História Honour or Love (Jikook/ Kookmin) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, V
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Taehyung, Vkook, Vmin
Exibições 148
Palavras 2.740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá. Cá estou eu e creio que esse cap ficou grande-Finalmente. Eu tenho muito dever pra fazer-Dei uma pausa só pra postar.
Então me perdoem se eu sumir.
Boa leitura.

Capítulo 14 - Hoseok…


Fanfic / Fanfiction Honour or Love (Jikook/ Kookmin) - Capítulo 14 - Hoseok…

-Ji-Jimin… seu braço
-É só sangue, Kook. Tudo bem. Pode pegar o Kit de primeiros socorros no banheiro?
-P-pego!-Ele disse espantado.

Ele foi eufórico até o banheiro e eu escutei alguns barulhos. Presumi que ele havia caído e fiquei preocupado.

-Kook… se machucou?
-Não… eu só  cai
-Tem certeza?
-Sim.-Ele disse vindo até mim e me deu o Kit.
-Posso te ajudar?
-Por favor!

Ele sorriu e me puxou me sentando na cama. Ele sorriu para mim tranquilizador e abriu o kit. Eu nunca pensei que veria Jungkook cuidando de mim desse jeito. Ele me olhava de forma doce e carinhosa, e sorria enquanto passava o remédio sobre o corte. Queimava muito quando ele passava aquele algodão, mas eu teria que aguentar. Não sou mais uma criança para ficar fazendo birra quando sinto dor.

-Chim...
-Oi, anjo!-Ele sorriu preocupado.
-Não estou certo de deixar só o curativo, vamos viajar e tenho medo de deixar  aberto e pegar alguma bactéria…
-Vo-você vai… co-costurar?
-Aham-Ele afirmou com a cabeça.
-Kook..vai..vai doer muito
-Eu sei, Chim. Pode agarrar minha mão e morder um pano para não gritar…
-Soca minha cara
-Eu não vou fazer isso…
-Jungkook…-Eu disse manhoso. Ia doer para um caralho.
-Porra, Jimin. Se você é homem pra trair seu namorado, não vai ser homem pra sentir dor?-Ele disse me olhando sério, mas logo mudou para pena.
-Tu-tudo bem… faça.

Ele me deitou na cama e sorriu. Eu segurei a perna dele com toda força do mundo quando ele pegou a agulha esterilizada e atravessou minha pele. A medida em que ele ia costurando, eu ia gritando abafado e as lágrimas desciam. A dor era insuportável.

-Calma, Chim. Já vai passar-Ele dizia secando minhas lágrimas enquanto terminava.

A dor era tão grande que eu não aguentei e acabei desmaiando na cama.

Jungkook's POV.

Eu sei que isso doía de mais, porém eu tinha medo do corte piorar. Eu não faria nada para machucar meu pequeno Chim… irmão, meu pequeno irmão. Eu..melhor eu me concentrar. Pensamentos para depois. Ele estava muito quente, então eu coloquei um pano molhado em cima de sua testa e acabei de costurar o ferimento. Finalizei cortando a ponta da linha, e por fim coloquei o curativo por cima. Eu sentei ofegante e aliviado. Tinha medo de machucá-lo mas do que ele já estava. Eu o olhei e sorri. Ele é tão delicado e como eu disse uma vez antes, inocente. Ele é frágil e não merece que nenhuma dessas coisas aconteçam com ele, ainda mais por minha causa. Eu quero proteger ele, mas já vi que é ele quem vai me proteger aqui. Eu preciso da ajuda do Jin Hyung e do Namjoon Hyung. Jin Hyung gosta dele, porém ele tem namorada. Mais eu meio que,-mesmo sendo mais novo,- sou o psicólogo dele e o Jin o meu. Preciso mandar mensagem para um dos dois. Ou melhor, farei um grupo com os dois.
Larguei tudo que rondava minha mente e foquei em Jimin. Deveria estar doendo muito ainda ou ele estava tendo um pesadelo. Pois respirava ofegante e pesadamente. Como se estivesse assustado e correndo. Eu me limitei a chegar perto do mesmo e segurei sua mão com força. Me agachei minimamente e sussurrei em seu ouvido:

-Calma, meu pequeno Chim. Está tudo bem. Eu 'tou aqui!-Ele foi se acalmando a medida em que eu fazia carinho em sua mão e sussurrava que tudo ficaria bem.

