História House of Cards - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 230
Palavras 6.960
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eai galerinha... suaveeees???

Bom, a tia voltou antes do previsto pra cá, pq cês me conhece né? sou afobada hueheueh

Espero que gostem desse capitulo okaay?? <3

Capítulo 2 - Anjos


Fanfic / Fanfiction House of Cards - Capítulo 2 - Anjos

Um mês mais tarde 

Termino de me trocar, optando por uma calça e blusa em tons escuros, resmungando internamente o fato de que a minha vida tinha que voltar a rotina de sempre. Procuro alguma bota que me proteja do frio intenso daquela manhã e agarro minha bolsa jogada sobre a cama e saio do quarto, em direção ao primeiro andar. E a primeira coisa que encontro é ele, sentado sobre um dos sofás, com uma folha de papel entre os dedos e o celular grudado no rosto. Ele não parecia que teria que sair assim como eu. 

- Entendi. - ele sibila e solta o papel sobre a mesa, levando os olhos na minha direção. - E quando que vai ser isso? 

Largo a bolsa sobre a mesa de centro e sigo até onde ele está, sentando-me ao seu lado e pegando o papel que antes estava em sua mão. Tento não rir assim que ele segue em minha direção, e me beija rapidamente no rosto. 

- Yuri só vai gravar isso, certo? - ele pergunta novamente pra quem quer que seja e me volto ao papel, percebendo que ali continha uma música. - Okay, mais tarde, apareço ai. 

E então, Jimin larga o celular sobre a mesa a sua frente e me olha, esperando que eu termine de ler todo o conteúdo do papel. 

- Isso? - pergunto assim que termino de ler tudo, um pouco abismada. 

- É uma música da Yuri onde eu e o Jungkook vai participar. - ele me responde e se afunda nas almofadas do sofá. 

- Essa eu não conhecia. - murmuro aos risos e bem ciente de que ele ainda me olha atento, enquanto meus olhos estavam pregados a folha. - Quem escreveu? 

Olho pra ele. 

- Ela e o Namjoon. 

- Isso ta muito bom. - sussurro e ele ri, levantando em seguida. - Eu vou precisar sair. 

Ele ergue a camisa e a tira: - Onde? 

- BigHit.... A Gain quer conversar alguns pontos do contrato. Não entendi muito bem. 

Levanto e faço o mesmo caminho que o dele, agarrando minha bolsa e procurando insanamente meu celular e chave do carro. 

- Ela não adiantou nada? - ele pergunta.  

Não levanto o rosto em sua direção e continuo concentrada em achar o que me interessa: - Não.... Mas disse que não é nada alarmante. Achei! 

Ele ri: - Eu vou pra academia com Taehyung. 

- Tá... Só toma cuidado com ele, ultimamente tá mais retardado que o normal. 

- Pode deixar.  

Levanto meu rosto na direção do seu e procuro lentamente seus olhos, até que os encontro e posso sorrir leve. Ele pisca e começo a rir, tentando decifrar a emoção que borbulhava em torno de nós. Antes que eu recupere minha linha inicial de raciocínio, ele me beija suavemente. Sua mão desce lentamente pelo meu braço, através das minhas costelas, minha cintura, e quadril, me puxando aos poucos contra ele. Meus dedos encontram sua nuca e apoio-me ali, sem nenhuma pretensão de sair. Sua boca solta a minha por breves segundos, sua mão se perde em meu cabelo, e me beija novamente, aos poucos, com a intensidade crescente. Meu peito dói quando ele me liberta antes que eu espere. 

- Bom dia. - ele sussurra, nossos lábios próximos o suficiente pra que brincassem entre eles. 

- Bom dia. 

Ele me solta e preciso recobrar o equilíbrio antes do que espero. Apoio minha mão sobre seu braço e beijo levemente seu peito, soltando-o segundos mais tarde. Sigo até o elevador que da acesso ao apartamento e dígito o código referente a cobertura. - 102114 - e espero o cubículo chegar até o andar. 

Não demora muito pra que eu chegue até o estacionamento do prédio e aperto o botão da chave em minhas mãos, observando o Cayman preto piscar as lanternas rapidamente. Abro a porta do veículo - presente de meu padrasto - e jogo a bolsa no banco ao lado, saindo assim que dou partida no motor. Não havia nenhum trânsito absurdo aquele dia, e isso fez com que eu chegasse mais rápido do que esperei a empresa. Assim que embico o carro, os portões se abrem e passo a procurar uma vaga no estacionamento. Um Hyundai Vision prata estaciona ao lado do meu quarto e começo a rir assim que reconheço a dona do veículo. 

- Filha da mãe ta andando de Porsche. - SunHi exclama aos risos e olha abismada para o carro. - Foi esse que Carlos te deu?  

Ergo a chave até a cabeça e coço: - Sim.... Presente de casamento. 

- Deixa eu ver? 

Torno a rir e destravo o veículo, esperando que a mulher entre no carro. 

- Pra que essa chave? - ela me pergunta. - O carro não tem ignição. 

- Isso é pra enganar trouxa igual você. - rebato e começo a rir assim que ela me bate na perna. - Ali! - aponto para um botão próximo ao volante. - Aperta. 

E assim que SunHi faz o que peço o motor do carro passa a funcionar. 

