História How Can I Get My First Kiss? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Comedia, Drama, Girls' Generation, Taengsic, Taeny, Yulsic
Exibições 195
Palavras 5.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eita esse ficou maior que o esperado mas espero que gostem.
Perdoem os erros.

Capítulo 2 - Dia Especial?


Fanfic / Fanfiction How Can I Get My First Kiss? - Capítulo 2 - Dia Especial?

Era mais do que Jessica podia processar naquele momento. Agora tentava assimilar as coisas repassando os momentos em sua mente. Primeiro, sua mãe lhe presenteava com um carro mas junto com ele vinha uma garota? Aquela morena, que já considerava estranha pois mantinha a mesma expressão de “nada” no rosto desde que se viram, até mesmo tinha tirado uma foto dela. Afinal, por que ela fez aquilo? Todas as dúvidas lhe rondavam enquanto revezava o olhar entre a mãe, que sorria, e a garota, que continuava do mesmo jeito, seus olhos a encaravam de volta, piscavam lentamente.

- E então... – senhora Jung tentou sair daquela situação, no mínimo, constrangedora. Situação que ela mesma criou, mas que levava na normalidade. – Eu e seu pai vamos entrar e nos prepararmos para o jantar enquanto vocês se conhecem melhor. – disse puxando o marido pela mão e se dirigindo à entrada da casa.

- Wait, mom! – Jessica a chamou, fazendo com que os dois parassem no lugar e se virassem para ela. – Como assim uma motorista particular? Eu já tenho idade suficiente para dirigir!

- Depois conversamos sobre isso Jessica. – a mulher fez como quem iria dar as costas outra vez, mas novamente foi interrompida.

- Não! Eu não quero que essa garota dirija para mim. Do que adianta vocês me darem um carro se eu não vou poder usá-lo? – ela estava chateada, os olhos já marejavam.

Não que Jessica seja uma garotinha mimada (talvez só um pouco), mas aquela pequena cena parecia ser necessária. Olha só, Jessica passou a vida tendo que se reprimir e sendo oprimida então qualquer oportunidade que surgia em que ela pudesse se ver livre ela iria aproveitar de qualquer maneira. Ter um carro significava muita coisa para a garota, mas não via como seria possível tendo que ser levada, e vigiada, por uma pessoa que ela nem sequer conhecia.

Senhora Jung suspirou antes de responder:

- Eu disse que depois conversamos sobre isso, Jessica. – a mulher dessa vez fora mais dura, esperando que dessa vez Jessica não a desafiasse. E não houve outra objeção por parte da garota, que só fechou os punhos e se controlava para não derramar lágrimas.

- Ótimo.

Jessica ficou observando os pais se distanciarem até entrarem na residência. Virou devagar, olhou para as amigas, que as olhavam de volta com uma expressão de “o que que taacontecendo?”. Olhou para Yuri que continuava a encarando da mesma forma, parecia não ter se movido um centímetro. Ver que a garota permanecia na mesma forma foi o limite para a sua irritação. De alguma forma estava culpando Yuri, mesmo sabendo que a garota não tinha nada a ver com a situação que sua mãe tinha criado. Ah, ela só precisava descontar em alguma coisa, no caso, alguém. Mudou sua feição completamente e saiu marchando em direção à casa, sem olhar para trás.

Tiffany, Yoona e Sooyoung estavam sem graça diante toda aquela confusão. A mais baixa decidiu cumprimentar a garota, que continuava olhando na direção que Jessica havia se retirado.

- Olá Yuri-ssi, eu sou a Tiffany. Essas são Yoona e Sooyoung, somos amigas da Jessica. – curvou-se levemente e apontava ao dizer os nomes das garotas, que seguiram seu gesto.

Era como se elas não tivessem feito nada, pois Yuri nem mesmo tinha direcionado a atenção a elas. As garotas se entreolharam confusas, será que Yuri não as ouviu? Se questionavam quando a morena finalmente as olhou.

- Olá. – respondeu e voltou sua atenção de volta para o caminho que levava à entrada da residência dos Jung.

