História HOT PINK - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXID
Personagens Hani, Hyerin, Jimin, Junghwa, Jungkook, LE, Solji
Tags Colegial, Drama, Kpop, Yuri
Exibições 42
Palavras 2.427
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Orange, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


YAAAAY
novamente uma pequena demora, mas espero suprir a demora com esse capitulo, e que você entendam umas referencias ai (começando pelo titulo) quem acertar eu dou um doce!
Enfimmm curtam o capitulo e até o final...

Capítulo 11 - Eu coração você


    Sigo seus olhos indo ate ela que me espera.

-O que esta fazendo aqui? – ela diz me encarando sem desviar o olhar nem por um momento.

-Hyomin me empurrou para cá, achei que seria legal também. – tento arrumar alguma desculpa.

-Ah, estão saindo agora?

-Ela é minha amiga LE!

-Também pede que ela te beije no cinema?- LE esta jogando sujo contra mim que fico sem argumentos.

-Eu vim descobrir o que eu sou LE, você me deixa confusa sobre mim! Eu preciso saber se eu gosto de garotas. – digo a fazendo rir.

-É assim que você descobre se gosta de garotas? Hani, não se gosta de gêneros, se gosta de pessoas, você não é lésbica por gostar de mim.

-Eu não gosto de você – desvio o olho para qualquer lugar que não sejam os lindos olhos dela.

-Então esta confusa em relação nossa amizade, é? – ela debocha me fazendo me virar e ir embora.

     Passo pelas pessoas sem olhar para trás, preciso de um tempo para processar onde eu estou. Meus olhos encontram várias pessoas, vários casais, vários beijos e então sinto uma eletricidade passando por mim. A música parece ter parado quando lembro-me do toque de LE em minha pele e a sensação, lembro-me dos seus lábios que pareciam ser um tipo de refugio da vida real, lembro-me de como me sentia estando com ela, eu gosto dela. Eu quero estar com ela a todo momento, quero senti-la em meu corpo, não quero me negar a estar bem. A música alta volta para me acorda, e não penso duas vezes antes de virar-me para trás e me deparar com LE tentando sair da multidão pelo outro lado.

     Vou o mais rápido que posso empurrando todo que estão a minha frente, preciso toca-la, o meu corpo sempre pede por ela e eu só me dou conta agora, meu sonho, meus pensamentos, tudo pedia por LE. Finalmente estou a um palmo dela, puxo seu braço que a faz virar na hora para mim. Seus olhos estão vermelhos, mas não paro para olhar. Não dou tempo para que nenhuma de nós possa pensar em falar, avanço em seus lábios a pegando pela cintura tentando trazê-la para mim o maximo que posso. Nossas línguas parecem agitadas, como se estivessem com pressa apesar de que querem ficar ali por uma eternidade. Sinto como se não tivesse ninguém nos empurrando, ou como se eu não estivesse surda pela música, na minha cabeça quando eu estava com LE, eu estava com LE e com mais ninguém. Sinto algo salgado na minha boca e sei que são as lagrimas de LE, e tento conter as minhas.

    Quando fico se ar me afasto dando tempo para olhar seu rosto que agora estava todo molhado com suas lagrimas que faziam sua maquiagem borrar. Ergo minha mão em direção ao seu rosto a fim de limpar suas lagrimas, mas LE segura meu pulso assim que encosto em seu rosto.

-Nunca mais vire de costas para mim Ahn Hee yeon – ela puxa meu pulso para perto de si.

    Nossos rostos estão próximos novamente e dessa vez ela da um breve beijo que me fazem flutuar por alguns segundos. Ela me abraça e encosto minha cabeça em seu ombro sentindo seu cheiro de suor e perfume que pareciam combinar com ela, doce e deliciosa e ao mesmo tempo agitada e maluca. Suas mãos apertam minha cintura e descem para minha bunda dando um forte belisco que me faz gritar em seu ouvido.

-Exagerada – ela sussurra e coloca a cabeça em meu ombro também, sinto sua boca quase colada em meu pescoço quando ela diz: - Eu coração você.

-Eu coração você também.  – não penso mais em nada que não seja em LE.

    Depois de um tempo sendo empurradas e obrigadas a pular junto com as pessoas LE me puxa para fora e me leva para um canto escuro, não consigo ver nada ate que tropeço em alguma coisa, logo sou erguida por LE que ri da minha queda.

-Vem sobe – ela me puxa e percebo que estamos subindo uma escada.

     Aos poucos a escada se mostra dando no segundo andar, com mesas e alguns bancos encostados na parede. Há poucas pessoas sentadas, muitas estão bebendo e outras observando a pista aqui de cima. Passamos por muitos bancos e me assusto quando vejo Hyomin em um deles, e ela não esta sozinha. Fico feliz por ela estar com Jiyeon e elas não parecem estar sendo apenas amiguinhas, poderia ate ser se a língua de Jiyeon não estivesse na boca da outra em um beijo desesperado entre as duas que me deixa assustada, é como se elas estivesse no meio do apocalipse e aquele beijo seria toda a salvação, ou o último beijo de suas vidas.