- Você vai me deixar dirigir? - SunHi pergunta e um brilho infantil passa por seu rosto. 

Torno a rir: - Nunca. 

- Ai. - ela desce do veículo e começo a rir pela cara forçada dela. - O que faz aqui? Veio só esfregar seu carro novo na minha cara? 

- Até queria. - agarro a bolsa e olho em volta. - Gain quer falar comigo sobre o contrato. 

- Hmm. - ela torce o rosto. - Sabe o que? 

- Não... Mas segundo sua amada irmã, não é nada demais. 

SunHi agarra meu braço e me puxa junto a ela até a entrada do prédio. Seguimos assim, grudadas uma na outra até o segundo andar da empresa e encontramos Gain no corredor trocando palavras rápidas com algum dos coreógrafos. A assessora em poucos segundos nos encontra e sorri amplamente, seguindo até onde estamos com toda uma clase que adquiriu nos últimos anos. 

- Fala Rainha do Piche.  - começo a rir intensamente com o apelido escroto de SunHi. 

- Piche? - Gain pergunta conforme seu riso permite. - Qual foi SunHi? Dormiu com o Taehyung de novo? 

- Ah, bem que eu queria. - ela resmunga. - Mas ele decidiu fazer cu doce sabe? 

- O que esse idiota tem na cabeça? - a mais velha indaga. 

- Ciúmes. - respondo. - Taehyung está com crise de ciúmes...  

- E eu nem dei motivo! - SunHi se exalta. - Eu não acredito nisso até agora. 

Torno a rir em conformidade a Gain e SunHi se deixa levar por completo por toda sua suposta indignação.  

- Bom, o que você quer Gain? - pergunto e SunHi passa a ficar extremamente atenta ao diálogo. 

- Victória, você casou.... - a assessora começa seu argumento. - E PDNim pediu pra que revisássemos algumas partes do seu contrato, como a parte de vínculo com o bangtan e sua carga horária. 

- Ta. - sibilo cruzando os braços. - A parte do bangtan até entendi, mas porque minha carga horária? 

- Você não pode mais trabalhar com tanta intensidade como sempre. - Gain rebate. - Você tem uma casa e uma família. 

Eu pretendia argumentar, mas a feminista louca da empresa chegou bem na hora. 

- Bom dia!! - Yuri me abraça e puxa SunHi junto a seu corpo. - Reunião do que? Posso saber? 

- Gain quer que a Vick trabalhe menos pra ficar em casa. - SunHi toma a frente e prende o riso esperando o que possa vir. 

- Eu.... 

Yuri me interrompe: - O que tem a ver o casamento dela com o trabalho? 

- Yuri...  

- Yuri nada... - a coreana interrompe a assessora. - Ta maluca Gain? Imagina se o Jae te proibisse de trabalhar pra ficar em casa, lavando as roupas dele? Não faz sentido isso. 

- A ideia não é minha. - Gain murmura. 

- Cadê aquele maldito que diz que é meu chefe?  

Yuri berra no corredor e é o suficiente pra PDNim saia de uma das salas. 

- Ta maluca, Yuri? - O produtor pergunta. 

- Maluco é você. - Yuri o responde e ele se assusta se aproximando de onde estamos. - Você quer que a Vick diminua o trabalho pra ficar em casa fazendo o que? 

- Ela não sabe nem lavar um prato. - SunHi sussurra.

- Cala a boca que a questão não é essa. - Yuri exclama.  

- Yuri, você não querer casar antes do neném nascer até entendo. - PDNim argumenta. - Mas a Vick, provavelmente vai engravidar também... E bom, ela vai precisar diminuir o ritmo de produção. 

- Vou não. - resmungo. - Quem disse que vou engravidar agora? 

- E gravidez não é doença, PDNim. - Yuri acrescenta e o produtor fecha os olhos. - E casamento não é argumento em lugar nenhum pra justificar o que vocês querem. 

- Isso iria ser discutido, Yuri. - Gain toma novamente a frente. - Nos aceitaríamos o que a Vick decidisse.  

E parece que geral lembrou que eu estava ali. Todos olham na minha direção e me sinto levemente acuada.  

- O que foi? - pergunto e olho pra todos ao mesmo tempo. 

- Vai minha filha! - Yuri exclama. 

- Meu Deus, Yuri ficou grávida e ficou louca. - SunHi sibila baixo e resmunga qualquer coisa ao receber um tapa no braço. - No caso dela? Gravidez pode ser considerado doença, não é? 

PDNim ri ao ouvir a pergunta de SunHi e volta seu olhar pra mim: - Vick? 

- Eu não sei.... - murmuro. - Gente, é muita pressão... Vocês parecem um bando de crianças. 

Gain ri breve: - Você ainda tem a cópia de seu contrato certo? 

- O último? - pergunto. - Porque nunca vi um contrato ser redigito tantas vezes como esse. 

- O último. - a assessora ri. 

- Tenho. 

- Então, leia novamente junto com o Jimin, se você se sentir mais a vontade... e depois me passa o que decidir okay? 

- Okay. - resmungo e Yuri respira fundo em minhas costas. - Te ligo essa semana ainda. 

- Beleza. - PDNim toma a frente. - Então, o contrato ainda está em vigor e posso abusar de vocês... Vick e SunHi pra Elle agora. 

