História House Of Cards (ChanBaek) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags Chanbaek, Ellafiction, Kaisoo, Vkook
Exibições 290
Palavras 2.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei mas voltei. Deixei explicado lá no meu twitter (@ellafool) que eu demoraria para postar e que talvez teria mais um ou dois capítulos pois terá duas 1s de natal/ano novo que estão ocupando o meu tempo.
Sorte que eu vou entrar de férias amanhã e meu tempo será só de vocês. A gente se vê em breve ❤

Capítulo 6 - Six!


Fanfic / Fanfiction House Of Cards (ChanBaek) - Capítulo 6 - Six!

— C-como assim beijar? — gaguejei ao me afastar do baixinho.

— Beijar, ChanYeol, boca com boca, sabe? — ele se sentou na cama.

Ai meu caralho!

Agora fodeu de vez.

Euzinho, beijando Byun BaekHyun.

— Mas isso é um problema pra você? Digo, me beijar é um problema?

BaekHyun se engasgou.

— N-não, e-eu não acho que seja um problema. — ele gaguejou e virou o rosto para o armário.

— Não acha problema beijar um cara?

— ChanYeol, podemos mudar de assunto? — ele me perguntou e eu assenti. — O que acha que ensaiarmos a coreografia de Artificial Love?

Pronto, e para fechar com chave de ouro, BaekHyun queria dançar em cima de uma bengala.

— Podemos ver a letra de Love Me Right? — eu perguntei, mas ele negou. 

— Precisamos passar essa coreografia. — ele se levantou, indo atrás das bengalas. — Tao hyung disse que iria ver o dia para gravarmos a música de Lightsaber.

Fato, ainda tinha essa maldita música que faria meus amigos me odiarem. Não que a letra não fosse boa, mas eu estou gravando sem eles, e nesse caso, eles ficarão bem bravos.

Eu ficaria, pelo menos.

BaekHyun me lançou a bengala e eu me ajoelhei no chão. Não contaria que fiquei ensaiando na minha cama esses movimentos, totalmente desnecessário.

— Eu posso tentar fazer isso? — perguntei e ele assentiu. Dei um sinal para que ele se sentasse no chão e eu fiquei entre suas perninhas. — Tudo bem...

Respirei fundo antes de ouvi-lo cantar a parte do lá lá lá e eu fui me abaixando aos poucos, logo me abaixando e sentando em suas pernas, movendo o meu quadril para frente e para trás.

BaekHyun olhou para os movimentos que meu quadril fazia, não evitando de levar suas mãos até a minha cintura, como se me ajudasse com os movimentos.

Opa!

— Acha que fui bem? — perguntei ao me levantar e vi BaekHyun sacudir a cabeça, como se algo passasse por sua mente.

— S-sim, claro. — gaguejou, e se levantou. — Você se importa se eu fizer o mesmo? Quer dizer, você ficou bravo da última vez.

— Eu não estava bravo, eu só não esperava, mas tudo bem, se você quiser. — eu disse, logo me arrependendo ao ver suas pernas ao meu contorno.

E ele não disse nada, apenas se sentou nas minhas pernas e encarou os meus olhos.

Se me perguntassem se eu soubesse o que estava acontecendo alí, eu mandaria ao inferno por terem atrapalhado esse momento, e depois, diria que nem eu sabia.

A porta foi aberta com certa agressividade enquanto uma voz feminina falava algo sobre sapatos da Chanel.

— Eu não quero saber se eles são caros, Sara, me arrume os sapatos pretos ou será demitida. — encarei a figura parada na porta e me deparei com TaeYeon.

Puta merda, logo agora?

A garota guardou o celular na bolsa e olhou para nós de forma incrédula, afinal, BaekHyun ainda estava no meu colo.

— O que estão fazendo? — ela perguntou em um fio de voz.

— Oh, noona, estamos ensaiando a nova coreografia. — BaekHyun disse ainda sentado em minhas pernas.

— E vocês vão fazer um vídeo pornô ou algo do tipo para estar sentado assim, BaekHyun? — TaeYeon falou com raiva, ficando vermelha.

Ah, isso vai ser bom.

— Na verdade, é ótimo ter o seu namorado assim, sabia? — puxei BaekHyun mais para perto, o que o deixou confuso.