- Ahn... Acho melhor nos entrarmos, vamos? – Tiffany ainda tentava criar um diálogo com a garota.

- Vamos... – sussurrou, mas não se moveu.

Yoona, que já tinha perdido a paciência, usou as duas mãos para segurar as das meninas e praticamente as arrastaram para dentro da casa.

Pobre Yuri, foi deixada sozinha. Mas isso não incomodava, ela estava processando os acontecimentos. Claramente Jessica não gostou da surpresa, diferente do que ela pensava, já que quando foi contratada pela senhora Jung achou que seria uma coisa boa para Jessica, pelo jeito animado que a mulher havia lhe apresentado a proposta. Ela se sentia estranha, conseguia sentir a aura negativa de Jessica em relação a ela e não gostou disso.Yuri acreditava em forças do universo, influências negativas e positivas, karma... Então realmente ela estava levando aquilo a sério.

Passaram-se quase 15 minutos desde que todos se retiraram e Yuri ficou refletindo enquanto olhava em sua câmera semi profissional a foto que tirou de Jessica, quando finalmente a garota decidiu entrar na residência dos Jung. Afinal ela tinha que perguntar à senhora Jung o que tinha que fazer agora, já que tinha que responder às suas ordens. Tocou a campainha e aguardou brincando com os dedos.

Enquanto isso Jessica estava sendo consolada pelas amigas em seu quarto.

- Eu não acredito que a minha mãe está fazendo isso comigo! – estavam sentadas em sua cama, ainda não tinha chorado mas estava cada vez mais difícil segurar as lágrimas. – Eu pensei que finalmente ela me daria uma brecha mas ela só fez isso para conseguir mais uma maneira de me controlar. – disse com a cabeça baixa, até olhar para Tiffany. – Por um momento eu até pensei que um dos seus planos daria certo dessa vez... – sorriu em contradição com as lágrimas que finalmente foram derramadas.

Tiffany a abraçou, sendo seguida por Sooyoung e Yoona. Aquele abraço grupal amenizou, de certa forma, um pouco da tristeza de Jessica, que as afastou calmamente. Secou o rosto com as mãos e se levantou.

- Mas tudo bem. Eu que fui idiota por pensar que dessa vez a senhora Jung faria algo diferente. – suspirou. – É melhor eu retocar a maquiagem. – e sentou-se em frente a penteadeira.

As garotas a observavam através do reflexo do espelho, elas se sentiam mal pela amiga. Yoona, que tinha o espírito livre como componente de sua personalidade nem imaginava o que faria se estivesse no lugar de Jessica. Tiffany e Sooyoung tentavam dar conselhos para a garota às vezes mas não dava em nada, Jessica tinha um jeito negativo de pensar. Mas elas sempre insistiam em tentar ajudar.

- Não que eu ache que você deva se rebelar contra sua mãe Jess, mas toda essa conformidade parece cooperar para que ela ache que pode fazer tudo o que quiser com você. – Tiffany disse.

- É aí que está o ponto Tiff, ela pode fazer tudo o que quiser comigo.

- Mas você deveria tentar convencê-la, você não é mais uma criança! Qual é, hoje é seu aniversário de 17 anos e ela te presenteia com uma vigilante? Isso não está certo Jess! – dessa vez foi Sooyoung quem falou.

- Gente até parece que vocês não conhecem a minha mãe. Não adianta eu falar com ela, não adianta meu pai falar com ela, até mesmo a senhora Lee tentou mas não dá. Simplesmente isso, não dá! Tudo o que me resta é aceitar que eu tenho uma mãe que não me deixa ter nem a metade da porcentagem de liberdade recomendada à adolescentes normais.

Essa conformidade que Tiffany mencionou realmente piorava a situação, a passividade de Jessica era uma característica que impedia a garota de se impor diante a mãe. Mas provavelmente essa característica tenha sido construída através do tempo.

Tiffany e Sooyoung decidiram não dizer mais nada, esperaram Jessica terminar de se arrumar e juntas desceram até a sala de estar. Ao chegarem lá viram Yuri sentada em uma das poltronas olhando para a televisão desligada. A morena olhou por um momento para as garotas e voltou sua atenção para a TV. As garotas estavam achando Yuri cada vez mais estranha, principalmente Jessica, que achava completamente irritante toda aquela lerdeza que emanava da garota.