Logo, ele estava dormindo normalmente. Tranquilo como uma criança. Eu sorri ao vê-lo apertar minha mão e sorrir. Eu senti uma vontade tremenda de fazer uma coisa e não me privaria dela. Eu me agachei e selei nossos lábios de leve, por um tempo consideravelmente longo e logo os separei ao notar que eu havia feito. O pequeno Chim passou a mão de leve no rosto, ainda sorrindo. Eu me afastei e fui em direção ao banheiro. Precisava tomar um banho e pensar. Eu não sei o que sinto e não sei mais quem sou. Não sinto que sou o mesmo Jeon Jungkook de antes. Mas não sei o quão drasticamente eu mudei. A questão é: Quem eu sou agora?…

[…]

-Hey, Chim. Acorda
-Que foi?-Ele levantava lerdo.-O que aconteceu ontem?
-Você acabou desmaiando de dor, então eu terminei
-Muito obrigado.-Eu sorri fofo para o mesmo.-Kook…
-Eu mesmo
-Eu..eu tive um sonho ontem!
-E qual foi?
-Eu sonhei que você me beijava…
-Oh, Park Jimin.-Eu coloquei minha mão em seu rosto.-Não sonhe com coisas impossíveis de se acontecerem…
-Não é impossível. Eu vou te provar, Jungkook. Um dia verá que precisa de mim e que me ama. Talvez eu não esteja mais aqui para você quando isso acontecer
-Veremos..veremos..esquece isso, Ok? Vai se arrumar.-Ele levantou irritado da cama e foi ao banheiro.

Eu não posso contar para ele. Isso dará muitas esperanças a ele. E eu não gosto dele, eu gosto do Hoseok...será que eu gosto do Hoseok. Será que eu não gosto do Chim? Na verdade eu gosto, ele é meu irmão, a questão é: Como eu gosto dele? Eu vou acabar enlouquecendo se eu não me descobrir logo. Se eu não decifrar isso, eu vou dar uma de doido, vou largar os dois e ficarei sozinho. Eu..não quero ficar longe do Chim. Ele… é meu irmão, claro. Irmãos permanecem juntos. E eu luto para que esse seja o motivo que está fazendo meu coração começar a doer quando ficamos longe esses dias...esses dias eu ando querendo ficar com ele. Quando fico longe, me sinto desprotegido. Deve ser por ele ser meu irmão mais velho. Deve ser por ele sempre cuidar de mim e me deixar seguro...deve..deve? Eu não sei. Eu queria saber mas eu juro, que eu não me entendo mais. Jimin está tirando minha capacidade de me entender. E eu acho que mesmo não querendo, ficarei longe dele e ficarei no Hoseok.

[…]

Estávamos já dentro do avião. Jimin segurava minha mão enquanto cantava baixo. A voz de Tae não era a mais linda que eu ouvira, não mais. A voz do Jimin Hyung é muito mais bonita. Muito mais bonita do que qualquer voz. Ele estava cantando Everything. Ele disse que não se lembra, mas se lembra sim. Essa música está me fazendo muito bem esses dias. Pensar em Jimin Hyung está me fazendo bem esses dias. Eu deitei a cabeça no ombro dele e fechei os olhos para ouvi-lo melhor. Eu estava muito cansado, não dormi a noite toda. Fiquei preocupado com Jimin e fiquei o vigiando. Ele sorriu vitorioso e passou os braços ao meu redor. Eu estava tão cansado que não me importei. Eu apenas deitei de modo mais relaxado deixando que o mesmo me abraçasse mais e sorri. Eu olhei para ele uma última vez e sorri, antes de acabar dormindo nos braços dele mais uma vez. Não importa o quanto eu diga não. Por que eu sempre caio nos braços dele no fim?

