História Honeymoon - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), EXO
Tags Bap, Contos, Exo, Fantasia, Harem, História, Magia, Originais, Outrosgrupossurpresas, Políamor
Visualizações 78
Palavras 1.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Harem, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite!
Boa leitura <3

Capítulo 4 - O feitiço da contadora


Fanfic / Fanfiction Honeymoon - Capítulo 4 - O feitiço da contadora

 

— Como era esse reino de Silla?

    Rei Luhan, que na noite anterior dormia enquanto ela contava a história - mas deve ter falado com um dos reis para saber sobre o que foi contado – Lhe perguntou assim que entrou no quarto aquela noite com olhar curioso.

  Enial sorriu enquanto sentava aos pés dele e usou do seu tom mais suave:

— Era um reino bonito, que junto de outros dois formavam os três reinos na península da região. O rei triste desejava unir todos os reinos em um único, mas depois da tragédia que o acometeu, ele deixou seu sonho de canto. Mas seu filho mais velho ainda desejava realizar aquele feito, seu filho mais velho desejava fazer de tudo um único reino em nome de seu pai. Mas havia uma briga interna entre seus irmãos e por isso a ideia não vingava...

— Vai me dizer então que a Alice vinda dos céus ajudou o príncipe herdeiro nesse plano?

  Ele perguntou incrédulo e Enial escondeu o sorriso de diversão atrás de um olhar curioso:

— O que acha desse caminho, meu rei, parece tão absurdo assim? O príncipe mais novo foi atrás da hábil guerreira de quem todos no reino falavam maravilhas. O príncipe inventor, como era conhecido, tinha fama de ter um olho ótimo sobre talentos natos e quando viu a jovem guerreira brincar de ‘lutinha’ com as crianças na rua da ferraria... Ele soube que ela deveria entrar para o corpo dos guerreiros do palácio. E ele não desistiu até conseguir que ela se alistasse. Usando de disfarces e lábia, o príncipe inventor convenceu o pai de adoção da jovem para que ela fosse fazer parte da elite de damas guerreiras da rainha mãe e como era um prestígio imenso chegar aquele posto e iria ajudar nos negócios do seu pai por adoção, nossa jovem guerreira aceitou e no dia seguinte já entrava no seleto grupo de mulheres que protegiam a rainha mãe do grande reino de Silla.

— Ela morre no fim?

  Rei Baekhyun veio para eles e se sentou no seu divã de sempre deixando a coroa de canto com pouco tato. Ele nunca tirou a coroa na sua frente antes...

— Se eu contar vai perder toda a magia, não acha?

— Eu pensei nisso o dia todo, se ela foi levada de um reino muito distante para outro por forças celestiais com o propósito óbvio de ajudar o rei, seguindo as probabilidades, sua morte no fim é certa, assim que ela realizar o que os deuses desejavam dela...

— Isso me lembra uma outra história, meu rei, que prova que nem todas as probabilidades são o real caminho, uma história onde o herói mesmo contra todas as possiblidades e inclusive contra o desejo dos deuses e o que estava escrito para seu próprio destino, ajudado pela alma de duas bruxas que deram suas vidas, inclusive, para salvar o destino da humanidade, decidiu enfrentar o destino que os deuses traçaram para ele e suas almas gêmeas e voltou para o passado através de um espelho côncavo feito com magia profunda, para tentar evitar que a catástrofe que levaria o mundo a destruição fosse concretizada, seu nome era rei Zhang Yixing. Ele era um dos dois reis desse mundo distante.

— Ele voltou no tempo?

  Rei Lay perguntou surpreso, ela assentiu:

— Sim meu rei, ele voltou no tempo, mais de quinhentos anos no tempo para tentar mudar o passado, salvar a humanidade e suas almas gêmeas também. Rei Zhang tinha uma peculiaridade, ele se lembrava de todas as suas vidas passadas, de seus amores, de suas perdas, e não sabia que seria tão difícil para seu coração se ver frente a frente de um dos seus grandes amores, a mulher que mais amou em todas as suas vidas, sua querida e adorada Zhēnguì. Quando ele voltou no passado, voltou para um tempo onde ela ainda não o conhecia, não nutria o mesmo amor que ardia em seu peito e ainda era uma jovem e pura donzela. Ele voltou para tentar salvar o mundo, mas seu coração sofria porque desejava tocá-la com toda a sua alma, mas jamais tocaria nela sabendo que toda a sua intensidade poderia machucá-la. Ele voltou no tempo, mas o tempo não foi doce para ele, ainda assim ele enfrentou mais uma vez seu destino e junto da bruxa, no futuro apenas uma árvore sábia, mas no passado de carne osso e magia, ainda que pouca diante do que se tornou depois, juntos ambos lutaram com unhas e dentes para salvar o mundo da devastação, mas não foi fácil, nem tranquilo. Pois rei Zhang tinha inimigos desconhecidos que jamais previram, quando decidiram agir tão bravamente a uma viagem desse tipo. Mas também houveram amigos improváveis e um deles era um homem misterioso vindo de outra dimensão com uma charada para a tal bruxa que ajudou o rei em sua árdua missão. Tal charada foi lhe dada por uma feiticeira que morava dentro de um livro mágico e o feitiço da contadora, como ficou conhecida a charada, foi de grande ajuda ao rei em sua trajetória. Mas salvar o passado foi algo sem precedentes na história daquele mundo e despertou a ira nos céus também, nos céus do mundo de nossa heroína guerreira, Alice.

— Como assim?

  Rei Baekhyun ofegou e Enial se preparou para contar quando rei Chanyeol entrou no quarto com estrondo, arrastando seu olhar para a porta e para os almofadões que trazia no braço, ele veio para si e jogou os almofadões ao seu lado com cara de poucos amigos: 

— Essa noite você dorme aqui.

  Enial arqueou a sobrancelhas, mas acatou a ordem.

  Então rei Jongdae entrou atrás do rei Chanyeol e lançou um sorriso de canto para ela antes de sentar em seu divã e bater em seu colo:

— Vem aqui, sua bruxa cheia de lábia, vou fingir que não está ganhando tempo e vamos fazer o que não tem feito comigo nessas noites. Para sua sorte já não tenho mais interesse em outras mulheres...

— Kai-ah nos deixou ficar com você até quando quisermos assim vai dormir aqui quando quisermos também – Rei Baekhyun sorria animado – E vai me contar histórias até eu dormir...

— Depois, Baek, depois...

  Rei Jongdae disse enquanto Enial ia para o seu colo e se deixava beijar como aquele rei preferia.

 

 

 


Notas Finais


Beijinhos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...