TaeYeon arremessou sua bolsa contra nós, gritando algumas coisas que eu não entendi pois BaekHyun dizia para ela se acalmar.

Eu me levantei do chão e sentei na cama do loiro, enquanto ria da maravilhosa cena dela dando algumas "bolsadas" no Byun.

— Eu não acredito que você fez isso comigo, Baekkie; não acredito que me trocou por esse orelhudo.

Então ela começou a chorar e BaekHyun me olhava sério, como se pedisse uma ajuda para acalma-la, mas o que eu poderia fazer, afinal? A namorada era dele, de qualquer maneira.

— Que tal você procurar uma ajuda psicológica, querida? — puxei minha mochila para mim e me levantei da cama. — Seria uma ótima escolha pra você parar de pensar coisas que não fazem o menor sentido. — abri a porta e olhei para trás. — E orelhudo é o corno do seu pai.

E eu saí daquele quarto.

Chega de ensaios por hoje!

— X —

Caminhei pelos corredores da escola na quinta-feira, encontrando Sehun colando alguns papéis no quadro de recados.

— O que é isso? — perguntei ao passar por ele.

— Ah, oi, é um anúncio sobre o show de talentos. — andávamos lado a lado até os armários, onde ele enfiava mais algumas folhas pelos buracos. — Finalmente a coordenação nos deixou fazer algo do tipo, deveria escrever o EXO.

— Nossa banda não é completa, ainda precisamos de um baterista e mais uma ou duas vozes. — dei de ombros.

Sehun me olhou sorrindo.

— MinSeok toca bateria, e eu conheço alguns caras que podem te ajudar com as vozes.

— Quem é MinSeok? — perguntei confuso e ele riu de mim.

— Xiumin. — ele respondeu antes de bater com uma das folhas de inscrição no meu peito e sair de lá.

Então Xiumin se chamava MinSeok?

Minha vida foi uma mentira!

Caminhei até o pátio, onde meus amigos estavam sentados em baixo de uma árvore, Xiumin, ou MinSeok, tocava violão, Kyungsoo cantava alguma coisa e Kai balançava de um lado para o outro com o corpo como se dançasse.

— Estão sabendo do show de talentos?

Xiumin parou de tocar e me olhou.

— Quem 'tá organizando isso? — Kyungsoo perguntou ao se levantar e pegar a folha da minha mão.

— O Sehun acabou de me falar, parece que a coordenação quis mudar algumas coisas nesse final de ano.

Me sentei ao lado de Kai, logo sentindo suas mãos fazendo carinho em meus cabelos.

— Finalmente! Já estava arquitetando o meu plano de suicídio se fôssemos ter um baile. — Xiumin disse ao pousar seus grandes olhos em Kai e eu.

— Nós precisamos nos inscrever para esse show, podemos usar Artificial Love. — Kyungsoo disse enquanto lia as regras do evento.

Espera aí...

— O-o que? Não podemos usar Artificial Love! — me desvencilhei das mãos de Jongin.

— E por que não? Artificial Love ficou boa, podemos usa-la. — Kyungsoo me olhou.

— Eu escrevo outra, por favor, não usem Artificial Love.

E então vocês me perguntam o motivo de todo esse meu desespero e eu vos respondo: Artificial Love foi escrita por BaekHyun, sobre o nosso "relacionamento", e meus amigos não sabiam que eu conhecia BaekHyun, muito menos que nós "namorávamos".

— Tudo bem, ChanYeol, a gente sabe que você é estranho, nós não vamos usar Artificial Love, não surte. — Kyungsoo me expulsou do meu lugar, sentando na frente do namorado.

Xiumin me olhou com aquela cara de "preciso falar com você depois" e eu confirmei com um piscar de olhos.

— Você tem até o dia do concurso para nós dar essa música. — Kyungsoo se levantou com o namorado, me deixando com Xiumin. — Nós vamos pro vestiário, não invadam se não quiserem ver um pornô na vida real.

Fiz cara de nojo assim que entendi o que ele quis dizer. Xiumin me puxou para o seu colo.

— O que está acontecendo com você, Chany? — ele me perguntou enquanto fazia carinhos em minha bochecha. — Você está tão perdido ultimamente, está apaixonado?

