História Homophobic. - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~AnnaLinspector

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Amor, Bebidas, Família, Fobias, Gays, Homofobia, Sexo, Teens, Violencia
Exibições 103
Palavras 1.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Solution IV. The Jerk.


Fanfic / Fanfiction Homophobic. - Capítulo 8 - Solution IV. The Jerk.

[ Capitulo 8 – I’m Your Jerk. ]

Tyler Porter

{ Erva Venenosa – Rita Lee }

Acordei de péssimo humor e o maldito despertador não parava de tocar...por que eu tenho que levantar cedo mesmo? Nesse momento me lembro que ainda estou no colegial, desliguei o despertador e parti para o banheiro. 

Enquanto a água quente caía esquentando meu corpo me lembrei daquele garoto, Eliott, sorri sacana. O garoto parece que tem o nome da minha nova conquista. Me troquei sem muita demora e desci as escadas sem muita pressa. 

Sozinho de novo, constatei. Não sei porque meu pai saí tanto, mas isso não é da minha conta. Peguei uma maçã na geladeira e saí em passos lentos rumando o colégio até meu pai aparecer. 

- Tyler? – Meu pai me chamou, provavelmente precisava de um favor já que ele não costuma ser muito presente.

Meu pai era minha família e eu era a família dele, minha mãe nunca fez questão de me conhecer, era isso que o meu pai me dizia, ela me deu assim que eu saí da maternidade e meu pai tem minha guarda desde então, não sintam pena, isso nunca me fez falta mesmo e meu pai apesar de um pouco ausente cuidou de mim como podia, ele era uma boa pessoa, as vezes um pouco maluco, mas ainda era um cara legal, e além do mais desde de que eu me entendo por gente sou assim, um cara independente. 

- Estou sem tempo pai. – Respondi seco e continuei meus passos, ignorei os chamados dele e acendi meu cigarro, dei uma tragada pensativo, hoje vou mostrar a Eliott Morningstar o lado bom da vida.

Quando entrei na escola vi que minha conquista, vulgo Eliott, não tirava os olhos de mim, era divertido ver a cara de assustado que ele fazia sempre que me via, apertei os olhos e fiquei o encarando, ele virava o rosto fingindo não me ver e eu me divertia com esse jogo, até o sinal bater anunciando o início das aulas. 

Me sentei no fundo da sala e fui recebido com um sorriso pelo Steven, um garoto que eu costumava ficar, pisquei para ele e me joguei na cadeira. Nada de muito relevante aconteceu depois da minha chegada além de algumas trocas de olhares com Eliott Morningstar, as aulas que se seguiram foram tão interessantes como acordar segunda de manhã, quanta ironia. 

Folheei algumas páginas do meu caderno entediado e notei quando Eliott saiu da sala, me levantei só para saber onde ele iria, juro que eu não tinha segundas intenções, talvez terceiras. Fui seguindo ele pelos corredores, quando ele notou minha presença Eliott praticamente correu para o banheiro, ele estava fugindo? Eu adoro quando minhas presas correm, isso vai ser mais interessante do que eu imaginava. 

- Fugindo de mim? – Sussurrei ao pé do ouvido dele. – Se correr é pior. – E finalizei com uma mordida que deixou o garoto arrepiado. 

- O que você quer comigo? – Eliott perguntou irritado, sem olhar diretamente para mim. 

- Vem comigo que eu te mostro. – Falei puxando Eliott para a primeira cabine que apareceu na minha vista. 

Tranquei a cabine e ataquei os lábios dele, segurei seus pulsos acima da cabeça e tentei aprofundar o beijo, mas ele não me dava espaço, Eliott se soltou de mim e me empurrou para trás. 

-E-Eu, eu não gosto desse tipo de coisa, não sou gay. – Ele falou me olhando com uma cara que me fez gargalhar. 

-Vai ficar rindo da minha cara? – Eliott indagou nervoso. 

-Eu posso fazer outras coisas além de rir. – Disse me aproximando, passei minhas mãos por seu peito e pude ouvi-lo arfar mas dessa vez ele foi esperto e me empurrou, destrancando

Ah Eliott pra que tanta marra? No fundo eu sei que você gosta... me sentei no banheiro com os meus pensamentos, acendi um cigarro e nem me preocupei em voltar para as aulas, quando o sinal tocou voltei para pegar minha mochila e quando eu voltava para a saída esbarrei em três garotos que riam sem parar sobre algo como trancar um garoto no armário de vassouras, desviei e continuei meu caminho pois aquilo com certeza não tinha nada haver comigo, e juro que eu não quero me meter em tanta encrenca assim. 

 

- Me liga mais tarde. – Steven falou enquanto vestia suas calças, assenti com a cabeça e me sentei na ponta da cama com um sorrisinho de canto depois dessa tarde “prazerosa” que tivemos juntos, esse garoto sabe bem o que está fazendo, Steven me deu um beijo rápido antes de ir e eu me joguei na cama com meu cigarro na boca. 

-Mais um Tyler Porter? – Meu pai me perguntou com uma falsa raiva. 

Olhei com uma cara que dizia “O que eu posso fazer? ”, meu pai negou com a cabeça e me deixou sozinho, eu era um pouco parecido com o meu pai, principalmente os olhos que eram praticamente idênticos. A diferença? Os dele tinha um brilho de tristeza que nos meus não tinham, acho que ele é um pouco frustrado na vida... 

O resto do dia passou tão rápido que quando percebi eu já estava ouvindo o barulho irritante do meu despertador me avisando que eu tinha que me levantar para ir ao colégio. 

Tomei um banho rápido e vesti o uniforme só para variar, tomei um café sozinho e peguei minha mochila para ir até a escola, cheguei mais cedo do que eu esperava, acho que andei rápido demais. 

Cumprimentei alguns amigos mas não fiquei para conversa, continuei andando até chegar no corredor principal, aproveitei que estava vazio e acendi um cigarro, um cigarrinho só não faria mal, não tinha ninguém lá mesmo pelo menos foi o que eu pensei...

-Tyler Porter é terminantemente proibido fumar nas dependências da escola. – O diretor praticamente berrou no meu ouvido, será que ele acha que sou surdo? 
Dei uma ultima tragada e apaguei o cigarro com os pés, nem me importei com a cara de espanto do diretor. 

-Detenção, venha a minha sala antes de sair da escola, Tyler Porter. 

-Diretor Stanley...brigadealunosnaentrada. – O inspetor Ben falou nervoso sem parar para respirar, o diretor saiu correndo, melhor assim, talvez ele se esqueça da minha detença. 

Escorei na parede esperando o sinal bater quando vejo o diretor voltar com cinco garotos machucados, apertei os olhos para ver quem eram e reconheci Eliott Morningstar entre eles, mas o que esse garoto fazia envolvido numa briga? Isso me deixava completamente agitado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...