História House of Cards - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias IKON
Personagens B.I, Bobby
Tags Bobby, Hanbin, Ikon, Jinyoung, Jiwon, Júnior
Exibições 26
Palavras 4.696
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - XXIX


Krystal

[...]

Hoje é dia de comer batata, como diria SeungJun- ele quer dizer que é um dia importante- hoje seria o dia em que aconteceria o baile no reino Kim, faz 5 dias que não vejo SeungJun.

- Ken obrigado novamente- falei na porta de sua casa após deixar HyunYeol lá.

- Vai ser apenas hoje?

- Depende de que rumo minha vida tomar hoje- falei e HyunYeol pegou em minha mão olhando para Ken.

- Não sei quem devo chamar de mãe ou pai- HyunYeol falou fazendo Ken abrir a boca surpreso- Você iria demorar para falar que eu poderia ser o filho deles. Resolvi falar logo, você disse que eles iriam me amar e mimar muito.

- Você... Meu filho?- Ken falou com os olhos cheio de lágrimas- O Leo vai amar saber disso!

- Eu não sabia como falar- falei e HyunYeol colocou o dedo na boca me fazendo ficar quieta.

- Sabia que tinha algum motivo pelo qual eu te amei quando te vi- Ken se ajoelhou abraçando HyunYeol.

- Bom, estou indo já está escurecendo- falei vendo que os dois não se desgrudariam tão cedo- Quando eu estiver indo para o baile, irei trazer suas roupas que já estão prontas.

- Ele vai poder morar aqui?- Ken perguntou com ele no colo.

- É claro, agora ele é seu filho.

- Tia Krystal- HyunYeol esticou os braços e eu me aproximei dele- Você é maravilhosa, mas você não vai me abandonar não é?

- Não né idiota- falei e Ken me puxou para os braços dele.

- Mesmo me fazendo passar raiva, você é um anjo que caiu do céu- Ken disse com voz de choro.

- Que amor- falei já querendo chorar também, parece uma despedida, eu odeio despedidas- Eu ainda volto aqui mais tarde- falei apertando eles ainda mais no abraço.

- Volte aqui quando você estiver deslumbrante, quando você estiver realmente parecendo uma princesa- Ken disse fazendo bico.

- Pode deixar- falei piscando.

Subi no cavalo e voltei para a casa de Eunha.

- Vem logo- Jinyoung gritava enquanto eu me lavava.

- Calma- gritei de volta.

- Krystal, ele colocou todo o esforço dele nesse vestido, ele está ansioso- Eunha disse jogando o resto da água em mim.

- Eu sei, eu também estou ansiosa- falei mordendo o meu dedo.

- Você sabe como Jinyoung é- ela falou e Jinyoung gritou novamente.

- Já vou, que merda- falei saindo do banheiro pelada e toda molhada.

- Não precisava vim pelada também- ele disse tampando os olhos.

- Nada que você já não tenha visto- comentei.

- Tá eu sei que eu sempre te vi sem roupa, mas agora é diferente- ele disse me secando- Coloca o vestido que minha mãe vai passar maquiagem em você.

- Para que maquiagem?- falei e ele deu um tapa no meu braço.

- Eu trouxe de fora para ela, e ela quer usar em você- ele falou segurando o vestido para eu colocar.

- Ta bom- falei entrando no vestido que era incrivelmente lindo.

O vestido na parte de cima havia flores desenhadas com linhas, extremamente linda assim como nas mangas, na parte da saia varias camadas com um tecido transparente- que não sei o nome- foram colocadas formando uma cor de rosa claro, na barra do ultimo tecido foram feitas com linha igual a parte de cima umas formar como se fossem árvores de mãos dadas. O vestido era realmente muito lindo, diferente de tudo que já tinha visto em minha vida.

- Gostou?- Jinyoung sorriu orgulhoso ao dizer- Aprendi com o meu superior.

- Você realmente me surpreendeu- falei passando a mão no vestido já em meu corpo.

- Por isso não tinha deixado você ver antes. Claro que não devo ficar com todo o crédito, minha mãe ajudou muito.

-Eunha é espetacular- falei e ela apareceu.

