História Hotel - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, D.O, Lay, Lu Han, Xiumin
Tags Layhan, Xiuchen, Yatoviagem, Youaretheone
Exibições 309
Palavras 3.824
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Lemon, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá.
Fanfic feita para o projeto YATO.
Terceira fase e com couple opcional por isso xiuchen 💜
Obrigada a Kami ( Yixingqueen) pela a betagem e a Gabi ( Gabichannie) pela a capa ~
Espero que gostem!

PS: capítulo feito pelo o celular por isso a formatação pode sair ruim. Kami Betou mas vai saber,né?!?

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Hotel - Capítulo 1 - Capítulo único


Minseok resmungou quando sua omma lhe acordou. Tinha ido dormir tarde na noite anterior e ao amanhecer, tudo o queria era continuar deitado na sua cama macia, coberto pelos os lençóis grossos e sonhando com Super Junior...

Mas infelizmente teve que abrir os olhos e encarar a senhora Kim, sua amorosa progenitora, que tinha um sorriso enorme no rosto.

“Bom dia neném! Não vai me dizer que esqueceu que dia é hoje?!” A mais velha riu quando o filho a olhou confuso. “Meu Deus, Minseok! Hoje vai ter a viagem da sua escola.”

Oh sim, a viagem!

Sua escola sempre dava uma viagem de fim de ano para os alunos e aquele ano seria especial, uma vez que era o último ano escolar de muitos. Minseok enfim despertou do sono e se levantou num pulo, quase batendo na mãe e pedindo desculpas.

“Como eu pude me esquecer da viagem!? Omma, diga que eu não estou atrasado!”

“Claro que não. Ainda são seis da manhã, vocês partem somente às oito. Eu sei que foi dormir tarde e que provavelmente iria se atrasar, mas sei também que quer muito ir à viagem, por isso vim te chamar.”

O mais alto sorriu e deu um beijo na testa da mais velha antes de pegar sua mala e conferir se estava tudo pronto. Sua progenitora lhe ajudava, dobrando algumas roupas e vendo o que seria bom ou não levar. Após isso, Minseok correu pro banheiro para poder enfim, se arrumar.

(...)

“Yixing, pensei que não fosse vir!”  

“Foi mal hyung, mas você sabe como Luhan demora para se arrumar, tive que esperar ele trocar de roupa umas dez vezes.” O chinês disse e logo recebeu uma tapa na nuca do namorado. “Ai Lu-Ge!”

“Isso é para aprender a me respeitar, chinês bobão.”

“Ok pessoal, sem brigas. O diretor Kim já disse que logo os ônibus vão sair, é melhor nós prestarmos atenção.” Minseok respondeu, sem deixar de rir da reação de Yixing ao levar o tapa “carinhoso” do namorado.

(...)

“Pelo menos ficamos os três juntos.” Foi o que Yixing disse quando se sentaram nos últimos bancos do ônibus.

“Você sabe que eu não suporto Jongdae e a turminha dele, e os professores também tem ciência disso. Tinham que colocar a gente no mesmo ônibus? E ainda mais numa viagem de cinco horas?” Minseok disse enquanto cruzava os braços.

“Bom, mas eles são gatinhos.” Minseok e Yixing olharam pra Luhan, esse que cruzou os braços. “O que? Não posso achar mais ninguém bonito agora?”

“Não!”

O Chinês mais velho bufou e deitou a cabeça no ombro do namorado, fazendo um biquinho.

“Você tá de castigo, Gege.”

Oh! Luhan sabia o que aquilo significava, e não gostou nadinha daquilo.

(...)

Minseok ria da briga boba de Yixing e Luhan. Era sempre assim, o casal brigava umas cem vezes ao dia, e todas elas por motivos bobos. O mais velho tinha que admitir, os amigos se gostavam muito, eram raras as brigas sérias e quando essas ocorrem, Yixing sempre pede desculpas ao chinês mais velho, pois não consegue viver tranquilamente sem seu parceiro.

