História Hospital Hopkins Ville - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~Miriams52

Postado
Categorias Dave Franco, Grey's Anatomy, Jensen Ackles, Lily Collins, Nina Dobrev
Tags Drama, Medicina, Romance
Exibições 28
Palavras 3.043
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Novo capítulo fresquinho pra vocês ❤❤❤

Capítulo 11 - Casa nova


Fanfic / Fanfiction Hospital Hopkins Ville - Capítulo 11 - Casa nova

                       Melanie,

Passamos no bar que na esquina do hospital, ficamos bebendo um pouco para distrair, vi um machucado roxo no pulso da Alice.

- Oque foi isso? - Perguntei segurando seu machucado

- Não foi nada demais - Falou tentando mudar de assunto, cobrindo o roxo do seu braço

- Pode contando oque aconteceu, foi o Luke? Porque se foi aquele desgraçado ... - Me interrompeu

- Foi o Andrew, ele ficou descontrolado, Luke que me salvou senão nem sei oque ele teria feito, mas, não quero falar sobre isso - Falou

- Aquele desgraçado, ele deveria receber uma punição - Falei revoltada

- Esquece, vamos para casa, quero descansar um pouco - Falou e assim fizemos, pegamos um táxi em frente o bar, e, fomos descansar.
  
                     Luke Harris

Quando eu estava passando pelo corredor e ouvi os gritos da Alice vindo do vestiário, veio uma sensação estranha, uma raiva fora do normal. Mas, aquele interno vai pagar caro, se ele pensa que vai ficar assim, ele está muito enganado. Depois disso passei na sala da Minerva, fiz a reclamação e fui para casa.

                          Alice

Acordei com o barulho da TV que tinha no quarto.

- Que horas são? - Resmunguei

- 14:20 - Disse Mel trocando de canal

- Nós não íamos procurar uma casa hoje? - Perguntei levantando

- Nós vamos - Afirmou

- Vou tomar um banho primeiro - Falei entrando no banheiro. Sai do banho e Mel já estava pronta.

- Vamos - Falei pegando minha bolsa. Fomos até a imobiliária, vimos alguns catálogos, casas lindas, espaçosas e luxuosas.

- Olha esses preços, não cabem no nosso orçamento - Mel falou

- É verdade, obrigada pelo atendimento mas vamos ver um lugar mais barato - Falei pegando minha bolsa

- Esperem, vamos ver oque podemos fazer pela senhoritas - A atendente falou e fez um telefonema. Quando desligou, veio até nós

- Olha, esse é o valor mais barato que consegui - Falou

- Ainda está caro, mas, se usarmos o adiantamento dá - Falei

- Vamos comprar - Disse Mel animada. Assinamos os papéis e fizemos toda a burocracia. Fomos conhecer a casa, entramos no carro da corretora e ela nos levou na nossa casa. Era linda, tinha um jardim na entrada.

- Podem entrar - Falou abrindo a porta e entramos. A sala era grande e espaçosa

- Aqui é a cozinha - Falou indo para cozinha.

-  É perfeita para nós - Mel falou e eu concordei. Subimos as escadas e fomos ver os quartos.

- Os quartos são dois com suítes e um sem - Falou

- Perfeito, somos só nós duas mesmo -Mel disse animadíssima.

- Então amanhã mesmo eu entrego a chave para vocês, vou pedir para ligarem à luz e a água - Falou trancando a casa.

- Tudo bem, nos vemos amanhã 19:00? -Perguntei

- Eu estava pensado em 13:00 da tarde, pode ser? - Perguntou

- Nós estaremos trabalhando, só vamos sair às 19:00 - Falei

- Ok, então até amanhã - Falou e saiu.

- Não acredito que compramos uma casa - Falei sorrindo

- Nem eu, aquele quartinho no hotel não dá nem pra respirar direito - Falou

- Que tal pedir pizza pra comemorar?-Perguntei

- Perfeito - Respondeu

Pegamos um táxi e fomos pra casa.

                          Melanie

- Última noite nesse quartinho - Falei levantando meu pedaço de pizza - Vou ligar pra minha mãe, quero contar essa novidade pra ela - Falei me levantando.
Peguei o celular e liguei pro telefone lá de casa. No terceiro toque meu pai atendeu.

