História How bad I am? - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Originais
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 134
Palavras 2.498
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora, postei o último capítulo da fic "A garota perfeita?" ;-;
Boa leitura 💙☀

Capítulo 9 - I despise you


Fanfic / Fanfiction How bad I am? - Capítulo 9 - I despise you

*Sook p.o.v*

Assim que a aula acabou, eu saí e fiquei no portão esperando Erick.

Eu estava esperando, até que vi Tae e os outros passando.

Eu me escondi e esperei que eles passassem.

- E a Sook? - Escutei Tae falar.
- Deixa ela, ela pode ir embora sozinha. - Jimin fala seco.
- Vocês brigaram? - Namjoon falou.
- Ela não deixou eu me pegar com ela. - Jimin responde.
- Ela é diferente das outras. Se acostume. - Tae fala.
- Mas estão praticamente juntos, não? - Yoongi fala.
- Não. Quem ficaria com aquela garota? - Foi a última palavra que escutei de Jimin.

Eles foram embora e eu fiquei os olhando.

Então ele realmente só estava jogando comigo...

- Sook? - Escutei Erick me chamando.

Olhei para o lado e vi o mesmo sorrindo.

- A - Ah... Oi. - Falo.
- Vamos no centro?
- Ok...

Nós caminhamos até o ponto de ônibus e esperamos.

Quando o ônibus chegou, nós entramos e ele me deixou sentar, já que havia apenas um lugar.

Se fosse Jimin, ele teria sentado sem me perguntar nada.

Eu fiquei olhando pela janela.

Já estava escuro.

- Está com fome? - Escuto Erick falar.
- Ah... Um pouco. - Falo.
- Então vamos comer primeiro.
- Ok.

Nós passamos dois pontos, até que chegamos no centro.

Descemos e caminhamos até uma lanchonete.

Nos sentamos em uma mesa  que tinha uma janela de vidro ao lado, dando a vista da avenida movimentada.

Eu percebi que Erick estava com uma certa dificuldade com o cardápio e dei risada.

- Não ria... - Ele fala sorrindo e faz bico.
- Desculpe. - Falo sorrindo.
- Me ajude. - Ele fala e coloca o cardápio na mesa.

Eu explico o que tinha e ele pediu um X - burger e eu um X - salada.

- Achei que ia ser dessas meninas que não gosta de comer no primeiro encontro. - Ele fala e se encosta no banco.
- Sou diferente. E isso não é um encontro. - Falo.
- Pra mim é.
- Só pra você.

Rimos.

Ficamos conversando, falando um do outro até que os lanches chegaram.

Nós comemos e em seguida pedimos a conta.

- Ei! - Chamei. - Eu pago o meu.
- Eu pago os dois. - Ele fala e sorri.
- Não, assim vai acabar sendo um encontro.
- Já disse que é um.

Ele dá o dinheiro e eu bufo.

- Eu te pago depois. - Falo.
- Não precisa. - Ele fala.
- Eu perguntei se precisava? Quero pagar.

Ele sorri e levanta as mãos, como se rendesse.

Nós saímos da lanchonete e fomos para um fliperama.

- Quanto tempo eu não vinha em um desses. - Falo.
- Credo sua sem vida. - Ele ri.

Dou risada e nós fomos comprar as fichas.

- Qual vamos primeiro? - Ele fala.
- O que você quiser. - Falo.
- Eu quero o que você escolher. - Ele sorri.

Eu bufo.

- Aquele. - Aponto para um de armas.
- Ok, vamos nele.

Nós fomos até o brinquedo e colocamos a ficha.

Quando começou, eu percebi que a mira de Erick era péssima.

Dei risada assim como ele.

- Sua mira é boa, me sinto um bosta jogando com você. - Ele fala mas continua atirando.
- Você só tem que se concentrar. - Falo ainda atirando.

Assim que acabamos o jogo, fomos em alguns outros, até que ele parou em uma máquina de bichos de pelúcia.

- Qual você quer? - Ele fala colocando uma ficha.
- Quê? - Falo.
- To perguntando qual você quer que eu pegue. - Ele sorri.
- Ah...

