História House Of Cards - Imagine Jimin - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Imagine, J-hope, Jimin, Jiminnie, Jungkook, Park Jimin, Você
Exibições 68
Palavras 1.805
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ESSE CAPITULO FICOU BOSTA... AI QUE VERGONHA!

ENFIM

Tenho absolutamente 4 motivos que justificam - ou não - minha demora:

1- Estava de mudança
2- Obviamente fiquei sem internet
3- Meu celular bugou e está no conserto
4- Escola e provas finais...AGORA EU TO DE FÉRIAS! AMÉM XEZUIS
4,5- Bloqueio hihihihih

Sei que nada justifica, mas é a vida, enrolada é meu nome do meio, tenho que admitir!

Boa leitura :3

Capítulo 4 - Sentimentos.


Fanfic / Fanfiction House Of Cards - Imagine Jimin - Capítulo 4 - Sentimentos.

 

Capítulo 04

 

 

– O que faz aqui?

 – Eu que te pergunto... - Abaixei a cabeça, não sabia o que falar, não esperava que ele viesse até meu apartamento, ou melhor, conseguisse descobrir meu endereço - Por que voltou?

 – Trabalho - Falei dando de ombros e o vi sorrir sem humor. Dei passagem e o mesmo entrou sem hesitar.

 – Aquele dia... no café-

 – Não quero falar sobre isso - Cortei.

 – Mas vai ter que falar! Você voltou e não me avisou, e eu sei que não avisaria depois! - Aumentou o tom de voz e apontou o dedo na minha cara. Estava com raiva, não o culpava. - Você foi embora do nada, então não haja como criança e enfrente seus problemas, não é sempre que vai conseguir fugir deles! - Engoli seco - Eu passei quatro anos, ________ ! QUATRO ANOS! - Gritou e começou a andar pela sala - Quatro anos vendo o Jimin sofrendo, mesmo não demonstrando - Parou de andar e suspirou pesado - As vezes eu pegava ele vendo uma foto sua. Sempre que eu tocava no seu nome ele dizia que não queria saber, mas eu sei que ele estava negando para si mesmo que ainda te amava! Eu conheço o meu irmão, _______ ! E eu não aguento ver ele sofrendo... eu só queria entender, por quê? Por que você foi embora?

 Depois de tudo isso que ele falou, eu não conseguia dizer algo, eu estava imóvel. Tudo o que JungKook disse me fez ter um aperto no peito e no mesmo instante me veio a cabeça uma imagem de Jimin chorando, vendo uma foto minha. Ele não merece isso!

Me sentia tão mal em ter sido a causa de sua dor. Porém, não sabia se havia feito o certo, essa dúvida sempre ficou presente ali, martelando em minha cabeça, e, antes me arrancara noites de sono por conta de tamanha preocupação, que era evidente sempre que notava olheiras abaixo de meus olhos no espelho no dia seguinte.

 – JungKook, e-eu-

 – Por que você não conta logo - sentou no sofá - Do que tem tanto medo?

 – Não é tão fácil quanto você pensa, tá' legal?  - agora era minha vez de andar apressadamente pela sala - Não é fácil guardar tudo para si mesmo, sem ao menos cogitar a ideia de partilhar com alguém! - sentia as lágrimas chegando. Fraca, era isso que eu era. - Chega uma hora que você se afoga no seu próprio mar de segredos - respirei fundo - Angústia! É só isso que você sente, ou talvez eu sou dramática demais. - dei de ombros sorrindo irônica e me xingando mentalmente por ter deixado uma lágrima cair, logo enxugando a mesma e me virando para o garoto, diminuindo meu tom de voz. - A questão é: eu nunca fui forte o suficiente para contar para alguém, assim como eu nunca fui forte o suficiente para superar! Apenas fui covarde, não fui mulher o suficiente e isso me dói; dói por saber que deixei uma pessoa que me amava sofrendo e fui embora sem ao menos dar uma explicação plausível, embora nenhuma explicasse meus atos.

Sentei no sofá ao lado de Jungkook, o mesmo me abraçou de lado de forma desajeitada, porém, reconfortante. Encostei minha cabeça em seu peito e fechei meus olhos com o afago do garoto em meus cabelos.