Jungkook's POV off

-Fez o que eu pedi?
-Não. O moreno mais baixo atrapalhou. Ele deu um jeito de escapar
-Sempre ele.  Sempre esse filho da puta.-A voz soava irritada do outro lado da linha.  Como uma espécie de grito reprimido.
-Sinto muito. Tentamos mas não deu
-Tudo bem, seu incompetente. Afinal, se quer fazer algo bom faça você mesmo não? Pode deixar que eu cuido de tudo. Já está na hora d'eu resolver as coisas por mim mesmo…

[…]

Jimin's POV

Acordei do vôo e notei que Jungkook dormia em meu colo.  Eu não queria acordá-lo. O mesmo havia adormecido em meus braços. Presumo que ele não deve ter dormido nada noite passada. Deve ter ficado me vigiando, se bem que acordei algumas vezes de madrugada e o vi sentado na cama, com as mãos na, cabeça, cotovelos nos joelhos e cabeça baixa. Ele só fica desse jeito quando está com dor, irritado ou preocupado. E tenho certeza que deveria ser a última, pois ele não havia sido nem mesmo tocado por aquelas caras. Bom, pois se tivesse, eu iria atrás deles e os mataria. Ninguém toca no meio pequeno Kookie. Que ainda não é meu…mas eu farei ele ser. Park Jimin tem tudo que quer, e a única coisa que eu quero e ter esse menino para mim. Ele me roubou para ele, nada mais justo do que eu roubá-lo para mim de volta, não? Eu peguei as malas,-Que na verdade eram mochilas-,e o peguei no colo. Coloquei a mais leve sobre ele e desci do avião. Fui direto para o ponto de táxi e agradeci por ter um vazio. Entrei no banco de trás deitando ele em meu colo e lhe dei o endereço de casa. Seguimos viagem em silêncio. Durante todo o caminho, eu fazia carinho em seus cabelos. Era tão bom quado eu podia tê-lo para mim. Me sentia tão.. Livre. E queria ser livre para poder amar meu Kook. Assim que chegamos em casa, eu paguei o taxista e resolvi acordá-lo.

-Hey, Kook. Acorda, anjo
-Oi, que..foi? Onde estamos?
-Em casa. Se é que podemos chamar de casa. Vem!

Eu ajudei ele a levantar e saímos. Lhe dei sua mochila, mas também tive que segurar sua mão para que ele andasse sem cair, estava muito sonolento. Confesso que fofo. Espera, quando eu não acho ele fofo? Até quando transamos ele cora e fica fofo. Esse homem é o motivo da minha morte mental. Ele destrói minha sanidade. Assim que chegamos em casa, paramos ao ouvir uma conversa e decidimos nos agachar na janela para ouvirmos melhor.

-Kook?-Eu susurrava.
-Fala.-Ele sussurrava de volta.
-Sobe pra ver.-Ele arregalou os olhos.
-Eu não. Sobe você
-Mas você é mais alto, fica mais fácil.
-Chim… eu estou com medo e vou acabar fazendo besteira.
-Tá.. Tá!-Eu falei irritado e subi.-É o papai.. E.. E o Hoseok.