“Olha só, poderiam compartilhar a piada? Aqui no ônibus está tão tédioso, quero rir também.” Minseok ouviu Jongdae dizer e olhou para o mais novo, parando de rir aos poucos.

“Creio que isso não seja de sua conta.” O Kim mais velho disse, vendo Jongdae revirar os olhos.

“Só estou querendo rir um pouco.”

“Não, não quer. Você só quer tirar a minha paciência, mas quer saber? Você não vai conseguir.”

Antes que Jongdae pudesse responder, ouviram os xingos do motorista do ônibus e o mesmo parar de repente.

“Aconteceu algo?” O professor de química, Do Kyungsoo, perguntou ao motorista enquanto esse primeiro se levantava.

“Aparentemente, deu um problema no motor. Eu irei descer e tentar arrumar.”

“Como assim problema no motor? Esse ônibus não estava cem por cento perfeito?” - Kyungsoo perguntou, enquanto descia atrás do motorista. Os alunos se olharam e, como se fosse algo ensaiado, bufaram.

(...)

“Certo crianças, o motorista ainda está tentando arrumar o motor. O outro ônibus já chegou ao local onde vamos chegar, que é um pouco mais de uma hora daqui. Já são doze horas, vamos todos descer e eu lhes darei comida.”O professor que nos acompanhava disse.

“Aqui só tem mato.” Um dos alunos murmurou após descer do ônibus.

“Claro, estamos indo pra um acampamento aqui perto… Pelo menos eu acho. Bom, se ajeitem aí que eu vou dar os lanches.”

(...)

“Isso só pode ser brincadeira!”

“O que hyung?” Yixing perguntou.

“Já são três da tarde e esse cara não consegue consertar a porra desse motor! Estamos no meio da floresta e tá frio pra caralho!” Minseok dizia enquanto gesticulava agressivamente com as mãos. “O resto da turma deve estar se divertindo e a gente aqui no meio do nada!”

“Mas o motorista não tem culpa.”

“Mas ele já deveria ter ligado pra alguém, Luhan!”

“Nisso eu concordo com o Minseok.” Jongdae disse se sentando ao lado do Kim mais velho. “Já éramos pra estar em algum canto desconhecido por mim, mas que provavelmente é legal. Mas ao invés disso, estamos no meio do matagal, com frio, fome e sede.”

“Por falar em professor, onde ele está?” Luhan perguntou. Este estava sentando entre as pernas do namorado, com a cabeça encostada em seu peito.

“Ele disse que iria tentar falar com o diretor Kim, amor.”

“Eu não vou passar minha noite aqui.” Minseok disse.

“Nós também não.”

(...)

“JÁ CHEGA!” Kyungsoo gritou. “ É tudo o que podemos fazer crianças. Já são sete da noite e está fazendo muito frio. Vamos empurrar o ônibus até  a outra estrada e esperar pelo o reboque. Aproveitamos e compramos algo pra comer na loja de conveniência até o outro ônibus chegar.”

“Ou isso, ou podemos esperar até amanhã de manhã e ir andando. O reboque já foi claro ao dizer que não reboca nada por aqui.” O motorista disse e os alunos concordaram. “Então muito bem, vamos lá!”

“Eu não aguento mais!” Luhan disse, enquanto ajudava a empurrar o ônibus.

“O professor disse que é logo mais na frente.”

“Ele disse isso já faz meia hora.” Jongdae resmungou.

“Pronto crianças! Podem descansar, já chegamos.” Kyungsoo disse, apontando para frente. “O outro ônibus irá chegar há meia hora, então vamos comer e esperar.”

(...)

“Até que fim comida!” Luhan disse e Minseok riu do amigo. “Andem, comam logo pra gente ir embora.”

“Sim senhor, capitão!”

“Hey Minseok.”

“O que?” O mais velho perguntou olhando para o Kim mais novo.

“Eu tô afim de mijar, você pode vim comigo?”