Havia me acalmado, pelo menos o suficiente para conversar devida, e agora, abertamente com o garoto.

– Como chegou até aqui? - perguntei mudando totalmente o rumo da conversa.

– Você vive no mundo da lua, eu te segui e você nem percebeu - Deu de ombros. Sorri e logo um silêncio se fez presente, o que foi o suficiente para mim pensar em mais coisas, até que a curiosidade me tomou por inteira. Queria saber de outra coisa que estava me intrigando. Parece que o mais novo adivinhou o que era - Ele me contou que te encontrou... - fez uma pausa - bem, não exatamente... eu meio que insisti depois de notar que estava pensativo e diferente, já podia imaginar do que se tratava, mas só confirmei depois que Hope me disse da tal menina que saiu correndo  - Falou fazendo aspas com os dedos na última frase, me fazendo sorrir sem graça.

 

E assim se iniciou uma conversa, ambos falando do que haviam feito durante todos esses anos, e claro, com cuidado para não tocarem no assunto em que eu não queria comentar sobre. 

 

 [...]

 

 Depois de passar quase o dia inteiro conversando com JungKook, o mesmo, antes de ir embora, prometeu não contar a Jimin que havia vindo me visitar. Mas assim como Jimin, JungKook nunca conseguiu mentir, e sempre que tentava era um desastre, só sabia gaguejar e ficava fazendo gestos com as mãos parecidos com desespero na tentativa falha de fazer alguém acreditar na sua "omissão". Eu sei que JungKook  trombaria com Jimin e com certeza o garoto perguntaria o que havia acontecido, logo receberia palavras trocadas e falhadas, alegando que estava mentindo. Como eu disse, eu os conhecia, tinham personalidades parecidas. A única coisa que eu me preocupava é que a qualquer momento eu poderia estar frente a frente com Jimin. Eu só ainda não conseguia descrever se isso era bom ou ruim.

 

 FLASHBACK ON

 

 Digamos que durante esses dias eu estava sorridente até demais. O motivo? Ah! Um garoto incrível e apaixonante de um sorriso encantador, vulgo Park Jimin.

Nós não estamos namorando, somos apenas amigos.

 

 Apesar de termos começado com o pé esquerdo, depois começamos a nos dar bem. Gostava de pensar que foi por causa de certos desentendimentos de início que nos aproximamos.

 O que era mais engraçado nessa história toda, era que tínhamos personalidades totalmente diferentes, ele julgava meus gostos dizendo que eram muito estranhos mas dizia para mim não mudar, para mim continuar diferente do jeito que era. Sempre dizia que ser diferente em uma sociedade igual, era bom. Eu só não entendia o porquê.

 

 – Porque sim, ________ ! - Dizia enquanto dirigia olhando para a estrada a sua frente.

– Você é muito estranho, Jimin! Eu nunca entendo o que você quer dizer com isso! - Digo e escuto o garoto rir.

 – Um dia você vai entender! - Assenti e ficamos em um silêncio agradável, até ser quebrado pelo estridente toque de telefone.

 – É meu irmão! Atende pra mim! - O olhei com os olhos arregalados. Eu nunca tinha falado com ninguém da família dele. Nem chegamos a falar disso.

 – Pirou?

 – _______ , você quer morrer em um acidente de carro? - Neguei - Então atende!

 – Quem vai morrer aqui é você depois que eu desligar esse telefone - reclamei e atendi - Alô?

 – Quem fala? - Escutei a voz do outro lado da linha. Uma pergunta tão simples, porém, me deixou com tantas dúvidas. 

 – Uma amiga do Jimin - Disse e fui fuzilada por Jimin, que virou o pescoço rapidamente e me lançou um olhar intimidador. Eu até poderia ficar com medo, se não fosse tão sexy. 

 – Ah... você poderia passar para ele, por favor?! - Não respondi, apenas coloquei no viva voz.

 – Botou fogo no meu apartamento? - Jimin perguntou. Eu apenas escutava a conversa.

 – Nosso apartamento! - deu ênfase no "nosso".

 – Tanto faz... O que aconteceu?

