História Horrortale: O Último Assassino - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne
Tags Anzo, Horrortale
Exibições 131
Palavras 1.040
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Matar ou Morrer


“Você já ouviu falar do Monte Ebott? Não? Pois bem, então deixe-me contar sobre a lenda... a lenda dos monstros, muitos dizem que estes monstros são assassinos implacáveis, só esperando um alma inocente cair dentro do Monte Ebott, para eles poderem tortura-la e depois de muito tempo, finalmente mata-la, dizem que uma garota chamada Alisa caiu lá a alguns tempos, dizem que ela era muito dócil e gentil para machucar alguém, então ela foi morta rapidamente pelos monstros, mas.................. e se eu lhe dissesse que isso é mentira. Você acreditaria em mim? Pois bem, eu nunca falei que ninguém caiu lá, apenas disse que não foi Alisa.... Um jovem rapaz, ele devia ter seus 19 anos, ele se chamava Anzo... ah sim, Anzo, foi ele quem realmente caiu dentro do Monte Ebott, mas ele era diferente de Alisa, ele não tinha piedade em seu coração, até hoje me lembro de ouvir falar de uma recompensa por sua cabeça, ah sim... ele já matou crianças, idosos, animais, tudo que se pode imaginar... sim, é isso mesmo que você está pensando, ele era um psicopata, um assassino do pior tipo, e agora, vou lhe contar um pouco mais sobre essa história, apenas relaxe, e deixe a medo assumir o seu coração.“

 

Anzo: Ah... minha cabeça, merda de cratera... Onde que eu to afinal?

O jovem Anzo olhava ao redor, ele via as ruínas, pareciam ter sido feitas a muito anos, ele então olhou para baixo, ele estava em uma espécie de cama de flores.

Anzo: Que coisa escrota... bem, pelo menos amorteceu minha queda.... ESPERA! Cadê ela...! Não posso ter perdido ela!

Olhando de um lado para o outro, Anzo achou seu objeto mais precioso, uma faca, mas não era uma faca normal, ela tinha símbolos em volta dela, símbolos que aparentavam ser antigos, da época dos astecas, segredos podiam ser guardados através daquela faca.

Anzo: Não sei o que eu faria se tivesse te perdido, você sabe o quão preciosa você é para mim... Bem, chega de perder tempo, vou procurar logo algo pra fazer, se não tiver nada de interessante por aqui, vou embora.

Neste momento, Anzo prosseguiu por seu caminho, o cheiro do ambiente era podre, tudo cheirava como carne podre, Anzo não dava a mínima.

Quando de repente, ele chega a uma sala escura, no meio dessa sala, havia uma flor.

Anzo: Se você ao menos gritasse, teria o prazer de te esmagar seu pedaço de lixo.

???: Depende de quem vai gritar aqui...

Anzo deu um passo para trás, ele ficou imaginando se estava ficando louco.

Anzo: Nah... Isso é loucura...

???: Posso garantir que você não está nada louco, humano... Eu sou Flowey, Flowey a flor.

Neste momento a flor abriu um grande olho, um olho verde, mas ao mesmo tempo, parecia sem vida.

Anzo arregalou os olhos, mas logo viu que não era tão espantoso assim, ele então disse.

Anzo: Flowey, ham? Que belo nome, pode me dizer o que é este lugar?

Flowey: Este é o subsolo, lar de todos os monstros deste mundo, agora que você caiu aqui, você provavelmente morrerá...

Anzo: Morrer? Pare de falar asneiras!

Neste momento Anzo pegou sua faca e tentou acertar Flowey, que rapidamente entrou para dentro da terra, ele então ouviu a voz.

Flowey: Vamos ver se você realmente consegue sobreviver...

Anzo: Flor escrota, tenho que ser mais rápido.

Anzo logo em seguida guardou sua faca na cintura, ele então continuou.

As paredes eram escuras, o visual era sombrio, aquilo fazia Anzo se sentir em casa. Quando de repente, ele viu uma criatura saindo de alguns arbustos, era um tipo de sapo, só que bem maior que o normal, parecia haver mordidas por todo o seu corpo. Anzo sorriu e disse.

Anzo: O que temos aqui...?

Sapo: F-F-Froggit...

Neste momento Froggit pulou para cima de Anzo que se esquivou, logo em seguida cravou a sua faca na cabeça do sapo, que instantaneamente virou poeira.

Anzo: Poeira...? Que tipo de brincadeira é essa-?

De repente a faca de Anzo começou a brilhar.

Anzo: Você gosta disso? Você gosta de matar esses monstros? Pois bem, te darei o que você quer!

Anzo continuou por seu caminho até chegar em um quebra cabeça, ele não estava a fim de pensar muito, então ele pegou sua faca e forçou a porta, até abri-la, a faca de Anzo tinha uma resistência muito grande. Ele então continuou, logo então viu uma espécie de fantasma, lágrimas corriam de seus olhos, falando em olhos, seus olhos esboçavam um vazio.

Anzo: Um fantasma... realmente, acho que valeu a pena cair aqui...

Anzo se aproximou do fantasma, que olhou para ele, ainda com os olhos vazios, Anzo então lhe mostrou a faca.

???: N-Não, afaste essa faca de mim... por favor...

Lágrimas escorriam dos olhos do fantasma.

Anzo: Ah... vejo que sabe o que é isso... está é a faca Zaratsu, do lendário clã dos caçadores de demônios.

???: Por favor...... Afaste essa faca de mim.

O fantasma parecia não conseguir falar direito.

Anzo se aproximou dele, o fantasma tentava se afastar, mas estava sem forças. Anzo chegou a frente do fantasma, encostou a faca nele, neste momento, o fantasma foi sugado para dentro da faca, apenas se ouviu um grito.

???: NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

Anzo: Uau, a energia que esses monstros dão é incrível, acho que vou realmente ficar por aqui mais um pouco, está ficando interessante.

De repente Anzo ouviu uma voz tremula.

???: M-Minha criança...

Anzo: ?!

???: Eu sou Toriel... eu cuido deste lugar a muitos anos, é tão bom poder ver alguém aqui, depois de tanto tempo... haha.

Toriel era uma mulher cabra, seu pelo estava sujo, ela tinha olhos verdes, havia marcas de lágrimas por toda a sua cara, ela tinha um sorriso um tanto maníaco, ela parcialmente babava, olhando para Anzo.

Anzo: Err...

Toriel: Não precisa dizer nada, minha criança... apenas me siga, vou lhe mostrar a sua nova casa...

Toriel foi mancando pelo caminho a frente, Anzo olhou para sua perna, um osso estava exposto, Anzo decidiu ficar com a mulher cabra por algum tempo, ele queria poder saber mais sobre aquele lugar. Mas era só questão de tempo ate Anzo se cansar dela.

Anzo nesse momento, seguiu Toriel pelo caminho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...