O mais velho riu.

“Por que eu deveria ir?”

“Porque vai tem que ser na mata e eu tenho medo de alguém querer me matar, e já que você luta boxe, deve servir de algo.”

“Azar o seu! Eu não vou sair daqui, o ônibus já deve estar chegando.”

“Relaxa, eles não vão sem nós.”

Minseok bufou e se levantou, seguindo o mais novo.

(...)

“Vamos logo cara! Eu não tô querendo te ver urinar.” Minseok disse e o mais novo riu.

“Você deveria confessar que ainda é  apaixonado por mim, hyung.”

“Não seja idiota e termine logo isso.” O mais velho disse, enquanto tentava não olhar para pênis do mais novo… Mas era tão bonitinho!

“Eu nunca entendi o motivo dessa sua implicância comigo.” Jongdae disse enquanto fechava o zíper da calça.

“Conta outra Jongdae! Você sabe todos os motivos pra gente não se dar bem.”

“Isso aconteceu há um ano Minseok! Se a gente terminou foi culpa sua. Antes a gente se dava tão bem…”

“Antes de você me meter um par de chifres.”

“EU JÁ DISSE QUE FOI O BAEKHYUN QUE ME BEIJOU. EU ESTAVA TENTANDO AFASTAR DELE, MAS VOCÊ CHEGOU ANTES.”

“Eu realmente não brigarei com você.”

“Você é um idiota, Kim Minseok!”

“Eu sei. Vamos logo que ficar aqui com você me dá náuseas.”

(...)

“Ué, cadê o pessoal?” Jongdae perguntou, olhando para os lados, não encontrando nada e nem ninguem. “A estávamos aqui, não era?”

“Eu não acredito nisso. Eu vou te matar Kim Jongdae.”

“Me matar? Por quê?”

“ELES FORAM EMBORA E DEIXARAM A GENTE PRA TRÁS!”

“Não seja idiota, claro que eles não foram embora.”

“Sim, eles foram. E a culpa é unicamente sua.” O mais velho disse e passou a mão no rosto. Ouviu seu celular apitar e o retirou do bolso, vendo que era uma mensagem de Luhan.

“Hyung, sei que deve tá procurando pela a gente, mas não se preocupe, estamos todos indo pro nosso local de viagem. A verdade é que eu dei um jeito de despistar o professor Kyungsoo e dizer que você e Jongdae já estavam no ônibus. Me entenda, eu não aguento mais essa tensão sexual sua com o ChenChen, por isso, me certifiquei que tinha dinheiro com ambos e se tinha algum hotel por perto. Amanhã, provavelmente o professor irá notar que vocês não estão com a gente e irá buscar os dois. Então aproveite  a noite com o Jongdae e tentem conversar. Com amor, Luhan.”

O mais velho quis socar Luhan, quis socar o professor por ser tão lerdo e quis socar Jongdae ao mesmo tempo. Mas tudo o que fez foi jogar o celular para longe e resmungar que iria matar o amigo. Jongdae, totalmente assustado, pegou o celular do mais velho e após ler a mensagem, conteve o sorriso.

“Bom, o que nos resta é ir pra este hotel e esperar até amanhã.” Jongdae disse e pegou a mochila jogada no chão. “Vamos?”

“Vai se foder, Jongdae!”

O mais novo riu e pegou o mochila do mais velho, estendendo pra Minseok, que a pegou com raiva e saiu andando na frente.

(...)

“Boa noite. Eu e meu amigo queremos dois quartos pra passar a noite.” Minseok disse para atendente, que mexia no notebook em cima do balcão.

“Desculpe senhor, mas só tem um único quarto disponível.” A loira disse, sem tirar os olhos da tela do eletrônico.

“Como assim um quarto? Eu não acredito nisso!”

“Estamos em época de final de ano, muitas pessoas vem pra ir para acampar perto daqui, e param para dormir no hotel. Só temos um quarto disponível, vão querer ou não?”