   LE percebe meu olhar nas duas porque começa a me puxar mais rápido para o final do salão onde há alguns sofás de dois lugares, neles se encontram pessoas dormindo, pessoas se beijando, pessoas bebendo. LE me joga em um deles e vem novamente em encontra dos meus lábios dando outro beijo que eu nunca esqueceria, ela esta em cima de mim o que me faz lembrar a primeira vez que a vi na sala de aula. Quem diria que aquela garota idiota estaria aos amassos comigo no meio de uma balada LGBT, é tipo outra realidade.

    LE ás vezes parece puxar meu cabelo e encaro isso como um jogo, pego minhas unhas às rodeio pelas costas dela por dentro do vestido. Quando ela desce seus lábios ate meu pescoço meus olhos começam a se revirar e quero dar um grito para mostrar o quanto gosto da sensação. Sinto algo sendo apertado contra meus seios e sei quem é a mão pesada de LE. Apoio minha cabeça em seu ombro porque ao menos aguento comigo mesma, tento manter os olhos abertos mas cada vez que a língua de LE passeia na minha clavícula minha pálpebras caem.

-LE? – uma voz grossa e que eu acho conhecer a chama.

    LE se vira com tudo, e então abro os olhos. O segurança.

-Bill... – ela diz se levantando.

-Faz tempo que não ti vejo por aqui – ele sorri envergonhado.

-É né – ela joga o cabelo para trás tentado se recompor.

   Um arrepio sobe quando Bill começa a me encarar, droga.

-Hani, né? – ele diz.

   LE me lança um olhar desconfiado, abaixo a cabeça e afirmo com a cabeça.

-Hyomin que se cuide – ele diz e sorri de lado o que me da vontade de esganalo. –Vocês viram Jiyeon?

-Ela tava por aqui, procura agarrada com alguma piranha dela – LE diz e já vejo que mudou seu humor de apaixonada para com ciúmes, de novo.

-Obrigada, podem continuar – ele ri novamente e vai embora.

    LE ainda em pé volta me encarar e sinto que estou sendo derretida enquanto ela me olha, seu batom escuro já não se encontra mais na boca e como sempre começo a rir, ate que me lembro da cara de LE e coloco minha cabeça entre minhas mãos

-Não vai me explicar como conhece o Bill? – ela pergunta e relaxo um pouco.

-Ele que estava na entrada – agora tomo coragem para olhar para ela e ela esta sorrindo.

-Eu sei boba – ela sela rapidamente seus lábios com o meus e vai pegando minha mão para que eu levante.

-Perdemos o clima né? – digo com uma cara debochada.

-O clima é que nos perdeu, quer pra minha casa?

-Por favor! – digo a puxando para ir embora.

***

    Toda a vigem desde o ônibus ate caminhar para sua casa foi falando sobre a doida da Hyomin enquanto LE falava sobre a época que frequentava o lugar e como Bill era doido. Passamos em frente minha casa e as luzes estão apagadas e isso me deixa tranquila. A casa de LE é umas seis casas depois e tem o interior de mesmo tamanho, tirando o fato de uma porta extra no andar de cima que me deixa confusa. Ela pede que eu faça silêncio então finjo que nem estou ali.

    Entramos na porta do final no corredor do segundo andar e lá esta o quarto de LE. É um pouco menor que o meu e não vejo nenhum indicio de ser uma suíte. Sua cama é forrada com varias pelúcias e suas paredes tem varias fotos de paisagens que me parecem com um nada. Enquanto observo seu quarto LE me empurra, então caio de cara na cama.

-Sua maluca – apesar do susto ainda estou rindo.

    Ela sobe em cima de mim e então começa de novo a sessã de beijos da Hani, que novamente  descem pelo meu pescoço, mas dessa vez sinto algo sugando minha pele e solto um gemido, LE para e me encara saindo de cima e fica em pé ainda na minha frente. LE faz uma cara de vilã sexy e desabotoa meu short, então o tira-o tão rápido que não consigo impedi-la de ver minha calcinha de ursinhos. Ela começa a rir tão alto que começo a corar e tento esconder o rosto.

     Cubro meu rosto com minhas mãos, logo que tampo minha visão sinto minhas mãos sendo empurradas para longe e retomando minha visão à LE. Ela esta quase em cima de mim e fico ainda mais nervosa.

-Não tenha vergonha de mim – ela encara a calcinha e logo corre os lábios ate a superfície do ursinho maior no tecido da calcinha.

     Minha pele arrepia com encosto dos seus lábios em minha intimidade, meus olhos começam a revirar ate que escutamos passos no corredor e então LE sobe na cama com tudo e coloca a mão sobre minha boca.

-LE minha filha esta tudo bem? – uma voz grave atravessa a porta chegando aos meus ouvidos me dando medo.

-Sim, Pai! – LE parece nervosa também o que não me tranquiliza.

