História Hot N' Cold - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias G-Friend, TWICE
Tags Drama, Eunju, Nayeon, Sinrin, Yuri
Exibições 74
Palavras 2.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Meus queridos leitores, cá estou eu com mais uma Fic. Peço que não se preocupes com minhas outras fic's, estou trabalhando nelas. Acredite, eu quero MUITO finalizar I Found Love.
Vou atualizar pessoal, eu juro.

O enredo desse historia surgiu enquanto escutava Hot N' Cold (katy perry), e por isso coloquei como nome da fic.
Espero que gostem. Tenho me esforçado para melhorar minha escrita. Infelizmente ainda não achei alguém que me ajude nessa parte. Triste.

Enfim...

Casais bem diferentões para aqueles que não tem medo de Shippar. Mas não poderia deixar SinRin fora dessa, certo?

Boa leitura ^^

Capítulo 1 - Capítulo 01


 

Os primeiros raios de sol invadem minha janela, anunciando que mais um dia começou. Abro meus olhos, aos poucos eles vão se acostumando com a claridade, e então respiro profundamente. Tiro o lençol, que antes cobria meu corpo, e me sento na beirada da cama. Olhei para o relógio, que estava na escrivaninha ao lado da minha cama, e notei que ainda faltava dois minutos para o alarme tocar. Acordei antes que o despertador tocasse? Isso é uma raridade. Tratei de desativar o alarme, não queria ter que escutar aquele som infernal.

 

Antes de eu fazer qualquer coisa, ouso minha mãe gritar do andar de baixo:

 

— Hwang EunBi! Levanta essa bunda gorda da cama! — Ah, esse é o meu segundo “despertador”, caso o primeiro não funcione, sabe?

 

As vezes minha mãe esquece que temos vizinhos, e vizinhos fofoqueiros. Agora todos saberão que tenho bunda gorda. Mas, para deixar bem claro, isso é totalmente mentira.

 

Fui para o banheiro fazer minha higiene matinal, não demorei muito. Não era obrigatório usar uniforme, então vesti somente a parte superior dele e peguei a primeira calça que vi pela frente. Até tentei colocar aquela maldita gravata, mas sou péssima nisso e não tenho paciência.  Peguei minha mochila preta e fui direto para cozinha, onde encontrei minha mãe com os olhos atentos nos noticiários da manhã. Não me importei muito, e, tratei de dar algumas mordidas no meu delicioso sanduíche natural e dar alguns goles do meu suco de laranja.

 

Não demorou muito para eu já estar no carro com minha mãe no volante. No caminho até a escola trocamos algumas palavras. Não somos muito de conversar, minha mãe é bem mais reservada que eu, em certos momentos. Mas isso nunca me incomodou, pelo contrário. O silencio entre eu e minha mãe sempre foi confortável.

 

Chegando na escola, despedi-me de minha mãe e sai do carro. Sorri ao ver vários alunos andando de um lado para o outro. As portas do inferno se abriram, está na hora de pagar pelos meus pecados.

 

...

 

Parei em frente à minha nova sala e sorri ao ouvir todo aquele falatório dos alunos. Entrei sem cerimônia e logo encontrei minha melhor amiga sentada no fundo da sala, conversando com alguns garotos. Assim que me viu, abriu um sorriso largo e começou a acenar igual uma louca. Fui até ela sorrindo de orelha a orelha e no caminho cumprimentei alguns conhecidos. Nada mudou, ainda tenho os mesmos colegas. Isso de certa forma me deixou aliviada.

 

— Vem SinB, senta aqui. — Falou tirando sua bolsa da carteira ao lado. Ela havia guardado um lugar para mim.

 

— Obrigada Yuju, você é uma boa escrava. — Brinquei, já indo para meu lugar. Ela apenas me deu língua e começamos a conversar sobre coisas aleatórias até o professor chegar.

 

...

 

Pela graça de Deus, o tempo não custou a passar e logo acabou aquela aula. Como de costume, fizemos nossa “rodinha em grupo”. Eram sempre as mesmas pessoas, eu, Yuju, JiHo, Mark e Moon Bin. Sou abençoada por ter conhecido esses idiotas.

 

Agora estávamos em uma conversa louca sobre a nova vizinha da JiHo.

