História How bad I am? - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Originais
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 77
Palavras 4.016
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


CHEGUEEI
alo alo pessoinhas do meu kokoro
Mais um capítulo para vocês,espero que tenha ficado bom.
Boa leitura 💓💓

Capítulo 19 - First time


Fanfic / Fanfiction How bad I am? - Capítulo 19 - First time

*SOOK P.O.V*

Passaram-se alguns dias desde o acontecimento com Jimin, ele falava comigo raramente e como se nada tivesse acontecido, isso estava me deixando louca.

Lá estava eu, deitada no sofá tentando ligar para meu pai novamente.

Ninguém atendeu. Eu quero procurar meu pai, mas Jin fala que é perigoso.

- Ei. - Escuto a voz de Jimin.

Eu levanto a cabeça e o vejo me olhando com as mãos no bolso.

- Vamos sair para uma festa hoje a noite as 23 horas. Vai ir ou não? - Ele fala.
- Acho que não. - Falo e volto a ligar para meu pai.

Vejo Jimin grunhir e caminhar até o sofá.

- Vou mudar a pergunta. Você vai ou você vai arrastada? - Ele fala.
- Nenhuma das opções. Credo, que obsessão em mim. - Falo o fitando.
- Aish. - Ele fica irritado e o vejo subir em cima de mim.
- J - Jimin! O que está fazendo?

Ele apoiou suas mãos ao lado de minha cabeça e se aproximou de meu ouvido.

- Já não basta você com essa roupa deitada e ainda me desobedece? - Ele sussurra e passa a ponta de seu nariz por meu pescoço, me fazendo arrepiar.

Ele deu um pequeno selar em meu pescoço e eu arfei.

- Espere por mais depois. - Ele fala e percebo que o mesmo sorriu, se levantando do sofá.

Ele me olhou e eu desviei o olhar, estava corada, que merda. O mesmo riu e saiu da sala.

Eu bufei e coloquei uma almofada na cara.

- Cheguei. - Escuto Jungkook falar.
- Bem-vindo de volta. - Falo e tiro a almofada de minha cara.
- E aí Sook? - Ele fala caminhando até o sofá.

Eu encolho as pernas para que ele se sentasse, e apoiei minhas pernas nas suas.

- Folgada. - Ele fala.
- Pois é. - Falo e dou risada. - Vai na festa de hoje?
- Vou sim. Você vai?
- Jimin me obrigou.
- Ele disse que tinha certeza que você ia.
- Desgraçado.
- Do que me chamou? - Escuto Jimin falar.
- DE ENGRAÇADO! - Falo.
- Claro. - Jimin disse e foi para a cozinha.
- O cu ficou na mão né? - Jungkook fala.
- QUE VOCABULÁRIO É ESSE? VOCÊ É UM BEBÊ!
- BEBÊ!? EU TENHO 130 ANOS!
- MAS PARECE BEM MAIS NOVO! TEM ROSTO DE BEBÊ!
- CALA A BOCA!
- BEBEZÃO!

Ele grunhiu e subiu em cima de mim, ficando entre minhas pernas.

- Jeon, sai de cima. - Falo firme
- Vou te mostrar que sou adulto o suficiente para várias coisas... - Sussurrou.

Eu coloquei minhas mãos em seu peitoral, tentando o afastar.

- Jungkook... - Falei.
- O que foi pequena...? - Ele falou enquando respirava próximo ao meu pescoço.
- JEON JUNGKOOK! - Escuto Jin berrar.
- JIN! - Jungkook grita e cai para o lado.
- O QUE VOCÊ TAVA FAZENDO COM A SOOK!?
- NADA! EU CAÍ!
- CAIU NADA! TAVA QUASE ME ESTUPRANDO ALI! - Falei.
- QUÊ!? - Jin berra vindo na direção de Jungkook com os olhos verdes.

Jungkook se levantou e deu alguns passos para trás.

Eu olhei para a porta da cozinha e vi Jimin entrando no local.

Ele chamou o Jin...?

- JIN! TAVA BRINCANDO! - Falo e vou na direção do mesmo, para que ele não matasse o Jungkook.
- Jin me olhou e seu olhos aos poucos voltaram para a cor castanha.
- Sério? - Ele fala e coloca as mãos em meus braços.