-Boa noite então! – a voz diz novamente e ouço passos se distanciado da porta.

     LE tira a mão da minha boca e respira fundo como eu.

-Acho melhor irmos dormir – ela sorri de leve e joga a cabeça no travesseiro.

     Encaro-a ate que ela se volta a mim e coloca seus braços para que eu posso apoiar a cabeça. Nessa posição consigo olhar claramente seu rosto apesar do quarto escuro.

-Eu odeio você, por me fazer sentir essa porra – ela diz encarando o teto e me sinto culpada.

-Desculpa – digo baixinho saindo de seus braços.

     Le me segura por trás e ficamos abraçadas ali.

-Eu gosto de sentir essa porra. Por mais doloroso que seja ti ver com aquele Kook – ela cochicha.

    Meu coração se aperta. Kook.

    Sinto-me totalmente culpada, mas ainda consigo dizer.

-É doloroso sentir algo por você também.

-As coisas que mais amamos, são as que mais nos destroem – ela esta seria e já consigo seguir sua respiração em uma sintonia com a minha.

    Fecho os olhos tentando não pensar em nada, seguro as mãos de LE sobre minha cintura que me dão segurança e antes que possa dizer algo já não estou mais acordada.

***

     Abro meus olhos quando os primeiros raios de sol já estão invadindo todo meu rosto. Vou me levantando devagar e minha cabeça vaga pelo quarto que estou.

     Então me lembro de onde estou e do que aconteceu. Viro-me e vejo LE tão serena como nunca vi antes, todo seu cabelo esta espalhado pelo travesseiro e seus olhos que pareciam estar assistindo alguma coisa muita boa, seu braço jogado para cima marcado por um vermelho forte. Não ligo muito ela deve ter dormido em cima do braço ou algo assim.

     Devagar saio da cama e coloco minha bermuda que estava jogado ao chão. Encaro LE mais uma vez para e certificar que ela esta dormindo e abro aporta. O corredor parece vazio então saio por ele em direção alguma porta que seja o banheiro. Vou para porta no final do corredor que seria o banheiro da minha casa, mas esta trancada então vou na direção da porta que seria meu quarto.

      Realmente se parece um quarto, há uma cama de solteiro e várias coisas espalhadas pelo chão: roupas, travesseiro, embalagens de comida e tudo que poderia estar num lixão. Mas uma coisa finalmente me chama atenção, um quadro no criado-mudo ao lada da cama. Eu não fazia a mínima ideia de quem poderia ser toda essa bagunça de quarto, na foto haviam duas garotas LE que dava um sorriso leve tão simples e tão lindo, apesar dela ter desviado os olhos da câmera ela era a mais bonita da foto. A segunda garota era ruiva e sorria sem dó de mostrar os dentes e seus olhos brilhavam encarando a câmera, acho que a conhece de algum lugar, mas sou péssimas com rostos.

     Uma pontinha de raiva sobe em mim, quem é essa garota e por que ela esta tão agarrada a LE nessa foto? Sério, seus braços a apertam tão forte que parecem que querem suga-la para si. Na verdade de quem é esse quarto? Observo por mais um tempo a foto, mas ainda não me recordo dessa garota ruiva.

     Passo os olhos pelo quarto e encontro uma porta, não êxito em abri-la. Dou de cara com um banheiro muito parecido com o meu, tirando a parte de ter roupas e maquiagens por todo lugar. Encosto a porta e faço meu xixi matinal ainda que com medo de alguém chegar. Encaminho-me para o espelho e tomo um susto com o tom avermelhado em minha bochecha, onde eu encostei meu rosto?

     Recordo-me do braço de LE com o mesmo tom, será que dormi em cima do seu braço? Nossa não, pelo menos a noite inteira deve doer demais! Lavo meu rosto focando mais na parte vermelha e na minha franja que sempre acorda toda bagunçada. Meu coração para quando ouço uma porta se fechando próximo daqui.

-AH – alguém grita de raiva.

    Corro para a porta do banheiro espionar quem acabou de entrar no quarto, e meus pensamentos estão certos, é a garota da foto e ela esta no quarto. Droga!

      Tranco a porta e me sento com a mão na boca afim que ela não perceba minha presença, mas foi em vão. Ela começa a bater na porta furiosa.

-LE é você? LE abre essa droga! Eu preciso usar o banheiro, garota! – cada frase faz dita faz meu coração palpitar de medo.

     Sento-me de costas para porta e fecho os olhos para de algum jeito me teletransportar para outro lugar que não naquela situação. Estou preste a tomar coragem e abrir a porta quando escuto outro estrondo na porta lá fora, e meu coração acelera  ainda mais.


Notas Finais


Bem, foi isso...
Espero que tenham gostado, e vou tentar postar com mais frequência porque finalmente as gloriosas FERIASSSSS chegaram e então né
Comentem o que acharam pf e nos vemos nos proximos capitulos
Até lá um abraço flwsss <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...