História Hora de amar - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Blake Lively, Ryan Reynolds
Personagens Personagens Originais
Exibições 19
Palavras 942
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - Capítulo 20



- É apenas uma manchinha declarou Caio, franzindo a testa observando a ultra-sonografia, tentando, mas não conseguindo sentir a mesma reação que fazia os olhos de Luiza se encherem de lágrimas sentimentais.

– É um bebê – corrigiu seu amigo Dmitri enquanto a enfermeira limpava o gel do ventre ainda liso de Luiza – Seu filho ou sua filha.

– Caio não tem muita imaginação – comentou Luiza, descendo da mesa de exame com alívio.

Não desejara a presença de Caio durante o exame e só concordara por pensar que, se ele devia senti que se tratava do seu bebê, ela precisava interessá-lo no processo da gravidez sempre que possível. 

Mas fora uma tola é apenas uma manchinha! Recordou suas palavras com tristeza.

– Bem, não há muito para se ver ainda – retrucou Caio na defensiva. 

Desejando não ter pedido para assistir à ultra-sonografia não sabia como agir quando as pessoas a sua volta ficavam emotivas e sentimentais. 

Essa nunca fora sua praia, reuniram-se na sala de Dmitri, onde o médico e amigo comentou que o feto era grande para uma mulher tão pequena quanto Luiza, e que talvez se se fosse necessária fariam uma cesariana.

 Imediatamente Caio se sentiu culpado e em sua mente o embrião passou a representar um grave perigo para a sobrevivência de Luiza. 

E se ela morresse? O choque de tal ideia fez sua imaginação galopar e arquitetar as cenas mais melodramáticas, que não condiziam com a sua personalidade.

 Analisou Luiza enquanto ela conversava animadamente com o obstetra que ele conhecera quando estudante na faculdade. Estava corada, e o entusiasmo aquecia sua voz e seus olhos ela queria aquela manchinha de verdade, Caio percebeu com espanto.

A gravidez devia ter virado sua vida e seus planos de cabeça para baixo, mas, mesmo assim, ela estava preparada para seguir adiante e abrir espaço para o bebê. 

Sendo homem e com pais que nunca haviam aberto espaço para ele em suas vidas, estava muito impressionado pelo altruísmo e flexibilidade de Luiza. 

– Não sentiu nada...  nem mesmo quando ouviu as batidas do coração? – perguntou Luiza esperançosa enquanto se dirigia para a limusine.-Eu achei excitante!

Caio a fitou a parte mais excitante do dia para ele fora quando ela surgira na porta de casa usando uma minissaia preta e justa com um top que realçava suas formas delicadas com perfeição. 

Refletiu como suas pernas eram bem-feitas e longas em comparação com seu corpo diminuto. E o modo como ela empinava a bunda para ajeitar o sapato na sua frente o deixou maluco.

 Já estava muito excitado, era natural nele deste o dia que a conheceu e cada vez mais ele se sentia desconfortável na presença dela. 

Deveria tentar esquecê-la, deveria se sentir muito contente por ela não tentar fisgá-lo e fazê-lo carregar todas as responsabilidades de marido e pai com todas as promessas eternas e absurdas que eram assumidas diantdo altar.

Continuava livre como um pássaro, lembrou a si mesmo com teimosia, mas ficou desapontado quando não sentiu a fisgada de antecipação diante da perspectiva de arrumar uma nova amante.

Claro que tinha 31 anos e uma vida sexual muito ativa desde os 16, quando uma das amigas de sua mãe o seduzira.

 Em matéria de mulheres possuía mais experiência e escolhas que a maioria dos homens, talvez estivesse um pouco entediado por causa disso, concluiu.

De sua parte,Luiza estava muito desapontada com a falta de interesse de Caio na sua ultra-sonografia imaginava por que se dera ao trabalho de comparecer e percebera como cara dele ficou aborrecido quando Dmitri mencionara a possibilidade de uma cesariana.

Caio ficou com o rosto acinzentado e um olhar de horror, que tolice! Por seu lado, ela já tinha uma conexão emocional com a criança em seu ventre, mas talvez os homens fossem assim e ela estivesse esperando demais.

 Afinal, Caio foi pego de surpresa ao saber que seria pai, precisaria de tempo para lidar com essa novidade ao seu lado, ele suspirou profundamente.

– Vou levá-la para providenciar um novo guarda-roupa.

Luiza arregalou os olhos.

– Você... o quê?

– Precisa ter as roupas certas para ir à Grécia não quero que se sinta constrangida na casa de seu avô – admitiu Caio.

Luiza ficou furiosa por ele achar que sabia tudo a seu respeito.

– Não me importo com essas coisas! – exclamou.

– Agora acha que não, mas vai se importar – corrigiu ele, percebendo que ela seria teimosa em relação às roupas como era sobre tudo.

Tudo se transformava em uma batalha com Luiza e detestava que ele desse as ordens, porém sempre fora dominador e não iria mudar agora.

– Como assim? – perguntou ela com raiva. – Meu avô é tão rico quanto você?

– Não tão rico, mas muito rico – admitiu ele. – Ele e a família levam vidas muito confortáveis.

– Muito rico? De verdade?

– Multimilionário. De verdade – confirmou Caio.

Luiza ficou em silêncio, irritada por não ter suspeitado dessa realidade; a final, as probabilidades de alguém rico como Caio ter um padrinho também rico eram muito maiores do que se deparar com um parente pobre ou de classe média de súbito se sentiu intimidada com o que a aguardava na Grécia.

– Não quero que se sinta constrangida quando conhecer a família de seu pai – disse Caio com franqueza.

– Mesmo sendo essa a verdade? – retrucou ela de dentes cerrados. – Por que devo me importar tanto com minha aparência? É superficial o importante é meu avô saber quem sou no íntimo.

– Concordo plenamente, mas o mundo é assim – respondeu ele com muita lógica. – As aparências são importantes.

Ela deu de ombros.

– Não quero que gaste mais dinheiro comigo, e não tenho condições de comprar roupas novas – murmurou Luiza sem emoção.

– Isso não é nada para mim – esclareceu Caio, mas sem arrogância.




#Caluh😍



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...