- Alguém da família tem que ser- a mesma disse. Já esperava algo assim- Vem vamos secar seus cabelos.

- Aí- reclamei ao sentir ela puxar meus cabelos com um pano felpudo.

- Fresca- Eunha disse empurrando minha cabeça de leve.

- Às vezes eu me pergunto se seus netos futuramente serão igual á você- falei e ela riu.

- Coitado do meu filho se for assim- Eunha disse cobrindo minha cabeça com pano e bagunçando todo o meu cabelo.

- Você reconhece que é uma pessoa difícil- falei e levei outou empurrão.

- Vocês não cansam de se cutucar?- Jinyoung disse trazendo alguns potinhos.

- É divertido- falei e entreguei a escova para Eunha pentear meu cabelo.

- Pior que é realmente divertido- Eunha falou entregando a escova para Jinyoung- Me entrega os potinhos que eu vou fazer uma maquiagem bem simples nela.

- Até porque não quero que percam o foco do meu vestido- falei e senti Jinyoung rir.

- Eu não deveria fazer mais nada- Eunha reclamou e eu fiz bico para ela- Fecha os olhos.

Fechei os olhos como ela pediu, estava tão relaxada que não parecia que eu iria realmente, vamos trocar esse realmente por um finalmente, rever o meu querido Jiwon.

- Você deve ter o mesmo tamanho de pé que minha mãe, você pode pegar um sapato dela- Jinyoung disse e eu resmunguei um sim. Por que se eu me mexesse eu iria levar um tapa de Eunha, tenho certeza disso.

- O príncipe SeungJun irá vir te buscar ou você vai ter que ir até lá? Pode abrir os olhos.

- Provavelmente ele vai me pegar aqui- falei e olhei para ela.

- Por favor, tenta não destruir nossa obra de arte- Jinyoung falou me dando a mão para levantar.

- Vou tentar fazer isso- sorri.

- É mesmo e a mascara?

- Eu arrumo uma. Me dá um abraço?- falei já ficando sentimental.

- Ela ainda é um bebê- Eunha falou me abraçando- Espero que depois do baile você vá ver sua mãe, se não eu te arrasto até lá.

- Não se preocupe, pretendo ir lá antes de ir ao baile.

- Assim espero.

- Ah antes de eu esquecer- falei colocando os braços na cintura de Jinyoung o abraçando- Eu tenho que pegar as roupas de HyunYeol.

- Estão nesse baú- Eunha apontou para o baú encostado na parede- Passei dia e noite trabalhando pra você- ela suspirou.

- Irei te recompensar- pisquei para ela.

- Senhora Eunha?- ouvi a voz de SeungJun- Posso entrar?

- Claro querido- ela disse saindo.

- Krystal toma cuidado, por favor- Jinyoung disse colocando as mãos por cima das minhas, que estavam em sua barriga por ainda estar abraçando ele por trás.

- Está pronta?- SeungJun disse se abaixando para passar na porta.

- Sim- sorri desabraçando Jinyoung que segurou em minha mão.

- Você me ouviu?

- Eu sempre te escuto- falei beijando a bochecha dele.

- Vamos- falei para SeungJun

- É... eu queria ver sua mãe- Eunha falou escorando em Jinyoung- Tem como nos deixar lá, já que vocês iram passar lá.

- Podemos- SeungJun disse e sorriu.

- Ótimo. Você pode levar esse baú para a carruagem?- Eunha perguntou e SeungJun concordou ainda sorrindo ao pegar o baú.

- Damas primeiro- SeungJun falou depois de dar o baú para o cocheiro.

- Obrigado- Eunha agradeceu e entrou, fiz o mesmo logo depois.

Com ordem de SeungJun o cocheiro começou a fazer o seu caminho, Eunha e Jinyoung conversavam aos cochichos.

- Cocheiro pare!- gritei quando passamos em frente a pequena casa na beira da estrada de barro.

- Que foi?

- Tenho que entregar uma coisa aqui- falei apontando para o baú e SeungJun se levantou um pouco pegando o mesmo.

- É aqui que HyunYeol vai morar a partir de agora- falei abrindo a porta- Ken!

