História Honeymoon - Imagine Hot Jin - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~_rainbowhair

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Imagine Bts
Visualizações 374
Palavras 1.723
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Super Sentai, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltamos com mais um imagine! Dessa vez do nosso príncipe Kim Seokjin. Esperamos que gostem e se puderem deem uma olhada nos nossos outros imagines. Sem mais enrolação, vamos lá

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Honeymoon - Imagine Hot Jin - Capítulo 1 - Capítulo Único

(S/N)'s POV

Finalmente casados. 

O sorriso estava no meu rosto desde que entrei na igreja e até agora, em nossa lua de mel, ele não havia saído por um segundo. 

Jin fazia o check-in no hotel e eu o observada de longe, junto das malas. Meu marido é um homem muito lindo mesmo. "Meu marido", é tão bom dizer isso. 

Quando estava tudo certo, fomos até nosso quarto e deixamos as malas em qualquer canto, Jin se aproximou me pegando no colo e me abraçando forte. 

— Eu não acredito que você é finalmente minha, jagy — quase dava para ver o sorriso dele só pela maneira que ele falou.

— Eu sempre fui, meu amor — disse me soltando daquele abraço, mas continuando próxima, seguro o rosto dele com as mãos e selo nossos lábios num beijo demorado.

Quando o beijo termina ele cola nossas testas e olha nos meus olhos, acariciando meu rosto com o polegar. Seu sorriso era tão grande quanto o meu e seus olhos brilhavam. 

— O primeiro dia do resto de nossas vidas — ele diz me dando um selinho. 

Eu solto um risinho e o abraço forte.

 

X

 

Portugal era simplesmente lindo. Era muito engraçado ver o Jin tentando falar um inglês ou tentar enrolar o português. Já eu que eu sou brasileira, ajudei muito, mas era engraçado vê-lo tentar. 

Estávamos no alto da Torre de Belém ele me abraçava por trás, com a cabeça encaixada no meu ombro. Eu observava aquela vista completamente maravilhada. Era fim de tarde, mas mesmo assim o sol ainda não tinha se posto, porém estava quase. Andamos muito o dia todo visitando vários pontos turísticos, mas aquele foi meu favorito. 

— Não acredito que estou aqui, com você — a voz do Jin saiu baixa antes de dar um beijo em meu pescoço. 

— Estava lendo minha mente, Kim Seokjin? 

— Não, Kim (S/N).

E novamente aquele sorriso de orelha a orelha volta. Kim (S/N).

Passamos mais alguns minutos naquela posição até que decidimos sair para comer. Ele segura minha mão e descemos aquela escada íngrime e estreita. 

Acabamos indo comer os famosos pasteis de Belém (uma delicia, Jin já está procurando a receita), andamos de bondinho, caminhamos por uma praça e voltamos para o hotel. 

Eu estava simplesmente exausta de ter andando tanto e vejo o Jin se jogar na cama. Me inclino sobre ele e deixo um selar em seus lábios. 

— Vou tomar um banho, ok? — ele faz que sim com a cabeça e vou até o banheiro do quarto, me despindo e entrando em baixo do chuveiro. 

Sinto as gotas quentes rolarem pelo meu corpo e deixo elas levarem parte do meu cansaço. 

Eu e Jin namoramos por 4 anos, ficamos noivos por 1 e agora estávamos finalmente casados. Minha família sempre gostou de sua companhia e a sua é o maior amor comigo. Com famílias amigas e que sempre apoiaram nossa união, é tudo simplesmente um mar de rosas. 
Claro que também tivemos dificuldades, lidamos com ciúmes, com a falta de tempo devido à faculdade e emprego e diversas outras coisas, mas aguentamos e enfrentamos tudo juntos. 

De repente uma voz me assusta, me retirando de meus pensamentos e me viro. 

— Jagy, posso tomar banho com você? — Jin disse apenas com a cabeça com a cabeça para dentro do banheiro. Procurei malícia no seu olhar e não achei, sorri para o meu marido e concordei com a cabeça. 

Seokjin entrou no banheiro, já se despindo e entrou no box junto comigo, deixando um selar na minha testa, tomando o shampoo de minha mão e lavando meu cabelo. 

Fechei os olhos e aproveitei a sensação, ele era super delicado comigo e deixou um beijo em meu ombro. 

O banho foi cheio de risos e carinhos, fizemos uma bagunça com a espuma do shampoo, mas depois limpamos tudo. Ao terminar o banho nos vestimos com os roupões e voltamos para o quarto, eu comecei a mexer na mala que estava em cima da cômoda procurando meu pijama quando sinto mãos na minha cintura. 

— Jagy... não se veste agora — a voz do Jin saia um tanto manhosa e eu deixei minha cabeça encostar em seu ombro. 

Sinto suas mãos apertarem um pouco minha cintura e me virar para ele. Aqueles olhos que tanto amo estão focados em minha boca e eu levo uma mão até sua nuca, o puxando para um beijo.  

O aperto na minha cintura diminui e sinto suas mãos me soltarem, indo até a faixa do meu roupão e a desamarrando, solto sua nuca para que ele possa retirar meu roupão, me deixando completamente nua e volto minha mãos até seu cabelo. 

Jin deixa uma das mãos em minha cintura e a outra em minhas costas, colando mais meu corpo no seu e da um último selar em minha boca, descendo uma trilha de beijos pelo meu maxilar, pescoço até chegar em meu colo. 