- Oi pai, tudo bem por aí? - Perguntei

- Minha filha, como você está? - Respondeu com outra pergunta

- Estou bem, aonde está à mãe? - Perguntei

- Filha, não quero que se preocupe - Falou suspirando

- Aconteceu alguma coisa? - Perguntei preocupada

- Ela está no hospital, sentiu dores fortes no peito, eu levei ela ontem e acharam melhor interna-la , os médicos falaram que o coração dela não está bom, e que talvez precise de transplante - Falou pausadamente

- Pai, meu Deus era pra ter me ligado assim que soube, eu vou pra aí agora, preciso ver minha mãe - Falei desesperada

- Por isso não liguei, sua mãe não queria te preocupar, não queremos que você largue o programa - Falou

- Que se dane o programa, ela é mais importante - Respondi

- Por enquanto ela está bem, amanhã eu ligo pra você com mais notícias, fica tranquila Mel - Falou

- Qualquer coisa você me liga, por favor, à qualquer hora - Respondi

- Tudo bem - Desligou

- O que aconteceu Mel? - Alice perguntou notando meu estado - Senta - Falou e me sentei

- Minha mãe, o coração dela não está bom - Falei com os olhos marejados

- Calma, vai ficar tudo bem - Me abraçou

- Acho que vou voltar para o Brasil - Falei secando as lágrimas.

- Mel! Você não pode largar o programa, você lutou tanto pra chegar até aqui.-Falou

- Eu não posso deixar minha mãe lá, ela precisa de mim - Falei

- Pensa, sua mãe não vai gostar de saber que você largou o seu sonho por ela. Descansa, amanhã você vê isso direito -Falou tirando as coisas de pizza do chão. Eu preciso voltar pro Brasil.

- Mel acorda, vamos se atrasar - Disse Alice me cutucando.

- Que horas são? - Perguntei me levantando.

- 6:45, corre - Respondeu penteando o cabelo. Corri e tomei um banho.

- Pega minhas coisas Alice - Falei saindo do banheiro. Coloquei a roupa e prendi o cabelo. Olhei no espelho
 
- Estou acabada, não dormi direito - Falei passando uma base

-  Sem tempo para maquiagem, vamos logo - Falou me puxando.

- Estão atrasadas hoje - Disse o taxista. Aliás, o nome dele é John

- Culpa da Mel - Disse Alice rindo.
Forcei um sorriso.

- Chegamos - John falou e descemos. Corremos para o vestiário.

- Está vazio, é hoje que levamos um esporro - Alice falou tirando a blusa.
Trocamos de roupa e fomos atrás de Ezra, conhecido como carrasco.

- Desculpe o atraso - Falamos em um coro.

- Sem desculpas,vocês estão na emergência, CORRAM - Falou e saiu.
Corremos pra emergência, estava tudo tranquilo.

- Pensei que estaria um inferno - Disse

- Vou pegar café, quer? - Alice perguntou

- Quero - Falei

- Já volto - Falou e saiu. Assim que Alice saiu chegou um caso.

- Caroline, 45 anos, está com dores no peito - A moça da emergência falou retirando a maca

- Está doendo muito - Disse a senhora com a mão no peito.

- Eu vou te ajudar - Falei me aproximando da maca - chama a cardiologia - Gritei

- O que temos? Perguntou James entrando na sala, com o jaleco todo amassado

- Ela está com fortes dores no peito - Falei. James se aproximou e  começou à examina-la.

- Faça um  eletro e acompanhe o caso - Falou e saiu

                           Alice

Peguei os cafés e fui procurar Mel

- Alice - Ouvi a voz de  Luke se aproximando

- O que quer? - Perguntei

- Nada, só quero saber se está bem -Respondeu

- Melhor impossível - Respondi ironicamente e sai de perto

- Ainda não entendi o motivo de estar chateada comigo - Gritou. Não respondi e continuei andando. E ele veio atrás segurando meu braço

- Dá para termos uma conversa de adulto para adulto? Você está agindo como uma adolescente - Falou me puxando para a despensa

- Eu estou agindo como uma adolescente? Eu tenho que trabalhar, me deixa sair - Falei tentando me soltar

- Eu também tenho, mas, estou aqui - Respondeu com um sorriso sarcástico

- A diferença é que o chefe aqui é você, eu sou uma interna como VOCÊ faz questão de lembrar e não estou afim de ser expulsa do programa - Falei

- Você está comigo, não vai levar esporro por isso, - Falou passando a mão no meu cabelo

- Não me encosta - Respondi

- Oque eu fiz para você? Só porque eu dormi com aquela garota? Nem me lembro o nome dela, ela não significa nada, e, aliás nós não somos namorados - Falou

- Problema nenhum se você tem mal gosto e dormiu com ela! Só não aceito ser tratado com suas vadias, me chamar de "vagabunda" é o cúmulo, se você não consegue separar a vida pessoal da profissional, já não é problema meu - Falei abrindo a porta e o mesmo fechou a porta de novo - Oque foi ago... - Fui interrompida por um beijo, tentei parar mas foi mais forte que eu.