 

— ... sério, dava ‘pra ver praticamente tudo pela minha janela. Vocês tinham que ter visto. — Disse JiHo, quase saltitando de felicidade por ter visto sua vizinha trocar de roupa. Sim, ela tem uma quedinha pela vizinha.

 

— Qual a idade dela? — Perguntou Mark. E parecia estar muito interessado no assunto.

 

— Ah, não sei. Mas algum dia irei perguntar. —Disse JiHo com brilho nos olhos.

 

— Você nem curti essa fruta, Mark — Brincou Moon Bin. Contive minha vontade de gargalhar.

 

— Você que não curti! — Devolveu Mark fazendo cara de bravo. Mas isso só o deixa fofo.

—Todo mundo nessa rodinha é gay. Só resta aceitar. — Disse JiHo.

 

— Isso é verdade. — Falei depois de um longo bocejo. Sim, eu sou lésbica. Soube disso no momento em que me apaixonei por uma colega de turma. Mas isso foi a muito tempo.

 

O único que se “salva” entre nós é o Moon Bin. Como eu sei disso? Bem...

 

3 anos atrás~

“ — EunBi, eu queria saber se você aceita namorar comigo. ”

Ah, não. Odeio esse tipo de situação. Ele não podia se contentar em ser apenas meu amigo?

Olho para ele sem saber o que dizer. Talvez seja melhor eu ser direta... certo?

“ — Desculpa, cara, eu gosto de mulher. Você sabe disso. ”

Moon Bin baixou a cabeça e suspirou pesadamente. Droga..., será que fui muito dura com ele?

Moon Bin voltou a me encarar, agora, com os olhos cheios de esperança. Não estou gostando disso...

“ — E seu começar a usar peruca e maquilagem, minhas chances aumentam? “

“ — Hã? ”

Isso só pode ser brincadeira!

***

Claro que não aceitei. Ficamos um tempinho sem se falar, mas ele logo veio atrás de mim com o rabinho entre as pernas. Ele é um ótimo amigo, e eu odiaria perder sua amizade.

 

Fiquei um minuto em silencio para refletir e então lembrei de algo.

 

— Yuju, e aquela sua namoradinha? — Chamei a atenção dos demais. Com certeza estão surpresos. Yuju me lançou um olhar mortal e eu apenas sorri.

 

Ela me fez guardar segredo porque queria apresentar sua namorada para todos nós em um jantar na casa dela. Yuju gosta dessas coisas. A namorada dela é uma garota de sorte.

— NÃO ACREDITO QUE VOCÊ ESTÁ NAMORANDO! — JiHo só faltou anunciar para a escola inteira com esse berro. Eu, e os dois idiotas ao meu lado, ficamos apenas observando a cena.

 

— Você é louca? Quer que eu pegue um megafone para você? — Yuju cerrou os dentes.

 

 As duas começaram a discutir e se estapear (de brincadeira, claro).

 

Até que uma garota que eu nunca vi antes entrou na sala acompanhada pela professora de geografia.

 

Cabelos longos e castanhos, estatura alta, seus traços eram orientais — surpreendentemente linda. Parecia estar meio envergonha, acho que iria dar algum aviso. Atrai a atenção de JiHo e Yuju ao pigarrear. Elas olharam para mim e eu acenei com a cabeça para que olhassem a garota na frente da turma.

 

— Oh, deseja algo? Estou à disposição — JiHo não perdi uma. Só faltou comer a garota com os olhos.

 

Todos na sala riram, tirando eu, e a professora que franziu o cenho.

 

A professora percebeu o desconforto da garota e resolveu apressar logo o assunto.

 

— Então, Jeon Somi, tem algo para nós dizer? — A garota olhou para turma e seus olhos encontraram os meus. Deu um sorriso tímido e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha. Não preciso nem dizer que amei esse gesto.

 

— Não sei se vocês sabem, mas, esse ano finalmente teremos um clube de dança. Eu e uns amigos estamos passando em todas as salas para avisar que teremos uma pequena reunião sobre o clube. Se algum de vocês estiverem interessados é só passar na última sala do quarto andar. Obrigado pela atenção. —Somi fez uma reverência e batemos palmas. Assim que ela saiu da sala, os coxinhos se formaram. Alguns estavam animados, outros nem tanto.