- Ahn? 

- Isso mesmo.... - PDNim rebate aos risos. - As duas pra Elle... Yuri... Você tem uma música pra gravar certo? - Yuri balança a cabeça confirmando e eu acho que ela é a única feliz em trabalhar naquele instante. - Okay. - o produtor resmunga. - Namjoon está te esperando. 

Yuri segue na direção indicada pelo produtor enquanto eu e SunHi estávamos atentas a ele, esperando o que esse idiota nos diria. 

- O que vocês estão fazendo aqui ainda? - PDNim pergunta.  

- O que a gente vai fazer na Elle? - pergunto e ele parece se lembrar de que nos deve algumas informações.  

- Uma entrevista e fotos... A edição do mês que vem é com vocês duas.  

SunHi praticamente grita em surto descompassado e eu começo a rir novamente, escondendo o rosto entre as mãos. 

PDNim ri: - Acho que vocês não olharam a Internet nos últimos dias, mas um site americano fez uma pesquisa onde envolviam dançarinas de cantores do mundo inteiro e vocês duas, entraram entre as três primeiras duplas... Acho que apesar de tudo e do meu portão recentemente arrombado, vocês ainda estão bem com o fandom. 

Respiro e SunHi me abraça: - Menos mal.... Meu carro é novo. Não quero ele arranhado por nada. 

Começo a rir ao ouvir a observação da 4D agarrada em mim. 

- Podem ir. 

- Vamos de Porsche? - SunHi me pergunta com uma manha irritante. 

- Não. Vamos de Vision. 

- Ah, não.... Quero andar de Porsche.... por favor.  

Deixo que meus olhos revirem cansados em sua órbita e volto a atenção a Gain: - Vocês vão la em casa hoje a noite? 

- Sim... Deborah ja deve estar chegando de LA. Eu vou buscar ela no aeroporto e depois nos vamos pro seu apartamento.  

Sorrio brevemente e saio com SunHi em meu encalço, enchendo o saco até que me convença de ir com meu carro pra Elle, e assim, o fazemos, rindo e conversando sobre qualquer coisa que ocorrerá nos últimos dias. Nosso diálogo é breve. A distância entre a empresa e a editora da revista era curta e SunHi não conseguia calar a boca por um segundo sequer. Entramos no prédio e não demora muito pra que um homem alto e muito bem vestido se aproxime de nós. 

- SunHi, Victória... Me chamo Kwan, sou editor-chefe da Elle. 

Nós nos curvamos levemente para o rapaz que repete nosso ato. 

- Acho que alguém deve ter explicado o por que vocês estão aqui. - ele conclui. 

- Mais ou menos. - exclamo e ele me olha. - Só falaram algo relacionado a uma pesquisa. 

- Ah, sim. - Kwan sorri. - Ashley Everett e Kimberly Gipson? Esses nomes, vocês conhecem? 

A gente confirma em meio a risos.  

- Vocês ficaram em segundo lugar... Elas estão em primeiro. 

- Rapaz, você me falasse que a gente tinha desbancado as dançarinas da Bey, eu saia dando cambalhota aqui. - SunHi observa o editor passa a rir brevemente.  

- Bom. - ele torna a argumentar. - Elas também farão um ensaio pra revista... Pensei em vocês aqui. Na entrevista, vocês contaram como foi a vida de vocês e a chegada a BigHit. Muitos especulam, mas agora a gente vai ter a versão correta. 

Nós sorrimos e o homem acabou se deixando levar pelo nosso entusiasmo exagerado. 

- Vamos? 

Nós seguimos o homem até o elevador, e alguns tantos andares ultrapassados, as portas se abrem quando o painel estaciona no número oito. 

- Esse andar será onde vai ocorrer a entrevista. - Kwan murmura com os passos compensados e ligeiramente rápidos, até alcançar uma porta ao lado direito de seu corpo. 

Ele abre a superfície a sua frente e uma mulher ergue o rosto, tirando sua atenção do computador e monopilizando-a em nós. Um rastro de lembrança segue em minha cabeça e uma sensação de que a conheço me domina. 

- Emily Choi. - O editor exclama enquanto a mulher da a volta pela mesa e se aproxima de onde estamos. - Ela fará a entrevista com vocês. 

A mulher ergue a mão na minha direção: - Quanto tempo, Vick. 

Começo a rir e a garota faz o mesmo que eu, deixando o casal ainda mais confuso. 

- Quanto tempo. - sussurro entre os risos e aperto sua mão.  

- Vocês se conheciam? - Kwan indaga confuso.  

- Eu conheci a Vick numa fase um pouco confusa da vida dela. - Emily observa e me olha. - As coisas estavam desandando e ela se mudou pra NY. Depois disso, a gente nunca mais se viu.  

- E agora você está na Elle. - acrescento e ela ri. 

- As coisas mudam.... - conclui. - Prazer, SunHi.  

SunHi a cumprimenta: - Prazer é meu. 

- Bom.... - Kwan monopoliza novamente a atenção. - Vocês estão entregues... Depois Emy irá levar vocês até onde acontecerá as fotos. 

- Vamos? - ela ergue o braço na nossa direção e espera que estejamos devidamente acomodadas sobre o sofá em sua sala.  

Se despede de Kwan e puxa uma cadeira até nossa frente.  

