História Hora de amar - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Blake Lively, Ryan Reynolds
Personagens Personagens Originais
Exibições 20
Palavras 1.099
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - Capítulo 32


- E por que não? – retrucou ele com raiva.

– Tenho que fazer planos e preciso de oportunidade para conhecer Socrates melhor jamais tive um parente que se interessasse por mim... Significa muito, mas ele já não é jovem, Caio. Quem sabe por quanto tempo poderei ficar ao seu lado? – argumentou com os olhos suplicantes. – Não dificulte as coisas para mim quando sei o que minha consciência pede que eu faça.

– Não tenho intenção de dificultar nada para você, mas se sair desta casa tudo estará acabado entre nós. Sustentarei você e meu filho, mas continuarei com minha vida sem incluir você.

– Sei que está aborrecido comigo e que deveria ter conversado sobre isso antes com você, mas não está sendo justo! – exclamou ela com o pânico deixando-a tonta e enjoada como se tivesse voltado para o barco. – Poderá me ver em Atenas...

– E dormir com você? Acho que não – cortou ele com frieza. – Assim que Socrates a tiver sob seu teto, fará com que se transforme em uma virgem vestal.

– Uma virgem grávida? – zombou ela com uma risada trêmula e muito magoada por ele só se lembrar dela como objeto sexual. – Está brincando? Não quer dizer de verdade que tudo terminou entre nós, quer?

– Quero, sim – confirmou ele com extrema frieza na voz, os ossos da face salientes e a boca se fechando com teimosia. – Dificilmente digo o que não penso, Luiza se partir sem minha permissão, estará tudo acabado... 

– Pois espero que tenha se enganado de palavras, e em vez de dizer permissão quisesse dizer preferência – interrompeu ela com tristeza. – Porque não preciso de sua permissão para fazer nada.

Caio a fitou com grande hostilidade.

– Sim, tem razão não precisa.

E com tal concessão, deixou o quarto Luiza se deixou cair sobre a beirada da cama como uma sonâmbula que acordasse de repente e se encontrasse em um lugar estranho. 

Um lugar muito estranho, na verdade, refletiu com uma angústia que ameaçava sufocá-la Caio não quisera dizer isso não podia, não era possível ter terminado tudo quando minutos atrás estavam prontos para fazer amor. 

Seu relacionamento não era um interruptor que podia simplesmente ser desligado... Era? Tudo acabado ela pensou nisso de novo e estremeceu horrorizada Caio estava furioso, e assim ficaria para sempre.

 Porém seu coração ainda lhe dizia que devia atenção a Socrates entretanto, esse mesmo coração estava prestes a se romper diante da perspectiva de nunca mais ver Caio. 

Ele estava sendo muito injusto e torturador estava muito acostumado a sempre lhe obedecerem e a ter tudo que queria e agir mal, usando de chantagem emocional para atingi-la em cheio, pensou ela com ressentimento e mágoa.

Mas se ela fosse fraca, a crueldade dele daria certo ela não era fraca precisava lutar contra a vontade dele e bater o pé.

Por fim Caio voltaria atrás precisava voltar atrás Luiza o amava mesmo quando ele agia como uma mula teimosa e a atacava entretanto, deveria ter preparado melhor o terreno conversado sobre seus planos, e não ter feito o anúncio sobre a viagem sem mais nem menos e no pior dos momentos. 

visão da mala aberta e preparada fora um choque para ele, tudo acabado... e se ele estivesse dizendo a verdade? Bem, se estava, então Caio era muito mau e desejava tratá-la como se fosse a mais íntima de suas criadas! Ela era forte, poderia prosseguir a vida longe dele, no momento podia se sentir arrasada, mas era apenas um intervalo melodramático que iria superar. 


(......)


– Lá está Caiu – sussurrou a tia de Luiza ao seu ouvido. – Disse que ele viria! Nunca falta a uma festa de papai.

Luiza focalizou a atenção na pequena multidão que se formara do outro lado da sala só conseguiu ver o alto da cabeça Loura e arrogante de Caio porque ele era mais alto que os outros homens que o cercavam. 

Ela começou a transpirar apertando as mãos já se passara uma semana desde que deixara a ilha, e Caio não entrara em contato nem uma vez sequer! Manter distância dele exigira muita força de vontade por parte de Luiza. 

E ela refletia por que devia ser assim se era ele quem agiu mal o que acontecera com seu orgulho de mulher?

– Quem são todas aquelas pessoas com Caio? – perguntou sem poder conter a curiosidade.

– Caio sempre atrai os outros em público é um executivo muito poderoso, os homens querem obter informações e conselhos sobre negócios, e as mulheres querem o próprio Caio– disse a senhora com uma risadinha sugestiva.

Socrates resolvera dar a festa na cidade onde se situava seu principal hotel, e insistira em comprar um vestido novo para Luiza mesmo depois que ela lhe mostrara o traje que pretendia usar. 

Se não fosse pelo tormento emocional em que vivia por ter deixado Caio teria gostado muito da semana passada na companhia do avô.

 Em sua casa ela relaxara e desenvolvera uma agradável aproximação com Socrates, descobrindo que tinham o mesmo senso de humor e a paixão pelas coisas simples da vida.

Na festa Luiza estava usando um vestido branco que enfatizava lindamente o leve bronzeado adquirido na praia, e arrumara o cabelo especialmente para a ocasião, soltos sobre os ombros.

Porém esse vestido era mais revelador do que costumava usar e estava um pouco constrangida so a levara para fazer compras, e fora difícil para a sobrinha recusar as sugestões da tia mais ousada. 

Luiza achava que as duas eram diferentes demais para que um dia fossem intimas, porém Sofia dominara sua língua desde que a sobrinha chegara, e as duas passavam momentos agradáveis juntas.

A senhora conhecia todas as pessoas importantes da sociedade local e estava a par de todos os escândalos e segredos suculentos, Luiza estava convencida que a essa altura todos os convidados deviam saber que estava grávida de Caio; não podia acreditar que Sofia conseguisse manter segredo sobre um assunto tão interessante.

– Quem é aquela? – perguntou com a boca seca. 

Quando uma brecha no grupo que rodeava Caio revelou uma morena lindíssima com um vestido azul muito curto, e que segurava o braço dele com ar de  posse.

Mas Caio era o pai de seu filho, lembrou Luiza com raiva, e era muito vulgar e deselegante da parte dele surgir com outra mulher na festa em sua homenagem e na casa de seu avô.

– Yasmin Demas, da empresa de navegação Demas – explicou Sofia. – Os dois são velhos amigos, porém Nina sempre quis mais do que amizade. – Virou-se para Luiza com severidade. – Não que olhando para Caio nunca desnude seu coração para um homem, em particular um com tantas opções de escolhas. 







#caluh.. ❤






Notas Finais


Reta final da história....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...