 

Club de dança, era realmente uma novidade. Nessa escola temos muitos clubes, e o único que faltava era justo esse.

 

 Confesso que não fiquei muito animada. Sempre gostei muito de dançar, até participei de alguns concursos quando era criança, mas não quero me ligar nisso agora. Prefiro aproveitar o pouco tempo livre que tenho.

 

— Hey, SinB? — Yuju me chamou. A olhei e murmurei um “quê? ” Para ela continuar. — Aquela tal de Somi, caidinha por você. — Sorriu maliciosamente e deu umas tapinhas no meu ombro

 

— Ninguém resiste ao charme de Hwang EunBi. — Sorri de forma convencida. — Pensado bem..., acho que darei uma passadinha naquela reunião.

 

— Já vai entrar em ação, SinB? Sinceramente...— Yuju revirou os olhos e voltou a prestar atenção em algo que a professora falava.

 

Oras, não ia fazer mal algum dar uma olhadinha, né? Tenho um bom pressentimento quanto a isso.

 

[...]

 

Na minha louca tentativa de entender o que o professor de filosofia falava, o sinal tocou fazendo todos na sala vibrarem. O doce som da liberdade!

 

Levantei-me daquela confortável cadeira e comecei a guardar meu material. Ao meu lado, Mark tentava acordar Yuju — que geralmente acaba adormecendo ao final da aula. JiHo e Moon Bin se despediram e foram na frente, já que pegavam o mesmo caminho de casa.

 

Joguei minha mochila nas costas e fui ajudar Mark. Acordar aquela preguiçosa é uma tarefa difícil.

 

— Vamos logo, Yuju. A aula já terminou. — Disse Mark fazendo um cafuné nos cabelos de Yuju.

Ela apenas resmungou e não moveu um músculo. Preciso resolver isso.

 

— Desse jeito ela nunca vai acordar. Chega ‘pra lá. — Pedi para ele se afastar e aproximei meu rosto ao ouvido de Yuju.

 

Respirei fundo, e....

 

— YUJU, A EUNHA ‘ VINDO AI! E ELA ESTÁ FURIOSA!!

 

— ONDE? CADÊ? — A coitada se levantou num pulo e ficou igual uma barata tonta olhando de um lado para outro.

 

Digamos que ela morre de medo quando sua namorada fica irritada. É hilário.

 

Eu e Mark não aguentamos e caímos na risada. Yuju nos olhou incrédula e bufou.

 

— Yah! seus idiotas!

 

— Nem reclama. Temos que ir. — Falei indo em direção a porta.

 

— Espera, onde você vai? — Perguntou Yuju, enquanto guardava seu material na velocidade da luz.

 

— Vou para a reunião. — Respondi tranquilamente.

 

— É, você deve estar muito interessada nessa reunião. — Disse Mark deixando uma risadinha irônica escapar.

 

— Olha, eu que não vou deixar aquela gata escapar. — Sai da sala sem esperar por uma resposta, já estava atrasada.

 

 

Coloquei minhas mãos no bolso da calça e fui andando tranquilamente. Não queria chegar lá tão rápido. Minha única razão de estar indo lá é Somi, e ela parece ser uma garota legal, eu estou louca para conhece-la melhor.

 

Chegando no quarto andar, notei que ainda havia vários alunos perambulando pelo corredor.

 

Parei em frente a sala no final do corredor. Lá dentro tocava uma música animada, mas não soube dizer qual era. Girei a maçaneta e fui abrindo a porta devagar, coloquei apenas metade do meu corpo no lado de dentro. Queria confirmar se Somi estava lá.

 

A sala tinha um bom espaço para dança e havia apenas algumas cadeiras—que estavam ocupadas pelo mar de mochilas. Olhei ao redor e vi que tinha mais meninas do que meninos. Ao todo, quinze pessoas, mas, uma pessoa em especial chamou minha atenção.

 

Dançava conforme as batidas da música, e estava na cara que não seguia uma coreografia. Apenas deixava seu corpo seguir o fluxo, e parecia não se preocupar com os olhares ao seu redor. Ela estava se divertindo, e por algum motivo isso me fez sorrir sem que eu percebesse tal ato.

