História Hope - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 37
Palavras 672
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: FemmeSlash, Fluffy

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


● Theme 33 [✔]


-


Yoo, amigos!
Primeira fic do Desafio, que emoção -q
Pra quem não tá entendendo nada, eu fui inventar de fazer o "Desafio dos 100 Temas", que consiste em você fazer Fanfics com os temas propostos, nos quais são, em seu total, cem (AH VÁ É MESMO?).

Enfim né :v
Essa não é minha primeira fic original, mas a minha primeira não me agrada muito, então não leiam ela, recomendação da própria autora <3
Não sei se vou gostar dessa, afinal, não gosto de quase nada do que faço.
No entanto, algo me diz que isso ficou bom, de certa forma
(Não tenta me entender, eu sou louca assim mesmo :v)

Boa leitura! o(。^ ◕‿◕ ^。)o

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Hope - Capítulo 1 - Capítulo Único

Os céus eram tingidos por tonalidades alaranjadas e azuladas, dando um estilo degrade agradável aos olhos. Nuvens róseas decoravam o céu com maestria, dando um toque leve de delicadeza à aquarela celeste que jazia sobre as duas garotas, que por sua vez, descansavam a beira de uma lagoa.

A garota de cabelos negros abre seus olhos com dificuldade, pois os mesmos estavam pesados devido ao sono que a menina sentia no momento. Suas orbes pardas varrem a vista cáustica, e logo deduz que estava anoitecendo. Charlotte suspira cansada, levantando-se com certa dificuldade, pois seus músculos ainda estavam relaxados, o que incomodou a jovem.

“Maldito sono.” — Pensou ela, curvando-se para trás e espreguiçando-se lentamente, sendo acompanhada de um alto e demorado bocejo.

O véu que jazia sobre as garotas, que anteriormente era claro e chamativo, agora tinha uma tonalidade semelhante ao azul petróleo, deixando o clima entre ambas um pouco mais frio e – um pouco – sombrio. As nuvens haviam se dissipado, as estrelas brilhavam incessantemente, sendo acompanhadas por uma lua minguante, que compensava toda a escuridão que a noite trazia.

Charlotte tenta se manter ereta, mas fracassa; e opta por cair na grama fria novamente. Entediada, vira-se para o lado esquerdo, e se depara com a figura de Safira dormindo ao seu lado. A morena ri, esticando seu braço num ritmo lento, para poder acariciar os fios loiros e lisos da amiga que descansava profundamente.

Ela respira profundamente antes de virar-se novamente, mas dessa vez, com o tórax para cima. A morena observa as estrelas atentamente, e após isto, a Lua. Charlotte, como uma boa observadora, percebeu que antes, ela era como esta noite; Fria, sombria e solitária. E Safira era como a Lua; Brilhante, exuberante e bela.

Safira era como a luz que iluminou Charlotte, e fez todas as suas tristezas se dissiparem, tornando-a pura.

Era sua “pequena esperança”.

— Charlie? — Uma doce e delicada voz chama a morena pelo seu apelido favorito, e a mesma sorri com o ato.

— Boa noite, Safira. — A morena responde em tom baixo, pois a outra aparentava ainda ter sono, considerando o olhar cansado da loira — Dormiu bem, pequena?

— Sim... — Ela responde docilmente, sorrindo como uma criança boba. Charlotte ri novamente, pois achava Safira uma verdadeira criancinha, mesmo tendo seus quinze anos completos, assim como a própria morena. — No que estava pensando, Charlie?

— Em nós — Charlie responde alegre, como se se orgulhasse de dizer que pensava nas duas constantemente. — Em como você iluminou o meu caminho, e me tirou daquele inferno que eu chamava de casa.

— Charlotte... — Safira murmura, com um leve tom de preocupação. — Você está bem?

— Claro. — Responde — Eu não me abalo mais em me lembrar de minha mãe... Não com você ao meu lado. — Prossegue alegremente, passando convicção do que falara anteriormente. — Ela poderia não me aceitar, ela poderia me bater e me trancar todos os dias, me desprezar como se eu fosse uma aberração... Isto me abalava muito antes, e me tornou um verdadeiro demônio, frio e cruel. Mas você me salvou. Tirou-me das garras da minha progenitora desnaturada e me levou com você. Você é a razão de eu acordar todos os dias, Safira.

A loira olhou fixamente nos olhos de Charlotte, que a encarava igualmente. O azul mesclava-se ao pardo, e suas almas conectavam-se todas as vezes que elas fitavam suas orbes.

A luz que guia a alma perdida à saída da escuridão, que mais parecia eterna.

Safira era a luz de Charlotte; a perdição era a sua única opção, e ela não aparentava ter esperança alguma de sair do breu que corroía o seu ser, até que a loira a resgatou, após um plano de fuga muito bem sucedido.

A pequena e delicada esperança.

Um selar rápido de lábios acabou com o pouco espaço que restava entre as garotas, que logo se abraçaram fortemente, como se suas vidas dependessem daquele cálido, delicado e carinhoso abraço.

E realmente dependia.


Notas Finais


© Gomes-sensei | Não plagie, evite constrangimentos!
✗ Se ver alguma história idêntica a esta, denuncie! ✗


● Tema 33: “Uma fanfic sobre esperança”.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...