Eu olho todos os bichinhos até que vejo um golfinho.

- Ah! Aquele! - Falo e aponto para o golfinho.
- Ok! - Ele fala.

Eu acho que ele não vai conseguir pegar, ninguém nunca pegou um pra mim.

O gancho abaixou e foi para o golfinho.

- ta brincando. - Falo.

Eu olhei para Erick e vi o mesmo olhando com atenção a máquina.

Seus olhos azuis estavam iluminados por conta da luz da máquina.

Ele se abaixou e pegou o golfinho.

- Aqui está. - Ele fala e me entrega.

Eu pego o golfinho e dou um sorriso.

- Obrigada. - Falo.
- Tudo bem. - Ele sorri.

Ficamos ali nos olhando até que ele se aproximou com uma certa vergonha.

Eu fiquei apenas o olhando.

Eu me aproximei dele e dei um beijo na bochecha.

Eu percebi o mesmo rir abafado e me afastei.

- Vamos, vai ficar tarde. - Ele fala.
- Ok.

Nós saímos andando em silêncio até o ponto de ônibus.

Nos sentamos para esperar, até que eu escutei um barulho de moto.

Eu olhei na direção em que o barulho vinha e vi Jimin em sua moto.

Ele estava parado no semáforo.

Fiquei o olhando, até que ele virou a cabeça em minha direção.

Assim que me viu, seus olhos se arregalaram.

Ele olhou para mim, o golfinho e Erick.

Ele balançou a cabeça negativamente enquanto parecia dar risada.

- Jimin... - Falo baixo, apenas para que eu mesma escutasse.

Ele acelera a moto e sai rapidamente do local.

Isso aconteceu mesmo? Ou foi só minha consciência?

- Aquele não era o Jimin? - Erick fala me olhando.
- Era. - Falo ainda olhando a rua.

Erick suspira e voltamos a ficar em silêncio, até que o ônibus chegou.

Por conta do horário, não tinha ninguém no ônibus.

Nós nos sentamos um ao lado do outro.

Eu fiquei olhando a janela até que Erick apóia sua cabeça em meu ombro.

- Erick...? - Falo.
- Me deixe descansar só um pouco. Quando chegarmos perto da sua casa você me acorda. - Ele fala.

Seu cabelo negro é tão bonito. E... Cheiroso.

Tem cheiro de morango.

Af que vontade de comer.

- Ta querendo comer meu cabelo? - Ele fala ainda de olhos fechados.
- Q - Quê!? Não. - Falo.
- Parece.
- Seu cabelo só é cheiroso. - Murmuro.
- E macio. - Ele sorri.
- Vai se gabar mais? - Falo.
- Também sou Lindão.

Dou risada.

Eu passo a mão em seu cabelo e ele se surpreende com meu ato.

- Mas que merda. - Falo.
- Que foi? - Ele fala.
- Seu cabelo é mais macio que o meu! - Falo.
- Sinta inveja. - Ele ri.

Eu bufo.

Assim que chegamos no meu ponto, eu avisei Erick e nós descemos.

O ônibus foi embora e nós caminhamos até minha casa.

Quando chegamos, paramos na frente da porta e ficamos nos olhando.

- Então... Até amanhã? - Falo.

Ele sorri.

- Sim, até amanhã. - Ele fala.

Eu ia entrar, quando ele me puxou pelo pulso e me abraçou.

- Erick!? - Falo.
- Só um pouco. - Ele fala.

Eu me permiti abraçar o mesmo e depois de um tempo ele me soltou.

Estávamos alguns centímetros um do outro.

- Eu... Posso te beijar? - Ele fala.

Nesse momento eu lembrei de Jimin na moto.

- Eu acho melhor não agora... - Falo.
- Tudo bem, eu entendo.

Eu me Afasto.

- Mas Sook... - Ele me chama e eu o olho. - Se for por causa do Jimin, esquece ele.
- Não é por causa dele. - Minto.
- Tudo bem então.

Ele vai embora e eu entro em casa.

Fico parada um tempo pensando em tudo que aconteceu hoje.

*SOOK OFF*
*JIMIN ON*

Joguei tudo que havia na mesa no chão.