- Estão prontas? – a senhora Jung descia as escadas junto com o marido, os dois completamente elegantes.

- Sim. – responderam as quatro juntas.

- Ótimo. – chegaram ao final dos degraus. – Então querida, nós iremos ao seu restaurante favorito! Vocês podem ir com a Yuri, seu pai e eu iremos no meu carro. – disse se direcionando à Jessica, que não tinha uma boa feição no momento.

Assim que ouviu o que mãe disse Jessica apenas andou até a porta de entrada e se retirou. Aquilo pareceu não agradar a senhora Jung, que sutilmente desfez o sorriso que carregava.

- Vamos meninas? – chamou-as já caminhando na mesma direção que Jessica.

Yuri, que tinha se levantado assim que a senhora Jung aparecera, agora se retirava, junto com as garotas.

Lá fora Jessica esperava ao lado do carro que supostamente tinha ganhado com os braços cruzados.

- Yuri, eu irei te mandar a localização do restaurante que iremos por e-mail. – disse a senhora Jung já tirando o celular semelhante ao de Jessica da bolsa.

Yuri, por outro lado, a olhava tentando entender o que aquilo queria dizer.

- Pronto, já te mandei. – a senhora Jung esperava uma reação da morena de imediato, mas não a recebeu. – Pode checar o seu e-mail querida.

- Como eu faço isso? Só tenho um computador em casa, nada de portáteis. – Yuri não estava entendendo.

- É só olhar a caixa de entrada no seu celular... – sério que Yuri não sabia checar os e-mails pelo celular?

- O meu celular não tem isso! – Yuri estava tão confusa que até franziu as sobrancelhas e inclinou a cabeça um pouco para o lado. As garotas e o sr. Jung observavam toda a cena se segurando para não rirem.

- Deixe-me ver seu celular! – a mulher praticamente ordenou, estendendo a mão.

Yuri vasculhou a pequena bolsa que estava na lateral do seu corpo até encontrar o pequeno aparelho e o entregou à mais velha. Senhora Jung olhou para o celular e de volta para Yuri, ficando nessa por alguns instantes. O aparelho era completamente inadequado, na perspectiva da mulher. Era um modelo tão antigo que não se lembrava da última vez que viu um daqueles.

- Nossa Yuri, esse celular não é adequado para o serviço que você prestará a mim.

Yuri desfez a expressão confusa que fizera, dando lugar à sua antiga de “nada”, como Jessica a classificou. Senhora Jung, vendo que a garota não falaria nada, suspirou.

- Okay, eu vou te dar um celular depois, talvez amanhã, não sei. – entregou de volta o celular a Yuri e passou a mão pelos cabelos. – Depois a gente resolve isso, só siga o meu carro, está bem?

Yuri arregalou um pouco os olhos, afirmando com a cabeça em seguida.

- Ótimo, então vamos.

Os dois mais velhos se dirigiram ao carro da mulher, a mesma assumindo a direção do automóvel. Jessica, vendo que as amigas já se dirigiam aos lugares traseiros do carro, tomou a frente de Sooyoung. De jeito nenhum que ela iria na frente com aquela garota. Sooyoung balançou a cabeça e se sentou no banco dianteiro, sendo seguida por Yuri.

Assim que o carro da senhora Jung partiu, Yuri passou a segui-lo.

- Liga o som aí Soo. – disseYoona.

- Pode deixar. – Sooyoung tirou o celular do bolso e o conectou com o som do automóvel, colocando uma música da Lady Gaga para tocar.

- Começou a littlemonster. – provocou Tiffany.

- Melhor que Katy Perry não é, meu amor. – Yoona respondeu por Sooyoung. As duas eram fãs da cantora e as três costumavam discutir por causa das americanas.

- Isso não é justo! Jess, por favor fique do meu lado e me ajude a defender a Katy.