- Já vou- ele gritou de volta.

- O pôr-do-sol não está maravilhoso?- SeungJun perguntou sorrindo.

- Tem uma coisa que está mais maravilhoso que isso- falei e ele me olhou confuso.

- Você?

- Não você- falei e ele sorriu olhando o chão com as bochechas vermelhas- Eu vou sentir falta de ver você corado por causa de elogios.

- Sempre em boa companhia- Ken disse saindo de trás da casa com a roupa cheia de terra- Como você está linda! Seu eu gostasse de mulher te levava pra dentro agora.

- Deixa o Leo ouvir isso- falei rindo- Vim trazer as coisas do HyunYeol.

- Ele saiu com o Leo, mas você pode colocar lá dentro- ele falou e eu olhei para SeungJun, que já entendeu e foi colocar o baú lá dentro.

- Eu vou ver meu neném agora- falei e Ken colocou a mão na boca.

- Haesol deve estar um amorzinho.

- Ken nem faz tanto tempo que saímos daqui- sorri lembrando de seus olhinhos pequenos até demais.

- Faz pouco tempo, mas apareceu uma eternidade- ele falou com uma carinha triste e SeungJun saiu da casa- Você tinha que ver a felicidade de Leo quando HyunYeol chamou ele de pai.

- Ele aceitou de boa?- perguntei feliz.

- Lógico.

- HyunYeol vai ser uma criança muito feliz aqui- SeungJun falou e e Ken sorriu para ele concordando- Não é querendo ser chato, mas temos que ir.

- É mesmo- falei rindo.

- Eu te daria um abraço de boa sorte, porém, eu estou cheio de terra e te sujaria.

- Obrigado mesmo assim- falei entrando na carruagem- Nos vemos outro dia- acenei.

 O caminho até o castelo foi curto. Eu estava apreensiva, estava ansiosa, não conseguia pensar direito.

- Segunda parada- o cocheiro falou.

- Tia vai primeiro- falei e ela revirou os olhos saindo junto a seu filho- Eu estou com medo dela brigar comigo.

- Ela é sua mãe, ela deve estar com saudades de você. Ela pode até ficar brava, mas logo vai passar- SeungJun disse passando a mão no meu cabelo.

- Você tem razão- falei levantando e ele se abaixou na minha frente de costas.

- Sobe- ele falou e olhou- Não quero que seu vestido fique sujo.

- Eu queria mesmo ver o mundo de cima- falei passando meus braços por seu pescoço e subindo nele.

- Idiota.

- Eu tenho o sentimento de que queria apenas continuar com você na delegacia, mas por outro lado eu quero muito estar ao lado de sua irmã, de Jiwon, Hanbin e YoungJae.

- Se as coisas fossem ser como realmente queremos... - ele parou de falar enquanto subi a escadaria da entrada.

- Que forma mais normal de aparecer do nada- falei rindo quando chegamos a porta depois do mini silêncio que fizemos durante a subida.

- PRINCESA!- um servo gritou ao me ver entrar em cima de SeungJun- Venham rápido!

- Já posso descer- falei para SeungJun que se abaixou me dando a mão para descer- Olá a todos- falei e todos servos a minha frente se curvaram.

- Ela está viva- ouvi murmurarem.

- Eu falei que ela não tinha morrido- uma criança falou, que logo teve sua orelha puxada pela mulher ao seu lado.

- Como você sabia que eu estava viva?- perguntei me aproximando dele.

- No dia em que você deixou o bebê na porta, eu estava escondido da minha mãe no meio das plantas- ele disse com a mulher- creio ser a mãe dele- ainda segurando sua orelha.

- Como eu não o vi?

- Eu sei me esconder bem- ele falou e eu baguncei seu cabelo.

- Eu melhor você ir logo ver a rainha Jung- SeungJun falou no meu ouvido.

- Onde está minha mãe?

- Eu te levo- Zinna brotou do meio dos servos.

- Você está diferente, suas vestis mudaram- falei para a velhinha que me acompanhava.

- Eu me tornei o braço direito de sua mãe- ela suspirou orgulhosa- Eu meio que sou uma duquesa.

