História House Of Wolves - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, K-pop, Lobos, Originais, Rap Monster, Suga
Exibições 10
Palavras 1.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello People! Demorei? Sim, mas porque eu acabei reescrevendo esse cap porque não tinha gostado muito dele!
Como vocês andam? E as férias chegando, finalmente ^^ ~vou ter mais tempo pra escrever~

No meio do capítulo, ela vai falar o nome da música recomendo que ouçam! O nome é River Flows In You do Yiruma. Muito bonita na minha opinião, porque sou apaixonada por piano!

Então, boa leitura meus amores!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Katherine On

     " Seu sangue escarlate escorria por minhas mãos, os olhos aos poucos iam ficando opacos e se fechavam. Ao meu lado havia um grande lobo grande e com ele mais 6, seus olhos não transmitiam segurança como os que eu vi naquela noite... Eles transmitiam frieza e ódio, senti meus pelos se arrepiarem de medo e logo o lobo a frente deles caminhava até mim. 
      Eles eram frios, eu sentia seu ódio e repulsa. Sentia sua tristeza. Ele era apenas mais uma alma perdida.

-Feche seus olhos... Deixe eu te mostrar a verdade... -aquele doce sussurro me conquistou, assim consequentemente fechei meus olhos.

       Era uma floresta envolta de pinheiros. O cheiro de grama molhada me acalmava, duas jovens de cabelos platinados caminhavam com suas longas capas azuis. Seus olhos eram como o céu em um dia alegre, eram chamativos... Crianças corriam até elas, então começaram a crescer. 
     De repente tudo pegou fogo, era puro caos. Os setes garotos corriam, mas um deles estava em meio uma áurea negra corrompida. 

-Esse vai ser seu último suspiro! -disse e vi seus olhos vermelhos brilharem no meio da escuridão."

    Sentei de supetão na cama sentindo o suor escorrer por minha testa, olhei para o local... Estava no quarto e os garotos também, menos Yoongi.

-Você está bem? -perguntou Jungkook sentando na cama e eu recuei.

Ele arqueou a sobrancelha então minha tia entrou no quarto. Ela colocou a mão em seu ombro e ele abaixou a cabeça se levantando. Namjoon fez um gestos para que todos saíssem do quarto e assim fizeram, olhei para minha tia confusa e ela suspirou.

-O que está acontecendo? O que foi aquilo que eu vi? -disse já com a voz embargada.

-Querida, você precisa ter calma. Vou te explicar tudo, Ok? -ela perguntou e eu assenti com os olhos trêmulos.

-A muito tempo atrás, as deusas do amor Teresa e Claire, encontraram os filhos da guerra. Eles Ainda eram crianças inocentes na época, então elas os criaram como se fossem fruto do ventre delas.
    Mas quando eles fizeram 17 anos, sobre o luar se transformaram em feras que atacaram a vila, fazendo o povo de revoltar.
    Elas viviam em um lugar mais afastado de todos, porém eles queriam matar os garotos e foram até lá. As irmãs temendo pela morte deles os mandaram fugir.
   Mas ele tinham medo, medo de perder as únicas que lhe deram carinho. Então elas fizeram uma profecia.
   A profecia dizia quem uma garota herdeira de bom coração, guiaria eles para o lugar certo até mesmo para seus descendentes.
   E disse que eles nunca ficariam sozinhos e desolados. -ela olhou em meus olhos e pegou em minhas mãos apertando-as.- Você entende o que quero dizer?

-S-sim... -disse com a voz trêmula e sentindo algumas lágrimas escorrerem pelo meu rosto.- Mas por que?

-Porque é o seu destino querida.-disse e me abraçou forte.- Agora descanse,ok?

-Ok titia. -disse e fechei os olhos ao sentir seu beijo em minha testa.

    Me joguei na cama e suspirei sentindo um nó na garganta. Eu queria gritar para o mundo ouvir que eu não aguentava mais isso... Minha mãe não ligava para mim, eu já tentei ligar para ela desde que cheguei aqui,mas ela não me atende e nem sequer deu sinal de vida. 

-Aish! Estou tão preocupada, não aguento! -digo bagunçando os cabelos rebeldes por natureza.

     Tirei os pés da cama e coloquei minhas pantufas caminhado até o banheiro, tomei um banho gelado e coloquei uma regata preta junto com uma calça swag. Eu estava afim de ficar confortável. 

    Tem muita coisa para eu processar ainda, coloquei a mão na maçaneta e respirei fundo. Abri a porta do quarto e sai. Andei pelo corredor e parei na frente da porta branca, eu me recordava levemente dessa parte da casa. 