Eu entendo que o Jin quer que eu o considere meu pai, mas eu sei que vai demorar. Não é de um dia para o outro. Mesmo fazendo quase um mês, eu convivi 17 anos com o Dong, e ele pode não ser meu pai biológico, mas é de coração.

- Sim, é sério. - Dou um sorriso.

Devo dar uma chance ao Jin.

- Jin, eu estou preocupada com meu pa... Com o Dong. - Falo.
- Eu estou procurando por ele ok? - Jin diz e sorri levemente
- Ok...
- Vá comer alguma coisa, você nem almoçou e nem jantou.
- Ah...
- Nada de festa se você não comer.
- Aish.

Eu viro de costas e vou até a cozinha.

Vi Jimin fazendo dois lanches e me aproximei devagar.

- São pra quem? - Falo.
- Que susto. - Ele fala e me olha. - São pra mim.
- Os dois?
- Uhum.
- Me dá um. Por favor!
- Vamos fazer uma troca. - Ele fala e sorri de canto.
- Ok. - Falo desconfiada.
- Um beijo e eu te dou um lanche.

Eu o olho incrédula e cruzo os braços.

- Ok. - Falo.
- Sério? - Ele fala me olhando desconfiado.
- Uhum. - Murmuro.
- Ok. - Ele fala e se encosta na bancada.

Eu me aproximo dele aos poucos, dou-lhe um beijo em sua bochecha e pego um dos lanches que estavam atrás dele. Mas o mesmo segurou em minha cintura e me puxou, colando nossos corpos.

- Acha que eu não sei das suas gracinhas? - Ele fala sorrindo sacana.
- Eu dei um beijo. Não dei?
- Sook. Você me entendeu.
- Hm? Não entendi.

Ele ficou irritado com a situação.

- Pois bem. Vou te mostrar do que eu estava falando. - Ele fala se aproximando de mim.

Eu fiquei olhando seus lábios se aproximarem doa meus e estremeci assim que o espaço entre nós foi cortado por Jimin.

Ele pediu a passagem com a língua e eu cedi de imediato. Senti sua língua encontrar-se com a minha, o mais velho tombou a cabeça, aprofundando o beijo.

Suas mãos apertavam minha cintura uma hora ou outra, então levei minhas mãos para sua nuca e arranhei levemente o local ao sentir suas mãos descerem para minha bunda, onde apertou diversas vezes.

Nos separamos pela falta de ar, mas logo ele voltou a me beijar e foi me levando até a outra bancada, onde me sentou e ficou entre minhas pernas.

- Jimin... - Falei ofegante.

Ele cessou o beijo mordendo meu lábio inferior e me olhou profundamente.

- Chega. - Falo e o olho. - Melhor pararmos por aqui.

Ele assente e me desce da bancada. Ele estava indo embora então o chamei.

- Jimin! - Chamei.
- Que foi? - Fala e se vira, me encarando.
- Está me devendo outro lanche. Me beijou duas vezes. - Dou um sorriso.

Ele sorri.

- Eu apenas aproveitei a chance. - Diz e vai embora.

 

 


Estou gostando desse "novo Jimin".

 

 


Eu comi o lanche e olhei para o relógio. 21:30.

Bufei e fui para meu quarto. Na real ele está mais para um sótão do que para um quarto, mas eu já arrumei e está bem melhor.

Me joguei na cama e fiquei conversando com Erick por mensagens, nós estamos ficando bem próximos.

Eu não entendo o que Jimin tem contra ele, Erick sempre tentou me ajudar.

- Sook, já está pronta? - Escuto Jimin dar algumad batidas na porta.
- Pronta...? - Falei baixo.

Olhei para o celular e vi que eram 23 horas.

- PUTA MERDA! - Falei e me levantei em um pulo.
- Como assim put... VOCÊ NEM COMEÇOU A SE TROCAR!? - Ele berra.
- ME DESCULPA!

Ele tenta abrir a porta, mas ela estava trancada.

- EU VOU TE MATAR! - Ele exclama.
- NÃO VAI NÃO! ME DÁ 20 MINUTOS!
- VOU DAR É UNS SOCOS EM VOCÊ!
- VAI NADA!
- SE TROCA LOGO!
- EU PRECISO DE UM BANHO!

Ele ficou em silêncio.

- Se passar de 20 minutos sua morte é certa. - Ele fala e escuto passos se distanciando da porta.