- MAS QUE PORRA. - Grito.
- Jimin, se acalme. - Taehyung fala.
- ME ACALMAR? EU DEIXO ELA LIVRE UM DIA E ELA JÁ SAI COM UM CARA!
- Você está assim por quê ama ela. Você sabe disso.
- ELA ESTÁ ME DEIXANDO LOUCO! EU TENHO ÓDIO DELA.
- Jimin, o ódio é muito parecido com o amor. Você não pode forçá - lo. Você não pode lutar contra ele. Você tem apenas que aceitá - lo quando ele vier.

Eu fico olhando Taehyung e abaixo a cabeça em seguida.

- Quer saber? Foda - se. Eu não tenho nenhum relacionamento com ela mesmo. Ela só tem que ficar com a gente para que ela não conte a ninguém sobre nós. - Falo subindo as escadas.

Eu entro no meu quarto e fecho a porta.

Me deitei na cama e peguei meu celular.

Peguei o contato de uma menina qualquer da escola e mandei mensagem.

"Ei, está afim de ficar comigo amanhã? "

Depois de um tempo ela respondeu.

"Ok. Na frente da escola."

Elas são tão fáceis.

Eu acabei adormecendo.

No outro dia, acordei com Taehyung me chamando.

- Acorda logo seu demônio. - Ele fala.
- Você também é um. - Retruco sonolento.

Me sento na cama e Taehyung pega meu celular.

Ele desbloqueia meu celular e eu arregalei os olhos.

- Mas que porra...? COMO VOCÊ SABE MINHA SENHA!? - Falo me levantando.

- Fica quieto ou eu paro o tempo novamente. - Ele fala e me olha.
- Para o tempo porra nenhuma. - Falo tentando pegar meu celular.
- JIMIN! CALE A BOCA OU EU PARO O TEMPO E TE DOU UM CHUTE NO MEIO DAS BOLAS! - Ele fala.
- ESSE MÊS TA FODA! PRIMEIRO VOCÊ ME CHUTA, DEPOIS A SOOK! - Falo irritado.
- Ta merecendo mesmo.

Ele começa a ler minhas conversas até que viu minha mensagem para a garota.

Ele me olha.

- Você vai mesmo fazer isso? - Ele fala.
- Vou. - Falo.
- Você sempre fez isso com todas as garotas e eu não me importei. Mas não faça isso com a Sook. - Taehyung fala.
- Por quê? - Falo e pego meu celular de volta.
- Jimin, se for fazer isso com ela, não iluda ela novamente. A Sook não merece isso.
- Por quê defende tanto ela? - Ela é diferente.
- Sim, ela saiu com um garoto.
- JIMIN, VOCÊ TINHA ACABADO DE FALAR QUE NÃO TINHA NADA COM ELA PARA O YOONGI, MAS QUANDO VIU ELA COM O ERICK FICOU PUTO!
- EU SÓ NÃO QUERO ME APAIXONAR! QUERO CONTINUAR SENDO COMO SEMPRE FUI! PEGANDO QUALQUER UMA POR AÍ, ME DIVERTINDO!
- Você já se apaixonou. E ela também. Se magoar ela, eu te mato.
- As outras você não se importou.
- POR QUE AS OUTRAS NÃO ERA PAIXÃO DE VERDADE! ERA APENAS LUXÚRIA!

Ficamos em silêncio.

- Eu vou buscar a Sook hoje. E se quer saber Jimin, achei que você poderia ter mudado, ou no mínimo teria respeito com ela. Não ouse dirigir uma palavra a ela.

Ele sai do quarto e bate a porta, me deixando sozinho no quarto.

Foda - se.

Eu vou para o banheiro e tomo um ducha. Me troquei com pressa e saí de casa.

Peguei minha moto e vi um bilhete nela.

"Não precisa ir na escola."

Era de Taehyung.

Quem disse que eu pedi a permissão dele?

Arranquei o bilhete e liguei a moto.

Fui para a escola e estacionei a moto.

A garota com quem eu tinha combinado de ficar estava encostada na parede da escola.

O problema é que Sook estava sorrindo, conversando com Taehyung.