- Vocês estão ótimas! - Emily exclama assim que nos observa melhor. 

- A gente é ótima. - SunHi acrescenta.  

- Não liga não, é retardada, coitada. - resmungo e Emy ri. - Sabe aquela parte que a empresa tem que ter pra deficientes? A cota? Então, SunHi é isso. 

Emy ri: - Então, os boatos de que vocês vivem se engalfinhando nos corredores da BigHit é verdade? 

- Não. - nós duas exclamamos aos risos e SunHi toma a frente - No começo sim, vai.... A Victória não gostava de mim, tinha ciúmes quando ficava perto do Jimin. Acho que o fato de eu ter ajudado ele a achar ela em Nova Iorque colaborou pra isso. 

- Calma, vou chegar em Nova Iorque. - Emily ergue as mãos e finalmente vejo um gravador em seu colo, que ela o larga sobre o braço do sofá e pega um caderno, onde escreveria o que achava relevante. 

- Quem chegou primeiro a Seoul? - Emily pergunta e alterna seu olhar entre nós duas. 

Ergo levemente a mão: - Eu. 

E então, Emily pergunta tudo o que tem direito - como conheci Jimin, quem foi YoungHye em nossas vidas, as razões que me levaram pra Nova Iorque e o porque que me trouxe de volta, a assinatura de contrato com a BigHit e o meu recente casamento -. Logo após conseguir todas as informações que queria de mim, ela passa a chamar atenção de SunHi - sua passagem pela Columbia Records e Los Angeles, seu retorno a Seoul, o relacionamento com Taehyung, pergunta até mesmo sobre Gain e YoungJae.  

Após o batalhão de perguntas no âmbito pessoal, ela segue finalmente para a parte profissional ao lado de Yuri. 

- Como a Yuri é?  

- É louca. - começo a rir assim que ouço a observação de SunHi. - Sério, Emily... Tem hora que não da pra suportar os surtos dela. 

- Não é isso. - sussurro e Emily ri. - A Yuri é perfeccionista demais. Se ela perceber que algum fio de cabelo não está indo pro lado que ela quer, ela manda refazer tudo, mas nunca abusou tanto dos nossos esforços sabe? 

- Isso piorou depois que ela perdeu o bloqueio em assistir as próprias apresentações. - SunHi acrescenta. - Mas em partes, é bom.  

- É ótimo. - Emy conclui. - Antes dela descobrir a gravidez, vocês viajaram pra Madri, pra gravarem um MV. A música seria em parceria com El Chojín e o vídeo foi extremamente voltado a amizade dela com vocês duas. Isso passou uma impressão bacana. 

Relembro rapidamente do MV que continha imagens de bastidores de shows, onde havia uma total interação nossa com ela e também muitos momentos em que decidíamos ir perturbar os fãs antes do início do show na grade de proteção. 

- A gente mantém uma amizade bacana com ela. - SunHi novamente toma a frente. - Yuri é receptiva e consegue ouvir quem precisar desabafar sem fazer cara feia.  

- Ela foi a primeira pessoa que conheci em Seoul. - exclamo. - Ela era muito tímida e é bem engraçado ver como ela cresceu e desenvolveu a desenvoltura que tem hoje pra lidar com algumas situações.  

- Como a situação de um cara no aeroporto que tentou beijar ela? - Emily pergunta. 

- Aquilo foi engraçado. - sibilo e SunHi se entrega aos risos.  

- Bom, nesse vídeo, tem muitos momentos em que vocês duas conversam com o público.  

- Yuri nos da liberdade de criação durante as turnês... A gente pode se enfiar em qualquer coisa referente a apresentação. E esses momentos em que aparecem nos vídeos, onde estamos sentadas no palco, poucas horas antes do show, conversando com as pessoas atrás das grades é algo corriqueiro. - respondo. 

- Algumas pessoas chegam meses antes da apresentação e acampam no lugar, eu gosto de ouvir as histórias do que eles passaram até chegar aquele dia. - SunHi sibila.  

- Geralmente os portões são abertos em que hora? - Emily indaga. 

- Quatro horas antes do show. - exclamo. - Nos passamos o dia inteiro ensaiando e quando falta quatro horas, os portões se abrem e quem estiver na fila, consegue pegar a grade. 

- Os ensaios para esses show são exaustivos. - Emily não pergunta e sim, afirma. 

- Demais. - SunHi afunda no sofá. - Só de pensar me da câimbra.  

Torno a rir: - A semana que antecede a turnê é cansativa. A gente sempre tenta ficar três dias em cada cidade, mas não é pra conhecer o local e sim, pra ensaiar e repassar tudo o que for necessário. 

- Horas? - a voz de Emy chama nossa atenção.  

- Oito horas. - SunHi responde em meio a um bocejo. - Tá vendo? Me da até sono. 

Torno a rir e Emily me acompanha. 

- Bom, acho que ja deu bastante coisa. - Emily conclui e desliga o gravador. - Obrigada. 

Sorrio e SunHi faz o mesmo que eu. 

- Agora vou levar vocês até o local das fotos. - Emily se levanta e larga os objetos sobre a mesa, seguindo a nossa frente até o elevador. 

- Como você chegou até a Elle? - pergunto assim que as portas se fecham. 