- Já estava na hora da minha mãe te dar valor. Imagina cuidar disso tudo a vida toda.

- Ele está fazendo bolinha com a baba de novo- ouvi Jinyoung dizer.

- Mamãe cheguei!- falei entrando onde todos estavam sentados no chão com Haesol sobre o cobertor no meio deles.

- Krystal! Minha querida- ela levantou correndo para me abraçar.

- Mamãe que saudade- falei com uma voz envolvida pelas lágrimas que já se formavam em meus olhos- Papai.

- Você quase nos matou de preocupação- ele disse se aproximando e nos abraçando.

- Me perdoa- falei não segurando as lágrimas e as deixando rolar em minhas bochechas.

- O seu cabelo- minha mãe disse entre os soluços- Eu pensei que nunca mais iria te ver.

- Ele está virando! Olha ele esta tentando engatinhar!- ouvi Eunha falar animada, olhamos para Haesol que esticou a mãozinha em nossa direção e abriu a boca.

- Filho!- sai correndo o pegando no colo.

Eu agora chorava desesperadamente, como se houvesse as águas de todo o planeta dentro de mim. Meu pequeno, eu estava realmente, segurando o meu filho.

- Eu sabia que ele não era uma simples criança, o filho de uma serva tinha falado que era sua criança, mas ninguém acreditou na criança- papai falou e logo olhou para SeungJun parado no canto- E quem é esse?

- Eu sou o 5° filho da rainha Park- ele disse se curvando.

- Sabia que te conhecia só não me lembrava de onde!- minha mãe disse se sentando do meu lado- Ela está olhando como uma boba para ele.

- Ele está tão lindo- falei passando a mão em seus poucos cabelos e ele fechou os olhos sorrindo- Como eu estava mal por estar longe de você.

- Aonde você vai vestida dessa forma?

- Reparei que você estava digna de ser posta em um pedestal- papai disse e eu coloquei Haesol no chão novamente.

- Eu estou indo salvar meu casamento- falei abrindo e fechando as mãos em direção a Haesol que se sentou sozinho- Meu Deus como ele já está esperto.

- Falando nisso- falou Jinyoung e me olhou levantando as sobrancelhas- Você tem que ir você não acha?

- Minha filha mal chegou e você já está a mandando ir embora- minha mãe reclamou com Jinyoung.

- Eu não vou sumir de novo mamãe- falei dando um beijo na bochecha dela.

- Ai se você sumir novamente- papai disse balançando a mão.

- Eu vou voltar fiquem tranquilos- falei e me levantei- Vamos SeungJun.

- Foi um prazer- SeungJun disse se curvando novamente e saindo ao meu lado.

- Você ficou muito quieto- falei quando entramos na carruagem.

- Não tinha o que falar, achei melhor ficar quieto.

A escuridão já havia caído sobre céu destacando as impressionantes estrelas que brilhavam com toda a força no alto.

Durando o caminho só escutávamos nossas respirações, os cascos do cavalo marchando no chão de terra e o cocheiro cantarolando.

Não sabia como sair daquele silêncio, e também, SeungJun parecia estar pensando, então resolvi ficar quieta.

Conforme nos aproximávamos eu escutei uma música alegre, curiosa coloquei a cabeça perto da janelinha.

- Eu esqueci de te dar- SeungJun disse tirando duas mascaras do canto de onde estava sentado.

- Eu iria pedir uma para Shin-Hye, ainda bem que você trouxe- falei sorrindo e tentando colocar a minha.

- Vem eu te ajudo- ele se levantou se sentando do meu lado e amarrando de uma forma que ficasse entre meus cabelos.

- A nossas mascaras combinam- falei depois de ver ele de mascara também.

- Pedi uma preta já que não sabia a cor de seu vestido.

- Príncipe e senhorita chegamos- o cocheiro disse abrindo a porta.

- Agora eu estou começando a ficar nervosa- falei e SeungJun segurou meu rosto fazendo o olhar.

- Você viveu aqui, não tem o porquê de ficar nervosa.

- Verdade- falei inspirando e expirando bem fundo- Obrigado- agradeci o cocheiro por ter me dado a mão para descer.