— Apaixonado? E-eu? Jamais! — ri nervoso e ele estreitou os olhos.

— Você sabe que pode confiar em mim, não sabe?

Xiumin tinha aquela aura de mãe, que sempre sabe o que você está escondendo, mas ainda assim pergunta para saber até que ponto você vai aguentar a mentira.

Nós ficamos bem próximos nessa última semana, eu tenho o encontrado na sala de música e nós tocávamos um pouco de guitarra enquanto conversavamos umas coisas aleatórias.

— Sim, eu sei, mas não se preocupe, eu 'tô bem. — sorri ao me levantar e estiquei a mão para ele fazer o mesmo. — Eu só ando praticando bastante em casa e não tenho muito tempo para descansar.

Xiumin segurou a minha mão, entrelaçando nossos dedos assim que entramos no corredor.

— Você precisa descansar um pouco mais, Chany, não se esforce tanto.

MinSeok era um ser tão adorável que as vezes eu nem lembrava de que ele era o meu hyung.

— Eu vou tentar dormir um pouco, Min. — lancei um sorriso para o castanho, que logo me retribui com um abraço.

— Preciso ir agora, nos vemos no intervalo. — ele me entregou um pequeno papel rosa claro e se afastou.

Enfiei o papel no bolso, sem me importar com o que realmente era, logo tomando o caminho para a sala.

Me joguei na cadeira, vendo que Kai e Kyungsoo já estavam lá e que escreviam algo no meu caderno.

Pestes...

Puxei o meu caderno, vendo o coração com as minhas inicias e as de Xiumin.

— Idiotas. — os expulsei da cadeira e logo me sentei na mesma. — Quantas vezes eu já disse para vocês não escrevem no meu material, inferno?

Eu sabia que estava sendo rude com os meus amigos, mas eu estava cansado. Fiquei até tarde da noite repassando a letra de Artificial Love juntamente com a coreografia.

E para completar, BaekHyun me mandou a letra de Lightsaber e disse que eu precisava ir a gravadora hoje pois teríamos uma reunião para mudar a minha aparência.

Justamente quando eu decido descansar um pouco de tudo isso, a vida me lança uma chuva de tarefas e obrigações.

Que merda!

Eu deveria ter ouvido o que Kai dizia sobre os astros, mas quem disse que eu ligava?

Outro fato, Jongin acordava as quatro da manhã para poder acender seus incensos, aplaudir o sol, meditar e ainda enviar para mim e Kyungsoo o que os astros nos reservavam.

Eu deveria ter os ouvido.

Obrigado, ascende em áries.

— Calma, cara, a gente só estava brincando, não precisa de tudo isso. — Kai me disse enquanto voltava ao seu lugar.

E pela primeira vez, eu não prestei atenção em Kai, muito menos em sua feição decepcionada, eu estava confuso e cansado demais para qualquer coisa.

Quando as aulas acabaram, caminhei até o meu armário, deixando alguns livros lá e achando mais uma folha do show de talentos.

Eu sei que seria totalmente errado se eu me inscrevesse sem os meninos, sabia também que eles me odiariam por aquilo, mas eu não poderia correr o risco de ficar empacado naquela mesmice de sonho para sempre.

Ficha de inscrição

Nome:

Idade:

Talento:

Série:

Enfiei a folha em um livro qualquer e fechei a porta do armário. Enquanto tomava meu caminho para a saída, ouvi a voz de Xiumin me chamar e olhei para trás, vendo o garoto correr na minha direção.

— Jongin disse que você estava meio nervoso hoje nas últimas aulas, 'tá tudo bem?

Uma coisa que eu admirava muito em Xiumin era a sua preocupação comigo, pois não importava a situação, ele ainda assim, pensava em mim.

— Sim, eu estou cansado e eles não param de falar sobre esse show, eu só preciso dormir um pouco. — caminhamos pelo corredor lado a lado.

— Eles só querem dar uma chance ao EXO, Chany, por isso estão tão empolgados. — ele me olhou como uma mãe. — Você não está pensando em desistir, não é?

— Não, de maneira alguma.

Ele sorriu, me abraçando e deixando o  rosto na altura do meu peito.

— Nos vemos amanhã, Chany.

