me virei para ir embora, mas sem que eu pudesse esperar Louise me puxou pelo braço e sussurrou no meu ouvido "Theo, faz amor comigo."

Suas mãos foram para o meu rosto e seus lábios se encontraram com os meus, eu não podia negar que queria aquilo tanto quanto ela mas eu não sabia o que fazer. Lou era como uma borboleta e eu tinha medo de machuca-la.

- É isso que você quer? – Perguntei enquanto contornava seu rosto com meu polegar, pude vê-la balançando a cabeça positivamente. Beijei sua testa, ela abriu a porta e entramos em sua casa, fomos direto para o quarto e no momento que fui tirar minha camiseta pude notar suas bochechas vermelhas.

Sorri e ela tentou me acompanhar, nos sentamos na cama apenas de roupas intimas e eu não posso deixar de dizer o quanto ela é bonita, Lou era perfeita aos meus olhos, ela era magra mas não tão magra assim, seus seios são pequenos em minhas mãos e suas pernas são bonitas.

- Para de me olhar assim... – Lou sussurrou e eu acordei do meu transe, me aproximei dela e ficamos nos encarando por um tempo.

- Você é linda... Até demais... – Observei suas mãos passarem por minha barriga, e ela logo afastou a mão e cobriu o rosto com ambas. – Que foi?

- Eu não consigo... Você é muito lindo... – Ela abriu os dedos, deixando seu olho a mostra e eu apenas sorri.

- Podemos tentar outro dia, eu estarei aqui só para você. – Lou descobriu o rosto e abriu os braços, me aninhei nela e pude ouvir seu coração batendo, senti seus lábios tocando minha testa e seus dedos passeando por minhas costas. – Eu te amo Lou...

E eu adormeci ali, não sei se eu recebi uma resposta, uma coisa que sei é que Lou me traz paz e era com ela que eu queria passar o resto da minha vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...