- Relaxa- SeungJun disse me dando o braço para eu segurar.

Todos estavam formais. Algumas mulheres passavam com taças, por outro lado, homens estavam com seus tabacos vendo quem faz mais fumaça.

- Vamos por aqui- falei indicando um lugar em que com certeza acharia YoungJae.

Depois de passar por portas e mais portas, encontrei a qual ele sempre ia deitar quando tinha algo para fazer.

- YoungJae- o chamei e abri a porta- Me desculpe- falei extremamente envergonhada ao ver uma mulher aos beijos com um rapaz.

- Krystal!- o rapaz se levantou rapidamente e ai pude perceber que era YoungJae.

- Seu idiota sua mãe deve estar dando duro por aí, e você simplesmente, está aos beijos com uma mulher- falei entrando e dando chute fraco em sua canela.

- Calma a rainha Kim me disse que hoje não iria precisar de mim- ele riu passando a mão na canela- Ela disse que não queria os desastrados derrubando coisas por aí.

- Ah sim- falei e olhei para SeungJun que estava na porta olhando para os lados- Como você me reconheceu tão rápido?

- Eu te vi a pouco tempo- ele disse e a garota ao lado dele me olhou com cara de tédio- Adorei o cabelo.

- Sem mais conversas, preciso achar Shin-Hye.

- Ela está no salão principal- ele disse e fez um sinal para eu sair do quarto.

- Vamos descer ela está em baixo- falei apressando o passo.

- Anda igual uma princesa, doida- SeungJun disse ao meu lado.

- Achei- falei descendo as escadas e vendo que Shin-Hye estava dançando com Hanbin.

- Legal e o que você quer fazer agora?- SeungJun disse colocando a mão na cintura.

- Eu quero que você tire essa mão cintura que tá bem feio. E depois vamos entrar no meio deles e dançar.

- Mas eu não sei...

Nem deixei ele terminar, peguei em seu braço terminando de descer as escadas nos colocando no meio dos casais que dançavam.

Uma mulher de meia idade puxou SeungJun assim nos fazendo trocar de casal, ela com ele e eu com o parceiro dela.

Voltas e mais voltas no ritmo das palmas e das flautas, seguidas por vozes de muitas pessoas ao redor. Os bailes sempre foram agitados, e eu gostava disso.

- Agora iremos descansar um pouco com uma música mais lenta- a rainha Kim falou do alto das escadas, ao seu lado estava seu marido e o meu- ainda é né- marido.

Jiwon com os lábios com um formato de bico, e esse bico não era porque ele queria fazer, era ficar de boca fechada que seu bico surgia.

- Vou tirar Shin-Hye para dançar- SeungJun falou e eu fui junto com ele- Bela dama me concede essa dança.

- Eu estou dançando com meu marido- ela olhou nervosa para Hanbin.

- Eu danço com ele- falei me virando para ele, que surpreso trocou olhares com Shin-Hye.

- Uma dança não mata- SeungJun falou pegando na mão dela, que parou de resistir e deixou ele a levar.

- Porque ele quer tanto dançar com ela?- Hanbin disse e estendeu a mão. Com a mão em minhas costas e a minha em seu ombro, o deixei guiar a dança.

- Você não reconheceu seu próprio cunhado?- perguntei e ele piscou várias vezes.

- Meu cunhado? Pela altura parece ser SeungJun- ele falou e tivemos que nos separar.

- Oi linda- falei para Shin-Hye, essa era a parte na dança em que as mulheres dão três voltas e os homens ficam esperando para fazer o mesmo.

- Quem te deu o direito de me chamar assim- ela reclamou e mudamos a direção.

- Sua querida Krystal não pode falar assim com você- falei piscando e sorrindo.

- Não acredito- ela disse com a mão na boca. A direção foi mudada novamente.

- Eu queria tanto te ver- falei e paramos uma do lado da outra esperando os rapazes fazerem a mesma coisa.

- Bata em você mesma antes que eu bata- ela falou séria, mas logo depois riu.

- Hanbin ainda não me reconheceu- falei olhando o desnível de altura entre Hanbin e SeungJun.

- Você sabe que ele é lerdo- ela falou rindo- Mas é isso que o torna tão fofo.