- Quem faz perguntas aqui sou eu. - Emily rebate e começo a rir. - Mas irei te responder... Faz um ano que estou aqui. Quem me indicou foi o ChungHee.... O garoto das fotos. 

Minha cabeça volta pro dia em que tudo aconteceu e sinto algo revirar em meu estomago: - As fotos? 

- Queimei. - Emily responde. - Não achei necessário guardar elas. E Kwan acatou meu pedido de entrar em contato com a Google pra descobrir o que tinha sido feito com elas. 

- Descobriu? - agora era SunHi que indagava. 

- Sim. - Emily responde sorrindo. - A BigHit pediu pra que tirasse e as fotos simplesmente sumiram. 

Ela me olha e torno a sorrir assim Emily me encontra. As portas do elevador se abrem e seguimos pelo corredor até uma sala mais ao fundo, onde Kwan nos esperava. 

- Certa vez, a Yuri definiu vocês duas como anjos na vida dela. - o editor exclama. - Vocês se lembram disso?  

O coreano sorri assim que recebe nossa afirmação, fazendo com que eu e SunHi sorríssemos juntos a ele. 

- E eu pensei.... - o homem chama nossa atenção novamente. - Porque não anjos? 

Pisco algumas vezes tentando entender o que ele quis dizer e SunHi me olha, esperando que eu tivesse a resposta. 

- Como assim? - a coreana pergunta.  

Kwan se limita a rir e pede pra que algum dos staffs presentes traga algo até ele, e então, minha boca abre levemente ao me deparar com dois pares de asas enormes - um preto e um branco. 

- A gente vai usar isso? - SunHi pergunta aos risos. 

- Sim. - o editor ri e nos olha. - Preciso que vocês se troquem. 

- Mas só isso? - indago um pouco mais assustada que o normal.  

- Mais ou menos. - Kwan fecha levemente os olhos. 

Resolvo não perguntar mais nada e sigo uma garota que nos espera até a sala separada pra nós duas.  

- Serão duas trocas de roupa. - a menina sibila assim que entramos na sala. - As asas são somente pra capa... Não tem necessidade o nervoso. 

- Ah, tem, meu amor. - SunHi sussurra e ergue o short com seu nome. - Tu não faz ideia o ciúmes que a ponta de la carrega. 

E eu acho que ela se refere a Jimin. 

- Eu me entendo com ele. - murmuro assim que entendo o rastro de dúvida no olhar da garota e ela sorri. - Obrigada. 

Após cerca de uma hora, onde nossos cabelos e maquiagem tinham sido feitos, eu e SunHi retornamos a sala onde ocorreria a seção de fotos para Elle e me assusto ao encontrar ChungHee encostado em uma parede. 

- Olá. - ele me olha assim que escuta a minha voz e ri. - O que faz aqui? 

- Eu trabalho aqui, Vick. - ele ergue a mão. - Senhora Park. 

- Não começa. - ele torna a rir. - Você vai participar nas fotos? 

- Na verdade, quem vai tirar as fotos sou eu.  

Meu estômago embrulha. Não esperava isso e agora me sinto desconfortável o suficiente pra tirar o roupão na sua frente. 

- Tudo pronto? - pergunta e olha em volta, vendo SunHi seguir até onde estamos. - Bom, eu espero que você não se esqueça que sou gay.

Começo a rir e sinto meu rosto queimar lentamente. 

- Relaxa Vick.... - Chung beija minha testa e agarra a câmera sobre uma das mesas. - Vamos??? 

Respiro fundo e retiro o roupão, com as costas voltadas a multidão de profissionais ali. SunHi faz o mesmo que eu. Resmungo assim que sinto alguma coisa fiscar em minhas costas.  

- Tá tranquilo, Victória? - olha para o lado e vejo uma coreana. 

- Acho que sim.  

Ela sorri: - Se mexe.  

E eu faço o que ela pede, sentindo algo me puxar levemente pra baixo. Começo a rir assim que entendo que as asas tinham sido "coladas" em mim. 

- Quando você começar a suar, a asa cai. - a jovem resmunga e bate as mãos no topo do conjunto em minha pele, arrumando alguma coisa que não fiz questão de descobrir. - Então.... Tenha não ficar muito nervosa. 

Respiro fundo e olho para SunHi, cobrindo os seios da mesma forma defensiva que eu. A coreana ri e me olha, balançando levemente o conjunto negro de asas em suas costas, me fazendo rir junto a ela. 

- O Tae vai me matar. - ela dança levemente. - Mas eu não ligo... 

Nossa nudez não era excessiva, somente a parte de cima de nossos corpos estavam expostos. Nossas pernas estavam cobertas por shorts extremamente curtos e jeans. O comprimento de ambos os cabelos tinham sido ondulados e desfiados, fazendo com que o volume ficasse um pouco mais excessivo e algum spray mantinha-os assim, jogados de forma organizada. Ambas as maquiagens também eram quase mínimas. 

- Eu preciso que vocês se virem agora. - Chung chama nossa atenção e tranco minha respiração no mesmo instante. - Podem fazer isso? 

Antes que consigamos fazer o que ele nos pede, ouço passos apresados em nossa direção, e duas garotas surgem em nossas frentes, cruzando nossos braços sobre os seios em forma de X. E nos viramos. SunHi passa a rir insanamente e eu me concentro em não entrar na sua onda, até ouvir sua voz aos berros. 