- Me desculpa, vamos ficar bem? Agi como um idiota te tratando assim, sei que não temos nada, mas, eu agi errado em falar aquelas coisas para você ok? - Falou olhando nos meus olhos

- Tudo bem, mas, isso não muda nada - Respondi e sai, sou trouxa ao extremo mesmo. Voltei para ala da emergência, Mel já não estava mais lá, vi Emma parada com a outra interna, Taylor, duas cobras.

- Por favor, ajudem a minha filha, por favor - Uma mulher chorava desesperada, com o carro parado na entrada da emergência

- Senhora, não pode estacionar aí, as ambulâncias vão parar aqui - O segurança falou

- Deixa ela, vamos tirar a sua filha do carro - Falei pegando uma maca, enquanto Emma e Taylor ficavam paradas mechendo nas unhas - 1, 2, 3 - Falei retirando a menina do carro e colocando sob a maca

- Minha filha, minha filha - A mulher chorava desesperada olhando para menina desacordada

- Vamos cuidar dela ok? Fica tranquila, temos os melhores médicos aqui, vou me certificar que ela receba os melhores cuidados - Falei acalmando a mãe, - Vamos, rápido - Falei com os enfermeiros e levamos ela para uma sala - Preciso que a senhora me fale o que aconteceu - Falei no quarto, olhando para a mãe, que estava sentada

- Ela estava brincando com as bonecas, depois de ter vomitado, ela reclamava de muita dor de cabeça, quando eu fui ver, ela estava tendo uma convulsão, peguei ela e vim correndo para cá, ela acabou desmaiando - Respondeu entre choros

- Tudo bem, me fala o nome e a idade dela por favor - Falei

- Amy Franklin, 8 anos - Respondeu, fiz uns exames, pedi uma tomografia de crânio, para confirmar minhas suspeitas antes de fazer alarde.

- Chama a neurologia - Pedi ao enfermeiro, que foi rápido

- Neurologia? Oque está acontecendo? Minha filha, oque ela tem? - A mulher já chorava

- Vamos esperar o neurologista para tirar alguma conclusão -  Respondi

- Me chamou? - Falou o Dr Jared Cooper, que nossa, era velho, mas, dava um caldo - Pensei rindo

- Sim, pedi uma TC e olha o resultado, tenho umas suspeitas, oque diz? - Mostrei para ele

- Oque você acha que é? - Perguntou me olhando, todos eles tem essa mania de "hospital - escola"

- Eu acho que é um tumor no lóbulo temporal, mas, não tenho certeza! - Falei

- Correto, vamos operar, se prepare e chame a pediatria, para observar caso algo não surja como o esperado - Falou e a mãe se desesperou

- A minha filha pode morrer? - Perguntou ao Dr

- As chances são de 18,6 % para dar errado, vamos nos concentrar na grande maioria de exatidão - Falou e saiu

                         Melanie

Quando voltei pro quarto com a paciente, ela começou à vomitar e sentir faltar de ar.

- CHAME À CARDIOLOGIA - Gritei

- Eu não quero morrer - Falou segurando minha mão. Aquilo partiu meu coração, lembrei logo da minha mãe.

- Calma eu vou te ajudar - Falei segurando seu cabelo, enquanto ela vomitava.

- Respira devagar, você vai ficar bem - Falei

- O que aconteceu? - James entrando no quarto.

- Ela está vomitando e com falta de ar, acho que está tendo um infarto - Falei com os olhos marejados

- Por que está quase chorando? -Perguntou confuso.

- Estou bem - Falei e a paciente ainda estava vomitando.

- Está dispensada, vá se recompor - Falou e eu saí da sala.

Fui para o subsolo e liguei para o meu pai.

- Pai? Como minha mãe está?

- Mesma coisa, não teve mudanças.

- Eu preciso voltar pra casa, tenho que ver como ela está. Se acontecer alguma coisa com ela, e eu estiver longe eu não vou me perdoar.

- Com você aqui não vai mudar nada Melanie, sua mãe não vai gostar de saber que você deixou o programa por ela. Vi que James estava vindo

- Preciso desligar mais tarde eu ligo.

- Tudo bem, eu te amo.

- Qualquer coisa liga, também te amo -Falei e desliguei.

- O que está acontecendo com você? -Perguntou se sentando ao meu lado.

- Nada - Falei olhando pro lado.

- Tem certeza? Você não parece nada bem! - Falou

- Tenho- Falei me levantando

- Que tal se fôssemos ao bar hoje? -Perguntou

- Não posso, hoje eu e Alice vamos nos mudar - Falei

- Casa nova? Que tal comemoramos lá? -Perguntou

- Temos que organizar as coisas, depois marcamos algo pra fazer na casa - Falei

- Tudo bem - Falou e se aproximou para um beijo.

- Agora não - Falei e me afastei

- Mel - Falou e me puxou para um abraço - O que está acontecendo Melanie? - Perguntou

- Juro que não é nada - Falei e o abracei mais forte.