- Parece que alguém está apaixonada.

- Você não sabe de metade- ela falou e eu olhei para o alto da escada novamente.

Não estava com enorme esperança de que Jiwon me reconheceria assim que batesse o olho em mim, mas ele no momento olhava para um lugar fixo.

Tentei. Tentei. Eu realmente tentei olhar disfarçadamente, mas não deu, eles estavam flertando por olhar.

- Moça- Hanbin chamou minha atenção, pois os pares haviam voltado.

- Me desculpe, me distrai- falei e olhei nos olhos dele- Não sentiu minha falta fofo?

- A sua falta- ele mordeu a bochecha pensando e eu sorri- Krystal!

- Shiu- falei colocando o dedo na boca dele- Como vai às coisas por aqui?

- Meu irmão ficou louco, sério, ele pirou de vez quando você foi embora.

- Mentir é feio- falei rindo- Se você está tentando melhorar meu humor com isso, não vai adiantar.

- Não estou mentindo- Hanbin falou sorrindo- Quando terminar a dança nós iremos conversar mais.

Depois de serem rodadas duas vezes por seus parceiros, a dança acabou.

- Vamos para o jardim- Shin-Hye falou animada e fomos para onde ela mandou.

- Você é louca- Hanbin disse segurando uma taça.

- Nunca disse que não era.

- Para ter aguentado Jiwon tem que ser louca mesmo- Shin-Hye disse se sentando ao lado de Hanbin- E eu ainda estou brava com você- ela disse apontando para SeungJun que desenhou um coração no ar pra ela.

- É difícil negar as coisas que a Krystal pedi- ele se defendeu.

- Sério, eu joguei ele no chão e pisei nele- falei e Hanbin riu falando que não duvidava- Mentira, ele apenas concordou de forma fácil.

- Ou seja, você apareceu e agora vai ficar?

- Talvez, se me aceitarem de volta- falei sentando no colo de Shin-Hye abraçando ela.

- Olha não quero ser fofoqueira- Shin-Hye começou a falar olhando para os lados- Jiwon vai ser o primeiro a aceitar.

- Não acredito que seja assim- falei e me levantei de seu colo.

- Todas as moças para dentro- um rapaz disse andando por todo o jardim.

- Deve ser o momento em que Jiwon escolhe as meninas para dançar com ele.

- Como assim?- SeungJun perguntou.

- A rainha Kim quer que ele selecione 5 para ele dançar- Shin-Hye falou pegando na mão de Hanbin que sorriu- Eles dança com as 5 e no final escolhe uma.

- Ah entendi- SeungJun disse olhando as flores.

- Vamos entrar logo- Hanbin disse saindo na frente com sua esposa.

Entramos no grande salão, já vendo meninas enfileiradas tentando manter sua melhor postura. Olhei para SeungJun que olhou para Jiwon e depois para mim, sorriu de canto e assentiu para eu ir.

Entre todas as meninas que não havia visto em minha vida, estava eu tremendo, como se fosse a primeira vez que eu o olhava.

Ele como a mesma cara de sempre, inexpressiva, olhava para as garotas caidinhas por ele, começou a andar lentamente na frente delas e as escolheu a dedo e eu fui escolhida por último.

As três primeiras dançaram com ele e ele nem se quer olhou para elas, senti que não seria diferente comigo. Na quarta garota ele abriu um sorriso minúsculo, depois da minha mente ter parado de funcionar ao o ver sua boca se abrir um pouco em um sorrisinho, percebi ser a garota que ele estava olhando desde quando cheguei.

- Próxima- ele falou e sentir uma mãozinha me empurrar.

Aproximei-me e fiz o cumprimento real, ele estendeu sua mão e eu a peguei o observando, eu idiota, esperava como nos livros que no momento em que nos encontrássemos, ele teria uma reação. Poderia não ser uma enorme reação porque sabia que isso não iria acontecer.

Não conseguia o encarar. Não conseguia olhar em seus olhos.

Ele desce sua mão por minhas costas parando em minha cintura, coisa que ele não fez com as outras meninas.

Surpreendi-me ao o ouvir dizer.