    Entrei e ela continuava do mesmo jeito, o piano preto se destacava em meio as paredes brancas, sorri e me escorei na porta lembrando das lembranças de quando meu pai era vivo. Soltei um leve suspiro e sentei no banco forrado de couro.

   Toquei algumas teclas e sorri ao ouvir os sons que o mesmo imitia. Comecei a River Flows in You, meu pai havia começado a me ensinar... Mas não conseguiu, porém eu continuei a aprender sozinha, achava que ele ia voltar se eu tocasse ela.

    Mas ele nunca voltou e não seria hoje que voltaria. Ele já estava a sete palmos abaixo da terra e mesmo assim, eu insistia em acreditar que um dia voltaria e me abraçaria. Eu nunca aceitei sua morte, foi tão injusto com ele.

 

   Narradora On

      Era como se as teclas do piano fossem pequenas flores que necessitam da chuva para sobreviver. Suas lágrimas escorriam pelo rosto da ruiva e molhavam o piano. O garoto branco como a neve, andava pela casa e seguiu a melodia, o mesmo se impressionou ao ver quem tocava.

    Ela sentiu sua alma ser banhada pelas embraças que guardou tanto tempo fortemente como uma tempestade, o garoto apenas a observava sem reação. Ele queria abraçar a garota e falar que estava tudo bem, mesmo sabendo que não estava nada bem.

   Ele sabia que ela já sabia quem eles eram e sem contar o seu passado, que atorenta ela desde pequena. Ele queria proteger ela que agora parecia tão indefesa, diferente da vez que rebateu com o menino frente a frente. 

    Os dois conheciam o peso que a dor e magoa causava, eles carregavam aquilo sozinhos. Sentindo todos os dias aqueles sentimentos tão exaustivos e corrompedores, eles tinham medo do amanhã.

   Mas por quê? Pelo simples fato, que tudo que importava para eles, escorreram entre seus dedos como areia e sumiram no imenso universo. O mundo deles não tinha cor, era tudo preto e branco, eles tinham medo de mais uma vez, serem deixados.

    O abandono fez com que eles usassem máscaras, fingindo que está tudo bem ou simplesmente sendo grosso e fazendo que o outro enfrente a realidade como ela realmente é para que não sofra como já sofreu.

 

 Yoongi On

     Quando ela parou de chorar, eu quis entrar naquela sala e abraça-lá, ela estava tao pequena e sem proteção. Eu sentia que deveria protege-lá, eu sei como é ter tudo que importa perdido. Eu a magoei, porque não queria que ela se tornasse a pessoa que eu sou.

     Eu sou frio, sou como um monstro que esconde os verdadeiros sentimentos através de sorrisos debochados e brigas. Eu não gostava de fazer isso, mas achava necessário, mesmo vivendo tanto tempo com os garotos, eu ainda tinha barreiras que impediam eles de chegarem mais perto.

     No dia que cheguei aqui, recebi o carinho de verdade... O que nunca tive do lado de fora, o sorriso dos garotos, as gracinhas, fez eu me sentir vivo novamente. Mas eu ainda não estava completo, eu ainda me sentia um quebra-cabeça sem solução.

    Olhei para Katharine, a mesma havia parado de tocar e agora olhava para o teto respirando fundo. Sem querer minha mão esbarrou na porta fazendo a mesma ranger e a garota olhou para mim.

   Ela fungou e mais uma vez limpou o rosto, seus olhos estavam tão vermelhos. Entrei calmamente na sala e quando estava chegando perto dela, a mesma esticou o braço e fez sinal para que parasse.

-Pare onde está, não de mais um passo... Não se aproxime. -desse num fio de voz.

-Mas... -comecei a falar e ela me cortou.

-Mas nada Yoongi, apenas saia por favor. Me deixa sozinha. -disse e colocou as mãos na frente do rosto, ela estava chorando novamente. 

     Não iria deixar ela sozinha, não agora. Dei passos rápidos até ela e a abracei por trás, beijei o topo de sua cabeça e ela colocou as mãos nos meus braços, senti a camiseta molhar e ela dar alguns soluços.

-P-por que? P-por que está acontecendo isso comigo? -perguntou entre o choro.

-Porque tem de acontecer... -sussurrei.


Notas Finais


Quem será que estava morrendo no inicio do capítulo? Qual será o passado de Yoongi?
Kook ficou tristinho com a reação da Kat!

Então, até o próximo capítulo meus amores!

~Kissus de Suga!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...