História How could I not fall in love with you? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, Pretty Little Liars
Exibições 21
Palavras 1.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii gente, voltei, espero que gostem do capítulo.
P.S. O garoto com quem a América esbarrou, tem olhos azuis escuros, me perdoem se eu confundi vcs, sinto muito em decepcionar vcs mais nosso " príncipe " misterioso só vai aparecer depois

Capítulo 4 - Nova escola


Fanfic / Fanfiction How could I not fall in love with you? - Capítulo 4 - Nova escola

P.O.V. América

Acordo com o som do despertador tocando.

— Que porra é essa? - me pergunto abrindo os olhos - Por que essa merda não desliga?

Finalmente consigo desligar o despertador, me levanto e vou pro banheiro fazer minha higiene. Saio do banho, e vou vestir o uniforme, é um short xadrez, uma blusa branca de manga longa, uma gravata vermelha xadrez e um blazer preto, o sapato que eu fosse usar, é gosto meu, então decido pegar um tênis all star . Me olho no espelho, não tô nem chique, nem feia, tá bom assim, desso as escadas e vou pra sala de jantar, James tá sentando em um cadeira, lendo jornal.

— Bom dia - fala

— Bom dia, cadê a Lucy? - pergunto.

— Acho que ela ainda tá se arrumando - falou.

— Lucy - chamo.

— Já vou descer - ouço sua voz lá de cima.

— Então, você vai deixar agente? - pergunto.

— Não, vocês vão com a Julia , seu carro ainda não chegou - falou.

— Meu carro? Você comprou um carro pra mim? - pergunto surpresa.

— Comprei, mais ele ainda não chegou - fala como se não fosse nada.

— Ok, valeu, Julia você já pode ir? - pergunto.

— Claro, espero vocês no carro - falou saindo.

— Não vai tomar café? - pergunta James.

— Não, tô sem fome, Lucy vem - chamo.

— Mais você não pode ir pra escola sem comer nada - fala James com autoridade - Você tem...

— Pode parar - interrompo - Eu posso até tá morando na sua casa, mais eu não vou aceitar você começar a querer ser meu pai agora, e mandar em mim, se você pensa que isso vai acontecer, tá muito enganado. Lucy pela última vez, se você não descer agora, eu vou te deixar - falei irritada.

— Calma Meri, já tô aqui - falou do meu lado - Tchau pai.

— Tchau Lucy, tchau América, tenham um bom dia - falou James quando saímos.

A escola até que não é tão longe, e andar com a Julia não foi tão ruim. Quando chegamos na escola Julia estacionou o carro e descemos, a minha escola tem um campus lindo, cheio de adolescentes, ai lá no fundo é a escola, ela é bem grande. Assim que estamos na escola, Lucy conseguiu achar sua sala facilmente, eu e Julia ficamos andando.

— Então América, você tem história agora né? - pergunta, e eu assenti - Ok, então história é a sala 25, você vai até o final do corredor, vira a direita, depois a esquerda, é a segunda sala, consegue? Que bom, boa sorte - falou entrando na sala e me deixando sozinha.

Fiquei totalmente perdida, não sabia por qual corredor ir, eu tô tentando achar a sala com um folheto que peguei, " obrigada Julia, por nada " e eu tava andando de um,lado pro outro, olhando pro folheto, até que acabei esbarrando em uma menina e cai.

— Ai, me desculpa, eu tô totalmente perdida, acabei esbarrando em você - falei me levantando e estendendo a mão pra garota.

— Não tem problema, me desculpa também, eu tava com pressa, a propósito sou Leslie Kelson, qual seu nome? - me perguntou Leslie, pegando minha mão pra se levantar

Só vim perceber agora o quanto a Leslie é bonita, ela tem castanhos, são cacheados, um tipo de cacho aberto, e do meio do cabelo pra baixo é pintado de roxo, tem um piercing no lado esquerdo do nariz, ela usa o uniforme com as mangas arregaçadas, assim como eu, Leslie usa um tênis estampado com a bandeira dos Estados Unidos.

— Meu nome é América Mary, e adorei seus tênis - falei sorrindo.

— Valeu, qual a sua  aula? - pergunta.

— História, sala 25, mais não sei onde fica - falo.

— É a minha sala também, vamos, me segue - falou saindo.

Eu a segui, e percebi que eu não tava tão perdida assim. Quando entramos na sala, o professor tava escrevendo no quadro, ele se virou para nós, assim como toda a sala.

— Srta Kelson, atrasada como sempre, eu iria agradecer muito se você me fizesse o favor de se sentar.

Leslie foi se sentar em uma cadeira lá no fundo. Então o professor finalmente notou minha presença.

— E você senhorita? Qual o seu nome? - perguntou.

— América Mary - assim que falei meu nome todos sorriram, " como são idiotas " penso.