Eu peguei um vestido preto que era justo até a cintura, mas a saia era rodada. As mangas vinham até metade do antebraço, e havia um grande decote.

Peguei a maquiagem e fui correndo para o banheiro, teria que ser rápida.

Tomeibum rápido banho e já coloquei a roupa íntima e o vestido.

- Merda. - Falo ao me ver no vestido.

Esse vestido tem um decote bem grande mesmo. O decote tem um fino tecido preto, mas meus seios ficam bem visíveis. Passei um delineador e um batom claro, por último coloquei as sapatinhas pretas.

- SOOK! - Jimin grita.
- JÁ TO INDO! - Grito e saio do banheiro correndo.

Joguei as roupas sujas em cima da cama e desci as escadas correndo.

Todos já estavam na sala me esperando.

- Pronto. - Falo.

Todos estavam sentados, menos Jimin.

Todos ficaram em silêncio e me olharam. Jimin me olhou da cabeça aos pés e olhou para meus seios por alguns segundos.

- Você fica mais bonita a cada vez que nos vemos. - Hoseok fala caminhando em minha direção.
- Obrigada. - Dou um sorriso.
- Encantado. - Hoseok fala e beija minha mão.

Eu corei e agradeci.

Hoseok é o mais cavalheiro aqui, ele está sempre bem arrumado e é gentil.

- É só sua namorada terminar com você que já cai matando. - Jimin fala.
- Não tenho culpa se ela não me quis mais. - Hoseok fala e sorri. - Mas tudo bem, assim tenho mais diversidade.
- Vamos logo. - Yoongi fala e se levanta, assim como Jungkook e Namjoon.
- Ok. - Jimin diz e sai pela porta.

ELE NEM DISSE NADA! SÉRIO ISSO?

- O Tae... - Falei e todos me olharam. - Ele está bem? Não tive notícias dele desde a viajem.
- Ele está. Vai voltar amanhã. - Jungkook falou e sorriu em seguida, mostrando seu dentes de coelhinho. - Não se preocupe com ele.
- Ok. Onde o Jin está?
- Ele foi procurar pelo Dong. - Namjoon diz.
- Entendi. - Falei.
- EI! ANDEM LOGO! - Escutamos Jimin gritar.

Saímos da casa e tranquei a porta. Todos já estavam posicionados em suas motos, e Jimin segurava um capacete.

O mesmo fez sinal para que eu subisse na moto e assim fiz. Coloquei o capacete e partimos.

No meio do caminho, paramos em um semáforo e o mesmo me olhou.

- Que foi? - Falei.
- Está... Menos feia. - Ele disse.
- Aish... - Bufo.

Ele sorri e volta a olhar para frente.

Eu nunca seguro na cintura de Jimin enquanto estamos na moto, tenho medo que ele se incomode, e por mais que tenha passado por tudo isso, não confio 100% nele.

Assim que o sinal ficou verde, voltamos a nos locomover. Demorou cerca de uns 10 minutos para chegarmos.

Quando chegamos, estacionaram as motos e eu desci, assim como Jimin.

Retirei meu capacete e entreguei a ele. Fiquei olhando um enorme prédio, que se tinham holofotes e a música alta que conseguia escutar mesmo nem tendo entrado no local.

- Vamos. - Jimin fala colocando as mãos nos bolsos da jaqueta.

Eu assenti e todos nós passamos pela enorme fila, não teríamos que esperar. Assim que adentramos no local, vi o ambiente escuro, sendo iluminado apenas por algumas luzes coloridas da pista de dança.

- Não fique bêbada. - Jimin fala em meu ouvido por conta do barulho.
- Não sou você. - Falo sorrindo.

O mesmo sorri e vai em direção ao bar.

- Quer um suco? - Ele fala e se senta em uma das cadeiras que ficava em frente ao balcão.
- Quero uma Vodka. - Falo.

Ele me olha e sorri de canto.

- Uma rodada de Vodka. - Ele fala para o balconista.

Nós bebemos e rimos por umas 2 horas, Jimin começou a falar um pouco de si quando o álcool começou a fazer efeito, assim como eu. Ele contou sobre sua vida toda para mim, então fiz o mesmo.