Era incrível sua capacidade de mudar do nada, uma hora estava sendo todo fofinho comigo com todos os carinhos mesmo me tendo completamente sem roupa em sua frente, mas agora ele já estava ficando "animado". 

Como eu era baixa, ele leva as mãos até minhas coxas me colocando em seu colo, de modo que possa levar a boca até meus seios. Deixo minhas pernas entrelaçarem em sua cintura e abraço seu pescoço, tombando a cabeça para trás e soltando um gemido manhoso quando sinto sua boca em meu seio, o chupado e em seguida mordendo o biquinho que já estava duro. 

— Jin... — digo baixo, mas minha voz é cortada por outro gemido quando ele toma meu outro seio nos lábios 

— O que foi, Jagy? — ele diz baixinho, me segurando forte e andando comigo até a cama. 

Eu abro a boca para falar, mas a voz se perde quando ele me coloca deitada na cama e desamarra o roupão, sem o retirar e fica por cima de mim, tomando meus lábios num beijo necessitado. 

Levo minhas mãos até seu peitoral e abdômen o arranhando e sinto ele suspirar contra minha boca. Jin acariciava meu rosto com o polegar e sinto uma de suas mãos aperta meu seio, o que arranca um gemido meu. 

Em algum momento daquele beijo, meu marido desceu a mão indo até minha intimidade, começando a estimular meu botãozinho, o que faz com que eu morda seu lábio com força. Jin apenas solta uma risada baixa contra minha boca e passa seus longos dedos pela minha intimidade, logo colocando um deles devagar fazendo movimentos lentos. 

— A-amor... m-mais — praticamente imploro e ele não demora a introduzir o segundo dedo em mim, começando a ir fundo, me fazendo gemer manhosa. 

Meu marido começa uma trilha de beijos pelo meu tronco até finalmente descer até minha intimidade, trocando seus dedos por sua língua, alternando entre me penetrar e chupar meu botãozinho já sensível. 

Levo uma de minhas mãos até seu cabelo, mas deixo ele continuar fazendo o que quer, enquanto tento descontar meu prazer no aperto do meu seio. 

Não demora muito para que eu goze em sua boca e ele engole tudo, dando um sorriso satisfeito em seguida. Quando eu tento mudar as posições já levando minha mão até seu membro ele apenas nega com a cabeça. 

— Hoje não, amor. Essa noite é sua — ele disse retirando o roupão que ainda vestia e me fazendo deitar na cama 

— Mas oppa, você sabe que eu amo...

— Shhhh, eu sei, mas o oppa quer dar o máximo de atenção a princesa dele, huh? 

E ele me cala mais uma vez com um beijo que começa lento e vai ganhando intensidade, uma de suas mãos apertava minha cintura e ele acabou por se encaixar no meio de minhas pernas, levo minhas mãos até seus ombros largos quando sinto seu membro se posicionar em minha entrada. 

Ele deixa diversos selares em minha boca antes de colar nossas testas e falar aquelas três palavrinhas que sempre fazem meu coração acelerar, as três palavrinhas que ele fez questão de aprender a falar em português e sempre as pronuncia com todo o amor possível. 

— "Eu te amo".

Meu sorriso se torna gigante e eu seguro seu rosto apenas para dar mais um beijo naquela boca maravilhosa. 

— Eu também te amo.

E com isso e um último selar ele me penetra devagar. Quando já está completamente dentro de mim seus movimentos começam lentos, arrancando gemidos arrastados dos dois. Ele não desgrudava os olhos dos meus e vez ou outra ele selava nossos lábios, sussurrava "eu te amo" ou deixava mordidinhas e beijos pelos meus ombros e pescoço. 

Suas investidas acabaram por ganhar velocidade, mas sem perder todo o carinho que estava lá desde o começo, ele ia fundo dentro de mim e não consegui me conter, cravando minhas unhas em seus ombros. 

Eu amava quando meu nome escapava de sua boca em forma de gemido ou observar aquele rosto corado e suado, amava a maneira que ele não parava de me encarar por um segundo sequer ou como cada movimento era feito com o máximo de cuidado. 

Ao acertar meu ponto sensível soltei um gemido mais alto que os anteriores e mordi o lábio com força, mas logo Jin voltou a me beijar, mirando apenas naquele ponto. 

Não foi difícil me fazer gozar pela segunda vez na noite e após mais algumas estocadas meu marido se desfez dentro de mim. 

Ficamos naquela posição por um tempo e ele se deita ao meu lado, segurando minha mão e entrelaçando nossos dedos. 

— Tomamos banho pra nada — ele diz arrancando um riso de mim.

Eu me viro para abraçá-lo e ele começa a acariciar meu cabelo. 

— Você tem noção do quanto eu te amo? — pergunto fazendo meu nariz roçar em seu pescoço.

— Hmmm, só não é mais do que eu te amo — ele diz e começamos a rir — mas acho que tem alguém que eu poderia amar mais. 

Eu o encaro confusa e ele abre um sorriso tranquilizador. 

— De acordo com você vai demorar um pouco, mas quando tivermos nossos bebês...

— Aí meu deus, que susto, Seokjin! — digo dando um tapa em seu peitoral.

Ele começa a rir e me abraça mais forte. 

— Mas temos que conversar novamente sobre esse assunto, entendeu mocinha? Eu quero meus pequenos!

— Aish! Espere um pouco mais, ainda quero aproveitar o tempo ao seu lado, vou querer mais noites assim. 

— Você vai ter — ele diz selando nossos lábios.
 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...