-Eu não sabia que você ia fazer isso, Eunwoo!-Hoseok dizia assustado.
-Você entrou, não vai mais sair!
-Eu não sabia que você mandaria sequestrar os meninos! Eu achava que só estava ajudando Tae à saber se eles namoravam ou algo assim
-Jung Hoseok. Eu usei isso como ajuda pra executar o plano. Eu quero eles fora do meu caminho
-Isso tudo apenas porque a sua ex esposa te traiu?-Eunwoo riu.
-Ela nunca foi minha esposa!
-Sim.. Você nunca a viu como uma. Eu vou contar tudo a Jungkook
-Você o ama, não?
-Com todo meu coração
-Se contar, acha que ele vai te querer ainda?
-Não importa. Eu o amo e não quero nas suas mãos. Ele bem importar mais
-Boa sorte em falar sem uma voz!-Eunwoo tirou uma arma do bolso.

E sem dó nem piedade, atirou na garganta de Hoseok. Hoseok arregalou os olhos e tocou a garganta de boca aberta, antes de cair no chão sem vida.

-Foi um tiro?
-Jungkook Nã..-Ele já havia subido.

Ele arregalou os olhos e colocou a mão na boca, enquanto escorregava de costas na parede e caía sentado no chão.

-Hey.. Hey.. Calma. Calma!!-Eu o abracei e o mesmo me abraçou de volta. Muito apertado.
-O Hoseok…o Hoseok
-Você amava ele, eu sei
-Eu não o amava. Eu gostava dele. Mas mesmo assim.. E se ele me matar..matar você?-Ele sussurrava desesperado.
-Não vai. Não vou deixar. Eu vou sempre te salvar. Lembra?-Ele balançava a cabeça afirmando.-Vamos à casa do Jin Hyung. Lá iremos pensar melhor.

Eu peguei ele no colo de novo e corri o máximo que eu podia. Eu corri em direção a casa de Jin Hyung, que não foi muito fácil, pois Jungkook pesava, mas ele estava em choque. Eu não poderia colocá-lo no chão. Ele apenas ficaria parado, chorando feito um bebê. Chegamos na casa de Jin e eu não o chamei, tão pouco toquei a campainha. Eu apenas abri a porta com certa violência e corri em direção a sala. Assim que chegamos, vi uma cena que me deixou feliz por um momento. Jin Hyung estava beijando Namjoon Hyung no sofá. Mas ele não tinha namorada? Os dois pararam assustados e nos olharam confusos, mas logo arregalaram os olhos.

-Que foi?-Falaram em coro.
-Nosso pai.. Ele…ele matou o Hoseok…

[…]

Após uma longa hora acalmando Kook, ele dormiu. Deixamos ele no quarto de Jin e fomos a sala, o que nos levou a mais uma hora de conversa. Eu não acreditava que Tae desconfiava ao ponto de falar com meu pai, por isso ele havia aceitado a nossa sexualidade. Ele iria nos descobrir. E.. Eu não creio no que ouvi. Ele quer matar a gente? Nosso pai quer nos matar.. Não posso confiar em ninguém que não sejam esses dois e o Kook. Eu irei passar a ser muito mais cuidadoso agora. Principalmente com Kook, já que Jungkook disse que ouviu ele e a puta falando que ele era o principal.

-Então… acha que seu pai quer matar vocês?
-Acho não. Tenho certeza
-Quer nossa ajuda?
-Quero.. Preciso saber se ele quer matar a nós ou só a Jungkook. Você sabe quem é o cara que minha mãe traiu o papai?  Sabe? Tem que saber, Jin. Foi ma festa que sua mãe deu..
-Eu sei. O nome dele é Park ChungHee... E ele é irmão do seu pai!
-Espera. O que? Irmão do meu pai?
-Sim, mas.. Seu pai tem dois irmãos. Um gêmeo e um normal
-E onde estão? Fala, Hyung. Fala!
-Os dois estão desaparecidos a dezenove anos
-A idade do Kook!
-Sim.. Quando soube que poderia ter um filhos  os dois sumiram. Eles eram inseparáveis. Onde um ia, o outro ia atrás!-Namjoon disse serio. Então Kook poderia não ser meu irmão.. Ou meio irmão. Essa vida está difícil.
-Sabem com qual dos dois foi?
-Perdão. Não me lembro. Sei o nome mas não sei qual era
-Nem eu-Jin disse triste.
-Tudo bem. Não é sua culpa.. Vou procurar isso. Agora me diz. Namoram?
-Sim. Namoramos-Jin corou.
-A quanto tempo? 
-Uns meses
-Pera, que? Por que não falaram?
-Queríamos ver se daria certo
-Vão se foder-Eles riram-Namjoon Hyung? -Diga
-Você não era hétero?
-Bissexual.-Eu ri.
-Prefere meninos ou meninas?
-Prefiro o Jin
-Ah, que viadagem. Parabéns!-Eu abracei os dois rindo e ambos riram agradecendo.