- VOCÊ O QUE? - Ele disse rindo.
- Eu roubei duas bonecas da minha amiga quando era criança! - Falei e ri.
- Você é má! E se ela gostava das bonecas?
- Ela tinha umas trinta! Duas não iam fazer falta!
- Não esperava isso de você.
Nós rimos, até que eu escutei a música "Don't let me down" começar a tocar.

- Vamos dançar essa! - Falo.
- Sem chance. - Ele ri.
- Fico te devendo algo! Por favor, oppa!

Ele me olha e sorri de canto.

- Vamos. - Ele fala e me puxa para a pista de dança.

Nós dançavamos próximos um ao outro, Jimin dança muito bem por sinal.

Passos lentos, em que Jimin colocou as mãos em minha cintura.

Assim que a música chegou no refrão, Jimin avançou em minha direção, me beijando ferozmente.

Levei minhas mãos para sua nuca, sentindo o mesmo apertar levemente minha cintura.

Tombei um pouco a cabeça para aprofundar o beijo, sentindo a língua do mesmo pedir passagem.

O beijo era de luxúria, mas sentia um fundo de paixão em seus movimentos. O leve gosto de álcool também estava presente no beijo.

Nos separamos pela falta de ar, ainda escutando a música. Encostamos as testas e o olhei, ele mantinha seu olhar fixo no meu.

- Sook... Eu preciso de você. Agora. - Ele disse e me puxou mais para si.

O mesmo selou nossos lábios, mas foi descendo os beijos aos poucos, para mandíbula, até que chegaram em meu pescoço.
Ele mordiscou e chupou o local algumas vezes, o que me fez arfar.

Ele deve estar muito bêbado.

Ele sorriu ladino e me puxou entre a multidão. Nós saímos da casa noturna e fomos até o local em que a moto estava estacionada.

Ele me entregou um capacete enquanto colocava outro.

- Você não está bêbado? - Falo.
- É preciso bem mais que algumas rodadas de Vodka para me deixar bêbado. - Sorriu de canto e colocou o capacete.

Eu fiz o mesmo e subi na moto.

Jimin saiu com pressa do local, desviando dos carros e até ultrapassando alguns semáforos vermelhos.

Eu percebi que o caminho não era o mesmo de casa e o olhei.

- Onde vamos? - Falo.
- Para o meu apartamento. - Ele fala atento ao trânsito.

Eu sei o que vai acontecer, e não estou segura disso.

Assim que chegamos no estacionamento do apartamento de Jimin, ele estacionou e nós descemos da moto.

Fomos até o elevador luxuoso como sempre e ele apertou um botão para que a porta se fechasse. Assim que a porta se fechou, ele me olhou. Estávamos cada um apoiado em uma parede.

Observei o mesmo apertar um botão que parava o elevador e o olhei.

- Sook, eu não vou fazer nada que não queira. - Pausou e andou até bem perto de mim. - Mas me diga, você quer?

Eu paralisei, não sabia o que responder. Não achei que Jimin seria calmo nessa situação.

O mesmo se aproximou de mim e selou nossos lábios, voltando com um beijo excitante.

Senti as mãos do mais velho descerem de minha cintura, para minhas coxas e apertar o local. Eu pendi a cabeça e o mesmo sorriu vitorioso.

- Então... Vai querer ou não? Se disser não eu paro. - Ele disse enquanto passava a ponta de seus dedos gélidos por minhas coxas, me fazendo arrepiar.

 

 

 

Espero não me arrepender.

 

 

 


- Eu quero Jimin... - Falei baixo.
- Hm? - Disse provocante.
- Eu quero! Eu quero oppa! - Falo.

O mesmo sorri e volta a me beijar, me pressionando contra a parede. Ele me levantou e segurou em minhas coxas, ficando entre elas.

Senti sua ereção roçar em minha intimidade e ambos arfamos com o contato e o mesmo voltou a maltratar meu pescoço, chupando e mordiscando o local.

O mesmo apertou minha bunda e eu arfei.

- Melhor irmos para um local mais confortável. - Disse e me colocou no chão.

Eu estava ofegante, e vi o mesmo apertar novamente o botão para que o elevador voltasse a funcionar.

Assim que apertou, o elevador parou no quinto andar, então o mesmo foi para a parede e me puxou para si colando nossos corpos, mesmo eu estando de costas para ele.

A porta se abriu e várias pessoas entraram nos olhando torto.