- Viado!!! Eu to morrendo de vergonha!!! 

Chung ri em igualdade a garota: - Relaxa que são poucas fotos assim.... Em breve, eu deixo vocês se vestirem. Mas preciso que colabore okay? 

E ela ergue o rosto, fazendo a cara mais ridícula do mundo. A tal cara que ela sempre usava pra falar que estava sendo profissional: - To pronta! 

Torno a rir, agora com intensidade redobrada, e preciso respirar diversas vezes pra não começar a chorar em meio a crise.  

- Vick? 

- Tudo bem. 

ChungHee sorri e indica que podem começar a trabalhar com a iluminação e seguidos flashes segue nos bombardeando em poucos segundos. Não mudamos muito de posição, somente os braços eram mexidos uma hora ou outra - ora cruzados, ora somente um dos antebraços sobre os seios -. SunHi conseguia me fazer esquecer por completo a quantidade de homens naquela sala, porque a idiota não conseguia ficar dois minutos sem fazer alguma piada ridicula e isso facilitou para que a primeira parte das fotos terminasse mais rápido do que imaginei. 

- Okay. - Chung chama atenção de todos os presentes. - Já deu.  

Nos viramos de costas novamente para que alguém da equipe retire as asas. 

- Já deu o que, Chung? 

Demoro pra reconhecer a voz, mas quando o faço, meu sangue gela. Olho pra SunHi que mantinha a mesma aparência preocupada que a minha.  

- WonHo? - Chung pergunta. - O que faz aqui? 

- Eu vim ver uma amiga minha e decidi te chamar pra um café.... - a voz de WonHo trava, assim que nos voltamos - devidamente cobertas - para ele: - Victória? 

- Oi. - resmungo e aperto o tecido em torno do tronco. 

- Podem ir trocar de roupa. 

E antes que ChungHee termine de falar qualquer coisa, eu praticamente corro da sala com SunHi em meu encalço. 

- O que ele ta fazendo aqui? 

SunHi me alcança e inspira: - Acho que alguém vai querer matar a gente. 

- Meu Deus.... O Jimin vai surtar. - sussurro e empurro a porta da sala indicada a nós duas.  

- Não conta! - olho pra SunHi e a vejo retirar o roupão, sem antes verificar que havia somente nos duas e uma garota na sala. - Ele não precisa ficar sabendo que WonHo apareceu aqui... Não é? 

- Eu não sei. - murmuro e jogo o roupão em algum canto, com a garota da revista me entregando uma toalha. - A última vez que eu fiquei quieta perante a algo, a merda foi grande. 

- Mas Victória. - ela senta sobre uma das cadeiras e retira o short que usa - Quantas vezes fizemos ensaios e apareceram idol's totalmente aleatórios? 

Respiro e visto o top que faria parte da segunda parte da seção: - O WonHo é a primeira vez.... E você sabe bem que o Jimin não suporta esse cara.  

- Você também não suporta a Seulgi e ela ta aí, né?.... Se duvidar, ta pedindo açúcar pra ele no seu apartamento agora. 

Meu sangue corre rápido e estremeço com a ideia daquela garota na minha casa. Respiro fundo e tiro o short que uso, vestindo a calça escura e de cintura alta em segundos. 

- Calma Victória. - a garota pertencente a equipe de Chung exclama e seca meu rosto levemente com uma toalha. - Acho melhor vocês discutirem isso depois.... Prefere que eu converse com Chung e peça pro rapaz ir embora? 

- Não precisa. - minha voz sai trêmula. - Ele já viu o que não devia mesmo. 

- Você vai fazer o que? - SunHi levanta assim que termina de vestir o shorts disponibilizado a ela. 

- Não sei. - enrolo o cabelo e o prendo com alguns grampos que encontrei. - Vamos. 

Empurra a porta e saio aos tropeços pelo corredor, parando em poucos passos pra vestir o salto alto grotesco que faria parte do ensaio. SunHi segue ao meu lado, sem abrir a boca e sinto que nesse instante, preferia que ela voltasse a fazer piadas. WonHo sai de alguma sala e me encontra. 

- Vick, eu... 

- Não! - eu o interrompo e sigo na sua direção, completamente irritada. - Você não abre a boca. 

Ele se assusta e pisca diversas vezes: - Desculpe, eu não pensei que te veria daquela forma. 

- Some, WonHo. - aceno em qualquer direção, indicando que queria que ele saísse da minha frente. - Eu não quero olhar pra você e muito menos ouvi sua voz tão cedo..... Por Deus, aprende a me respeitar. 

Ele ergue as mãos e segue pra algum canto que não faço questão de gravar, mas antes mesmo de conseguir uma distância segura dele, ouço novamente sua voz. 

- Victória.... Parabéns pelo seu casamento! 

Caminho, sentindo meus passos mais duros que o normal e encontro ChungHee debruçado sobre um notebook, onde um rapaz editava as fotos. O coreano levanta os olhos na minha direção e segue apreensivo até onde estou. 

- Eu pedi pra ele não falar nada a ninguém. - Chung sibila e encosta ambas as mãos em meus braços. - Eu sei o quanto dói um soco do Jimin, acho que ele não vai querer descobrir isso. 

Respiro rápido: - Eu espero que ele não seja idiota a esse ponto.  