- Desculpa Tiff, mas eu prefiro a L... – Tiffany a olhou com uma expressão nada agradável, fazendo-a mudar o que iria dizer. – cofcof... Eu prefiro a Beyoncé, gente!

- Hey, não vale! A discussão aqui é entrelittlemonsters e katycats, você tem que escolher uma das duas! – Tiffany continuou.

- Aish! Eu prefiro a Ka... – olhou para Yoona que a olhava de maneira estranha. – Okay, eu prefiro a Lad... – Tiffany puxou sua mão chamando sua atenção, voltou a olha-la daquela forma. – E você Kwon? – chamou pela garota no banco do motorista que a olhou pelo retrovisor. – Prefere a Lady Gaga ou a Katy Perry?

- Eu também prefiro a Beyoncé. – voltou sua atenção para o trânsito.

- Então acho que devemos ouvir uma música da Katy e depois uma da Beyoncé. – aparentemente a estratégia de Jessica para não criar confusão entre as amigas deu certo, pois naquele momento a música que Sooyoung colocou primeiramente chegava ao final e a garota colocou uma do último álbum da Katy Perry para tocar.

As quatro cantavam animadamente a música Roar da cantora, todas estavam curtindo, aquela história de littlemonstervskatycat era só mais uma desculpa para as garotas zoarem a Tiffany. Porém não podiam negar que a mais animada ali era a garota que se considerava a maior fã da Katy da Coréia do Sul. Ao final da música quando a cantora começa a “rugir” todas se calaram e prestaram atenção em Tiffany que estava com os olhos fechados e cantava com toda a sua força. As garotas  taparam os ouvidos e até mesmo a Kwon vacilou um pouco a sua expressão de “nada” para demonstrar um leve incômodo. Quando a música acabou Tiffany abriu os olhos e encarou suas amigas. Sooyoung apontava a câmera do celular para ela enquanto Yoona e Jessica seguravam a risada.

- YahChoiSooyoung! Apaga isso agora! – a garota tentou tirar o celular da mão de Sooyoung mas a mais alta foi mais rápida o escondendo.

- Ainda bem que a música acabou, pensei que a polícia iria parar o carro pensando que a gente estava assassinando alguém. – Yoona falou e finalmente as garotas caíram na gargalhada.

- Se vocês continuarem me zoando aí sim a polícia vai ter que parar o carro por causa de assassinatos! – Tiffany respondeu. Seus braços estavam cruzados e um bico se formou em seus lábios. Uma das coisas que a garota mais gostava de fazer era cantar e mesmo sabendo que é brincadeira não gostava de quando suas amigas ficavam zoando.

- Oh Tiff, não fica assim! – Jessica abraçou a garota do jeito que estavam mesmo, um abraço meio de lado.

- Eu não fui tão ruim, não é Jessie? – Tiffany se virou para a garota, seus rostos ficaram bem próximos mas isso não incomodou, já estavam acostumadas com tamanha proximidade. Os olhos da garota até mesmo marejavam.

- Não foi Tiff, você foi melhor até que a própria Katy! – ficaram se encarando por um tempo.

- Ih, a coisa estranha de novo... – Yoona disse se direcionando a Sooyoung.

Tiffany deu um pequeno tapa no ombro de Jessica e as duas começaram a rir, após isso a morena encaixou a cabeça no ombro da amiga e assim permaneceram. Jessica percebeu que Yuri as encara pelo retrovisor e quando seus olhos se encontraram indiretamente a Kwon voltou a olhar para frente. “Essa garota é muito estranha”, pensou Jessica.

- Chegamos! – Sooyoung exclamou animada.

Yuri viu o casal Jung descer do carro e a mulher entregando a chave do veículo para um cara de terno. Outro cara de terno apareceu perto do carro que elas estavam e as garotas desceram do carro, menos Yuri. As meninas se encaminharam para a entrada do restaurante onde O sr. e sra. Jung as esperavam.

- Cadê a Kwon? – senhora Jung questionou. As meninas se entreolharam confusas e depois olharam através de umas vidraças em direção ao carro branco. Yuri ainda estava lá dentro, ela e o manobrista estavam se encarando. Suspiraram.