“Por um acaso tem outro hotel por aqui?” Minseok perguntou, fazendo a mulher rir.

“Você prestou atenção em onde está? Estamos quase no meio na floresta! Só existe este hotel.”

O mais velho rosnou, vendo o mais novo sorrindo satisfeito.

“Quantas camas o quarto tem?”

“Uma cama de casal, senhor.”

E só bastou aquela frase para que o mais velho explodisse de vez.

(...)

“Qual é hyung! Só por uma noite.” Jongdae falava enquanto jogava a mochila em cima do sofá.

“Eu não vou aguentar passar essa noite aqui com você sem querer te esganar, Jongdae.”

“Não seja idiota. Namoramos por dois anos e tudo o que você fazia quando estava comigo sozinho num quarto, era me comer bem gostoso.”

“Eu não vou fazer nada disso com você.”

“Eu não pedi que fizesse.”

O mais novo retirou o casaco que vestia e abriu a mochila, pegando suas roupas de dormir e caminhando em direção ao banheiro.

“Não me espie pela a fechadura.”

“Faça um favor pra mim, Jongdae? Se joga naquela privada e dê descarga.”

“Eu também te amo, Minnie.” Minseok revirou os olhos e se jogou na cama, contendo o riso.

“Fedelho idiota.”

O Kim mais velho pegou no sono enquanto esperava o mais novo tomar banho. O dia havia sido corrido e cansativo, e tudo que o mais velho queria era deitar e dormir durante, se possível, o resto do ano.

Minseok embalado em seu sono, não notou quando o mais novo saiu do banheiro já vestido e riu baixo, retirando os sapatos do Kim e o deixando apenas com as meias, para logo em seguida, cobrir o corpo desenvolvido pelo o lençol grosso.

Jongdae se sentou ao lado do mais velho e alisou os cabelos do mesmo, lembrando-se da época em que namoravam. Foram bons anos, mas por conta de uma besteira, tudo tinha acabado.

Não mentiu quando disse que Baekhyun tinha lhe beijado. Foi pego de surpresa na sala de canto e antes mesmo de poder empurrar o corpo do outro, seus lábios foram atacados em um beijo voraz. Quis empurrar o corpo daquele que um dia ele chamou de amigo para longe, mas antes mesmo que pudesse de fato faze-lo, ouviu seu nome ser gritado e ao se separar de Baekhyun, viu a imagem de Minseok com olhos marejados e segurando uma rosa vermelha, essa que o Kim deixou cair ao chão após falar um “tá tudo terminado” e ir embora.

Porra! Ainda amava Kim Minseok. O mais velho tinha sido seu primeiro namorado, o primeiro homem que tocou seu corpo de maneira íntima, o primeiro que disse sem medo as fortes palavras “eu te amo” e por conta de um maldito beijo roubado, tinha o perdido.

Naquele dia, iam fazer dois anos de namoro. Mas antes mesmo de poder comemorar, tudo acabou rapidamente, o mais novo sentiu como se estivesse vivendo um pesadelo.

“Você esta chorando?” Minseok perguntou com a voz rouca, vendo as lágrimas descerem pela a bochecha do mais novo. “Jongdae, você tá bem?”

“Não, eu não estou nada bem!” O mais novo limpou as lágrimas e se levantou da cama, olhando para a janela que tinha no quarto.

“O que aconteceu?”

“Eu só… Só estava lembrando de nós.” Confessou.

“não existe nós, Jongdae, pelo menos não mais.”

“Eu sei, e isso me dói tanto.”

Minseok se levantou da cama e seguiu para perto do mais novo. Droga! Não podia acreditar que iria falar sobre aquilo que tanto lhe machucava.

“Quando eu vi aquele beijo, senti como se meu mundo fosse desabar. Eu enfrentei meu appa apenas pra poder ficar com você, vi ele se separar da minha omma apenas porque ela me apoiou… Apoiou a gente. Você foi meu primeiro namorado, eu nem sabia que gostava de homens… No começo eu fiquei tão confuso.”