— Imagino srta Mary, que seja a aluna nova - fala e eu assenti - Bom pois deixe-me esclarecer uma coisa, na minha aula não suporto atrasos.

— Se você não gosta de atrasos, então por que sempre deixa a Leslie chegar atrasada? - pergunto.

— Isso não é da sua conta srta Mary, agora vá se sentar - fala com autoridade.

Fui me sentar lá no fundo, perto de Leslie. O horário se passou e finalmente chegou a hora do intervalo, Leslie me chamou pra me sentar na mesma mesa que ela. Quando chegamos sentamos na mensa mesa, que Julia, e mais dois garotos,  Leslie sentou do lado de um menino do cabelo azul, e Julia está sentada do lado de um menino de cabelos pretos.

— Bom gente, essa é a América - falou Julia me apresentando a todos - América, esse é o Pablo - falou apontando pra o menino perto dela, ele é bem bonito, tem cabelos pretos e olhos pretos - Esse é o Nathan - apontou pra o menino ao lado da Leslie, ele tem cabelo azul , e olhos castanhos , seu olhos parecem chocolate - E essa é a Leslie, como você já deve conhecer.

— Leslie, Nathan é seu namorado? - pergunto, e ela assente - Olha me desculpa, mais não posso deixar de falar, Nathan, seus olhos parecem chocolate.

— Finalmente alguem concorda comigo - falou Leslie.

— Ei América, me desculpa perguntar, mais de onde vem se nome? - pergunta

— Bom, você não é o primeiro que me pergunta isso, na verdade a resposta é bem simples, minha mãe queria colocar um nome diferente em mim, e como ela sempre achou o nome América bonito, puf, surgiu eu - falei animada.

— Nossa, pensei que tinha toda uma história por trás, então não te nada de misterioso? - pergunta.

— Nadinha - falo.

A hora do intervalo passou, agora eu acho que é aula de filosofia, assim que entro na sala, vejo uma mulher gorda, andando de lá pra cá, sentei na minha cadeira e coloquei minha mochila no chão.

— Bom dia gente, como hoje é o primeiro dia de aula, decidir fazer uma brincadeira, vamos fazer um círculo, e cada um vai contar seu nome, e vai falar um pouco sobre sua vida. Então gente vamos começar - falou a professora animada.

Todos ficaram falando seus nomes, e sobre suas vidas chatas, parece que não tinha fim, até que chegou minha vez.

— Oi gente, meu nome é América Catarina Mary, tenho 17 anos, tenho três irmãs, uma é gêmea,  tem Lucy, ela tem 15 anos, Katie que é a minha gêmea, ela mora no Canadá, com o namorado, e por fim a minha irmã Sophie, ela é casada e tem dois filhos, minha mãe e o meu pai são divorciados, eu vim morar com meu pai porque minha mãe e a esposa dela decidiram viajar, ai tive que ficar com meu pai, a esposa dele e a filha dela. Bom é isso - falo

— Esperando só sua mãe é lésbica? - perguntou um menino com o rosto incrédulo.

— Sim, você tem problema com isso? - pergunto.

— Claro que sim, como você pode aceitar uma coisa dessas? Você não tem nojo? - perguntou.

— Não, e se você não fosse tão babaca, saberia porque - falei irritada

— Eu não sou Babaca, você é que é idiota, aceitar a mãe ser casada com outra mulher, meu Deus, você é sua família são nojentas - falou.

Não me segurei, fui pra cima dele, fiquei por cima, colocando meu braço em seu pescoço pra sufocar ele.

— Como você ousa, você não pode falar assim comigo, EU NÃO SOU UMA DAS SUAS VADIAS PRA ME TRATAR ASSIM - eu estou gritando.

 Me aproximei dele, nossos narizes quase se tocando.

— Se você falar assim da minha família de novo, eu vou arrancar essa sua língua nojenta - falei.

Dei um soco na sua cara e ainda cuspi, foi então que um garoto me tirou de cima dele.

— Tire ela daqui agora - pediu a professora.

O menino me levou pra fora da sala e me soltou.

— Nossa, se acalma América, não liga pra o que o Marcus disse, ele é um idiota, sou Filiph - falou o garoto.

— Eu sou a América, mais você já deve saber disso - falei com ironia.

Passamos um tempo fora da sala, até que a professora mandou nos chamar pra voltar a sala. Quando terminou todas as aulas, encontrei Lucy e Julia, fomos pra casa. Quando chegamos em casa, fui pro meu quarto, peguei meu violoncelo, " sobrevivi aquela escola estúpida " pensei, e comecei a tocar.


Notas Finais


Oi gente, desculpa pela demora, a net tá ruim.
Gente me deixem nos comentários o que acharam do cap.
Um bj e até a próxima.
P.S. Desculpa por qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...