História Homophobic. - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~AnnaLinspector

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Amor, Bebidas, Família, Fobias, Gays, Homofobia, Sexo, Teens, Violencia
Exibições 110
Palavras 3.482
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Esse capitulo costumava a ser 2 mas ai eu decidi juntar ele em um só, e é isso mesmo.

Capítulo 18 - I'm Straight.


Fanfic / Fanfiction Homophobic. - Capítulo 18 - I'm Straight.

[ Capitulo 18 –  Dad and Dad... I’m Straight]

Eliott Morningstar.

[ Adventure Of A Lifetime – Coldplay ]

— Me desculpa, Eli, por ter sido um idiota com você. – Tyler havia me parado na frente do portão da escola seus olhos estavam com um brilho, que fazia-me acreditar que suas palavras eram sinceras mas assim que eu ia dizer algo senti a mão de Mel em meu ombro.

— Eliott depois da escola vamos para minha casa, ok? Meu pai falou que vai ter reunião familiar mas ele disse que podemos levar nossos “amigos”. – Ela fez aspas com os dedos e olhou para Tyler, sorrindo em seguida me fazendo ficar vermelho.

— Ok, nós vamos todos juntos? – Perguntei querendo prolongar a conversa pois estava com medo de responder Tyler. – Você não acha que vai ser uma coisa ruim para o Matheus?

— É... Vai ser difícil para ele mas ele vai ter que aguentar a Louise lá pois você sabe Lucifer é irmão da sua mãe e a Regan é melhor amiga do meu pai. – Ela mexeu os ombros. – Vou indo na frente, foi um prazer te ver Tyler, implore para ir na reunião. – Ela mandou um beijinho enquanto caminhava e sumiu dentro da escola.

— E então... Onde estávamos? – Tyler estava com um belo sorriso no rosto e eu juro que não me aguentei, segurei uma de suas mãos e o beijei ali mesmo na frente do portão.

— Queria dizer nada não, mas é melhor vocês entrarem antes que eu tenha que fechar o portão. – O porteiro nos olhava com um leve sorriso no rosto enquanto apontava para dentro da escola.

As aulas eram chatas então toda hora eu parava de escrever e ficava olhando para Tyler que se concentrava, passei minha mão em seus cabelos e ele mordeu o lábio inferior.

— Você não vai conseguir fazer eu perder minha concentração, mocinho. – Ele desviou por um tempo seu olhar do papel e me olhou, deu um pequeno sorriso e voltou a estudar.

— Eu estou com tédio. – Falei deitando a cabeça no ombro de Melissa.

— Eu espero que esse tédio consiga fazer você passar de ano, baby. – Mel me deu um beijo na testa.

No intervalo todos sentamos juntos, mesmo não querendo ficar Matheus se sentou ao lado de Gary que fazia questão de tentar anima-lo.

— Eu trouxe marshmallow e olha que legal eles tem a cabeça do Mickey. – Gary sorria enquanto Matheus o olhava e eu sabia que ele queria sorrir mas ele simplesmente não conseguia.

Olhei para Louise que ficava o tempo todo no celular e quando fiz questão de olhar para ele ela o escondeu.

— Privacidade, Eliott, Privacidade. – Lou bufou e começou a interagir com Palloma e Melissa.

— Você me quer lá? – Tyler passou a mão por minha cintura e beijou meu rosto.

— Claro que sim, tenho que te mostrar para nossa família. – Sorri e lhe dei um selinho.

Tyler Porter 

Eliott e eu estávamos juntos, não imaginava que ficar com apenas um garoto poderia ser tão bom, mas com ele era diferente, havia sentimento, não foi como nos meus casos. Passamos o intervalo juntos, com os amigos dele também é claro, a única coisa que me deixou um pouco preocupado foi a reunião de familia que a Mel avisou que teria hoje, será que é uma boa ideia eu aparecer lá? 

— Você me quer lá? – Passei minha mão pela cintura dele e beijei seu rosto. 

— Claro que sim, tenho que te mostrar para nossa família. – Eliott sorriu e me deu um selinho. 

Eliott me tranquilizou bastante com essa resposta, só espero que a familia dele goste de mim...Quando as aulas terminaram nossa turma se encontrou em frente ao portão da escola iriamos juntos até a casa da Mel. Durante o percurso todos estavam interagindo menos o Matheus, coitado, nunca vi ele tão pra baixo como nesses dias mas, não comentei nada sobre o assunto. 

