História Hostage-Camren - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 139
Palavras 933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Drogas, Estupro, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - Parte 25


Camila Pov

-Eu odeio você, eu odeio. -Dinah gritava tentando bater em Lauren.

-Obrigada. -Lauren disse tentando segurar seus punhos.

-Dinah. -Gritei fazendo-à me olhar. -Você não devia estar odiando Lauren, você devia estar odiando ela. -Apontei pra Normani que nos olhava sem expressão.

-Cala a boca Camila. -Ela gritou e eu arqueei as sobrancelhas. -Você acabou com a minha vida desde o momento que chegou.

-Eu acabei?Você tem certeza disso?. -Cruzei os braços.

-Tenho, e só não te bato porque está grávida. -Soltei um riso e olhei pra Lauren.

-Você era uma péssima esposa e eu tenho culpa?Não tenho culpa se fui melhor que você em algumas coisas. -Ela riu.

-Você é patética, o que você tem de verdade mesmo?Uma bunda enorme?. -Disse rindo sarcástica.

-Ela tem um coração. -Lauren disse fazendo-me arquear as sobrancelhas ainda mais. -Diferente de você, que dizia me amar e nunca amou. -Dinah negou.

-Já fez a cabeça dela Camila?. -Soltei um riso.

-Não fiz a cabeça de ninguém Dinah, eu só dei o que ela precisava, que foi o que ela acabou de dizer, amor. -Dinah negou e Lauren explodiu.

-Melhor falar de uma vez o que está acontecendo ou eu irei prender as duas. -Lauren disse irritada.

-Ela me procurou. -Dinah apontou pra Mani. -Me propôs sequestrar Camila para eu poder ter o caminho livre novamente. -Lauren segurou no braço dela com força sem deixa-lá terminar.

-Por isso aquele beijo estúpido que você me pediu no estacionamento?Foi pra tentar me "ter" de volta?Você é uma idiota Dinah. -Soltou o braço dela com brutalidade. -Onde vocês estavam com a cabeça?São duas agentes, vocês podiam ter uma vida normal, mas quiseram se fuder, juntas ainda, que romântico. -Segurei a risada.

-Eu não me importo, a culpa é toda dela. -Dinah apontou pra Normani.

-Não foi isso que você disse quando eu estava fodendo você na minha cama. -Normani disse me fazendo arregalar os olhos.

-Vai se foder, eu estava cega. -Dinah disse sentando.

-Claro, estava. -Disse com irônia olhando para mim. -Querem que eu assuma?Certo, eu assumo, eu mandei o Shawn sequestrar a Camila, mas só para dar um susto, nada grave, e ele abusou fe você por conta própria não porque eu mandei. -Disse olhando pra mim.

-Você é uma imbecil. -Cuspi as palavras.

-Foda-se. -Lauren disse se aproximando de Normani. -Você vai pra cadeia, e tomara que morra lá. -Pegou Normani pelos braços e foi sair da sala, porém Dinah gritou.

-Se ela for presa, eu também tenho que ser, porque eu ajudei. -Olhei pra ela.

-O que?. -Quase gritei.

-É...Eu ajudei, eu dei a ideia que podia ser o Shawn, porque ele é um idiota e ninguém ia desconfiar. -Neguei e me aproximei dela. -Camila... -Dei um tapa em seu rosto que provavelmente iria ficar a marca ali.

-Me arrependo amargamente de um dia ter te chamado de amiga, mas veja pelo lado bom, estou com a pessoa mais especial de todo o mundo, obrigada por isso, pelo menos nessa história, uma coisa boa você fez. -Saí da sala ouvindo os gritos de Lauren.

Lauren Pov

-Você decide, mas acho que deixar as duas na mesma cela seria pedir pra separar dois segundos depois. -Ed riu.

-Acho melhor colocar em selas diferentes então, não quero essas vadias brigando. -Revirei os olhos.

-Não aprendeu que não se xinga mulher?Mesmo que ela seja uma vadia. -Ed riu.

-Foda-se. -Soltei um riso e saí da sala.

Encontrei Camila no corredor sentada em uma das cadeiras que tinham ali, seus cotovelos estavam apoiados nos joelhos e suas mãos apoiavam sua cabeça.

Me aproximei dela e sentei ao seu lado, eu não sabia exatamente o que falar, e também não queria dizer nada para não piorar a situação.

-Já podemos ir pra casa?. -Ela perguntou baixinho.

-Você quer ir?Ainda tenho que assinar os papéis que às prendi. -Camila me olhou enxugando as lagrimas.

-Eu só vou sair daqui com você. -Assenti e abracei seu corpo com o braço esquerdo.

-Por que está chorando?. -Já sabia mais ou menos a resposta.

-Eu nunca pensei que Dinah fosse capaz de fazer isso, eu não estou chocada pela Normani, ela se passou na minha cabeça mas, mas... -E então começou a soluçar.

Afaguei seus cabelos e beijei o topo da sua cabeça.

-Você não deve confiar nas pessoas Camila, confie apenas em sí mesma, as pessoas são ruins. -Ela negou.

-Você não, você não é ruim. -Me encarou, sorri de leve.

-Talvez eu não seja. -Ela tocou meu rosto puxando-me para perto e quando íamos selar nossos lábios, uma mulher ruiva parou à nossa frente.

-Lauren Jauregui?. -Perguntou quando à olhei.

-Sim?. -Me levantei e ela trincou o maxilar e me deu um tapa na cara.

-Você matou o meu filho. -Gritou. -Ele era inocente, ele era um bom garoto. -Abri a boca e fechei novamente, meu maxilar doía.

-Senhora, eu peço que tenha calma por favor. -Ela gruniu.

-Calma?Calma vai trazer meu filho de volta?. -Gritou agonizando com as mãos.

-Seu filho é tão bonzinho, que me sequestrou e me estuprou. -Camila disse fazendo a ruiva olha-lá. -E agora estou grávida do seu filhinho psicopata. -Suspirei.

-Gra-Grávida?. -Disse horrorizada.

-Sim, quatro meses se quiser saber. -Ela negou olhando de Camila para mim.

-Vocês são loucas?Primeiro matam meu filho e agora o acusam dessas coisas horríveis?. -Suspirei.

-Eu que peguei o seu filho Sra.Mendes, ele assumiu tudo, e ele sabia que eu o mataria, essa não era a minha escolha, mas Camila é a minha esposa, eu fiquei com...Ódio. -Ela negou.

-Não importa o que você tenha sentido, você matou o meu garoto. -Se pôs à chorar. -Ele podia cumprir a pena dele e pronto, mas você o tirou esse direito, tirou o meu direito de ve-lo.

-Senhora, seu filho ia morrer de qualquer forma. -Ela negou.

-Não, isso é mentira por...

-Seu filho estava com câncer. -Disse e ela junto com Camila me olharam horrorizadas.


Notas Finais


Ops...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...