História Horror Story in Beacon Hills - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Nightingale123

Postado
Categorias Lily Collins
Tags Drama, Justin Bieber, Lily Collins, Revelaçoes, Terror
Exibições 4
Palavras 1.203
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá minhas lindas espero que gostem <3

Capítulo 2 - Welcome to Beacon Hills


Fanfic / Fanfiction Horror Story in Beacon Hills - Capítulo 2 - Welcome to Beacon Hills

A viagem foi mais cansativa do que eu pensei que seria não aguento mais ficar sentada, depois de algumas horas tirando um cochilo finalmente acordei e os meus olhos foram diretamente para a senhora que eu havia adormecido em seus braços, conversamos por um bom tempo contei sobre tudo e ela me deu conselhos maravilhosos eu não tinha dúvidas que ela parecia com a minha avó.

_ Irei ao banheiro e já volto. Digo olhando para ela me levantando e seguindo em direção ao banheiro.

_ Esta bem querida. Ela me da um sorriso e assim sigo em direção ao banheiro. - Meu deus, espero que não esteja viajando direto para a minha morte- Digo enquanto entro no banheiro e fecho a porta atrás de mim, fico pensando por um bom tempo olhando para o espelho, como isso foi acontecer, estou indo pra um lugar totalmente novo a cidade que os meus pais moram nem é conhecida, tenho certeza que não está localizada em nenhum mapa, será que é o fim do mundo mesmo?

Abro as torneiras e molho o meu rosto com a água gelada a espera de que aquilo fosse me acalmar, perca de tempo. Escuto batidas na porta e um som de uma voz feminina.

_ Senhorita....

Abro a porta e olho para ela com uma cara nada boa. - Sim?- Respondo sem a menor empolgação.

_ A senhorita precisa se sentar, já iremos pousar. Ela da um riso fraco acento e sigo em direção a minha poltrona sentando na mesma. Encosto minha cabeça na poltrona e o som de New Thang invade meus ouvidos junto com uma vibração irritante, pego meu celular e quando olho no retrovisor escrito Jill bufo e reviro os olhos, quando ia atender uma mulher aparece e diz:

_ Celulares desligados estamos quase chegando, por favor aperte os cintos e desligue-o. Olho para ela com o melhor sorriso do mundo, não queria atender mesmo, Jill é minha mãe, sim eu salvei o contato dela com o seu nome não como "Mãe". Guardo o mesmo no bolso e encosto minha cabeça na poltrona fechando os olhos e mais uma vez soltando um suspiro pesado.

[...]

Estava caminhando quando vi uma placa nas mãos dos meus pais escrito " Bem vinda de Volta Querida", que patético vou na direção que eles estão e quando eles finalmente me veem começam a gritar tipo "gritar mesmo, escândalo total" acenando para que eu os veja, coisa q já tinha feito quando pisei o pé neste maldito lugar, reviro os olhos e ando até eles.

_ Meu amor finalmente. Minha mãe me abraça e está com voz de choro "falsa", não devolvo o abraço permaneço do jeito que estava alguns segundos atrás.

_ Venha aqui minha pequena. Agora é a vez do meu pai me abraçar vou até ele com a pior cara que tinha. -Estava com saudade minha pequenina-

_ Não sou sua pequena e se vocês esperam que eu diga que estava morrendo de saudades. Perderam seu precioso tempo.

_ Óó meu bem eu sei que você não gostaria de estar aqui mais somos os seus pais, temos o direito de te querer conosco sei que irá adorar Beacon Hills, é uma cidade pequena mais muito bonita, irá fazer amigos e você pode arrumar o seu quarto do jeito que quiser. Ela sorri.

_ 1 Lugar absolutamente eu não gostaria de estar aqui, e principalmente olhando para a cara de vocês, 2 vocês perderam o direito de me ter junto a vocês há 5 nos atrás quando não lembravam nem o meu nome, 3 essa maldita cidade não faz parte nem de um mapa não sabia nem de sua existência deve ser um saco, 4 e Ultimo não tenho amigos, não quero fazer amigos e adorava meu quarto no Brasil não quero um novo. Revirei os olhos e minha mãe abaixou a cabeça, ela parecia triste.

_ Vamos embora. Meu pai pegou as minhas coisas e saiu andando com a minha mãe.

_ Mãe eu não quis se.....

_ Tudo bem querida eu entendo. Ela simplesmente virou as costas e caminhou ao lado do meu pai, "pronto é o que eu mais queria chatear minha mãe", Parabéns Lily.

[...]

Depois de 2 horas contadas no dedo finalmente chegamos a tal cidade que meus pais moram, okay ela não era tão feia, na verdade ela não era feia, achei ela bonita cheia de árvores é bom um ar puro de vez em quando, o carro do meu pai estaciona em frente a uma casa que por sinal é muito bela, não é tão grande mais não tão pequena, média, e o quintal é gramado de um verde vivo e o cheirinho de mato misturado com o vento gelado dava uma calmaria, talvez não seja tão ruim assim.

Entramos na casa e quando abriu a porta fiquei boquiaberta, ela era linda um tom claro e de um modo rico cada centímetro daquele lugar era exalado por uma pintura de arte maravilhosa, meus pais tem muito gosto tenho que admitir não sabia que eles viviam tão bem assim, minha mãe é uma médica e tem o seu próprio hospital já o meu pai é um advogado deveria saber que eles moravam em um lugar tão lindo quanto esse, só que mesmo com todas essas maravilhas Beacon Hills me dava medo de alguma forma, me deixava com calafrios.

_ O que achou querida. Minha mãe diz olhando para mim e depois para a casa.

_ É linda Mãe. Digo admirada.

_ Que bom que gostou é seu novo lar. Quando ela diz isso sinto um aperto no coração voltar e solto um suspiro pesado. -Éh-

Foi a única coisa que consegui dizer antes de subir as escadas, meu pai passou com as malas na minha frente e abriu uma porta no final do corredor o segui até o local onde ele deixou as malas e disse.

_ Esse será o seu quarto pequena. Entro no quarto e meu queixo caí, ele é lindo tem uma cama de casal que parecia ser bem aconchegante, um banheiro ao lado da cama, não esperei e fui direto entrar nele, ele tinha uma banheira não muito grande tinha espelhos e produtos de cabelo acho q essa parte ficou com a minha mãe, quando sai fui em direção ao closet ele era gigante e lindo.

_ O que achou? Sei que ainda não está decorado estávamos a sua espera.

_ É lindo Pai. Dou um sorriso e o abraço. - Obrigada- Olho nos seus olhos.

_ Que isso, espero que se sinta em casa, se quiser mudar alguma coisa é totalmente livre. Olho para o quarto de novo depois volto minha atenção para ele.

_ Assim está ótimo, Obrigada. Ele me da um beijo na testa e anda em direção a porta.

_ Agora vou me retirar você deve estar cansada, durma amanhã conversaremos mais, e você terá colégio. Acento e ele fecha a porta atrás de si, vou para o banheiro ainda admirada com tanta beleza, tomo um banho quente e coloco um pijama, deito em minha cama deixo meus pensamentos me guiarem até que sinto meus olhos pesados e assim os deixo ser guiados pela escuridão...


Notas Finais


Mais um capitulo minhas lindas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...