—Será que eles vão gostar de mim? - Sussurrei para que só o Eliott me escutasse. 

—Tyler Porter está com medo? - Eliott disse com uma sobrancelha arqueada. 

—Talvez. - Respondi arrancando um risinho baixo dele. 

Entrelacei nossos dedos e fomos por quase todo o caminho de mãos dadas, não era tão longe assim, quando chegamos fomos recebidos pelos pais da Melissa que cumprimentaram todo mundo com um sorriso no rosto, isso também me inclui, obviamente.

A casa não era novidade para mim, já havia dormido lá depois da festa da Karen, olhei em volta reconhecendo o ambiente e vi que o Matheus e a Louise subiram as escadas, seja lá qual for o motivo dos dois sumirem juntos isso não era da minha conta, apenas ignorei esse fato e puxei o Eliott para a cozinha. 

—Por q... - Antes que ele pudesse terminar a frase calei ele com um beijo que eu queria dar desde que chegamos.

Louise L. Morningstar.

Eu e Matheus paramos na frente da porta do quarto dele e pela primeira vez depois do dia que ele teve a grande ideia de falar que era melhor terminarmos eu consegui olha-lo. Ele estava péssimo mas olhando para mim nesse exato momento seus olhos brilhavam, era como se ele estivesse com fome e eu fosse a carne que ele poderia comer.

— O que você queria? – Ele passou a mão pelos cabelos e eu sabia que ele estava tentando ser rude comigo para não ter que me beijar.

— Achei que você gostaria de saber o que eu fiz para você. – Sorri e abri a porta do quarto dele, acendi a luz em seguida.

Eu havia comprado varias flores de plástico e enfeitado a janela dele, na cama estava cheio de pelúcias onde havia um coração que possuía uma foto nossa no meio. A parede estava cheia de papeis recortados por mim em formato de coração e no meio deles estava escrito “ Eu te amo para a eternidade “ e sim eu tinha pichado ali, se ele não me quisesse obviamente eu teria que fazer algo sobre aquilo. Em cima da cômoda tinha varias fotos nossas desde crianças até atualmente.

Se você está perguntando como eu fiz isso eu preparei tudo um dia antes e hoje quando eu vi que ele tinha saído eu pedi ajuda para o tio Stan para arrumar tudo. Cheguei atrasada na escola mas acho que valeu a pena.

Empurrei ele para dentro do quarto e retirei uma caixinha de dentro de minha mochila, a abri e estendi para ele.

— Você quer namorar seriamente comigo? Eu sei que tenho problemas com insetos, com ciúmes e com certeza não sei lidar com o fato de você fumar mas... Eu te amo muito e como você disse aquele dia você nasceu para mim e eu para você. – Mordi meu lábio inferior e aguardei a resposta dele pois não conseguia olhar em seus olhos.

Matheus H. Lennox

Louise disse que queria falar comigo, não questionei na hora porém, não pensei que ela teria uma surpresa daquelas para me mostrar, paramos de frente para o meu quarto e assim que ela abriu a porta pude ver minha janela enfeitada com diversas flores de plástico, ela sabe o quanto eu amo a natureza e mesmo não compartilhando dessa mesma paixão ela fez isso por mim e quanto mais eu olhava mais surpreso eu ia ficando. 

Eu sei que cada detalhe foi feito com amor, os ursinhos na minha cama, nossas fotografias, fiquei boquiaberto quando vi pichado na parede " Eu te amo para a eternidade ", ela me empurrou para dentro do quarto me tirando do meu transe, Lou tirou uma caixinha da mochila e estendeu para mim, ela comprou alianças, meu coração estava acelerado, sempre fui um cara tranquilo mas, naquele momento eu não conseguia me manter parado, eu estava ansioso, inquieto e ainda mais apaixonado. 

—Você quer namorar seriamente comigo? Eu sei que tenho problemas com insetos, com ciúmes e com certeza não sei lidar com o fato de você fumar mas... Eu te amo muito e como você disse aquele dia você nasceu para mim e eu para você. - Lou abaixou o olhar mordendo o lábio, abri um sorriso enorme de felicidade e beijei ela sendo muito bem correspondido. 