- Me desculpe- ele disse subindo a mão, ele parecia desconcertado- É que eu me sinto confortável e minha mão foi sem eu perceber.

10 PONTOS!

Ele sem perceber teve uma reação, sorri vitoriosa e o olhei para ele, que me soltou fechando os olhos, mas logo me girou voltando a dançar.

Meu coração estava batendo forte, meus batimentos cardíacos estava tão alto que, tenho certeza que o som poderia chegar ao seus ouvidos. Um simples movimento seus braços, fazendo eu me aproximar dele fitando seus pequenos olhos se tornando menores com o sorriso em que mostrava seus dentes da frente tortinhos, que o fazia parecer um coelhinho adorável.

Pronto, bastou isso, para a palpitação do meu coração acelerar loucamente, e parecer que ele não estava mais batendo por causa da frequência rápida.

Pensei em me atirar em seus braços e gritar o mais alto que eu pudesse

EU TE AMO, SEMPRE IREI TE AMAR E POR VOCÊ EU FAÇO TUDO.

Fui tirada de meus devaneios pela voz da rainha Kim.

- Já pode escolher- ela falou empinando o nariz como sempre. Jiwon se distanciando olhou para as 5 mulheres em sua frente, analisando de uma forma profunda.

- A quarta é uma ótima dançarina- ele falou e deixou no ar sua preferencia por ela.

Eu tentei ser forte, mas em questão de segundos saí para o jardim, eu só não corri igual uma louca, por que não queria estragar o vestido que Jinyoung fez. Depois de alguns segundos contando e suspirando para não chorar. Eu estava chateada, ele não me reconheceu, ou, reconheceu e fingiu que não- acho que isso seria mais a cara dele-.

- Eu sou realmente sua preferida?- ouvi uma voz feminina e me levantei um pouco pois estava agachada.

- Vou ser sincero- ouvi a voz de Jiwon- Você não é... Mas tive que te escolher.

- Ah- ouvi ela dizer desaminada.

- Cadê você?- ouvi a voz de SeungJun, olhei em volta o procurando.

- Aqui- falei baixo e peguei uma pedrinha perto das flores jogando-a nele.

- Você sabe que não posso gritar seu nome quando estiver te procurando- ele disse se abaixando do meu lado- Então faz o favor de não sumir.

- Queria relaxar um pouco- falei levantei junto à ele.

- Vou pegar uma bebida para você- ele falou e andou até um carinha com uma bandeja no cantinho.

- Não, esse cálice é para o príncipe Jiwon- ouvi o rapaz dizer empurrando SeungJun.

- Não precisa disso cara- SeungJun falou virando as costas para ele e entrou no castelo novamente.

Observei o rapaz quieta, ele tirou um vidrinho do bolso e colocou no cálice mexendo com o dedo, ele iria colocar o dedo na boca para limpar, mas parou balançando a cabeça e limpando na roupa.

Ele andou até Jiwon colocando cálice no banco em que ele estava sentado com a garota.

- A rainha Kim está lhe chamando senhorita Lee- o rapaz disse e ela se levantou e saiu entrando no castelo- O vinho que Vossa Alteza pediu- ele disse e se retirou se curvando.

- Trouxe para você- SeungJun disse sorrindo e entregando o cálice com as duas mãos.

- Não!- gritei saindo do meio das plantas quando percebi o que o rapaz fez- Me dá isso!

- É meu- Jiwon falou e eu peguei da sua mão- Me devolve!

Não pensei duas vezes, levei até minha boca bebendo todo o líquido com o final amargo. Olhei para SeungJun ainda parado no meio das plantas dei um sorriso, sentindo minhas pernas enfraquecerem, desabei no chão quando elas falharam.

- Krystal!- isso foi SeungJun gritando.

- Eu te disse que sairia daqui o último "eu te amo"- falei sentindo minha visão ficar turva e senti a mascara sendo tirada.

- Amor...- a voz de Jiwon foi a última coisa que ouvi.

Agora eu pedia perdão as pessoas que me amavam e me lembrava da imagem de Haesol que foi borrando em minha mente, como se fosse uma palavra em um papel sendo borrada por lágrimas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...