[…]

Jungkook havia acordado. Mas não saíra da cama. Ele ele estava sofrendo muitos traumas esses dias. Eu não poderia deixá-lo sozinho. Então eu simplesmente fui ao quarto de Jin e me deitei o abraçando. O mesmo sorriu e me abraçou chorando baixinho.

-Hyung?
-Oi…
-Estou lhe dando muito trabalho esses dias.. Não ligue para mim
-Não me importo. Me dê trabalho o quanto quiser
-Tudo bem. Hyung?
-Oi, anjo
-Você sempre vai me salvar
-Vou. Sempre
-Você pode me salvar agora?-Eu lhe dei um selinho rápido. Rápido demais para que ele pudesse reagir. Ele sorriu minimamente
-Posso. E eu irei. Temos que voltar pra casa. Eles sabem que vamos voltar hoje a noite. Estava marcado nas passagens
-Mas.. Eles perguntaram porquê estou assim... O que irei fazer?
-Bom. Falaremos do sequestro.
-Mas e…
-Quem seria sequestrado na viagem e não falaria ao próprio pai?
-É.. Esperto!-Ele me abraçou mais forte.
-Vamos?

Nos despedimos dos meninos e pegamos nossas malas rumo a nossa casa. Andamos normalmente até chegarmos a porta. Respiramos pesadamente e notei medo no olhar dele. Eu peguei sua mão e a apertei olhando em seus olhos.

-Hey, calma. Ok? Estou aqui
-Eu sei, e muito obrigado-Ele a apertou e soltou em seguida quando eu abri a maçaneta.
-Voltaram!-Meu pai e Minjung falaram em coro e nos abraçaram. Abraçamo-os de volta receosos.
-Sim. Sentiram nossa falta? -Falei fingindo animação.
-Sim. Sentimos. E vocês?
-Muitas!-Jungkook só balançou a cabeça.
-Que houve com ele?
-Fornos sequestrados
-Oh Céus. Estão bem?-Minjung abraçava Kook
-Estou, obrigado. Com vocês me ajudando, vai passar logo.
-Claro, meu filho-Meu pai o abraçou.-Vão descansar, ok?
-Nos iremos sim!-Rumamos a escada, mas Kook parou se virando para trás.
-Pai?
-Fala, filho
-Sabe do Hoseok?
-Ele foi viajar, filho. E parece que vai demorar a voltar… mas não o ligue. Ele foi ver os pais e eles não… o aceitam.
-Ah sim. Muito obrigado! -Ele sorriu e voltou a subir.

Kook deitou na cama e acabou apagando.

[…]

O fato é, Kook ama sim Hoseok. E se ele o ama, não há espaço para mim no coração dele. Então.. Vou embora. Vou morar com nossa vó em Seul. Levantei da cama e fui em direção ao meu guarda-roupa. Estava colocando tudo nas malas-dessa vez, malas mesmo-,  e acabei fazendo barulho. O que acordou Kook.

-Chim.. Onde vai?
-Vou embora, Jungkook


Notas Finais


Aaah, Jesus. Não pode. Eu vou morrer.
Até o próximo.
Beijos, morangos e abraços.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...