E ele se afastou, pegando um caminho diferente do que eu pegava e entrando em seu carro que ficava logo no começo do estacionamento.

Arrumei a minha mochila, voltando a pegar o caminho para a gravadora.

— X —

— Eu não vou pintar o meu cabelo de cinza. — eu reclamei assim que o cabeleireiro chegou lá com algumas tintas e tesouras.

— Yeolly, seu cabelo 'tá parecendo uma abóbora com essa cor, por favor, facilite o nosso trabalho. — BaekHyun pediu com a voz manhosa enquanto folheava algumas revistas.

— E em breve ele vai ficar loiro e muito bonito. — a assistente do cabeleireiro disse.

Quem chamou essa menina aqui?

Eu não conseguia me concentrar em muita coisa, entendi apenas para qual lado eu deveria jogar o meu cabelo e os produtos que eu deveria passar no rosto para diminuir um pouco a minha acne.

Mas foi quando eu me rendi à cor de cabelo e eles me colocaram deitado de barriga para cima, eu senti um puxão na minha sobrancelha e aquilo foi a gota d'água.

— Eu não disse que vocês poderiam tirar a minha sobrancelha, BaekHyun!

— Mas também não disse que não podia, agora fica deitadinho aí.

E a assistente foi tirando, e a cada pelinho era um grito diferente e eu já segurava na mão de alguém enquanto gritava.

— Como você consegue fazer isso toda semana, BaekHyun? — eu perguntei assim que a tortura acabou.

— Me acostumei. — se levantou, me empurrando até o grande espelho no final do quarto.

Eu ainda não tinha visto o resultado final de toda aquela palhaçada, mas assim que me vi, engoli em seco.

O que fizeram comigo?

— Eu estou...

— Lindo. — BaekHyun completou.

Sabe aquele barulho de disco riscado que você ouve em algumas situações? Foi exatamente aquele barulho que eu escutei quando BaekHyun me chamou de lindo.

— Quer dizer, não está nada mal.

Ele se embaralhou em algumas palavras, logo saindo de lá e me deixando com o meu mais novo eu.

Quando cheguei em casa, no final da tarde, encontrei mamãe e Yoora na sala, assistindo suas novelas dramáticas.

— Olá! — falei e elas desviaram o olhar para mim e o meu mais novo cabelo.

— ChanYeol, como você está bonito! — mamãe se levantou e veio até mim, arrumando alguns fios que estavam fora do lugar.

— Você parece mais velho e mais responsável com esse cabelo, me lembra até o papai. — Yoora falou ao desligar a televisão.

Sorri triste ao me lembrar do papai.

— Eu quero descansar um pouco, desço mais tarde para jantar.

Subi as escadas, indo até o meu quarto e encontrando o Tuan deitado na minha cama, sorri com o momento.

Me livrei das minhas roupas, arranjando um pequeno espaço debaixo das cobertas após ligar o ar condicionado.

E então eu fechei os olhos, me entregando ao maravilhoso mundo de sonhos.

Mas tudo que é bom, dura pouco, muito pouco.

[12/10/16 19:47] Bacon:

ChanYeol, a gente esqueceu que hoje é a nossa primeira aparição juntos, corre pra cá, você tem até as 21:00.

Puta que pariu!

Chutei as cobertas, querendo me matar por ter assinado aquele maldito contrato. Tomei um banho rápido e coloquei as roupas que a produção havia me dado.

Eu não poderia negar que estava nervoso com toda aquela situação.

Passei um pouco de maquiagem e coloquei o colar de BaekHyun, que eu ainda era obrigado a usar.

Saí do quarto devagar, caminhando até a cozinha em silêncio e aproveitando que as duas estavam concentradas na novela, peguei a chave do carro e voltei para o meu quatro, trancando a porta.

Abri minha janela, olhando para baixo para saber se valia mesmo a pena pular daquela altura.

Descobri que eu já 'tava fodido demais para escolher alguma coisa.

"A tempestade não me afastaria dele, nem mesmo se eu quisesse, mas afinal, por que eu me afastaria dele se eu o queria tanto?"


Notas Finais


Twitter: ellafool
Snap: ellafool
Musical.Ly: ellafool

Me acompanhem nas redes sociais para quaisquer novidades sobre mim ou a fanfic.

Follow Me ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...