Quando as portas fecharam, Jimin começou a ditar alguns movimentos, me fazendo rebolar em seu membro sem que os outros percebessem.

Isso está me deixando louca.

Subimos para o último andar, ainda com os movimentos. Quando chegamos ele me segurou, indicando que eu parasse de rebolar.

Nós saímos do elevador e o mesmo me puxou para a porta de seu apartamento, me prensando na mesma, me beijando novamente. Sua língua explorou cada milímetro da minha enquanto o mesmo me pegava no colo novamente.

Assim que abriu -com dificuldade- a porta, me levou para dentro ainda me beijando. Rebolava em seu colo, fazendo o mesmo arfar e sorrir.

- Aprende rápido. - Disse e fechou a porta. - Vai aprender muitas coisas ainda.

O mesmo subiu as escadas ainda comigo em seu colo, enquanto eu dava chupões e mordiscadas em seu pescoço.

Assim que chegamos na frente de seu quarto, o mesmo chutou a porta e entrou com pressa.

Ele me colocou na cama com cuidado e deitou sobre mim. Senti suas mãos passarem de meus pés para minha coxa.

- Tire seu vestido querida. - Disse e saiu de cima de mim.

Eu o olhei e me levantei da cama.

Jimin me olhava atentamente, eu estava envergonhada. E se ele não gostasse?

- Sook... - Disse e se aproximou de mim. - Está com medo?

Eu assenti e o mesmo sorriu carinhosamente, de maneira que nunca havia visto.

- É sua primeira vez? - Falou.
- Sim... - Disse.
- Eu não sou do tipo carinhoso... Mas prometo que hoje eu serei. Não se preocupe, só vou lhe proporcionar prazer. - Disse e selou nossos lábios rapidamente. - Mas só hoje.

Eu assenti.

O mesmo levou suas mãos até a barra de meu vestido, e o retirou lentamente, olhando para meu corpo.

Assim que o retirou e eu fiquei apenas de lingerie, ficou paralisado me olhando.
Seus olhos percorreram meu corpo todo, mas fixaram-se em meus seios.

- São tão lindos. Você é tão linda. - Falou.

Ele avançou em minha direção e nos deitamos na cama novamente, o mesmo me beijava enquanto habilidosamente abria o fecho de meu sutiã.

Ele tirou a peça e por instindo eu ia cubrir meus peitos, mas Jimin segurou meus braços.

- Não quero que se cubra. - Disse autoritário. - Não abuse.
- Ok. - Falei constrangida.
- Você está um verdadeiro pimentão. - Ele ri.
- Isso é hora pra gracinhas? - Dei risada
- Pra descontrair.
- Sei...

Rimos e logo ele se aproximou de meus lábios, e ficou os roçando, até que se separou.

Eu me irritei com isso.

- Isso ainda vai se repetir muitas vezes. - Falou.
- Jimin... Você A-AH... - Eu ia falar, mas fui cortada ao sentir o mesmo abocanhar um de meus seios.

- Não sabe como eu tive vontade de tocá-los. - Falou.

Ele mantinha seu olhar em meu rosto, enquanto eu fechava os olhos com força.

Ele chupava meu seio esquerdo enquanto massageava o direito. Assim que cansou, trocou e fez o mesmo procedimento.

O mesmo sugou com força e eu me arqueei.

- O- Oppa...  - Gemi.
- Repita. - Ele disse.

Eu fiquei quieta.

- Você vai fazer isso novamente uma hora ou outra. - Sorriu.

O mesmo se levantou e eu apoiei meus cotovelos na cama, o olhando.

Ele tirou a blusa, em seguida a camiseta, mantendo o olhar fixo em mim.

Seu tanquinho definido estava exposto, eu parei meu olhar naquele local, escutando o mesmo rir soprado.

- Gostou? - Disse enquanto tirava a calça.

Eu desviei o olhar, envergonhada.

O mesmo voltou a se deitar por cima e ficou me olhando, eu não ousava olhar em seus olhos.

Senti as mãos do mesmo descerem para minha intimidade, ainda coberta pelo fino tecido da calcinha.

Ele massageava o local, enquanto eu gemia baixo.

- Olhe nos meus olhos... - Disse.

Eu mantive meus olhos fechados, mas assim que senti a mão de Jimin deslizar por baixo de minha calcinha eu o olhei.