—E então? - Ela me olhou com as sobrancelhas franzidas. 

—Eu quero namorar seriamente com você, Lou eu te amo. – Ela abriu um grande sorriso e fizemos questão de trocar as alianças, Lou colocou a caixinha em cima da cômoda e pegou em minha mão apagou a luz e desceu as escadas comigo.

Nossos pais estavam todos juntos no sofá e eles batiam um papo com meus amigos, até que paramos de frente para todos e eu fiz questão de olhar para meus pais.

— Pai e pai... Eu sou hetero. – Falei entrelaçando meus dedos com os de Lou e abri um grande sorriso, todos haviam parado de falar e isso estava começando a ficar um pouco assustador.

3RD

O silêncio se fez na sala, os amigos de Matheus sorriam animados com a sua coragem mas seus pais mantinham o semblante sério até o momento que Blair se levantou e começou.

- Hétero? O MEU filho? Eu não te criei para ser hetero. – O moreno cruzou os braços e sua aura realmente estava irritadiça que fez Stan se levantar.

- Blair... Você sabe que não é todo mundo que... – O loiro foi interrompido.

- Eu não ligo pra todo mundo, é o MEU filho Stan! – Bjorn olhava fixamente para o chão e quando ia dizer algo sobre o assunto Matheus abriu a boca.

- Então eu vou fugir! Eu e a Lou vamos fugir e vocês nunca mais vão ver a gente. – O garoto abraçou Louise e ficou encarando o pai mas de repente a tensão passou, um sorriso foi exposto na boca de Blair e este caiu na risada.

- Blair você enlouqueceu? – Regan perguntou, arqueando a sobrancelha.

- Muito bom esse menino, você não acha? – Blair falou olhando para Regan. – É exatamente como eu o ensinei, incrível. – Blair abraçou Matheus que por um momento não sabia o que fazer. – Da pra você soltar sua namorada e abraçar seu pai? Porque olha querendo ou não eu ainda sou seu pai tá? Eu pago suas contas.

Matheus soltou Lou cuidadosamente e abraçou seu pai, se aconchegando nos braços do mais velho como nunca tinha feito antes de repente o som de gritos e aplausos foram feitos na sala.

- Okay, mas isso não é a única coisa que temos aqui não é mesmo, Melissa? – Matheus olhou para a loira que começou a ficar vermelha, Bjorn olhou para ela e depois para Matheus.

Palloma que estava sentada ao lado da loira fez questão de olhar para o outro lado, encarando Tyler que olhava para o teto para não ter que esperar a vez de Eliott dizer algo sobre tal assunto.

-  Pai... Eu sou apaixonada pela Palloma. – Melissa falou olhando apenas para Bjorn que fez questão de olhar para Josh.

- Você já sabia disso? – O moreno afirmou. – E não me contou nada? Uau, que marido em.

- Você também não me conta nada... – Josh falou baixo mas foi o suficiente para Bjorn ouvir, o moreno revirou os olhos e voltou a olhar para a loira.

- Ok, você está feliz com isso? Ok, só não seja como eu. – Bjorn falou e Josh fez questão de se levantar.

- Ótimo, você quer brigar? Então a gente vai brigar, qual é o seu problema? Você quer expor para nossa família que nosso casamento não está dando certo porque você está saindo por ai e pegando qualquer um? – Josh tremia e suas pernas queriam fraquejar mas ele se mantinha firme, Bjorn se levantou e o olhou com a sobrancelha arqueada.

- Da onde você tira essas histórias? Deus... Eu estava falando sobre meu eu do passado, Josh, minha nossa você acha que eu não te amo mais? – Bjorn passou a mão pelo rosto do moreno que fez questão de fechar os olhos, amava o toque do maior e sentia falta dele todos os dias.

- O seu cheiro estava diferente... – Josh sentia seus olhos ficarem cheio de lagrimas.

- Isso é o cheiro do seu querido amigo Lúcifer que acha engraçado ficar atacando perfume em mim! – Bjorn apontou para o moreno que se fez de desentendido.

- Eu?! Eu?! Eu sou um anjo, não faço isso. – Lúcifer começou a rir e abraçou Regan.

- Ok, agora falta os dois casais ai. – Disse Melissa apontando para Oliver que estava bebendo agua e Gary, sem esquecer Eliott e Tyler.