- Te vejo depois - Falou me dando um beijo na testa.

                             Alice

Procurei por Luke, para chamar ele para operar, encontrei ele sentada na sala dos médicos, jogando dardos

- Não deveria estar operando? - Falei rindo

- Estava esperando alguém me chamar, senta aqui - Falou e me puxou pro seu colo

- É sério, vamos - Falei me levantando

- Você é chata hein - Falou colocando o jaleco e me puxando para um beijo - Oque temos? - Perguntou

- Uma menina de 8 anos com um tumor no lóbulo temporal - Respondi

- Você além de pediatra, deusa da cardio, agora é neuro? Vira casaca! - Falou rindo

- Prefiria que não tivesse nenhum caso de neuro nas minhas mãos, aí essa menina não estaria sofrendo - Respondi e entramos na sala, Dr Cooper já estava na SO, enquanto eu e Luke nos  preparávamos.

- Ajeita minha touca - Falou me olhando

- Se eu não quiser? - Respondi

- Sou seu chefe - Falou sério e soltou uma gargalhada, ridículo, ajeitei a touca dele e fomos para sala. Fiquei do lado do Luke

- Dra Bittencourt por favor - Dr Cooper me chamou - Fica aqui do meu lado, para você observar e fazer suas anotações - Falou e olhei de relance pro Luke que virava os olhos, fui e fiquei observando

- Anestesia? - o Dr perguntou

- Certo, senhor - O anestesista confirmou que já estava tudo pronto. Cooper se certificou que a cabeça estava fixada no sistema de Mayfield em posição oblíqua no ângulo de 30 graus.

- Bisturi - Pediu e fez uma incisão cutânea curva de 7 cm. Após a abertura fez a ressecção da porção anterior do lobo temporal.

- Achei - Dr comemorou, removendo o tumor, após a remoção do tumor, ele terminou a ressecção, fechou a paciente e fez curativos com ataduras. Derrepente os batimentos cardíacos começaram a diminuir

- Estamos perdendo ela - Luke gritou - Sai da frente - Gritou com uma enfermeira, que abriu espaço para ele passar - Ela precisa de uma cirurgia cardíaca agora, ou, seu coração não vai resistir - Falou

- CHAMA A CARDIOLOGIA AGORA - Dr Cooper gritou e logo ligaram para Dr Evans

- Senhor, ele está em uma cirurgia na SO 2 - A enfermeira falou

- Oque fazemos agora? - Dr Cooper estava desesperado, o substituto do James, estava em uma conferência

- Alice, você pode fazer isso! Você já fez com o James - Luke falou para mim

- Não, eu não posso, eu fiz sob observação, não sozinha, é uma vida, eu não poss... - Dr Cooper me interrompeu

- Ela vai morrer de qualquer jeito, é melhor você fazer - Respondeu

- Anda Alice, eu estou aqui pra você - Luke falou no meu ouvido. Aí meu Deus, e agora?

- Bisturi - Pedi fechando os olhos, eu não acredito que eu estou fazendo isso, peguei o Bisturi em mãos, estava tremendo, suando frio

- Você consegue - Luke falou do meu lado. Fiz um corte de 5 cm,

- Separador - Pedi, assim obtive uma visão aprimorada do coração, o fluxo sanguíneo estava bloqueado

- Achou alguma coisa? - Dr Cooper perguntou

- O coração não está recebendo sangue, por isso os batimentos caíram, - Estabilizei os batimentos cardíacos, como Dr Evans tinha me ensinado, só de não ouvir a máquina apitando, já era um alívio.

- Vou ter que fazer uma revascularização com o coração batendo - Falei, calma Alice, você consegue, pensava comigo mesma.

- Pinça - Pedi e removi artéria saudável de uma região do corpo, irei fazer um enxerto. Uni a ponta do enxerto à região que estava bloqueando a artéria, prendi a outra ponta abaixo do bloqueio. Observei que o fluxo sanguíneo foi restaurado e o coração já pulsava normalmente

- Você conseguiu - Luke veio me dar um beijo, mas, eu disfarcei porque tinha muita gente perto.

- Eu estava pensando na loucura que eu tinha acabado de fazer em deixar uma interna operar sozinha, mas, você arrasou! Tem uma grande estrela - Dr Cooper falou e antes eu que falasse algo, Dr Evans apareceu

- Desculpe o atraso, a cirurgia foi demorada - Falou colocando as luvas

- O único trabalho que você vai ter é suturar o coração - Luke falou todo sorridente, parecia que ele tinha ganhado um prêmio

- Oque eu perdi? - Perguntou confuso


Notas Finais


Então foi isso pupitos, espero que tenham gostado ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...