História Honour or Love (Jikook/ Kookmin) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, V
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Taehyung, Vkook, Vmin
Exibições 155
Palavras 1.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Atrasei? Sim. Mas é a vida. Tá pequeno e novo? Sim... E me perdoem. Eu estou com um puta tempo pequeno hoje… mas juro dessa vez que na próxima eu compenso.
Boa leitura.

Capítulo 12 - Hyung, isso dói.


Eu não conseguia suportar ver aquela cena. Mas graças ao bom Jesus, Kim Seokjin apareceu na minha frente. Eu não liguei para mais nada, apenas me joguei em seus braços e chorei feito o Bebezão idiota que eu era. Ele não ligaria, ele era um ótimo Hyung.

-Hyung..me leva pra sua casa? 'Tá doendo
-O que?
-Meu coração
-Por...por quê?
-Hyung, por favor. Eu não quero ver isso.
-Vem Park Jimin!

Ele me segurou pelos ombros e me forçou a entrar na carro. Eu deitei no banco de trás chorando e fiquei quieto até ele entrar.

-O que faz aqui, Hyung?
-Vim comprar uma Action Figure do Luigi. E você? Por que chora?
-Jungkook, Hyung
-E dai? Ele é seu irmão. Não é porquê ele namora você vai perdê-lo
-Não é isso, Hyung..eu gosto...eu amo ele
-Mas é óbvio. Ele é seu irmão
-Hyung..dá pra me ouvir? Eu amo meu irmão. Eu o amo. Amo mesmo. Amo de verdade..amo..como...como…-Eu me calei quando vi ele me olhando de olhos arregalados.
-Espera..Jimin. É o que eu entendi-Eu assenti com a cabeça-Vocês..vocês..
-A gente já transou....e tals
-Oh, meu santíssimo eu mesmo. Park Jimin
-Eu tento...mas não dá. Eu realmente gosto dele
-Mas e o Tae?
-Eu..eu..gosto dele até
-Até? Jimin..porra, Jimin. Seu irmão não gosta de você. Ele gosta do Hoseok..ele me disse a uns dias. Uma semana na verdade. Você não pode fazer nada. Se você… gosta mesmo dele… você…tem que deixar ele ser feliz
-Eu sei, Hyung. Mas isso machuca, tá?-Ele deu uma freiada violenta me fazendo bater a cabeça e se virou para mim.
-Park Jimin. Vai se foder. Eu gostei por três anos de um cara e não namoramos nem nada. Ele já tinha namorada. E eu não fiquei chorando falando "Hyung, dói", pra ninguém. Eu sabia que ele era feliz e que, se eu gostava dele era isso que importava. Então seja homem, porra. Caralho...você chorar vai fazer ele correr magicamente para os seus braços? Suas lágrimas são mágicas como os cuspis do Steven Universe? NÃO. Então tenta ser feliz com a droga do seu namorado e para de chorar feito uma menina que perdeu a virgindade com o namorado que só queria comer ela e foi embora-Eu olhei ele de olhos arregalados.
-Foi..foi mal. Mas não é só isso
-Tem mais o que?
-Meu pai e a nova piranha dele
-Me conta mais sobre isso…

Passei horas e horas falando com o Jin Hyung. Ele me disse para ser cauteloso e não ficar me metendo muito por hora. Ele disse que eu era muito impulsivo e poderia acabar fazendo alguma merda. Eu agradeci e seguimos caminho. Eu liguei pro Tae e disse que tive que voltar pois o tecnico de internet disse que poderia ir hoje. Ele apenas disse que não teria problema e desligou dizendo para eu aproveitar e descansar. Assim que chegamos na casa do Jin, ele estacionou e entramos. Eu saí me jogando no sofá e ele se sentou ao meu lado rindo.

-Muleke abusado-Eu sorri tristonho
-Mamãe sempre dizia isso..
-Desculpa
-Tudo bem. Eu a amava, mas quer saber?
-Quero
-Você sempre foi uma omma bem melhor do que ela-Eu disse e o mesmo riu.
-Lisonjeado estou. Se você gosta mesmo dele...eu espero que não sejam irmãos
-Eu também..

A tarde passou. Jogamos video-game e Apostamos. Fizemos uma aposta fora. Ele disse que se eu amava Kook era por algum motivo. Então ficaríamos juntos sim. Já eu disse que a vida era filha da puta-como eu sempre digo-, e que não iríamos. Apostamos que, se ficássemos, eu teria que subir no prédio mais alto daqui do bairro e gritar que amava o Kook. Já eu disse que senão ficássemos juntos, ele faria o mesmo, mas gritando que amava o Namjoon. Pois ele ainda gostava do babaca hetero do Namjoon que quebrou o coração dele. Ele apertou minha mão e foi assim que eu voltei pra casa.