“Eu sei, Minseok. Droga, eu sei.”

“Você não sabe como me feriu beijando Baekhyun, Jongdae. Aquela cena me persegue até os dias de hoje.”

“Você precisa acreditar em mim, Minseok! Foi ele que me beijou!’’

“Do que isso importa agora?” O mais velho fungou. “Vamos terminar nosso ensino médio daqui um mês, você vai entrar pra faculdade de canto e se tornar um ótimo cantor, enquanto eu, vou seguir os passos do meus appa, para administrar a empresa dele e dar, pelo menos uma vez, o orgulho que ele sempre quis sentir de mim. Nossas vidas não vão ser a mesma, vamos entrar na fase adulta e tomar rumos diferentes. Você entende agora o porquê da gente não continuar mais? Nós não temos mais concerto.”

“Eu… Eu posso fazer outra faculdade… Não sei…”

“Não seja babaca! Se tornar um cantor sempre foi seu sonho, você vai entrar em umas dessas empresas e se tornar um ótimo cantor. Vai encantar várias pessoas com sua voz. E eu, quem sabe, compre seus álbuns.” Riu de leve. “Se sempre estou procurando briga, é para que eu tenha motivos pra te odiar, mas eu não consigo. Você é tudo o que eu quero pra mim, mas é tão impossível.”

“Não temos mais jeito, é isso? Você nem ao menos gosta de administração, Minseok.”

“Isso é o que menos importa.”

O mais velho respondeu e limpou o rosto.

“Minseok” Jongdae chamou com a voz baixa. O mais velho apenas resmungou. “Eu te amo.”

“Eu também te amo, Jongdae.”

“A gente acaba de vez aqui, não é?” Jongdae perguntou, limpando as lágrimas e apontando ao redor. O mais velho negou com a cabeça, puxando o corpo magro para perto de si.

“Precisamos de uma despedida decente.” Minseok deu um beijo no pescoço do menor, o ouvindo gemer em deleite. “O que eu costumava fazer com você quando estávamos sozinhos em um quarto?”

Jongdae riu.

“Você me abraçava dessa mesma forma, me beijava e sussurrava que me amava. Depois você me jogava na cama e me amava como eu sei que nunca alguém vai amar igual.”

“E eu posso repetir essas mesmas coisas hoje?”

“Você deve, Minseok!”

O mais velho sorriu, beijando os lábios que tanto amava e sentia saudades. E como de costume, logo o corpo do mais novo estava na cama, se contorcendo de prazer, enquanto das bocas de ambos, o único som que saira, eram seus gemidos.

(...)

7 anos depois.

“Eu já mandei vocês dois pararem com essa briga idiota!” Minseok disse, enquanto segurava o riso.

“Você fica quieto na sua, Minseok.” Luhan disse bravo,c ruzando os braços.

“Me respeita, eu sou seu hyung.”

O Chinês mais velho deu de ombros e fez um bico ainda maior nos lábios. Yixing suspirou e levantou as mãos pro alto, em sinal de rendição.

“Ok amor, você venceu. Pode escolher o local da nossa viagem.”  Luhan sorriu ao ouvir as palavras que tanto queria.

“Bom… Eu estava pensando na China. Faz tempo que não visitamos nosso país natal e Minseok Hyung disse há um tempo que queria conhecer o país. Como estamos de férias, pensei em juntar o útil ao agradável.”

“Bom, por mim tudo bem.” Yixing disse, puxando o esposo pela a cintura e depositando um beijo na bochecha do mesmo. “Tudo bem pra você, hyung?”

“Tudo bem sim. E não é tão longe, se ocorrer qualquer problema na empresa não vai demorar muito para que eu volte pra Coréia.” Respondeu, dando de ombros.

“Nah! não vai acontecer nada. O TaeYong vai tomar de conta de tudo direitinho. Se ele não cuidar, eu mesmo me responsabilizo em “cuidar” dele”.

