História How could I not fall in love with you? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, Pretty Little Liars
Exibições 40
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente, espero que gostem.
P.S. Eu errei a cor dos olhos da irmã gêmea da América, a Katie tem olhos verdes gente, desculpa pelo o erro.

Capítulo 2 - Nova cidade


P.O.V. América 

Bom quando foi 17:00 horas, tivemos que ir correndo pro aeroporto. Quando chegamos lá, o nosso voou está atrasado, parece que ouve uma tempestade, que não impossibilitou os aviões de partirem, então tivemos que esperar. Quando foi 22:00 horas, a tempestade passou, e finalmente o aviões podiam partir. Minha mãe veio de despedir de mim.

— Olha meu amor, eu sei que você tá com raiva de mim, mais por favor, se esforça, faz isso por mim - ela me abraçou, mais eu não retribuir o abraço, apenas fiquei parada, depois ela me soltou, e tinha lágrima nos olhos - Eu te amo, muito, e espero que se dê bem em Mouton Bre, e faça novos amigos.

— E eu espero que você esteja deixando agente com o  imbecil, pra realmente viajar , e não pra ficar transando e assistindo filmes pornográficos - eu disse secamente.

Então saí de perto dela, sua cara ficou petrificada, fui me despedi de Indie.

— Olha Meri, eu realmente espero que você não fique com raiva de mim, sua mãe insistiu que vocês ficassem na casa do seu pai, não sou mãe de vocês, então não pude fazer nada, sinto muito - falou Indie, ela está mesmo falando a verdade.

— Tudo bem Di, não estou com raiva de você - falei, é verdade.

— Mais também, não fique com raiva da sua mãe, ela só quer o melhor pra vocês - falou ela, sempre defendendo minha mãe.

— Não sei porque você defende a Eliza, ela é uma egoísta - falei irritada.

— Ei, não fale assim da sua mãe, respeite ela, só tenta perdoar ela, tá? - Indie sempre me ganhava, eu adoro ela, somos muito amigas, não vejo ela como madrasta, mais como uma segunda mãe.

— Tá, preciso ir, senão perdemos o avião - falei dando um beijo e um abraço nela - vamos Lucy. 

Eu estou no avião, pensado em um monte de coisa, bom agora tô pensando se escolhi mesmo a roupa certa, eu estou vestindo uma calça vermelha, uma jaqueta de couro preta, blusa branca de alça, uma blusa preta pequena, e por fim, uma par de botas pretas, meu estilo é meio gótico.

A vocês, não sabem muita coisa sobre mim, bom eu sou ruiva com olhos verdes, e tenho sardas por todo o meu rosto, tem hora que elas são visíveis, outra hora não, sou gêmea, a Katie é meia patricinha, e animada demais, ela foi a única de nós quatro que não nasceu ruiva, mais não conseguiu escapar dos olhos verdes, você deve estar se perguntando onde ela está, bom, Katie resolveu estudar no Canadá esse ano, só vou poder ve-la nas férias, e ela tem obviamente, a mesma idade que eu, 17 anos. Sophie, é um amor de pessoa, ela é muito carinhosa, tem filhos, e é casada, ela é nutricionista, uma muito boa, ela mora na mesma cidade que eu morava, e tem 22 anos, como o tempo passa rápido. E por fim, Lucy, a Lucy é uma ótima pessoa, mais é muito ingênua, e as vezes me preocupo com ela, ela tem só 15 anos, tenho medo de que ela faça escolhas erradas. E foi pensando nisso que caí no sono.

Foi Lucy quem me acordou, foram 10 horas de voou, são 7:00 horas, hoje é 19 de fevereiro, o sol está fazendo meus olhos arderem, então coloquei óculos de sol.  E foi  quando eu o vir, ele tá todo animado, ate Lucy tá animada, parece que só eu, que não tá nem um pouco animada com tudo isso. Lucy correu ate James, e o abraçou.

— Pai, eu tava com tanta saudade - falou ela, ainda abraçando elede.