- Você já apanhou do Jimin? - SunHi praticamente pula em mim.  

- Já. - Chung ri e me olha. - Muito tempo atrás. 

- Porque? - reviro os olhos e volto minha atenção a garota. - Menina, me ensina ai esse feitiço todo pra ver se o Tae acorda. 

Começo a rir novamente, ainda que sinta todo o meu corpo estremecer em reação ao nervoso. 

- Vamos? Logo a gente acaba e libero vocês duas. - ChungHee conclui e me solta, esperando que seguissemos a sua frente. 

 

~Versão Jimin~ 

Estávamos em uma academia próximo a BigHit, esperando que a pausa entre um exercício e outro acabasse e tentando enfiar na cabeça de Taehyung que ele precisava procurar SunHi antes que ela desistisse dele. 

- Eu fico imaginando se SunHi aparece com um cara aí - Yoongi sibila. - O que você faz, Taehyung? 

- Sento e choro - V responde e senta sobre algum dos aparelhos. - É a única coisa a ser feita. 

Hoseok e Jin começam a rir levemente e decidem seguir em direção a algum canto do local. 

Yoongi os acompanha com o olhar: - Quando o menino nasce? 

- Mês que vem. - sussurro e abaixo os olhos pra minha perna, que decidiu doer. - Yuri está apavorada. 

- Porque? - Suga pergunta e joga a toalha na direção de Taehyung. 

- Ela vai ter que se apresentar em seguida. - respondo e me levanto. 

- Olha isso! 

Volto minha atenção na mesma direção que V e Suga olham e me deparo com WonHo. Ele sorri abertamente.  

- O que faz aqui? - Suga pergunta e me olha ao mesmo tempo. 

Desde que eu voltará com Victória tinha anulado WonHo em minha vida ou ciclo de amizades. Eu sabia que o que tinha visto no elevador do hotel em Hong Kong não era loucura da minha cabeça e, tinha plena certeza de que, se eu ou ela desde abertura pra ele, nossa vida se resumiria a brigas diárias. Esse cara iria transformar qualquer coisa em uma disputa ridícula e sem fundamento algum. 

- Eu? - ele torna a chamar nossa atenção. - Acho que o mesmo que vocês, certo?... Mas acabei de chegar. Estava na Elle.... - ele me olha e tento entender o que quer, até ouvir sua voz novamente. - Encontrei Victória. 

E eu tive a sensação de que todos em volta perderam a voz ou raciocínio lógico e apagaram até mesmo a presença de WonHo. O foco deles era em mim e em qualquer coisa que eu pudesse fazer. Respiro, encontrando uma calma parcial em meus atos e pretensão em retornar a qualquer exercício ali. 

- Jimin. - travo meu corpo e minha mandíbula pesa, trincando os dentes aos poucos. - Não foi algo intencional okay?  

- Eu acredito em você. - minha voz rasga a garganta de maneira áspera. 

- Ela não mudou nada, não é? 

Respiro fundo novamente e sinto Taehyung segurar meu braço. Volto minha atenção a ele, indicando que não tinha o porque tamanha preocupação e me solta. 

- E esse ensaio dela vai ser incrível.... Você vai ver. 

WonHo ri, mas é um riso diferente do casual. É um riso amargo, frio e terrivelmente maldoso. O olho e as mãos de Taehyung me impedem de seguir de encontro a ele. WonHo parece perceber e recua. 

- Não acredito que você saiu de sua casa pra vim falar esse tipo de merda. - Yoongi exclama irritado. 

- Não. - ele exclama - Eu disse que vim aqui me exercitar, encontrar vocês foi uma bela coincidência. 

Hope e Jin ja tinham retornado e observavam tudo em silêncio, enquanto Jin mantinha uma atenção redobrada em qualquer movimento meu. 

- Então, vá se exercitar. - falo e me abaixo até onde existe algumas garrafas térmicas. 

O filha da puta ri novamente e leva os dedos até a altura do rosto, prestando uma breve continência a nós. Meus olhos o segue até que finalmente o perca de vista e me sinta seguro o suficiente pra respirar. 

- Acho que já deu, certo? - Jin pergunta e me olha esperando que eu decida o que fazer. 

- Vou pra academia do prédio. - aperto a garrafa entre os dedos - Não sei se posso ficar aqui. 

- Eu vou contigo. - Taehyung sibila. - A academia do seu condomínio é mais legal que essa. 

- Ah, Jimin. - olho na direção de WonHo e espero o que ele possa dizer. - Victória fez uma tatuagem? 

E algo ferve em minha cabeça e peito no mesmo instante. 

- É só uma curiosidade, cara. - ele ri. - Saiu algo na Internet esse mês. 

Não o respondo e saio da academia. Sigo em silêncio com Taehyung ao meu lado respeitando qualquer paranóia que passe na minha cabeça naquele instante. Entro no Azera e espero Taehyung se acomodar ao meu lado. 

- Jimin. - ele sibila enquanto dirijo em direção ao apartamento. - Saiu mesmo algo relacionado a tatuagem da Vick. 

- Eu sei. - rebato e sou obrigado a parar no semáforo.  

- Ninguém sabe onde é. - Tae resmunga e olha pela janela. - Só viram ela saindo do estúdio.  