Ele massageou o local lentamente, até que penetrou um dedo.

Eu me arqueei e segurei fortemente em seu outro braço.

- Não se preocupe eu não vou te machucar. - Disse e deu um beijo em minha testa.

Ele começou a mover lentamente o dedo, e depois adicionou mais um.

Aos poucos, as estocadas estavam ficando mais rápidas, e eu já gemia mais alto.

Ele colocou mais força e rapidez, então acabei atingindo meu ápice.

- J - Jimin! - Gemi.

Ele sorriu ladino e retirou seus dedos de mim.

O mesmo se levantou e foi para um canto no quarto, eu fiquei deitada na cama, ofegante e escutei um barulho de alguma embalagem ser aberta.

Assim que Jimin voltou, pude ver ser membro coberto pela camisinha.

- Pode ser que doa um pouco, mas logo passa. - Ele disse.

Eu assenti e o mesmo sorriu levemente.

Senti seu membro ser colocado em minha entrada e senti uma dor grande em minha entrada, Jimin estava me penetrando lentamente.

- Jimin... Ta doendo. - Falo e arranho suas costas, escutando o mesmo gemer baixo.
- Q-quer que eu espere? - Ele fala.
- Sim... - Falo e o olho.
- Puta merda. O- Ok.

Isso deve ser torturante para Jimin.

Ele esperou que eu me acostumasse, arfando uma hora ou outra.

Assim que a dor diminuiu eu rebolei contra seu membro e Jimin me entendeu.

Ele começou a me estocar lentamente, para não me machucar.

O problema é que um tempo se passou e ele continuou no mesmo ritmo.

- Jimin... Por favor... - Falo.
- O que quer Anjo? - Ele disse em meu ouvido e parou de se mover.
- Mais rápido. - Falo baixo.
- O que?
- MAIS RÁPIDO!

Ele sorriu e começou a me penetrar rapidamente.

Nós estávamos suados, e gemendo um tanto alto. Logo ele colocou força nas investidas e meus gemidos aumentaram.

- Vem aqui. - Disse e me puxou, me fazendo sentar no colo do mesmo.

Eu não entendi o que deveria fazer e ele riu ao ver minha reação.

- Mova-se para cima e para baixo. - Disse.
- Entendi. - Disse e assim fiz.

Eu me movia, até que ele colocou as mãos em minha cintura e ditou os movimentos.

- A-Assim. - Falou.

Ele me deitou novamente e voltou a me estocar.

- J-Jimin eu... - Falei.

Cheguei ao meu ápice e logo depois de alguns segundos Jimin também.

Ele gemeu alto o suficiente para os vizinhos escutarem e caiu ao meu lado na cama, ofegante.

Ficamos nos olhando e sorri para o mesmo.

Ele sorriu e me abraçou. Esperamos as nossas respirações voltarem ao normal e ele me olhou.

- Te machuquei? - Ele disse.
- Um pouco só, não se preocupe. - Falei.
- Ok.
- Jimin...
- Hm?
- Você não vai me largar né?

Ele me olhou e nossos olhares se encontraram.

- Não. - Falou.
- Promete? - Falo.
- Uhum. - Ele sorri e eu faço o mesmo.

 


Jimin nunca é fofo, devo aproveitar quando ele é.

 

Acho que agora as coisas vão mudar.


Ficamos conversando por um tempo, até que eu adormeci.

 

 

 

 

 


No meio da madrugada, acordei com uma voz e vi Jimin sentado na sua escrivaninha.

Apenas a luz da luminária estava acesa. Ele estava de cabeça baixa, coçando a nuca.

- Ok Namjoon... - Escutei o mesmo falar. Ele estava no celular. - Ela vai acordar, melhor eu desligar... Tchau.

Ele desligou e eu me sentei na cama, coberta pelo lençol branco.

- Jimin...? - Falei.

Ele me olhou.

- Vai dormir criatura. Quase me mata do coração. - Ele disse. - Seu demônio.
- Você me chamou de anjo um tempo atrás.

Ele sorri e vem na minha direção.

- Ok. Durma anjo. - Ele beija minha testa. - Amanhã começa seu treinamento.

 

 

 

Treinamento?


Notas Finais


Eu não consegui revisar, então desculpem qualquer erro e não desistam de mim💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...