— Eu tambem, minha garotinha - falou James, ele está emocionado.

Quando eles se soltaram, ele veio falar comigo.

— E como você está minha garotinha? - falou.

— Em primeiro lugar, não sou sua garotinha, não sou mais uma criança, em segundo gostaria que parasse de tentar fazer agente se dar bem, porque você sabe James, que não vai dar certo, em terceiro, estou bem, obrigada por perguntar - falei friamente.

— Mais você é minha garotinha, e por favor não me chame de James, eu sou seu pai América - falou ele num tom calmo.

— Meu pai? Não me faça rir - eu disse com ironia, ele já ia falar algo, quando eu o interrompi - Você deixou de ser meu pai, a partir do momento que nos deixou pela aquela sua mulher.

— América, não fale assim da Joyce, ela gosta tanto de você - falou. 

— Não tô nem ai, você pode me fazer o favor de nos levar pra sua casa? Tô muito cansada - falei, mudando de assunto.

— Claro, e não é só minha casa, agora é a de vocês também -falou sorrindo.

Ele nos levou pro carro, e depois começou a dirigir ate a cidade, o aeroporto é fora da cidade, embora Mouton Bre seja uma cidade pequena, tem um shopping, o que é muito bom, pelo menos não vai ser chato morar aqui. Eu estava tão perdida em meus pensamentos que nem percebi quando paramos na frente da casa de James, a casa é grande, e frente é amarela, um amarelo discreto. Eu saí do carro e peguei minha mala.

— Eu deixa que pego isso pra você - falou James, tentando ser gentil.

— Não precisa - o cortei -  Eu sei muito bem me virar sozinha.

Quando entrei na casa, ela é linda, e bem grande.

— Gostou da casa ? - perguntou James sorrindo.

— É bonita - não vou dizer que achei ela maravilhosa.

— Que bom - falou, ainda está sorrindo - Amor, vem aqui.

Amor? Que coisa mais brega, eu só consigo achar bonito, quando é a Indie que fala, sei lá, ela faz a palavra ficar mais bonita. Joyce saiu de um comodo, eu acredito que ela estava fazendo o café, Joyce é ate bonita, tem os olhos cor de mel, e cabelos loiros, mais não se compara a minha mãe, ela é ruiva, de olhos verdes, a cor dos seus cabelos, é um ruivo meio alaranjado, meio castanho, o meu é um ruivo meio vermelho, meio laranja, Katie tem os cabelos castanhos mel, Lucy tem ruivo normal, e o cabelo da Sophie, é um ruivo castanho.

— Oi América, como você está? - falou Joyce, ela é carinhosa comigo, mais eu não gosto dela.

— Bem, como você pode vê - falei - e cadê a Julia? 

— Ela está lá em cima - falou - Aposto que você ta cansada, se quiser pode ir dormi, seu quarto é virando a direita, você e a Lucy tem seus próprios quartos.

— Que legal, ok, vou dormi - falei e saí.

James me acompanhou ate o quarto, carregando a mala, quando abri a porta o quarto tava cheio de coisas que eu mais gostava, tinha uam TV, uma cama enorme.

— Ai meu Deus, tem tudo aqui, ate cartazes da minha banda preferida - falei animada - Como você descobriu? 

— Perguntei pra sua mãe, e Indie também ajudou - falou sorrindo.

— Obrigada - falei, me recompôs - Pode ir, não vou ficar mais tomando o seu tempo.

— Ah, tá, que bom que gostou do quarto, vou te deixar sozinha - falou desanimado e quando ele estava no final do corredor.

— Ei, obrigada de novo pelo o quarto - achei melhor agradecer.

— Por nada - falou sorridente.

Voltei pro quarto, e me deitei na cama, se ele acha que pode me comprar assim, tá muito enganado, mais talvez não seja tão ruim morar aqui.






Notas Finais


Bom gente espero que vcs tenham gostado.
Se gostarem comentem, adoro ver os comentários.
Me perdoem por qualquer erro.
Um bj, e ate o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...