“Você é muito violento Luhan! Já pessoa em se tratar?” Minseok perguntou e logo fugiu dos tapas do amigo, enquanto ria.  

“Vai se foder, Minseok! Palhaço.”

(...)

“Uou, é realmente muito bonito.” Minseok dizia, admirando a paisagem. “Você escolheu bem o destino da nossa viagem, Luhan.”

“Claro que sim!”

“Vamos ficar em qual hotel mesmo, Lu-Ge?” Yixing vinha logo atrás, atolado com as malas do namorado.

“É um hotel perto da praia. Vamos pegar um táxi e ir embora que eu estou cansado.”

“Cansado do que? Yixing que tá carregando as suas malas.” Minseok ousou falar e o amigo deu de ombros.

“Ninguém mandou querer namorar comigo. Agora vamos, tem um táxi logo ali na frente!”

(...)
“Boa tarde. Nós temos reserva neste hotel. Você poderia checar nossos quartos?” Luhan perguntou, sorrindo para o gerente.

“Claro! Em nome de quem?” O homem perguntou, sorrindo malicioso.

“De Kim Minseok e Zhang Yixing.” Yixing disse abraçando o namorado pela a cintura, este riu.

“Claro! Só um momento senhor.”

Minseok negou com a cabeça e foi em direção ao pequeno sofá que tinha na recepção, esperando os dois voltarem com as chaves. Depois de alguns minutos, sentiu o outro lado do sofá afundar, mas concentrado no celular não olhou para o lado.

“Sabe, eu também gosto bastante desse jogo. Ele sempre me tira do tédio nos meus momentos livres.” Ouviu a voz conhecida falar e olhou em direção dela, vendo o mais novo sorrir de lado.

“Jongdae?”

“Olá, Hyung.” O mais novo riu da cara de espantado do mais velho. “Fico contente por ter te encontrado.”

“Fica?”

“Sim. E que bom que foi aqui neste hotel. Minha última lembrança com você junto à mim também foi num hotel. Será que é o destino?”

O mais velho riu e guardou o celular no bolso, puxando o corpo magro para perto de si e rindo.

“Eu fiquei com saudades de você, pentelho!”

“Eu também senti saudades, hyung.” Jongdae se afastou do mais velho, deixando uma lágrima cair. “Você vai fugir de mim ou vamos cumprir nossa promessa?”

“Você mais do que todos deveria saber que sou uma pessoa de palavra e que cumpro tudo que prometo.” Minseok respondeu e ouviu Luhan lhe chamar. “Vem, te levarei até os meninos.”

“Vai me apresentar como seu namorado?” Jongdae brincou e o mais velho apenas riu, puxando aquele que ainda amava para perto dos amigos. Afinal, Kim Minseok é uma pessoa de palavra.

(...)

7 anos antes.

“Hyung, eu não acredito que esse é o nosso fim.” Jongdae disse, apertando o corpo do mais velho contra o seu. A respiração ainda falha pelos os atos de minutos atrás.

“Talvez não seja.” Minseok deu um beijo na testa do mais novo.

“Como assim, Hyung?” Jongdae se sentou na cama.

“Sabe, se tem uma coisa que eu tenho certeza é que esse amor que eu sinto por você, jamais vai acabar. E eu sei que agora, a gente não pode mais ficar junto. Você vai seguir com sua vida, e eu com a minha. Mas quem sabe, se algum dia nos encontrarmos, e você quiser, talvez a gente possa continuar de onde paramos. Tentar recomeçar do zero.” Minseok disse e sorriu.  Mas apenas depois que eu tenha conquistado a empresa e você tenha se tornado um cantor mundialmente famoso.”

“Você tá falando sério?” O mais novo riu.

“Estou.”

“Você promete, hyung?”

“Eu prometo, Jongdae!”


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado.
Se acham que mereço, um simples " gostei" me ajuda bastante.

Até uma próxima ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...