- Deixem que eu vou lá ver o que está acontecendo. – disse sr. Jung e se dirigiu para fora.

- Ahn... Senhorita, você pode me dar as chaves agora! – sr. Jung ouviu o manobrista se pronunciar enquanto se aproximava.

- Por que? – Yuri questionou.

- Porque esse é o trabalho do rapaz, Yuri-ssi. – dessa vez foi sr. Jung quem disse. – Ele vai estacionar o carro lá dentro. – apontou para o estacionamento do restaurante.

- Mas eu consigo fazer isso! – um pequeno bico se formou nos lábios da garota.

- Eu sei que consegue, mas não é necessário. Agora vamos, dê a chave para o rapaz.

Yuri finalmente cedeu e saiu do carro, entregando as chaves para o homem.

- Obrigada, aproveitem o jantar! – o manobrista falou entrando no carro e dando partida logo em seguida.

- Vem, as garotas estão nos esperando. – sr. Jung disse e passou a andar mas parou ao notar que não era seguido por Yuri. – O que foi?

- Eu não posso jantar nesse restaurante. – disse o encarando mas vocês já sabem com qual feição o fazia... Isso mesmo, de “nada”.

- Por que não? –se aproximou da garota.

- Eu não tenho dinheiro para pagar qualquer refeição desse lugar. – disse mas não vacilou em momento algum durante sua fala. Geralmente as pessoas se envergonhavam quando suas condições financeiras não eram boas, mas a Kwon não.

- Ah, não se preocupe com isso! Venha, hoje você é uma convidada. – falou e voltou a caminhar, dessa vez sendo seguido pela mais baixa.

Quando entraram se depararam com uma sra. Jung impaciente, tinha os braços cruzados e batia um dos pés no chão.

- Finally! – puxou o marido pelo braço e caminhou até onde um garçom já os aguardavam, não precisavam passar pela recepção e conferirem os nomes afinal: quem não conhecia a família Jung naquela região?

- Boa noite! –o garçom se curvou diante eles. – Feliz aniversário, Jessica-ssi. – dessa vez se direcionou a Jessica, que apenas acenou para o rapaz. – Venham, reservamos a melhor mesa para vocês! – começou a se afastar e todos o seguiram.

A mesa designada aos Jung e companhia ficava no segundo andar do estabelecimento. Era uma área muito reservada mesmo, aquele lugar era frequentado por pessoas famosas e importantes como kidols e políticos. Yuri observava tudo com os olhos meio arregalados, nunca viu algo nem sequer parecido antes.

Na hora de se organizarem em seus lugares Yuri acabou se sentando no lugar de Jessica. “Lugar” esse que ficava na primeira cadeira da ponta do lado esquerdo, já que a do meio ficava com a sra. Jung e a do lado direito com o sr. Jung. Sentavam-se assim à mesa desde que Jessica se lembra de existir.

- Yuri querida, este é o lugar da Jessica. – sra. Jung disse já se sentando em seu lugar. A morena já estava se levantando quando foi interrompida por Jessica.

- Pode ficar Kwon. – colocou as mãos sobre os ombros da garota. – Você já ficou com o meu lugar no carro mesmo, não tem problema ficar com o da mesa. – disse enquanto olhava para a sra. Jung. Jessica deu a volta e se sentou ao lado de seu pai, tendo os olhos da sra. Jung a seguindo.

Jessica nunca desafiava a mãe. Sempre engolindo tudo o que a mulher empurrava para ela, mas nesse momento estava tão chateada que o fez. Não sabe de onde tinha tirado coragem para isso, só sabia que provavelmente iria ouvir bastante quando chegassem em casa.

Assim que todos se sentaram começaram a olhar os cardápios. Yuri olhava diretamente para os preços, estava levemente chocada. Um prato daqueles levaria facilmente o seu salário, e olha que agora ela tinha dois empregos. O garçom voltou assim que a sra. Jung apertou um botão que ficava na mesa, era um dispositivo que indicava para os funcionários que a mesa precisa de atenção.