- É embaixo do seio. - respondo e olho Taehyung levantar a sobrancelha. - Embaixo do seio direito e segue até sua costela. 

- Nossa. - Taehyung sussurra e me permito rir. - É muito grande? 

- Não.... - saio com o carro assim que o semáforo permite.  

- Tem foto? 

- Você quer ver o peito da minha mulher? - indago e Taehyung se encolhe sobre o banco. 

- Não idiota.... É curiosidade mesmo. 

Começo a rir novamente: - Depois eu te mostro. 

- Sério?  

- Não. 

Torno a rir e alcanço o prédio onde eu residia. 

❀❀❀❀❀ 

Já era de noite quando eu finalmente retornava ao apartamento. Encontro Victória conversando Jung, a senhora que criou Yuri.  

- A senhora pode fazer isso pra mim?

Vick pergunta e não faço a minima ideia do que elas tratam. E então, ela me olha e sorri levemente. 

- Eu te vi na academia. - ela sibila e espera que eu a alcance. - Mas você estava conversando com o Tae. 

Beijo rapidamente sua cabeça: - Eu não vi você chegar.... Alguma ocasião em especial? 

Olho pra senhora atrás do balcão e ela se mantém atenta em mim. Jung me conhecia melhor que qualquer outra pessoa - até mesmo meus pais - e sabia que algo me incomodava. 

- As meninas vão vim pra cá. - Vick chama novamente minha atenção. 

- Acho que Yoongi também - acrescento e minha mão desliza por seu cabelo. - Ele quer exibir a tal francesa. 

Victória ri e segura minha mão: - Toma um banho. 

- Você primeiro... - rebato e ela se levanta. - Preciso comer algo. 

E antes que eu entenda, Victória some entre os degraus até o andar superior. Respiro e volto minha atenção a mulher estacionada no meio da cozinha. 

- O que foi, Jimin? - ela pergunta com uma mania irritante de se enfiar no meio da minha confusão e descobrir tudo sem me dar a chance de mentir. 

- É só uma informação sem importância.  

- Se não tem importância, porque deixa ela tomar conta de sua mente? - a senhora indaga. - Jimin, você acabou de se casar.... Não pode deixar essas informações se acumularem. Vai ser pior lá na frente. 

- Eu sei. - resmungo deixando claro que não faço muita questão daquele diálogo seguir em frente. 

Era algo natural, e eu ja havia me acostumado com a maioria dos comentários referentes a Victória. Ela era realmente bonita, e chamava uma atenção exagerada por onde passava. Depois de ter se tornado uma pessoa publica, o interesse de terceiros havia se intensificado e Vick, em muitos momentos, deixava todos confusos. Ela é fechada perante quem não conhece e não confia, completamente discreta em qualquer lugar que passe - por maior que seja sua exposição - e isso chamava ainda mais atenção de quem estivesse próximo a ela. Qualquer lugar que ela fosse - junto a mim ou a Yuri ou, até mesmo, sozinha - era motivo pra especulações e tentativas frustradas em descobrir algo mais da parceira de SunHi e minha esposa. Ela tinha um dom incrível de não dar abertura a ninguém que não fosse de seu círculo pessoal e isso, era bom. 

Mas o que me corroía naquele momento não era sua discrição notável e única, e sim o fato de que, no meio de tantas pessoas que cruzavam seu caminho ainda havia WonHo. Ele não havia mais se aproximado dela desde HongKong e suas breves aparições em programas ou festivais onde Yuri estaria não era um problema. 

Mas agora.... Tinha algo me incomodando além do normal. 

Desperto assim que escuto um toque rápido de celular e vejo um aparelho ao meu lado, com o visor indicando que havia chego uma mensagem. Era o celular da Vick e então, resolvi ignorá-lo. Quando ela descesse, iria ver que havia alguém chamando-a. O celular toca breve mais algumas tantas vezes e o som passa a me irritar lentamente. 

- Vê o que é, Jimin. - Jung resmunga com o corpo voltado ao fogão. - Pode ser algo com Yuri. 

Agarro o aparelho entre os dedos e clico o mais rápido que posso em cima das mensagens. 

"Eu gostei muito de te ver" 

"Acho que poderíamos marcar algo" 

"Como bons amigos, lógico" 

"Você está ótima e senti sua falta" 

Começo a rir e sinto uma raiva crescente em meu peito. Era WonHo. Não precisava ser muito esperto pra descobrir isso, mesmo que o número não estivesse salvo na agenda do celular. Ouço os passos rápidos de Victória nos degraus do apartamento e olho em sua direção. Ela usa qualquer vestido escuro que há em seu guarda-roupa e o cabelo estava molhado. Ela segue até onde estou, friccionando os fios na toalha e me olha. 

- Algum problema?  - Vick pergunta assim que vê meu rosto, provavelmente mais irritado que o normal. 

Entrego o aparelho a ela e espero o que possa vir, mas ela não me responde, somente um rastro de confusão passa por seu rosto. Victoria me olha e pisca rapidamente.

- O que WonHo estava fazendo na Elle? - pergunto. - Melhor... O que WonHo estava fazendo junto a você?


Notas Finais


Bom, gente.... é ísso
espero que esteja bom e legal e tals pra geral

perdão alguns erros que vocês provavelmente encontraram...


amo geral <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...