- Mas elas já sabem da gente. – Oliver falou e Gary se engasgou com a própria saliva. – Ah que legal, você não conto de nós?

- Não... – Gary começou a ficar vermelho e Austin se levantou abraçando o garoto.

- Meu menino está crescendo Ash, não sei o que fazer. – Austin disse enquanto acariciava os cabelos de Gary.

- Austin, seu filho faz sexo, pare de trata-lo como bebe. – Ashton deu de ombros e todos começaram a rir pois Oliver ficou muito vermelho.

- Minha nossa senhora, meu anjinho já faz isso? – Minnie passou a mão nos cabelos vendo se já estavam brancos.

- Você também devia fazer isso na idade deles. – Hope beijou os cabelos da loira.

- Eu era santa ok? Não vem não. – Ela riu a abraçando.

- Então quer dizer que esse garoto é o namorado do Eliott? – Bjorn perguntou apontando para Tyler.

- Não, só ficamos mesmo. – Eliott falou o que fez Tyler acordar de seu transe.

- É... Isso mesmo... – O moreno sorriu amarelo.

- Não senti firmeza nisso ai. – Bjorn riu.

- Esse ficando poderia ser um namorando mas eu fiz muita besteira, estou me redimindo aos poucos. – Tyler abraçou Eliott e beijou o rosto do loiro.

E a noite foi caindo, Palloma mandou mensagem para Lucas para o mesmo vir busca-la enquanto Tyler mandou uma mensagem para seu pai para o mesmo também vir busca-lo de carro.

Louise havia decidido dormir na casa de Matheus então Regan e Lucifer foram buscar suas roupas em casa, Gary e seus pais se arrumavam para ir embora mas a família de Eliott só iria quando Tyler fosse.

Quando a campainha tocou todos estavam cantando uma musica do Queen juntos, e riam ao ver que Eliott errava muitas vezes a letra quem acabou atendendo a porta foi Austin que estava de saída.

- Eu vim buscar o... – O pai de Tyler parou em estado de choque na porta o que fez o garoto por um tempo parar de cantar e olhar para o mesmo que estava ficando pálido.

- Pai? Tá tudo legal? – O moreno se levantou.

- Bjorn... – Foi a única coisa que o maior disse e que fez Bjorn e Josh olharem para o mesmo.

- Leon?! Austin sai de perto dele! – Bjorn se levantou e foi até o maior o pegando pela gola da camiseta fazendo Tyler correr até o mesmo.

- Bjorn não precisa... – Blair começou mas foi interrompido por Stan que segurou seu braço.

- Ei, ei, ei larga ele! – Tyler falava aumentando o tom de voz e logo Lucas estava na porta também fazendo Palloma se levantar pois sabia que o irmão ia entrar no meio mas o maior só fez questão de separar os dois.

- Você é filho dele? – Bjorn olhou indignado para Tyler.

- Sim, eu sou. – Tyler falava sem saber o que estava acontecendo ali.

- Filha? – Leon olhava para Palloma e logo Lucas arqueou a sobrancelha.

- Filha? Ela não é sua filha, ela é minha irmã. – O maior a abraçou.

- Você é filha da Priscila não é? – Leon falou sem se importar com Bjorn que o fuzilava com o olhar.

- Sim... – Palloma se soltou de Lucas e parou de frente para Leon.

- Meu Deus o que está acontecendo aqui?! – Tyler gritou completamente perdido.

- Seu pai é um louco varrido sequestrador de crianças! – Bjorn falou fazendo todos saírem da casa e ficarem no quintal.

- Eu não sou louco! Eu estava apaixonado só isso! – Leon mexeu nos cabelos nervoso mas logo respirou fundo e sorriu. – Garoto você acha que essa menina veio do seu pai? – Perguntou para Lucas que estava perdido tanto quanto Tyler e todos os outros.

- Claro que sim! – Lucas afirmou desesperado.

- Você possui uma mancha no braço não é mesmo? – Olhou para Palloma que fez questão de puxar a manga da camiseta mostrando uma mancha ali. – É claro que ela tem. – Leon puxou a manga da própria camiseta mostrando a sua própria mancha.

- Meu pai não é um ex presidiário... ? – Palloma olhava para Leon perdida.

- Não, presidiário não, mas fiquei preso num hospital por causa do Bjorn. Nada demais. – O dono dos olhos verdes riu.