- Então, o que vão pedir? –ele já estava com o ipad e a pequena caneta de metal preparados para anotar e enviar direto para o painel de pedidos que ficava na cozinha.

Todos falaram o que queriam comer um por um até faltar apenas a Kwon. Pratos caros e desconhecidos, afinal era um restaurante internacional, ela não fazia ideia do que pedir. O garçom a encarava aguardando seu pedido. Na verdade todos a mesa a olhavam e Yuri apenas olhava para o garçom.

- E então senhorita? – o homem questionou mais uma vez. Yuri voltou a olhar para o cardápio, porém não conseguiria pronunciar os nomes dos pratos, já começava a pensar em recusar o jantar e se retirar da mesa.

Jessica vendo a situação desconfortável que a garota se encontrava decidiu interver.

- Ela vai querer o mesmo que eu, obrigada. –revirou os olhos.

O garçom se retirou e o ambiente ficou completamente quieto. O clima não estava nada agradável, até Tiffany quebrar o silêncio.

- E então Yuri-ssi... – acabou chamando a atenção de todos. – Quantos anos você tem?

- Tenho 19. – a garota a olhava de novo. A expressão? “Nada” de novo.

- E o que você faz? Além de trabalhar para a sra. Jung, é claro. – dessa vez foi Sooyoung que questionou, usando um leve tom debochado ao final da frase.

- De manhã eu trabalho em uma floricultura. Eu costumava trabalhar em uma lanchonete à tarde mas infelizmente o dono teve que fechar. À noite eu estudo.

- Você tá na faculdade? – Tiffany perguntou outra vez.

- Sim.

- O que você faz? – Sooyoung voltou a falar.

- Artes plásticas.

- Oh! – as duas exclamaram ao mesmo tempo. Não conheciam ninguém que cursavam ou pretendiam cursar artes.

Yuri revezava o olhar entre as duas garotas, estava esperando mais perguntas. Como nada veio iria voltar a olhar para o cardápio, aquelas palavras francesas realmente tinham chamado sua atenção. Porém, antes de fazer o que pretendia, notou que Jessica a encarava com o cenho franzido. Retribuiu o olhar e as duas ficaram presas nessa troca de olhares. Acontece que Jessica estava pensando tão profundamente em como Yuri era tão diferente de qualquer pessoa que tenha conhecido antes (não que tenha sido muitas), enquanto Yuri continuava a sentir uma aura estranha vinda da castanha.

Os pratos chegaram e foram servidos por dois garçons. Yuri pensou que aquele prato custava uma fortuna e não era nem 1/3 da quantidade de comida que ela costumava comer por refeição. “Gente rica é estranha.”, pensou. Cheirou o conteúdo do recipiente e achou o aroma agradável, pegou um dos talheres sobre a mesa e pegou um pouco da comida, levando-o a boca. Seus olhos se arregalavam conforme mastigava, aquilo estava delicioso. Direcionou novamente o talher até sua boca, dessa vez mais rápido e com mais comida. Realmente, aquela era a coisa mais gostosa que havia comido em sua vida.

O sr. Jung foi o primeiro a notar a súbita mudança de Yuri. Antes a garota estava saboreando sua refeição mas parou bruscamente.

- Yuri-ssi você está bem? – após isso todas direcionaram a atenção para a garota.

A Kwon começava a ficar vermelha, seus olhos lacrimejavam e ela parecia estar com dificuldades para respirar.

- Jessica-ssi... – chamou pela garota com dificuldade. – Tem camarão nesse prato?

- Sim... – nessa altura todos já perceberam o que estava acontecendo.

- Eu sou... extremamente... alérgica... a camarão. – Yuri estava hiperventilando, agora pequenas bolhas vermelhas começavam a aparecer pelo seu corpo.

- Precisamos leva-la a um hospital. – sr. Jung se levantou e auxiliou a garota a caminhar em direção a saída do restaurante.

As meninas acompanharam o sr. Jung, enquanto Jessica e sua mãe pagavam a conta.

- Parabéns, Jessica-ssi. – sra. Jung disse ironicamente enquanto executava todo o procedimento de pagamento.