 

Linda...

 

Só notei que estava indo em sua direção quando um corpo entrou no meu campo de visão. Eu ia reclamar, mas, ao ver que era Somi, relaxei minha expressão.

 

— Procurando alguém? — Sorriu.

 

— Na verdade, ...— Olhei Somi de cima a baixo, descaradamente, e sorri de canto. — acabei de encontrar.

 

[...]

 

— Estou de volta. — Disse, fechando a porta atrás de mim e logo depois tiro meus sapatos.

— Bem-vinda, querida. — Falou mamãe, aparecendo der repente na sala...— Está com fome?

 

— Morrendo. — Respondi.

 

— Tudo bem, vá para seu quarto tomar um banho. O jantar já vai estar pronto quando você terminar.

 

— Ok. — Dei um beijo em seu rosto e corri para meu quarto.

 

Não demorou muito para eu estar, perdida em pensamentos, debaixo daquela agua quente do chuveiro.

 

A reunião de fato foi interessante. Mas não consegui me concentrar totalmente nela. Somi não parava de tagarelar ao meu lado e eu não conseguia tirar os meus olhos da garota misteriosa. Aproveitei que Somi não fechava a boca e perguntei para ela se por acaso não conhecia aquela garota.

 

2horas atrás~

 

“— Ah, ela é só uma arrogante de outra escola. Seu nome é Im Nayeon. Ela só está aqui a pedido do professor, mas não sei exatamente porque. Você não vai querer se meter com ela, acredite em mim. ”

“— Hm...sei.— Respondi, um pouco pensativa.

***

Confesso que não entendi o que ela quis dizer na última parte, mas não me importo. Sabe, eu infelizmente gosto de ser do contra. Se alguém me diz para não fazer algo, eu vou lá e faço. Foi assim que consegui uma fratura no braço por ter caído de uma arvore. Ignorei os avisos de minha mãe. Terrível, né?

 

Depois que a reunião acabou, Im Nayeon, saiu apressada da sala. Nem tive tempo para pensar em fazer algo. Já que eu não podia fazer nada, levei Somi para caminharmos um pouco no parque que havia ali perto da escola. Nos beijamos durante algum tempo e logo depois dei uma desculpa esfarrapada: “Tenho que ir para a casa agora, minha mãe está doente e não posso deixa-la sozinha. ” Patético, mas ela caiu.  Somi é muito bonita, porém perdi meu interesse. Comigo é sempre assim; uso e depois descarto. Não é por querer, eu apenas perco a vontade.

 

Me pergunto se estou começando a me interessar por Nayeon, mas isso não é muito provável. Eu apenas devo estar curiosa sobre ela. E algo me diz que irei encontra-la de novo.

 

[...]

 

Dia seguinte~

Refeitório da escola.

 

Ah, hora do almoço! Sem dúvidas é a melhor parte do dia. Tirando a algazarra dos alunos, claro.

 

Eu comia alegremente a gororoba que me foi servida, sem prestar atenção no que os meus amigos conversavam. Acho que estavam falando sobre Hentai... ou algo assim.

 

Percebi que alguém se aproximou da nossa mesa, mas, não dei importância. Mantive meus olhos na minha bandeja de comida, me perguntando se as tias da cozinha ao menos lavavam as mãos... senti um leve enjoo.

 

— Quanto tempo pessoal! — Disse uma voz feminina. Eu tive a impressão de conhecer essa voz. Porém, mantive minha cabeça abaixada. — Vejo que não mudaram muito. Principalmente você, SinB. Continua ignorando o que as pessoas falam.

 

Não, não pode ser ela. Levantei minha cabeça lentamente e vi seu rosto. Sempre com aquele sorriso, que faz qualquer um querer sorrir também.

 

Os holofotes estavam mirados em mim. Todos no refeitório pararam para saber o que eu iria responder. Na verdade, eu nem sabia o que dizer.

 

— Jung Yerin...? — Falei, quase que para mim mesma.

 

— É bom ver você de novo. — Seu sorriso aumento ainda mais.

 

 

Esse ano realmente vai ser interessante.

    

 


Notas Finais


E ai meu povo?
O que acharam? Devo continuar? Ou ficou uma bosta?

Se houver algum erro, por favor me avise.


Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...