Mas que merda.

A garota veio em minha direção sorrindo.

- Esqueça. Estou mal hoje. - Falo ríspido.
- Ah Jiminie... Fiquei esperando por você... Sabe que todos da escola tem medo de você e seus amigos. Mas eu não... - Ela fala e agarra meu braço.
- Pois devia ter medo. - Falo e olho em seus olhos com raiva.

Ela me solta e eu caminho até o portão.

Sook me viu e abriu a boca, então eu parei ao seu lado.

- Que foi? - Falo seco.

Ela abaixa a cabeça.

- Esquece. Você não precisa de justificativas. - Ela responde no mesmo tom.

Eu arregalo os olhos.

- Que foi? Está bravinha comigo? Quem tem que estar assim sou eu. - falo irritado a olhando.

Ela não me olhava.

- Você tinha que estar é se sentindo um lixo. - Ela fala.

Eu arregalo os olhos.

Eu pego na gola de sua camiseta e a puxo.

- O que disse? - Falo.
- Que você devia se sentir um lixo. Eu achei que você gostasse de mim. Mas ontem, você mesmo se entregou pedindo pra "brincar" comigo. EU TENHO NOJO DE VOCÊ! - Ela fala e por fim me encara.
- Você entende errado e ainda se acha no direito de me chamar de lixo? - Falo sorrindo.

Ela me olha confusa.

- Você é burra ou o quê? - Falo.
- Jimin, chega... - Taehyung falou.
- CALADO! - Gritei.

Todos lá olhavam para nós.

- Eu tinha pedido pra brincar com você. Mas eu NUNCA FALEI que gostava de você!  Mas você saiu com um cara que mal conhece. Quem aqui tinha que se sentir o lixo mesmo? - Falo.

Ela apenas me olhava surpresa.

Eu a soltei e respirei fundo.

Olhei em volta e vi os olharem em minha direção.

Eu ajeitei minha roupa e caminhei para dentro da escola.

POR QUÊ ELA ME DEIXA TÃO IRRITADO?

POR QUÊ EU ESTOU TENDO SENTIMENTOS POR UMA GAROTA!? PASSEI SÉCULOS APENAS ME DIVERTINDO, PRA UMA GAROTA QUALQUER CHEGAR E EM DOIS MESES ME DEIXAR ASSIM? NEM FODENDO!

Eu soco a parede com força, até que uma rachadura enorme se forma.

Senti uma mão em meu ombro e vi Hoseok.

- Hoseok? O que ta fazendo aqui? - Falo.
- Tava passando e vi tudo aquilo acontecendo. - Ele responde.
- Ah. - Falo.
- Preciso falar com você, pode matar aula hoje?
- Não precisa nem pedir. Vamos embora desse inferno.
- Mas seria nosso habitat natural se estivéssemos no inferno.
- "habitat natural". Somos o que agora? Animais?
- Não, demônios.
- Vamos logo, Hoseok.

Nós caminhamos até a moto e eu vejo Hoseok subindo em uma moto vermelha.

- É nova? - Falo.
- Sim. - Ele fala colocando o capacete.
- Bonita. - Falo e coloco o capacente.
- Bonita é a Sook. Como vão as coisas com ela? - Ele sorri.

Eu reviro os olhos.

- Não me fale daquela garota. - Falo e abaixo a proteção do capacete.

Ele fica confuso e liga a moto.

Nós saímos e eu segui o mesmo até a casa dele.

Nós paramos n frente da casa e descemos da moto.

Caminhamos até a porta e a sua namorada de cabelos ruivos abriu a porta.

- Amor! - Falou e beijou Hoseok.

Eles ficaram se beijando e eu ficava olhando para os lados.

Eles se separaram e ela sorriu.

Assim que me viu ficou vermelha de vergonha.

- Esse é Jimin, meu amigo que te falei. - Hoseok fala.
- Olá. - Fala e faz reverência.
- Prazer. - Falo.
- Vamos entrar, você tem que me explicar o que aconteceu. - Ele fala.

   


Notas Finais


Obrigada por lerem ❤🌙
Até amanhã!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...