Jessica não falou nada, apenas abaixou a cabeça. É claro que ela não tinha culpa do que tinha acontecido, como ela iria saber que a Kwon era alérgica a camarão? Mas mesmo assim sua consciência pesava porém não exatamente pelo o que tinha acontecido. Ela viu como Yuri tinha ficado encantada com o restaurante, mesmo que a garota não demonstrasse muita coisa, e como ela estava gostando da comida. Estava se sentido mal por Yuri ter perdido um momento agradável? Nem ela entendia direito o que estava sentido.

Enquanto saíam do estabelecimento, as duas ainda puderam ver o momento em que Yuri desmaiou e foi amparada pelo sr. Jung.

- O caso dela realmente é sério. – o homem disse quando a esposa e a filha já se estavam próximas.

- Você e Jessica vão com ela ao hospital, eu levo as garotas em casa. – sra. Jung praticamente ordenou, já entrando no carro que acabara de ser trazido pelo mesmo manobrista de antes, sendo acompanhada pelas amigas de Jessica.

- Tchau Jess, boa sorte! – Sooyoung falou e entrou no carro.

- Boa sorte Jessica, qualquer coisa me liga! – Yoona fez o mesmo.

Tiffany se aproximou, passou os braços pelos ombros da garota e deu um beijinho em sua bochecha.

- Assim que chegar em casa me manda uma mensagem, bye! – soltou-a e entrou no carro, sra. Jung dando partida logo em seguida.

Jessica permaneceu com a cabeça baixa o tempo todo. Ajudou o pai a colocar Yuri deitada da melhor forma possível nos bancos traseiros e se sentou na ponta, colocando a cabeça da garota em seu colo. A situação de Yuri estava mesmo preocupante, Jessica estava quase chegando ao ponto de chorar, principalmente quando passou a mão pelo rosto da morena e sentiu o relevo que as bolhas causaram e a temperatura de sua pele.

Sr. Jung acelerou bem mais que o permitido, mas era necessário. Em poucos minutos chegaram ao hospital, alguns enfermeiros já os aguardavam do lado de fora já que Jessica havia feito uma ligação para avisá-los. Yuri foi levada pelos enfermeiros em uma maca, os dois que a acompanhava, por enquanto, não poderiam passar da sala de espera.

Alguns minutos se passaram, não muitos, mas que pareceram horas para a Jung que já estava com uma forte dor de cabeça. Sr. Jung, que estava sentado ao seu lado, a observava. A garota permaneceu cabisbaixa o tempo todo, seus olhos estavam marejados e ela parecia perdida em seu próprio mundo. Estava preocupado com Yuri e agora, com Jessica.

Estava prestes a dizer alguma coisa para tentar confortar a filha mas foi interrompido pelo toque de seu celular.

- Alô? – atendeu. - Ela foi levada pelos médicos, a gente ainda não tem notícia... Jessie está aqui, estamos muito preocupados. – olhou para a filha que também o olhava de volta. – Não precisa vir amor, pode ir dormir. Quando recebermos notícias eu decido o que fazer... Okay, boa noite. – e desligou.

- Era a mamãe?

- Sim.

Depois disso não trocaram mais palavras, ficaram quietos até que o médico que atendeu Yuri apareceu.

- Vocês estão com Kwon Yuri, não é? – ambos assentiram. – A situação dela já está estável, vocês agiram rápido, isso ajudou. Ela até mesmo já pode ir para casa, o senhor só precisa assinar alguns documentos e resolver a forma de pagamento já que ela não tem seguro.

- Tudo bem doutor, obrigada. – sr. Jung agradeceu.

- Se vocês quiserem vê-la agora, está liberado. – o médico finalizou e se retirou.

- Jessica, por quê não vai vê-la enquanto eu resolvo tudo por aqui?

- Tudo bem...

Jessica perguntou a uma das enfermeiras que estavam por ali aonde se localizava o quarto que a Kwon estava seguindo diretamente para lá. Assim que chegou abriu um pouco a porta, colocando só o rosto para dentro. Deu duas batidas na porta e esperou que Yuri a notasse.

