História House 7 - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Tomboy, Yuri
Exibições 114
Palavras 756
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Galera, desculpa pela demora, final de ano, estou em provas :/ poreem eu to de volta, sai de férias \o/ A foto do cap são as roupas da Lauren beleza? Bem, não preciso dizer que ela é inspirada em mim, o texto do início do capítulo fui eu quem escrevi, então gostaria da opinião de vocês sobre isso tb! Boa leitura mozis <3

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction House 7 - Capítulo 2 - Capítulo 2

POV’s Lauren

 

“Era tão simples descrever aquilo, apenas quatro coisas chamaram minha atenção naquela cena digna um filme clichê qualquer: os lençóis brancos bagunçados acima da cama, a luz do sol passando pelas cortinas iluminando o local e as partículas de poeira presentes no ar, o corpo nu dela na cama e o cheiro do cigarro que eu tragava devagar olhando aquela mulher a minha frente, dormindo, com um semblante calmo e quase angelical.

A paixão que eu sentia era algo forte, avassalador. Tão simples foi entender o que eu sentia, mas conseguir compreender o porquê e o tamanho daquele simples sentimento era entender como deus ao mesmo tempo seria três, ou, simplesmente, tentar entender o que é o infinito.
Respirei profundamente e bem devagar, fechando os olhos, ouvindo toda a falta de som no local. Pensei sobre o que eu estava fazendo ali com aquela menina, que aparentava tão inocente naquela posição, mas que, certamente, me daria um fora assim que acordasse. Bem, eu não me imagina mais sem aquela jovem que possuía os olhos castanhos mais bonitos que eu já vi, ela era minha droga, estar sem ela seria minha morte, mas não faria diferença, eu já estava morta bem antes dela aparecer, conhecia exatamente todo aquele sentimento de vazio.”

 

Fechei meu caderno após escrever aquilo. Todos diziam que eu escrevia bem, mas o que dizer sobre alguém que escreve sobre algo que está apenas na sua cabeça? Passo o dia fantasiando com o que não vai acontecer, escrevendo crônicas onde o personagem principal sempre sou eu. Escrevo sobre algo que eu não sou.

 

Prazer, Lauren Jauregui, a garota mais trouxa que você vai ver na sua vida! Parece que estou exagerando, mas é verdade, como se já não bastasse toda a pressão sobre uma adolescente normal ainda tenho que me preocupar com a maravilhosa opinião dos outros, minha família depende da opinião vazia em volta, empresários, advogados e algumas modelos, uma família grande com grandes problemas quando se trata de falsidade, tem problema com tudo, desde como eu me visto até como eu falo.

 

Olhei o relógio: 7:49 AM. Eu estudo de tarde, então ainda tinha cinco horas e onze minutos para curtir a manhã. Levantei da minha cama fui até o guarda roupa e coloquei uma calça moletom, uma regata qualquer, um tênis e um boné para esconder os cabelos mal penteados. Desci as escadas e dei bom dia para a nova empregada, ela é bem nova, deve estar precisando muito de dinheiro para se sujeitar a algo como receber as ordens dos meus parentes.

 

Abri a porta da minha casa, passei pelo jardim, saí e fui falar com meus amigos que já jogavam basquete na rua, bem curioso jogar sem uma sesta, mas nós damos nosso jeito.

 

POV’s Camila

 

Continuei observando Lauren por algum tempo até que ela entrou de novo em sua casa, provavelmente para se arrumar, com isso vi que também estava na hora de eu me arrumar.
 

(...)

 

Eu andava pelos grandes corredores daquela escola, vi desde dois garotos zoando as pessoas que passavam até uma garota chorando encostada nas paredes frias daquele local. Encontrei as meninas encostadas em alguns armários que haviam alí, me aproximei esperando elas perceberem minha presença no lugar. Estavam muito entretidas na conversa então resolvi dizer algo.

 

-Oi gente - eu disse meio sem jeito em atrapalhar a conversa - Do que estão falando? - Eu disse para Keana, Lucy e Diana.

 

-Estávamos conversando sobre os horários novos - Lucy disse rápida - Eu e a Ka ficamos na mesma sala, a Diana é um ano mais velha então nem rola dela ficar junto com a gente, vê aí em que turma você ficou.

 

Eu procurava o papel com os horários dentro da minha bolsa quando ouvi um grande estrondo, olhei para onde o som vinha e vi que um grupo de garotos tinha empurrado uma garota contra os armários, finalmente vi quem era, era Lauren! A mochila dela já tinha voado para algum canto no corredor, a voz de um dos jovens ecoou fazendo algumas pessoas darem risada.

 

-Desculpa aí sapatão! Esbarrei sem querer! - os outros riram junto com as pessoas que estavam no corredor.

 

Lauren levantou devagar virou para o garoto e acertou um soco fazendo o garoto dar passos para trás, os outros dois iam revidar porém a diretora chegou bem na hora.

 

-Lauren Jauregui, por que não estou surpresa? - ela tirou os óculos e colocou na gola da camisa branca que usava - Na minha sala, agora.





 


Notas Finais


Dêem a opinião de vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...