- Você não vai ficar perto da minha menina... Não vai, não de novo. – Bjorn abraçou Melissa que olhava para Palloma.

- Afinal das contas o que merdas você fez? – Tyler perguntava olhando para Leon enquanto massageava suas têmporas.

- Ah, eu sequestrei a filha dele. – Palloma e Tyler arregalaram os olhos e olharam para Leon que falava como se fosse algo super comum.

- Você o que?! – Os dois gritaram ao mesmo tempo.

- Eu já fui sequestrada? – Melissa olhou para o próprio pai que a abraçava.

- Eu precisava conversar com Bjorn então fiz algo para que ele pudesse me notar... Ai eu acabei preso no hospital, mas caso você ache que eu ainda sou doente por você pode ficar tranquilo que eu não sou. – Leon colocou as mãos nos bolsos da calça, enquanto olhava para Tyler. – Então... Você vai pra casa?

O moreno respirou fundo e olhou para Eliott que no momento estava chocado, foi até o loiro e selou os lábios do mesmo.

- Te vejo amanhã. – Deu um sorriso mínimo e voltou para o pai.

- Como eu sei que esse garoto é seu mesmo? – Bjorn soltou Melissa a entregando para Josh e andou até Leon ficando cara a cara com o mesmo.

- Só olhar os olhos, o cabelo, o sorriso, e também a mancha no braço. Ele é minha cópia completa, só não puxou meus problemas. – Leon beijou os cabelos de Tyler que não sabia reagir sobre o que estava acontecendo. – Você quer vir com a gente? – Leon perguntou olhando para Palloma

- Ela não vai com vocês! – Lucas se aproximou mas Palloma levantou a mão fazendo o mesmo parar.

- Sim, eu vou com vocês. – A morena viu o sorriso de Leon se formar.

- O que?! – Lucas gritou no meio do quintal.

- Eu preciso conhecer sobre minha própria história, não vou deixar Priscila ficar mentindo sobre minha vida Lucas! – Palloma falou e foi até Melissa, beijou-a na bochecha, nos lábios e na testa. – Te vejo amanhã minha princesa. – A morena sorriu e os três foram andando até o carro que não demorou muito para sumir de vista.

- O que acabou de acontecer aqui? – Eliott começou.

- Eu não faço a menor ideia... Só sei que estou apaixonada. – Melissa falou passando o dedo onde Palloma havia beijado a mesma.

- Você vai me explicar sobre isso né mãe? – Eliott olhou para Hope que fez questão de dizer sim para o mesmo.

- Vamos para casa. – Minnie falou dando tchau para todos.

- É melhor mesmo, temos muito o que fazer amanhã. – Eliott falou olhando para Melissa.

E todos foram embora, Lucifer passou na casa deixando as roupas de Louise tomou um copo d’água e foi embora deixando três adolescentes na casa de Bjorn.

- É melhor a gente ir dormir. – Melissa falou olhando para o casal que estava sentado no sofá ao seu lado.

- É mesmo, muita informação para um dia só... – Matheus pegou Louise no colo e a levou pelas escadas deixando Melissa sozinha na sala, a ideia de ter sido sequestrada não a assustava pois o motivo era engraçado para ela.

- Imagino se eu sequestraria alguém para você falar comigo Palloma... – Falou para si mesma e se levantou, indo para o quarto com um grande sorriso no rosto.

No quarto de Bjorn e Josh os dois não conseguiam dormir, Bjorn pois estava agitado e Josh porque o marido não parava de falar.

- E se ele tentar alguma coisa? – Bjorn falou olhando para Josh que estava de olhos fechados e fez questão de abri-los.

- Ele não vai fazer nada amor, relaxa... Você tem que confiar na nossa menina, ela já é grandinha. – Josh abraçou Bjorn e beijou sua testa. – Vamos dormir, ok? Amanhã você trabalha e não será nada bom você ficar com sono.

- Nossa... Que sorte a minha de ter casado com você. – Bjorn puxou a cintura de Josh aproximando-o de seu corpo e selando os lábios do mesmo. – Eu te amo muito, acho que você é a única pessoa que consegue me acalmar assim.

- Obrigado por existir, eu também te amo muito. – Josh sorriu e se aconchegou no peito de Bjorn, dormindo ali...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...