Mesmo depois do conselho dele, Eu fui pra casa chorando e chutando pedrinhas. Enxuguei minhas lágrimas na porta e a abri com todo força. Entrei na sala e vi quatro pessoas assustadas:  Meu pai, a vagabunda dele, Hoseok...e Tae. O que eles dois faziam aqui? Com eles outros dois? Eu..será que Hoseok quer matar o Kook por ele ser a pessoa mais linda do mundo? Ok, Jimin. Você está pirando muito. Sossega esse faixo.

-Desculpa eu..não tava conseguindo abrir. Oi, Tae-Eu sorri para ele-Ele não veio e eu fui comprar pão
-Cadê?
-Acabou
-Oi, Jimin-Hoseok sorriu e eu sorri de volta. Mas na verdade eu queria quebrar a cara dele
-Oi, Hoseok. Se conhecem?
-Sim. Minjung é minha tia
-Ah..Minjung
-Filho, eu queria falar sobre isso. Eu ah..
-A vida é sua, pai. Só não diga nunca que amava a mamãe. E eu não quero e não preciso saber. Faz o que quiser..cade o Kook?
-Praia-Hoseok disse calmo. Olhei o relógio e vi que eram quase onze horas. Kook não podia ficar na rua sozinho. Ele não sabia voltar da praia sozinho a noite.
-O que? Por quê? Vou atrás dele agora-Eu disse me virando.
-Por que liga tanto, Jimin?-Tae disse me olhando sério. Merda.
-Ele não sabe voltar sozinho de noite
-Ele vai me ligar-Hoseok balançou o celular no alto.
-Mesmo assim
-Fica-Meu pai disse sério.
-Não
-Fica, deixa seu irmão. Você protege muito ele e não o deixa viver
-Não!!
-FICA
-NÃO!!!
-Seu pai mandou, fica, Chim
-Eu não. Ele nunca foi meu pai e quer ser agora?
-Se você me ama fica
-Se você me ama...me entende!-Eu sai e bati a porta.

Eu corri muito rápido. Tão rápido que meus pés doíam juntamente com meu peito. Mas eu não pararia. Eu precisava achar ele. Virei a esquina e senti a maresia da água. Corri mais que antes e senti meu peito apertar. Jungkook estava sendo arrastado para dentro de um carro por quatro caras. Eu corri até eles e gritei parando em frente aos cincos

-PARA! o que estão fazendo?
-Ordens
-De quem?
-Interessa?
-Sim, porra. É meu irmão...
-Foda-se, mano. Vamos levar ele
-Não vão não!-Eu peguei uma arma do bolso e mostrei a eles.

Todos eles levantaram as mãos.

-Calma, cara
-Calma porra nenhuma. Vão embora agora. Senão mato vocês
-Duvido-Eu tirei um pacote de balas do bolso e o abri. Eles recuaram.
-Tudo bem..tudo bem, cara!-Eles entraram no carro e seguiram viajem.
Eu fiquei de "guarda" até eles virarem três esquinas depois de nós e sumirem. Jungkook me olhou assustado e me abraçou chorando.

-Obrigado...eu estava com medo. Muito medo
-Eu sempre vou te salvar ok?-Disse beijando a testa dele.-Calma-Ele fez que sim com a cabeça e começamos a voltar pra casa.
-O que queriam?
-Sei tanto quanto você
-Merda..não falar sobre isso em casa, ok?
-Ok
-Sabe quem estava de conversa com nosso pai e a puta dele?
-Não. Quem?-Ele disse curioso como uma criança. Fofo.
-Meu namorado.......e o seu
-Hoseok? Por quê?
-Então namoram?
-Responde logo, cacete
-Minjung e tia dele-Ele arregalou os olhos-Ai tem coisa, Kook. Me ouve..belo namorado o seu.
-Cala a boca. Não é porque ela faz merda que ele faz
-Olha a genética
-Você é cafajeste e eu não
-Pelo que sabemos você pode não ser meu irmão..
-Você está louco para isso, não?
-Claro. Você não?
-Não...sei-Ele sussurrou o sei bem baixinho mas eu ainda pude ouvir e sorri. Ele percebeu e corou-Eu quero tentar fazer certo com o Hoseok
-Isso se ele for certo...se ele for
-Vai se foder Jimin, eu te odeio
-As vezes os sentimentos são trocados
-Então eu te amo.

Ok, eu sei que ele não quis dizer isso. Mas eu queria saber como eu ficaria ouvindo isso. Mas não adiantou. Sei que não é de verdade. Eu só sorri com a ideia de que, talvez aconteça um dia… talvez

[…]

Chegamos em casa e subimos as escadas entrando pelos fundos. Ninguém nos viu, amém. Mas eu parei no meio do caminho ao ouvir algo. Era meu pai ao telefone.

-Ela já morreu...só falta a outra parte ser concluída...

Ele 'tava falando da mamãe?…


Notas Finais


Que fdp... XD
Até o próximo.
Beijos, morangos e abraços.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...