 – Bem... é q-que a televisão...

 – O que que tem a televisão?

 – Meio que queimou... 

 – O QUÊ? - Jimin gritou na mesma hora, achei que ficaria surda e resmunguei - JungKook não encosta em nada, fique aonde você está, apenas sentado no sofá e respirando, já estou chegando! - desliguei o telefone e comecei a rir, Jimin estava vermelho.

 – Do que você está rindo?

 – Da sua cara... É só uma TV, Jimin! - O repreendi e o mesmo ficou em silêncio com os olhos fixos na estrada - Ah Jimin, não acredito que ficou com raiva disso!

 – Não estou com raiva do que aconteceu com a TV, estou com raiva de outra coisa - Respondeu sério, apenas fiquei em silêncio o caminho todo tentando entender o que eu havia falado de errado.

 Chegamos em frente ao seu prédio, ele estacionou o carro e entramos de mãos dadas. Só agora que me toquei que estava prestes a conhecer o irmão dele e comecei a ficar nervosa. Acho que o garoto percebeu, porque antes de abrir a porta apertou minhas mãos de forma aconchegante.

 – Fica tranquila! Ele é de boa! - Assenti mordendo os lábios e assim entramos, apertei mais sua mão quando vi um garoto sentando no sofá mexendo no celular.

 – JungKook - Jimin o chamou e mesmo levantou o olhar, começou a me encarar e em seguida encarou seu irmão.

 – Ela é sua namorada, hyung? - Arregalei meus olhos assim como Jimin, nunca tivemos uma conversa sobre isso, realmente não sabia o que éramos, mas ao contrário de mim, o garoto ao meu lado respondeu sem hesitar

 – Sim! - O encarei por alguns segundos e foi aí que lembrei do que havia falado de errado dentro do carro, acabei sorrindo lembrando de sua cara.

 Jimin nos apresentou, e em seguida ficou dando puxões de orelha no irmão mais novo por ter queimado a TV, perguntando diversas vezes incrédulo para o mesmo como ele havia queimado uma televisão. Logo começamos a falar sobre várias coisas, e acabei descobrindo muitas sobre seus parentes. JungKook e Jimin não eram irmãos de sangue, porém se davam super bem. O pai de Jimin e a mãe de JungKook moravam em Busan, o suficiente para os garotos falarem de um possível jantar para nos conhecermos, o que me fez ficar extremamente nervosa.

Os meninos vieram para Seul por conta das universidades. Os dois tem sonhos parecidos, embora tenham que ajudar o pai a administrar uma empresa, fazem faculdade de dança. Claro que eu já sabia que Jimin fazia, mas não fazia ideia de que Jungkook também, o que fez com que eu fizesse uma nota mental para mais tarde lembra-los de fazerem uma pequena apresentação para mim.

 Ficamos conversando tanto que nem percebemos a hora passar. Logo já estava de noite e Jimin foi me deixar em casa. Me despedi de Jungkook após trocarmos os números e com a promessa de que voltaria.

O carro estava em silêncio, só que dessa vez totalmente desconfortável.

 – Eu não quero te pressionar, _______ ! - Sua voz ecoou - Eu não me arrependo do que disse, porque realmente é isso que somos, mas se você quiser ir com calma, eu vou respeitar!

 – Não, Jimin! Eu fiquei feliz em ter ouvido aquilo de você, finalmente decidimos o que somos - Comecei a rir e fui acompanhada pelo garoto. Só não o motivo estarmos rindo.

 – _______ eu estou gostando de você, e não quero parar!

 Frenéticos.

Assim estavam meus batimentos cardíacos nesse exato momento.

 

Eu também estou gostando de você, Jimin.

E também não quero parar.

 

 FLASHBACK OFF

 

 

 

 


 


Notas Finais


Desculpa os erros, estou com sono... E não posto mais cedo pq eu passo 3 FUCKING HORAS REVISANDO ISSO AQUI! Mas sempre escapa um errinho T.T

Preciso saber da opinião de vcs, se estão gostando ou não. Eu realmente sou insegura, então só queria saber a versão de vcs.

Tb quero saber quem vai no show do bts... APAREÇAM

então é isso... bjinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...