 

- Oi... – disse assim que teve a atenção da morena.

-Ah, oi.

- Como você se sente? – finalmente entrou completamente, fechando a porta em seguida.

- Bom, eu ainda me sinto meio em choque pelo o que aconteceu, eu nunca tinha consumido tanto camarão daquele jeito, foi a primeira vez que tive uma reação tão pesada assim. Peço desculpas pelo transtorno que causei. – curvou o tronco o máximo que conseguiu naquela posição.

- Não precisa se desculpar, a culpa foi toda minha.

- Não, você não teve culpa, não tinha como saber. Eu quem deveria ter perguntado se aquilo tinha camarão. No final eu acabei estragando o seu jantar e o seu aniversário, então...

Nesse momento nenhuma das duas se olhavam. Não importava o que Yuri dizia, a culpa lhe atingia como um soco. Já Yuri pensava que estava a julgar mal a garota, agora se sentia completamente diferente em relação a antes. A morena não notou quando Jessica se aproximou e se sentou na ponta da cama que estava.

- Kwon eu sin...

- Vamos garotas? – foi interrompida pelo sr. Jung que entrou no quarto e as assustou.

Já estavam no carro voltando para casa quando o mais velho finalmente percebeu que não sabia onde Yuri morava. Questionou a garota mas não obteve resposta, ela estava dormindo.

- Liga para a mamãe e pergunta. – Jessica sugeriu.

- Sua mãe já deve estar dormindo Jessie. Vamos leva-la para nossa casa mesmo, ligue para a Jihyo e peça para ela preparar o quarto de hóspedes.

Chegaram em casa e o sr. Jung levou a Kwon até o quarto que ela iria dormir. Tentaram acordá-la mas ela estava sob fortes efeitos de remédios, não estava acordando. Jessica e Jihyo o acompanharam.

- Bom garotas agora é por conta de vocês, boa noite. – colocou a Kwon na cama e saiu.

Jihyo tirou os sapatos dos pés da garota e Jessica a cobriu, deixando o cômodo em seguida.

 

“I’mback” foi o que Jessica enviou para Tiffany assim que terminou de tomar banho e vestir o seu pijama. Não se passaram trinta segundos e lá estava a sua resposta. Tiffany fez algumas perguntas, estava preocupada com a amiga e com a morena. Trocaram mais algumas mensagens e se despediram.

Jessica queria dormir. Sim, queria mas não conseguia. Passou pelo menos duas horas rolando na cama, a cabeça explodindo em pensamentos. Hoje realmente não foi um aniversário convencional, ela passou por tanta coisa. E foi no meio de um desses pensamentos que ela teve a ideia de verificar a situação da Kwon. Não pensou muito bem na razão de fazer isso, mas sentia que precisava ver como a morena estava.

Foi até o quarto que a garota dormia, em completo silêncio, usava o celular para não tropeçar em nada por causa do escuro. Novamente sentou ao seu lado na cama e iluminou o seu rosto, passando os dedos sobre sua pele, sentindo dessa vez apenas alguns resquícios das bolhas, estando bem mais suave do que a outra vez. Por onde seus dedos passavam seus olhos acompanhavam, observando cada traço no rosto de Yuri.

Jessica estava tão concentrada no que fazia que levou um susto quando viu a morena abrir os olhos. Ela praticamente saltou da cama e caiu no chão. Pegou o celular que caiu junto com ela e levantou de uma vez, apontou a luz diretamente para o rosto de Yuri e percebeu que a garota a olhava de volta. Jessica simplesmente saiu correndo. Sim, ela fechou a porta e correu, o mais rápido que pode até o próprio quarto, se jogou na cama e se cobriu até a cabeça. Lembrou-se de quando era criança e fazia a mesma coisa quando sentia medo dos monstros noturnos porém, dessa vez, seu coração não estava acelerado por medo, mas sim por algo que não soube dizer o que era....


Notas Finais


Gente a Yuri é muito de humanas e bem pisciana sim, eu to super apaixonadinha por ela!
Enjoy it!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...